Velha Roupa Colorida – Belchior/Elis Regina (Precisamos todos rejuvenescer)

Pra você, aí sentando no sofá, na poltrona, na cadeira ou, no assento do ônibus ou no banco de trás da limusine:

“Você não sente nem vê
Mas eu não posso deixar de dizer, meu amigo
Que uma nova mudança em breve vai acontecer
E o que há algum tempo era novo, jovem
Hoje é antigo, e precisamos todos rejuvenescer”

Saúde Parte VI – de VIII

pegadas

Se quiseres planejar para um ano, plante cereais. Se quiseres planejar para trinta anos, plante árvores. Se quiseres planejar para 100 anos, eduque o povo.” – Provérbio chinês

Saúde sem educação é a maior utopia possível. Uma pessoa que não foi educada para saber diferenciar entre o certo e o errado, o que nutre e o que envenena o corpo, conta tão somente com a sorte para sobreviver a toda sorte de ofertas de alimentos com embalagens coloridas, que ficam prontos em 2 minutos no microondas, frutas vistosas (repletas de agrotóxicos e fertilizantes químicos) e mesmo terapeutas charlatães que vendem tratamentos milagrosos para perda de peso, benefícios estéticos ou mesmo curas milagrosas para as mais variadas afecções.

Um ser humano que aprender a se defender das desinformações que o mundo moderno, tal qual George Orwell previa em 1984, nos fornece, tem mais condições de viver uma vida saudável e longeva. Eis a importância, como citei há algumas edições atrás, da criação não somente de Postos e Unidades de Atenção à Saúde (que em sua grande maioria são Unidades de Atenção à Doença), mas de Centros (Populares) de Educação em Saúde e de uma verdadeira e efetiva Rede Integrada de Educação em Saúde, capaz de transmitir o conhecimento que fica encastelado e centralizado na figura dos profissionais de saúde, tanto clínicos gerais quanto especialistas das diversas áreas de atenção aos pacientes e distribuir este conhecimento, tornando não só o acesso à saúde mas o conhecimento acerca do que é bom e preferível e o que deve ser evitado mais democrático e distribuído.

Quando pensamos que nosso ecossistema como um todo é responsável pela nossa saúde, desde o ar que respiramos, a água que ingerimos, a violência de nossa urbe, etc., nos damos conta de quão importantes são os exemplos que nossas escolhas e nossos atos proporcionam para quem está á nossa volta e para as gerações vindouras. Como dizia B. K. Jagdish:

“Nossos pés deixam pegadas na areia do tempo. Se estivermos no caminho errado, muitos nos seguirão, desviando-se do que é correto. Quando pensamos que uma ação é só por aquele momento e esquecemos que ela deixa um rastro atrás de si, não estamos sendo responsáveis. Todas as nossas ações afetam os seres humanos, dando-lhes alívio ou tristeza. Podemos fortalecê-los ou não. Podemos causar ferimentos ou curas. Podemos gerar conflitos ou resolvê-los. Podemos criar cataclismas ou algo nobre para a sociedade.”

Existe ainda uma outra lição bem interessante e inteligente, que nos liga à frugalidade, discutida anteriormente, e também à preocupação com a questão sistêmica do planeta e, de forma interdependente, às nossas relações com os outros humanos, que é a de manter uma atitude “verde” para com o mundo. Sobre isso, diziam Penny Kemp e Derek Wall, ecologistas britânicos:

“Como ser verde? Muitas pessoas nos perguntam esta importante questão. É realmente muito simples e não requer nenhum conhecimento especializado ou habilidades complexas. Aqui está a resposta. Consuma menos. Compartilhe mais. Aproveite a vida.”

Mas, muitas vezes, quando tudo o mais parece não resolver, o melhor que temos à fazer para manter ou para recuperar a saúde é fugir. Mas não a fuga do depressivo ou a fuga do amedrontado: uma fuga consciente, como estratégia para equilibrar a loucura e a serenidade presentes em cada um de nós. A fuga para encontrar a justa medida. O (quase) perfeito equilíbrio. Henry Laborit nos dizia:

“Em tempos como este, a fuga é o único meio para manter-se vivo e continuar a sonhar.”

E Hakim Bey nos ensina, em TAZ – A Zona Autônoma Temporária, Anarquia Ontológica e Terrorismo Poético, como usar a tática ninja do desaparecimento para realizar nossa essência longe dos olhos de quem nos controla, quer seja o Estado, a Igreja, a Escola ou mesmo a Família, sempre que precisamos exercer nosso direito à liberdade e à integritude. Quando, finalmente, nem a fuga dá certo, nos resta mais uma opção para invocar um surto instantâneo de saúde em nossas artérias e espírito: Rir! Esse sim, é o melhor remédio!

Como dizia Mort Walker, “Abençoados os que sabem rir de si mesmos, porque nunca deixarão de divertir-se”.

E não é verdade? Já existem até estudos científicos comprovando os efeitos benéficos de sorrir e gargalhar sobre a saúde humana!

Nao próximo texto, o sétimo e penúltimo da saga “Saúde”, veremos como Ralar o joelho, Revoltar-se, Desobedecer, Diversidade e Respeito se relacionam com o conceito de saúde. Até lá!

Promoção de Lançamento do Intentio – Serviço de Orientação em Medicina e Saúde

intentio-promocao

Olha só a promoção superbacana que eu, juntamente com meus companheiros do Medictando e do Intentio estamos lançando:

Quer Ter uma Vida Saudável Mas Não Sabe Por Onde Começar?

O Intentio – Serviço de Orientação em Medicina e Saúde oferecido pelo Medictando está lhe dando a chance de:

GANHAR 30 dias de Orientações em Saúde Grátis e ainda um Kit de Alimentos Saudáveis entregues na sua casa!

SAIBA COMO acessando a página da promoção em: https://www.sorteiefb.com.br/tab/promocao/534906

Aproveita vivente! O Sorteio é em 31 de março de 2016.

Como receber todas as Notificações de minha página do Facebook

Quer saber como receber todas as notificações da minha página do facebook? Veja como é simples:

Basta sobrevoar com seu mouse o Curtir e clicar em “Ver primeiro” e depois em “Todas ativadas (Todas as publicações, Eventos)

Assim, você não perde mais nada do que eu for publicar em meio às milhares de postagens que o face precisa filtrar para mostrar a você todos os dias!

Clica lá, e não me perca de vista!

Captura de Tela 2016-03-06 às 14.00.13

Procura-se e Precisa-se de Tradutores e Tradutoras em Várias Línguas: Inglês, Espanhol, Italiano, Francês, Alemão, Russo e Chinês

tradutores

Estaremos contratando tradutores para os projetos da The Brains Cooperation, dentre eles o Medictando e a Coolmeia. Alguns precisaremos de disponibilidade em tempo integral e outros para trabalhos eventuais, mas com alguma regularidade.

Se você tiver disponibilidade de tempo e capacidade de tradução irrepreensível na língua ou línguas que dominas, entre em contato pelo formulário abaixo:

Caronas do Rafael – De uma necessidade para uma oportunidade para uma ação

caronas-do-rafael

Quem me acompanha sabe que faço o trajeto Araranguá > Porto Alegre > Santa Maria > Porto Alegre > Araranguá a cada 14 dias. Minha vida profissional está centrada no sul catarinense e minha vida afetiva no coração do Rio Grande.

Com os sucessivos aumentos do preço dos combustíveis, a necessidade de realizar a revisão do automóvel a cada 3 meses e de trocar de pneus a cada 8 meses, surgiu a necessidade e a ideia de oferecer carona para pessoas que buscam companhia e economia neste trajeto.

E foi assim que, ontem, criei uma planilha com minha “escala de viagem” para os próximos meses, de forma a ajudar e ser mutuamente ajudado neste trajeto que faço o ano todo.

Dar carona é tudo de bom: reduz o impacto ambiental (carros só com um passageiro são quase um crime!), aumenta a convivialidade e a chance de trocas entre pessoas de diferentes culturas e backgrounds, promove diálogos e troca de ideias, gera economia de recursos econômicos, nos traz novas amizades…

Para quem quiser acessar, por necessidade ou curiosidade, o link permanente para a escala está em http://curto.co/caronasdorafael

 

Livrai.me | Igreja Anarquista Livrai-vos dos Senhores

pedro-rios-leao

Nem todas minhas postagens e ideias fazem sucesso em todos os públicos (ainda bem, do contrário iria pensar que estou em um sonho egocêntrico e :) ).

Uma dessas ideias polêmicas é a ideia da Livrai.me | Igreja Anarquista Livrai-vos dos Senhores.

A Livrai.me é, na verdade, um Manifesto pela autossuficiência e pela tomada de uma autoconsciência profunda por cada um de nós.

Na página inicial (livrai.me) conclamamos às pessoas que enviem fotos e uma pequena descrição de momentos nos quais elas sentiram-se verdadeiramente livres.

Leia o Manifesto completo em http://livrai.me/igreja-anarquista/

PS: Mantenho profundo respeito pelas crenças individuais de cada um, e desejo a felicidade e o bem-estar para todos os seres sencientes. Existem vantagens e desvantagens individuais e coletivas para cada escolha, teísta ou ateísta que fizermos. Os livros de história e de estatística estão aí para nos demonstrar, podemos usá-los como referência ou ignorá-los, bem como as escrituras assim ditas sagradas.

PS2: na foto, Pedro Rios Leão, na “Colheita da abstenção”.

 

Receitas caseiras de Desodorantes, Xampus, Sabonetes, Pasta de Dente e outros produtos de higiene pessoal

No dia 23 de janeiro, fiz uma postagem no facebook conclamando amigos e conhecidos a compartilharem comigo algumas dicas de higiene pessoal feitas em casa e naturais. A mensagem foi a que segue:

Amigos – Estou na busca de mudar todos meus produtos de higiene para produtos feitos em casa ou tão naturais quanto possível.
Posso contar com vossa ajuda para indicar sites, receitas, lojas em todo Brasil que vendam substratos para quem quer fazer em casa e também já prontos?
Falo de pasta de dentes, sabonetes, desodorantes, perfumes, etc. Shampoo já não uso mais, uso o Sempu
Além disso, vou registrar estes pontos de distribuição e algumas receitas e fazer um pequeno guia em .pdf e depois distribuir por aqui e em outras mídias. Vambora?

sabonetes2

Foto de Sachi – https://supasoap.wordpress.com/ – (CC BY-NC-SA 2.5 BR)

A resposta que obtive foi supimpa! Em poucos dias pipocaram várias referências, que cito abaixo, somadas às que eu já havia compilado em 2013 para o grupo Higiene > DIY Faça Você Mesmo > Aprendizagem da Coolmeia. Enquanto isso, ganho tempo para criar o “pequeno guia em .pdf”, com receitas e referências, ao qual me comprometi.

Sabonetes:

Xampus:

Pasta de dentes:

Desodorantes:

Óleo hidratante pós-banho:

Cuidados de higiene em geral:

Produtos naturais em geral:

cosmeticos-naturais

Rica participação da Giselle Zambiazzi, que compartilhou uma série de receitas bem práticas, simples e eficientes. Vejam o que ela disse:

“Em dezembro fiz um minicurso num encontro de permacultura que ensinou várias receititas rápidas para fazer tudo em casa. Bem, ensinamento número 1: bicarbonato de sódio é o segredo pra tudo. Ele serve pra quase tudo o que a gente precisa. Só precisa saber dosar pra equilibrar com as necessidades do seu corpo, teu PH, tua oleosidade, etc. e isso se descobre ao longo do uso e da experimentação. Vou escrever ali embaixo as receitas-base e o resto pode ir adaptando.

Xampu: Água, bicarbonato de sódio numa proporção a 10%. Aham… é só isso. Aí (ideia minha) dá pra acrescentar coisas como um chá que tenha a ver com a necessidade do seu cabelo seja pra dar cheirinho ou pra equilibrar. Lembrando que a dosagem do bicarbonato será aumentada ou diminuída conforme seu corpo responder. Uso: passe a solução no seu cabelo e deixe agir enquanto lava as outras partes do seu corpo. Pode acrescentar pó de juá pra fazer espuma, se quiser.

Condicionador: 90ml de vinagre de maçã e 10ml de azeite de oliva. É legal acondicionar num vidro escuro pra não reagir com a luz, se for possível. E também é bom fazer pouco de cada vez pra não estragar.

Desodorante: 100ml de óleo de coco, 1 colher de chá de bicarbonato de sódio, cravo “a gosto”

Pó dental: 2 colheres de argila branca, uma colher de canela e uma colher de bicarbonado de sódio. Não molhe a escova. Encosta até ficar um tantinho grudadinho e esfrega, esfrega, esfrega. Não precisa enxaguar se não quiser. Cuidado com a reação que algumas pessoas acabam tendo o esmalte prejudicado. É preciso ir equilibrando as dosagens, não esfregar com força, usar escova macia. Dá pra acrescentar hortelã na mistura. Essa dica é minha: óleo de girassol é um potentíssimo antisséptico bucal. Faz um bochecho diário de 10 a 15 minutos e cospe na privada porque ele sai contaminado. Eu já usei e mais do que recomendo. Chá de arruda (bochecho) é poderoso também pra limpar a boca e combater mau hálito.

Esfoliante facial e corporal: pó de café. Aquele que você usou para fazer seu cafezinho matinal, sabe? Então… pega ele e mistura com mel. Mistura uma proporção que fique uma bolinha, uma massinha, Pronto. É só passar, deixar agir um pouco e lavar.

Enxaguante bucal: vinagre de maçã, cravo e canela. Pode ser usado depois da escovação com a argila branca.”

E olha a dica da Danusia Peterle:

“Desodorante utilizo “leite de magnésia”, super fácil colocar na embalagem roll-on de qualquer outro desodorante (higienizando bem esses frascos)”

A Luciane Martins Monteiro compartilhou essa receita de Sabonete caseiro de alecrim:

INGREDIENTES

300 mL de azeite de oliva
175 mL de óleo de coco
120 mL de água
60 g de soda cáustica 99%
1 colher (sopa) de argila verde
Meia colher (sopa) de espirulina
1 colher (sopa) de farelo de aveia
30 gotas de óleo essencial de alecrim

MODO DE PREPARO

1. Em uma panela, misture o azeite de oliva e o óleo de coco, em fogo baixo.
Despeje os 120 mL de água de em uma tigela de vidro e coloque dentro da pia.
Vá acrescentando aos poucos os cristais de soda cáustica, até que se dissolvam.
Ao manejar a soda cáustica, use luvas, máscara e avental.
Deixe esfriar.
2. Com cuidado e devagar, despeje a mistura de soda cáustica e água na panela com o azeite e o óleo de coco.
Mexa bem.
Depois, bata com um fouet (batedor de arame/ batedor de clara em neve) por 20 segundos.
A consistência deve ser similar à de uma calda.
Junte a argila verde, a espirulina, o farelo de aveia e o óleo essencial de alecrim.
3. Coloque a mistura em um fôrma no formato de tabuleiro (23 cm) untada com azeite.
Cubra com azeite e deixe descansar por 24 horas.
Quando ainda estiver um pouco mole, corte em retângulos.
Mas não toque nos sabonetes! Faça isso com luvas!
Deixe secar e endurecer por completo.
O tempo para que isso ocorra deve ficar em torno de quatro semanas.
Esta receita rende uns 16 sabonetes.

Gandha Ocque, do Pura Chuva, complementa com uma informação importante:
“…mexer com hidróxido de sódio (soda) requer muito cuidado e responsabilidade, hoje existem cursos de saboaria natural que ensinam como fazer todo o procedimento em detalhes, indico o site do akira para a pessoa conhecer bem o que significa isso, porque poucos conhecem a saboaria natural, a maioria apenas conhece os sabonetes artesanais feitos de bases prontas.. por exemplo, fazer sabão de óleo usado é muito perigoso, cada óleo tem seu índice de saponificação,não pode usar óleo de fritura de carnes, é química pura e requer bastante pesquisa.
Ah e não precisa aquecer os óleos na panela, se a receita estiver certa, vai dar certo fazendo tudo à temperatura ambiente. Imagina se a pessoa aquece demais esses óleos e resolve colocar o mixer em toda essa mistura super quente?”
  • IMPORTANTE: Antes de testar esta e outras receitas aqui apresentadas, informe-se sobre boas práticas de produção de sabonetes naturais e demais produtos de higiene. Existem vários cursos de tempos em tempos, certamente algum em uma cidade ou bairro próximos a você.

Ficam também as dicas de algumas marcas de produtos orgânicos, veganos e/ou biodinâmicos a se buscar e avaliar o custo-benefício:

Ainda, para complementar, a dica do Vinicius Braz Rocha:

“Entre tantos links & receitas de como desprogramar, se desintoxicar da gigantesca variedade de poluentes & poluidores produtos industriais de consumo, vale conferir o canal “zero waste home” da Bea Johnson: https://www.youtube.com/user/ZeroWasteHome

a-granel

E não deixe de passar pelo blog da Cristal, o Um Ano Sem Lixo, para uma inspiração profunda. Esse assunto, o do consumo responsável e da produção mínima de resíduos, vai virar uma postagem em breve.

Se você tiver alguma receita caseira, alguma marca, produto ou loja para recomendar e gostaria de ver adicionada à próxima versão do Guia de Receitas Caseiras e Produtos de Higiene Naturais, envie as Sugestões ou Receitas pelo formulário um pouco mais abaixo.

Todo o trabalho de criação do Guia será voluntário, mas contribuições de toda sorte são bem-vindas! Se você for produtor ou distribuidor de produtos de higiene natural e quiser enviar alguma de suas criações ou produtos que comercializa como cortesia, nós certamente usaremos e ficaremos muito gratos!

Se, por outro lado, o guia que está sendo criado lhe ajudar a encontrar aquilo que busca, em breve poderás retribuir através de um sistema de micromecenato que estou bolando para ajudar este que vos fala a criar pequenas (f)(in)utilidades para seu dia-a-dia. Espero poder contar com você!





Formulário de Contato para o “Guia Definitivo das Receitas Caseiras e Produtos de Higiene Naturais

Cooperativa de Compras Coletivas da Coolmeia

ccccEstando com frequência em Santa Maria, descobri ao falar com o Eduardo Luft que por aqui estão começando o processo de criação de uma Cooperativa de Compras Coletivas, mais ou menos nos mesmos moldes que iríamos desenvolver no Favo Araranguá da Coolmeia.

Ainda não participei de nenhuma reunião presencial com o grupo que está organizando a Associação por aqui, mas resolvi resgatar, lá da Rede Social Cooperativa da Coolmeia o documento que registra alguns apontamentos da CCCC – Cooperativa de Compras Coletivas da Coolmeia.

Como iria funcionar:

O foco inicial da Cooperativa é a compra de produtos alimentícios em formato “a granel” com 3 objetivos principais:

1. Ecológico/Ambiental: para reduzir a utilização excessiva de embalagens plásticas e de todos os tipos que recebemos quando compramos os produtos nos supermercados

2. Econômico: para se beneficiar da economia individual e familiar quando se compra produtos em grandes quantidades, direto dos distribuidores. A estimativa de redução de preço é de 30-40%.

3. Educativo/Pedagógico: a experiência de fazer parte de uma cooperativa e decidir coletivamente sobre como esta deve funcionar acende a noção de co-responsabilidade que todos devemos ter para com os recursos existentes, quer sejam eles domésticos, locais ou globais. No processo, questiona-se o próprio consumo e questões como valor-de-uso X valor-de-mercado.

Etapas necessárias:

1. Definição das pessoas interessadas

2. Busca e seleção da Cesta de Produtos iniciais

3. Busca e seleção de fornecedores, seguindo os critérios:

– produtos orgânicos/de agricultura familiar

– produtos produzidos à menor distância possível da cidade-sede da Associação

– produtos de qualidade

– produtos baratos

(podemos criar um índice para selecionar os produtos que nos satisfaçam, que satisfaçam a todos)

4. Definir um local de entrega dos produtos, que será o ponto de encontro para dividi-los nas porções individuais

– Em uma fase inicial, pode ser a casa de alguém, e um dia da semana escolhido para a partilha (já que nessa fase tudo será voluntário)

– Em um segundo momento (ou desde o princí­pio) pode-se adicionar um pequeno valor percentual adicional sobre a compra para poder alugar um espaço físico e/ou contratar uma pessoa para ficar neste local em certos dias da semana para partilhar os produtos. Ou idealmente, podemos alugar/escolher um local e fazer uma escala entre os próprios cooperados para cuidar do local, mantendo um livro de controle de estoque detalhado, onde se anota que produto foi para quem, de acordo com critérios pré-estabelecidos

5. Formalização da Cooperativa

6. Criação de algo como o “Supermercado do Povo” -(http://www.thepeoplessupermarket.org/) – em que as pessoas fazem parte do supermercado, podendo trabalhar em troca de alimentos

Este é apenas um esboço inicial de um modelo que pode ser experimentado localmente e replicado em outras comunidades, caso seja bem sucedido.

Da mesma forma, a Cooperativa de Compras Coletivas pode, a partir de certo ponto:

1. Estabelecer uma demanda fixa de certos produtos e estimular produtores locais a produzirem estes alimentos, evitando que os mesmos percorram longas distâncias para chegar até aqui (Agricultura Suportada pela Comunidade)

2. Passar a realizar compras coletivas de bens duráveis, que sejam interessantes para a comunidade ou para os indivíduos componentes da Cooperativa

3. Criar um Fundo de Suporte Alimentar, com um valor percentual das compras coletivas, visando beneficiar pessoas em risco da comunidade, como crianças, idosos, moradores de rua e outras pessoas necessitadas.

Quem quiser se juntar ao processo de co-criação da Cooperativa de Compras Coletivas (ou nome a ser definido) em Santa Maria (tanto como produtor ou como consumidor, preencha os dados abaixo e entraremos em contato para informar das próximas reuniões).

Se você deseja criar uma Cooperativa de Compras Coletivas em sua localidade, mas não sabe por onde começar, entre em contato também! Vamos trocar figurinhas e ajudá-lo a revisar o passo-a-passo necessário para criar tua Cooperativa e gerar acesso a alimentos saudáveis e orgânicos em tua comunidade.

’]

GoodFood – Mapeamento da Comida Boa no Brasil

goodfood2
Good Food é um portal que tem por objetivo mapear de forma colaborativa, com ajuda dos usuários, locais em que são produzidos, distribuídos, comercializados e servidos alimentos que podem ser chamados de “boa comida”, ou seja: produtos sem agrotóxicos, orgânicos, da agricultura familiar, de pequenos produtores e distribuidores, de pequenas cooperativas, restaurantes veganos e vegetarianos, produtos locais e locávoros.

 

O portal irá dispor de um sistema de revisão e qualificação, permitindo que usuários dêem notas sobre a qualidade dos produtos ofertados, permitindo uma avaliação continuada do estabelecimento e dos alimentos. Aqueles que reiteradamente forem denunciados e as denúncias confirmadas, serão retirados do catálogo.

A ideia é mapear desde fazendas de orgânicos, pequenos agricultores familiares orgânicos, restaurantes orgânicos, veganos e vegetarianos, sistemas de agricultura suportada pela comunidade, armazéns e feiras com venda de produtos saudáveis, Sistemas de compras coletivas,  comida feita localmente, de forma sustentável, livre de agrotóxicos, respeitando economicamente as pessoas que estão produzindo…

Essa ideia já foi discutida em um encontro no Ágora.cc em 9 de outubro de 2012, porém não houve força e colaboração suficientes para que saísse do mundo das ideias.

Algumas referências inspiradoras de várias etapas do processo:

Talvez, com tantas soluções complementares disponíveis, o que falte mesmo é uma que simplifique todo o processo e disponibilize, em um local só (um app, por exemplo), todas as informações necessárias de acordo com o nível de exigência do usuário.

Quem desejar apenas localizar na região em que se encontra um alimento que pode ser considerado “boa comida” pelos critérios padrão do site, encontrará. Quem desejar ir mais a fundo e buscar toda a cadeia produtiva do alimento, poderá refinar a busca e verificar inclusive (estando disponível esta informação, por parte do produtor/distribuidor) se o alimento foi trazido ao consumidor através de uma cadeia de comércio justo, sem uso de trabalho infantil ou escravo, por exemplo.

Agora, para tornar esta iniciativa ainda melhor, preciso que você, que leu até o final e chegou até aqui, colabore com algum Comentário ou Sugestão. Se quiser enviá-lo de forma privada ou deseja participar do Grupo de Trabalho do Good Food (GTGF) use o formulário imediatamente abaixo.

’]

 

Se quiser enviar de forma pública, use o sistema de comentários logo abaixo.

Seja sempre bem-vindo ao meu blog, fique à vontade para navegar em outros artigos e páginas do site, bem como em visitar e Curtir minha página no Facebook, em https://www.facebook.com/rreinehr/. É com seus insights e opiniões que vamos lapidando e aprimorando as ideias cruas que por aqui são apresentadas, cooperando, juntos, para criação de um outro mundo, melhor para todos.