Monthly Archives: abril 2007

Abr 28

Miniconto poético: um novo gênero literário?

By Rafael Reinehr | Minicontos poéticos

    A prosa literária tem suas classificações: crônica, conto, novela, romance… assim como a poesia, que divide-se em sonetos, haiku, trovas… Recentemente, algumas experiências tem sido realizadas no sentido de mesclar prosa e poesia, e escritos de prosa poética ou poesia em prosa foram tentados com maior ou menor sucesso. Fabrício Carpinejar é exímio em exercitar-se na arte da prosa poética.

    Hoje pela manhã, em visita a alguns blogs, incluindo o da amiga Adelaide Amorim , fui apresentado ao Trinta em Transe , um coletivo gaúcho que, por sua vez, me levou através do hiperlinquer – aquela máquina futurista que te leva de um lugar a outro na velocidade de um clique (dependendo da velocidade de sua conexão) – ao Nave Vazia . Uma vez por lá, fucei, fucei até que, naão mais que de repente, fiquei estatelado com uma palavra:

ladraõ 

    Pronto: estava sacramentado: um novo gênero literário estava nascendo: o miniconto poético. Explico: o miniconto caracteriza-se pela presença de um personagem, de narrativa, concisão, totalidade, subtexto, ausência de descrição e relatos de pedaços da vida. Quando misturamos isso com uma cola poética a permear todos estes fragmentos, temos, finalmente, um "miniconto poético".

    Não sei o nome do autor do "miniconto poético" acima, mas se alguém conhecê-lo, faça-lhe o favor de avisar que já temos um gênero para sua criação. Alguém se arrisca a "minicontar poeticamente"?

Sprout
Abr 28

Sprout

By Rafael Reinehr | Games Online

Fiquei conhecendo hoj, através do Faça a sua parte , o jogo educativo e ecológico Sprout .

Sprout

Criado pelo neozelandês Jeff Nusz , é uma aventura extremamente criativa em que uma semente que almeja tornar-se aveleiro, para frutificar avelãs (ou outra fruta oleaginosa). Ela precisa partir de uma ilha na forma de côco e aos poucos são-lhe dadas opções de mudança que garantirão a progressão da aventura. 

O jogo é belamente ilustrado com um pano de fundo que remete a pintura com lápis-de-cor ou cry-on em papel. Realmente muito bem feito. A música e efeitos sonoros são cândidos e constitui um ótimo divertimento para qualquer criança ou adulto. O desafio é gostoso de ser cumprido, pois o nível de dificuldade vai lentamente progredindo a cada nova paisagem que é visitada pela sementinha.

Jogar, qualquer um pode. Agora, será que você consegue chegar à tela abaixo? Clique nela e bom divertimento! 

Sprout Final

Abr 27

(R)evolução energética

By Rafael Reinehr | Revolução Energética

O Greenpeace e a Comissão Européia de Energia Renovável (EREC) liberaram recentemente um relatório encomendado ao Centro Aeroespacial da Alemanha (DLR), um dos mais conceituados institutos de pesquisa na área de cenários energéticos. Neste relatório e em sua versão brasileira – feita pelo GEPEA (Grupo de Engenharia de Energia e Automação de Elétricas da Escola Politécnica da USP) – apresentam-se alternativas globais para a troca do atual sistema gerador de CO2 baseado na exploração da energia fóssil (carvão, petróleo) e na energia nuclear em um sistema de criação de energia sustentável não poluente baseado na utilização da energia hidrelétrica, eólica, solar térmica, oceânica e de biomassa, por exemplo.

 

Para não ficar apenas no discurso, durante o lançamento do relatório [r]evolução energética, inauguram-se 40 painéis solares fotovoltaicos na sede da organização do Greenpeace em São Paulo que captam a luz do sol e geram 2.800 watts. O sistema foi conectado à rede pública de energia e a ela repassará o excedente de energia gerado – o que não é permitido por lei. Fizeram um ‘gato’ ao contrário: em vez de roubar energia do sistema público de energia, passaram a devolver energia à rede.

Continue lendo

Eduardo na Vitalis
Abr 26

Eduardo Sabbi – mais do que amigo

By Rafael Reinehr | Do lado esquerdo do peito

   Eduardo na Vitalis
Eduardo Sabbi com a amiga Vanessa na Festa de Natal da Vitalis em 2006

    Feche os olhos.  Agora, faça comigo um exercício de imaginação: imagine um de seus melhores amigos sendo atropelado violentamente por um ônibus em alta velocidade e sendo jogado em cima de um poste. Imagine seu amigo, corpo inerte, jogado no solo, todo ensangüentado. Imagine ele recebendo os primeiros socorros por um radialista e um estagiário da área de saúde que por coincidência estava por lá. Imagine o SAMU sendo chamado – para o médico, técnico de enfermagem e motorista é somente mais um trabalho no dia cheio. Imagine a dificuldade em encontrar um familiar em um celular estraçalhado. Uma carteira de identidade revela o sobrenome da vítima: o sobrenome de seu amigo. O radialista procura na lista telefônica enquanto a ambulância remove o seu amigo, gravemente ferido, totalmente inconsciente. Um familiar de seu amigo recebe um telefonema, informando que seu amigo foi atropelado e está sendo levado ao Hospital de Pronto Socorro. O familiar do seu amigo é um tio, e prontamente telefona para o primo do seu amigo ir correndo para o hospital, enquanto ele faz o mesmo e deixa a esposa encarregada de contatar o pai do seu amigo, que mora em outra cidade, distante dali 130 quilômetros…

Continue lendo

Abr 26

Comenta aí, vai!

By Rafael Reinehr | Blogosfera

    Têm coisa mais chata do que visitantes de blogs que não comentam?

    Ô vidinha essa! O cara aqui, se estrebuchando no meio de horas de trabalho suado (até parece, hehehe!) e, no fim do dia, vem dar uma olhada nos  novos comentários e aquele ZERO BEM REDONDO estampado no último pôust. Assim não pode, assim não dá!

    Vou comprar uma corda pra cortar meus pulsos… 

Abr 25

Eu sou uma criança

By Rafael Reinehr | Quase Filosofia

Tá, confesso: eu sou uma criança.

Não tem mesmo jeito. Cheguei a essa conclusão quando me descobri divertindo-me sozinho. Outro dia, conversando com um amigo, um flash passou na minha cabeça e percebi que não preciso de muito para me divertir, para me entreter. Ficar sentado lendo um livro é uma absurda diversão. Fantástica. Escutar um som diferente então, é um estímulo divino. Uma conversa inteligente, um lugar diferente, um aroma ou uma comida especial… Nossa, quanta coisa aguça minha criatividade e me faz pensar em coisas – idéias e projetos – novos. Um mais megalomaníaco que o outro diga-se de passagem.

Por muito tempo tentei fazer todos eles sozinho. Nem sempre porque quis ser individualista. Simplesmente porque não conseguia encontrar ninguém para dividir os sonhos comigo. Agora, estamos com um projeto bem bacana mas que, juro, não vai sair do chão enquanto não encontrar uma patota bem bacana para fazer o balão alçar vôo.

Papéis e pessoas estão se delineando. Aguardemos alguns (poucos) meses.

 # # #

 

Preciso lembrar: escrever sobre:

1 – Minha história com o ovo

2 – Marcelo e Rafael

3 – Porque machucar-se é bom. 

Abr 22

Gapingvoid – Como ser criativo

By Rafael Reinehr | Internet

Conheci, através do weblog de Fábio Seixas , o Manifesto "Como ser criativo" de Hugh Macleod. Poderia somente indicar o link, mas como o autor autoriza expressamente a utilização de suas imagens em outros sites desde que referenciando a origem, decidi copiar o texto na íntegra. Vai que o autor decida tirá-lo do ar? Fica aqui uma cópia.

 

zzzmnjki17.jpg

 

How To Be Creative:

So you want to be more creative, in art, in business, whatever. Here are some tips that have worked for me over the years:

1. Ignore everybody. 

2. The idea doesn't have to be big. It just has to change the world.

3. Put the hours in.

4. If your biz plan depends on you suddenly being "discovered" by some big shot, your plan will probably fail.

5. You are responsible for your own experience.

6. Everyone is born creative; everyone is given a box of crayons in kindergarten.

7. Keep your day job.

8. Companies that squelch creativity can no longer compete with companies that champion creativity.

9. Everybody has their own private Mount Everest they were put on this earth to climb.

10. The more talented somebody is, the less they need the props.

11. Don't try to stand out from the crowd; avoid crowds altogether.

12. If you accept the pain, it cannot hurt you.

13. Never compare your inside with somebody else's outside.

14. Dying young is overrated.

15. The most important thing a creative person can learn professionally is where to draw the red line that separates what you are willing to do, and what you are not.

16. The world is changing.

17. Merit can be bought. Passion can't.

18. Avoid the Watercooler Gang.

19. Sing in your own voice.

20. The choice of media is irrelevant.

21. Selling out is harder than it looks.

22. Nobody cares. Do it for yourself.

23. Worrying about "Commercial vs. Artistic" is a complete waste of time.

24. Don't worry about finding inspiration. It comes eventually.

25. You have to find your own schtick.

26. Write from the heart.

27. The best way to get approval is not to need it.

28. Power is never given. Power is taken.

29. Whatever choice you make, The Devil gets his due eventually.

30. The hardest part of being creative is getting used to it.

31. Remain frugal.

 

Continue lendo

O Maquinista Daltônico
Abr 21

O Maquinista Daltônico

By Rafael Reinehr | Meus Livros

O Maquinista Daltônico

No próximo dia 12 de maio, será lançado o livro O Maquinista Daltônico. "O livro" na verdade são dois: O Maquinista Daltônico – Crônicas e O Maquinista Daltônico – Poesias, sendo que neste último humildemente faço parte, com minhas 10 páginas de poesia. Algumas, escritas há mais de 8 anos e outras escritas exclusivamente para o livro.

Para quem estiver em Santa Maria – RS, visite a Feira do Livro a partir do Dia 12 de Maio e adquira um exemplar. Quem preferir, pode solicitar um diretamente para mim. É só pedir através dos comentários ou através do e-mail.

O Maquinista Daltônico - crônicas

 

Abr 21

Problogger ou Blogueiro Profissional?

By Rafael Reinehr | Só observando...

Hahaha! Esse, definitivamente, não sou eu!

Atrasado, como de costume, tomei conhecimento hoje desta nova "classificação" ou "nomenclatura" utilizada para definir blogueiros que, além de exporem suas opiniões na web o fazem com intuito de gerar renda desta atividade.

Tenho que concordar que a idéia é boa. Não tenho nada contra ganhar um tutu fazendo o que se gosta. Faço isso diariamente, em meu consultório. Infelizmente, minha primeira impressão com esta tendência não foi boa. Depois de muito tempo sem visitar a Blogosfera, em função da minha mudança de endereço, da reforma da clínica e mesmo de algumas "reformas interiores", acabei por visitar algumas figuras do antigamente, blogueiros que sempre respeitei e gostei de visitar, por suas idéias originais e por trazerem boas dicas de leitura, entretenimento ou novidades de meu interesse. Fiquei assustado com  a presença de numerosos anúncios do AdSense e outras formas de propaganda tomando conta de seus weblogs.

Continue lendo