Bem-vindo a O Pensador Selvagem!

    São tempos de Efervescências, mesmo… Está surgindo no horizonte um novo modo de perceber a internet e a blogosfera, algo que tem suas origens bem antes da web 1.0, utiliza conceitos da web 2.0 mas cujos limites vão além, tocando de forma intermitente o desconhecido. Este novo modo já tem nome: O Pensador Selvagem.

    Uma revista. Um site. Um portal. Um condomínio de blogs. Uma comunidade. Uma rede. Um painel. Um ponto de encontro, de convergência. Uma experiência de autogestão. Tudo isso ao mesmo tempo, constituindo um todo que é maior que a soma de suas partes, já que o todo comporta, além das partes, também as relações entre elas, em concordância com o que diz Edgar Morin

 

Objetivo: ser uma revista multicultural ampla, eclética, envolvendo desde a literatura passando pelas artes plásticas, cênicas, música, ecologia, gastronomia, política, economia, história, direito, filosofia, quadrinhos, cinema, antropologia, arquitetura, sociologia, sexologia, fotografia, religião, espiritualidade, comportamento, utilizando para sua apresentação e divulgação os meios virtuais escritos, mas também imagens, sons, vídeo e prota-organizando encontros virtuais e reais transdisciplinares entre seus colaboradores e visitantes.

O Nome: “O Pensador Selvagem” deriva da idéia de um indivíduo tentando escapar de sua animalidade, entretanto encerrado nesta e relacionando-se constantemente com os conflitos derivados desta relação. Percebe-se “O Pensador Selvagem” como indivíduo, mas também como “coisa”, como representação de um coletivo ou de um objeto mecânico ou quântico, físico e metafísico simultaneamente, que aceita dentro de si todos paradoxos, entre os quais o de pensar e ser selvagem ao mesmo tempo. Na essência, é impossível negar a animalidade que há em nós, ditos humanos. Alguns tentam esquecer, ludibriar o lado bicho, mas isto é uma ilusão.

A Motivação: existem hoje no Brasil numerosas “revistas virtuais culturais”, abarcando uma ou mais áreas desta rica cultura, recebendo textos originais de pensadores e praticantes autônomos das mais diversas áreas do conhecimento humano. Muitas delas, com excelente desempenho dentro do seu foco de atuação. Existe, entretanto, uma carência na busca de integrar estas diferentes áreas na criação de um conhecimento sintético e representativo destas áreas. Carecemos de uma “quebra das fronteiras” entre as disciplinas, que dialogam sim, entretanto não mais do que duas ou três ao mesmo tempo. Buscaremos transformar “O Pensador Selvagem” em um grande fórum onde criadores possam, de forma singular, interagir entre si, usando para seu benefício os estímulos recebidos e alimentando o grande coração d’O Pensador. Este, por sua vez, servirá de propulsor para novas mudanças que, em moto perpetuo alimentará a espiral do saber sensível gerando satisfação, bem-estar e novo conhecimento.

O Começo: a etapa inicial da concretização deste ambicioso projeto é agrupar um número significativo de pessoas ou coletivos qualitativamente relevantes dentro dos grupos culturais que representam e tornar estas pessoas ou coletivos responsáveis, dentro d’O Pensador e fora dele, pela criação e coleta-receptação dos produtos nas diferentes mídias e meios além da divulgação da idéia entre grupos semelhantes ou dessemelhantes. Cada grupo, que provisoriamente será chamado de Seção (até que nome melhor venha a ser utilizado), deverá concatenar esforços e se autogerir com o objetivo de, na freqüência que lhe for possível, trazer conhecimento e estímulo produzidos dentro do grupo ou fora dele para “O Pensador Selvagem”, tratando de gerenciar também a entrada de novos membros no grupo. Estes novos membros, automaticamente farão parte da comunidade maior, transdisciplinar. É importante manter a noção da troca de experiências entre os diferentes grupos como forma de ampliar os estímulos recebidos e assim aprimorar o senso de integração, fraternidade e multiplicação características de uma comunidade harmoniosa.

A Idéia: assim como Kafka, em suas cartas para Felice confessou-lhe que o lugar ideal para escrever seria a mais profunda galeria de uma caverna, apenas acompanhado de uma lamparina e o material necessário para a escrita, sendo que lhe levassem o alimento até a porta da caverna – e esse seria seu único passeio, buscar comida, para depois tornar a escrever – hoje padecemos da ultramultitude de informações que infestam todos nossos sentidos. Perdemos a noção do silêncio e da solidão, no sentido estrito do termo. Como criar, num mundo assim? Como pensar (n)um mundo assim?

Desafios: um dos objetivos mais ambiciosos de “O Pensador Selvagem” é integrar, em um só ambiente, o popular e o erudito, samba e orquestra, ou seja, o senso comum e o acadêmico. Colocar para conversar estas verdades por vezes tão distantes que até parecem de mundos diferentes. Ensinar, através do confrontamento dialético, uma a enxergar pelos olhos da outra. Praticar constantemente a alteridade. Aqui, o míope se torna hipermétrope para somente depois bem enxergar e vice-versa. Há que se exercitar a humildade, a paciência e a tolerância. Há que se despojar de preconceitos ou mesmo de conceitos bem fundamentados para conseguir dar um salto intelectual, um salto espiritual, um salto selvagem, super-humano.

 

   Nos próximos dias, mais novidades. Mas sem pressa, porque o bolo do forno da vovó é mais gostoso.

Carolina Schumacher, 26 anos do meu Amor

Carol    Oi meu amor! Este post é pra você!

    Quando leres estas palavras, certamente já teremos voltado da janta do seu aniversário com nossos amigos e, um pouco inebriados pelo álcool, teremos deixado nossas roupas de lado e passado uma noite repleta de brincadeiras deliciosas.

    Quero que saibas que, nestes últimos 8 anos, meu amor por ti tem crescido mais e mais a cada dia. Não sou muito bom com palavras de amor, mas espero que meu olhar, meus abraços e meu carinho sejam suficientes para demonstrar a você tudo o que sinto e o quanto lhe desejo e respeito.

    Amor da Vida Minha, quero estar contigo por mais 8, 80, 800 anos. E, nesses 800 anos, comemorar contigo mais 800 gostosos aniversários como o desse ano. Te Amo Meu Amor! Você está comigo em todos os momentos da minha vida, em cada blogagem coletiva, em cada post desse e de outros blogs e em cada comentário que deixo aqui ou alhures.

    E, no ano que vem, quando encomendarmos a Kalinka ou o Benjamim, saiba que vou lhe amar mais ainda! Por tudo que representas para mim, por toda força que me dá, por toda compreensão que exalas e pelo carinho que sempre me demonstra, não consigo me imaginar com nenhuma outra pessoa para dividir comigo minha cama, meu lar, meu pensamento. 

    Te Amo! 

Bolacha integral de gergelim na boca

    Imagine você no trânsito de uma grande cidade, dirigindo até o seu trabalho. Você não teve tempo de tomar café então você levou junto algumas bolachas digamos, integrais, com gergelim, pra ir mordiscando tranqüilamente enquanto dirige até o seu trabalho. De repente, não mais que de repente você coloca na sua boca uma das bolachas. Coloca um pouco mais de um quarto da bolacha dentro da sua boca enquanto você põe o cinto de segurança. Nesse momento, imagine você com aquela bolacha na boca, decidindo não mordê-la, decidindo não pegá-la de volta com sua mão, deixando-a na sua boca. Enquanto você vai dirigindo, você sente aquela bolacha umedecer com a saliva dos seus lábios. Você imagina quanto tempo esta bolacha agüentaria na sua boca e que pressão você precisaria manter para que ela ficasse sem quebrar. Assim você vai dirigindo e imagine você com uma bolacha integral com gergelim em sua boca dirigindo no centro de uma grande cidade, as pessoas dos carros dos lados nem bola pra você com a sua bolacha integral com gergelim na boca, e você chega ao semáforo mas não antes de ter sido cortado por aquele filho da puta dum gol caixinha que na última hora resolve ir para a sua pista e você resolve ir para a pista dele e fica do lado dele, com vontade de dizer tudo e com a bolacha na boca. Sua bolacha integral com gergelim. Um quarto pra dentro, três quartos pra fora, bolacha integral de gergelim. Aí você segue bolacha inteira de gergelim, integral, úmida ficando umidade de seus lábios quando novamente novo semáforo sinaleira e na frente o que você vê? Na frente você vê um carro parado. Um casal conversando, conversando discutindo, conversando, enquanto o pequeno schnauzer corre loucamente de um lado pra outro no banco traseiro latindo e acuando, acuando e latindo, casal conversando, schnauzer latindo, casal conversando, schnauzer latindo e você com uma bolacha integral com gergelim na boca. Passa um tempo, passa mais um tempo e você com sua bolacha de gergelim na boca, então você segue, então você segue, segue no trânsito, pega a autoestrada, autoestrada lotada, sua bolacha de gergelim, bolacha integral com gergelim na boca,  aqueles carros te esmagando, aqueles carros te sufocando, aqueles carros te esmagando, aqueles carros te sufocando, e outro carro trocando de pista, se atravessando, e você gravando num gravador digital outro carro barbeirando quase batendo ali na frente, e você dirigindo com uma mão com um gravador na outra, o carinha que foi cortado tá pê da vida, ta quase indo pra cima do outro, e você com sua bolacha integral com gergelim na boca. E o tempo passa, e passa, e tinha mais uma coisa que eu queria dizer mas eu não lembro, porque a essa altura a bolacha integral com gergelim já ta dando coisas, coisas nervosas, bloqueios psicológicos, crashes de memória e você não sabe mais o que dizer. Você não sabe mais o que dizer, a angústia, a agonia, o sofrimento de não ter mais o que dizer, com uma bolacha integral de gergelim na boca. E aí você começa a lembrar, imaginar uma pessoa, que não conseguia comer nada sem escovar os dentes, e você se imagina sendo essa pessoa com uma bolacha integral de gergelim na boca, sabendo que vai trabalhar até tarde, que não vai ter tempo de escovar os dentes, você pensa na fome, você pensa na bolacha integral de gergelim na boca e na angustiante sensação de ter sujeira, muita sujeira, um depósito de lixo na boca, você se imagina com um chiqueiro na sua boca após dar a primeira mordida naquela bolacha integral com gergelim que está na sua boca. Você começa a pensar se você morde, não morde a bolacha, e a bolacha lá, inerte, só, desesperada, aguardando a decisão de ser decapitada. E você Senhor, com todos os poderes, ainda indeciso.

Qual o grau de maturidade da Blogosfera brasileira?

    Depois do primeiro Chat-Encontro "A Voz da Blogosfera", uma pergunta ficou ressoando nos meus ouvidos: qual é o grau de maturidade da Blogosfera brasileira? Estamos prontos para vôos mais altos ou somos ainda um bando de pirralhos que gostam de jogar Super-Trunfo tomando vodka? A pergunta não é retórica, ela é direta. Não tenho nada contra Super-trunfo, até criei uma comunidade para o jogo no Orkut, tampouco tenho nada contra uma bebida destilada vez ou outra, mas quando assuntos como esse chamam mais atenção que uma campanha para mudar nosso sistema político corrupto e ineficiente, uma outra para intensificar a doação de órgãos ou ainda uma pelo aumento do meio de transporte cicloguiado, passo a crer que a maturidade da grande massa de blogueiros é, sim, próxima a de uma banana verde, e quem teoricamente está guiando a Blogosfera, as grandes redes e blogueiros com maior número de acessos e "credibilidade" não estão conseguindo mudar este panorama na velocidade que seria necessária. Antes que digam que sou um chato de meia-tigela, saibam que acho incrivelmente originais grande parte das idéias que fazem grande buzz na internet, só questiono porquê iniciativas sérias não têm a mesma repercussão.

    A conversa começou amena, apresentações, brincadeiras, um papo sobre redes colaborativas, blogs cooletivos, novas tendências de agrupamento de blogueiros. O assunto das blogueiras da Playboy foi levantado e discutido, sem que uma conclusão definitiva acerca do tema fosse tomada. Alexandre Inagaki falou um pouco da nova parceria entre o Interney Blogs e o Portal Ig. Várias pérolas foram liberadas e podem ser encontradas no arquivo completo em txt do chat.

    Nesta próxima terça-feira, às 21 horas, haverá um novo encontro novamente na forma de Chat, aqui no site. Estão todos convidados. Apesar de alguns problemas como a barra de rolagem automática que dificultava a leitura de postagens anteriores, a presença de vários blogueiros significativos na Blogosfera tornou este chat-encontro uma experiência interessante. Na próxima edição esperamos contar com número ainda maior que os 22 blogueiros simultâneos que tivemos desta vez, esperando que consigamos fixar esta como uma forma válida de discussão de assuntos palpitantes e atuais da Blogosfera ou então criar uma nova forma semelhante onde vários Blogueiros possam se reunir em um mesmo ambiente para troca democrática instantânea  de idéias e experiências

    Serão estabelecidos temas a serem discutidos em cada edição. Os mesmos podem ser sugeridos nos comentários, aqui, ou através do e-mail r2 (no) reinehr ponto org. Foi sentida a falta de um representante do Nossa Via, um novo e promissor portal de blogueiros  e assuntos que está por ser lançado em breve. 

    A pergunta do título, entretanto, fica a me encucar: qual o grau de maturidade da Blogosfera brasileira? Existe algo que possamos fazer para acelerar a maturação, caso ela esteja "verde"? Quais são os primeiros passos?

    Se estas questões também lhe intrigam, não deixe de manter contato. Tentaremos responder em conjunto nos próximos encontros.

 

Abaixo, a lista dos blogueiros que participaram ativamente da discussão conforme o registro de conversas do chat).

 

Sandra Pontes
Lu Monte
Viva!
Cris Zimmerman
Manoel Netto
Herdeiro do Caos
Portal Gyn
João M
Renmero
Claudinei
Marcus Oliveira
MarcosVP
Stevan
Ian Black
Pablo Pamplona
Thiago Mobilon
Caco
Inagaki
Cirilo Veloso
Cynara
Marcelo da Sopa
Donizetti
Rafael Reinehr

 

Cessar de buscar

[00:10] giorgia: vamos fazer uma experiencia rapida
[00:10] { [ (Signifer animi ) ] }: mas, sabe, eu tenho uma impaciência e uma pacieência ao mesmo tempo
[00:10] { [ (Signifer animi ) ] }: não sei explicar
[00:11] giorgia: nao precisa me falar, mas imagina ai o momento mais feliz da tua vida
[00:11] { [ (Signifer animi ) ] }: ao mesmotempo que quero tudo pra ontem, não me importo se minhas tentativas não dão certo
[00:11] { [ (Signifer animi ) ] }: aí que entra o lado paciente
[00:11] { [ (Signifer animi ) ] }: agora
[00:11] { [ (Signifer animi ) ] }: o momento mais faleiz da minha vida é agora, aqui com você
[00:11] { [ (Signifer animi ) ] }: ops
[00:11] { [ (Signifer animi ) ] }: falei
[00:11] giorgia: isso ta muito zen!!!!
[00:11] giorgia: mas falando sério
[00:11] { [ (Signifer animi ) ] }: mas é verdade
[00:12] { [ (Signifer animi ) ] }: posso LEMBRAR de momentos muito felizes
[00:12] { [ (Signifer animi ) ] }: mas estou sendo sincero
[00:12] { [ (Signifer animi ) ] }: estou 100 % aqui
[00:12] { [ (Signifer animi ) ] }: e AGORA
[00:12] giorgia: então nosso exercicio nao vai funcionar… hehehehe
[00:12] giorgia: porque tu ja ta iluminado!
[00:12] { [ (Signifer animi ) ] }: mas vamos tentar fazer sua experiência
[00:12] { [ (Signifer animi ) ] }: haha
[00:12] giorgia: na verdade, foi uma palestra que eu fui com um psiquiatra que eu amei
[00:12] giorgia: aluno do prof. hermongenes
[00:12] giorgia: ate quero fazer um post sobre isso
[00:13] giorgia: o cara pediu pra gente imaginar o momento mais feliz da vida.
[00:13] giorgia: e esse momento normalmente tem a ver com uma CONQUISTA
[00:13] giorgia: então a gente associa felicidade com CONQUISTAS
[00:13] giorgia: mas ele diz que a felicidade está no fato de que, naquele momento, PARAMOS NOSSA BUSCA
[00:13] giorgia: que a felicidade tem a ver com o FIM DA BUSCA
[00:13] giorgia: e não com a conquista
[00:14] { [ (Signifer animi ) ] }: interessante
[00:14] giorgia: mas a gente confunde
[00:14] giorgia: associa com conquista e continua tentando conquistar coisas e mais coisas
[00:14] giorgia: quando o contentantamento é parar de buscar
[00:14] giorgia: estar contente aqui e agora
[00:14] giorgia: isso vem do vedanta
[00:14] { [ (Signifer animi ) ] }: pior que eu concordo com isso
[00:15] { [ (Signifer animi ) ] }: mas assim como minhas pacientes ansiosas que ganham peso porque não conseguem tapar os buracos deixados pelas angústias do dia-a-dia, eu luto bravamente contra minha consciência do que é melhor para mim
[00:15] giorgia: é super interessante, ne?
[00:15] giorgia: é do Vedanta isso
[00:16] { [ (Signifer animi ) ] }: na verdade, eu preciso justamente isso – parar de buscar
[00:16] giorgia: mas isso é ilumnacao…
[00:17] giorgia: por outro lado, a tua inquietacao é salutar… é isso que vai te permitir chegar no ponto de parar de buscar
[00:17] giorgia: quem nao tem inquietacao, nao chega la nunca
[00:17] giorgia: é um morto vivo…
[00:17] giorgia: é muita sorte ter essa tua inquietacao…
[00:17] giorgia: o professor hermogenes diz que é fome de Deus

A Voz da Blogosfera – Primeiro Chat-Encontro

    Pois, seu assento já está reservado, faça o favor de entrar . Se chegou cedo, sirva-se com algum canapé. Bebidas geladas no bar. A propósito, como disse o Biajoni , um chat pode mesmo ser uma oportunidade para uma bele bebedeira, principalmente se o assunto for tenebroso ou for mulher…

    Se você está chegando agora e não sabe do que estou falando, terá um CHAT rolando daqui a pouco (às 22 horas). É só clicar em Join Chat , ali em cima, viu…

    Quero aproveitar para agradecer aqueles que me ajudaram a divulgar o encontro. Foi tudo meio em cima da hora, o acúmulo de trabalho não deixou que eu preparasse e convidasse pessoalmente quem eu gostaria. Tanto foi que esqueci que hoje, entre as 19 e as 24 horas tenho curso de Gastronomia em Criciúma. Estarei chateando do meio do curso, creiam-me. Ô Santo Wireless…

    O mínimo que espero é que, além da diversão, à alguma conclusão produtiva cheguemos em conjunto (mesmo que seja a de que um Chat não é o caminho para discutir nada a respeito do Blogverso).

Mapa mental da Cybercultura

Mapa mental de Cibercultura e Web Trendmap 2007

    Duas iniciativas superbacanas estão pululando na Internet, uma brazuca e a outra gringa. Por aqui, Alex Primo, professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da UFRGS produziu o Mapa mental da Cibercultura, que agora está sendo aperfeiçoado em uma wiki.

Mapa mental da Cybercultura

    Como falei ao amigo Yuri Almeida , o mapa do professor Alex abriu-me as "portas da percepção" da Internet. É um belo resumo histórico e nos dá uma perspectiva mais ampla, situando a Blogosfera como uma parte de um Universo muito maior. Uma bela lição de humildade.

    Lá fora, surgiu o Web Trendmap, um verdadeiro mapa em formato "linhas do metrô" da Internet atual. Quem é significante, está lá. Claro que, na visão dos gringos, algumas grandes iniciativas daqui ficam de fora, como o Interney Blogs, por exemplo. Falam do Terra, mas não vi por lá o UOL nem a Globo ou o Ig, por exemplo. Ao mesmo tempo, blogs individuais de língua inglesa aparecem por lá… De qualquer forma, vale a visita. 

Web Trendmap

 

Fogaréu em 4 tempos

Fotos de Quinta #030 – 27/09/2007

    Aproveitando que o Blogverso está pegando fogo, o Fotos de Quinta dessa semana pega carona no buzzum e faz um trocadalho do carilho imagético da situação: Fogaréu em 4 tempos. Quem não está entendendo nada tem duas opções: ou procure pela Blogosfera os sinais de incêndio, indo atrás da fumaça ou então passe aqui hoje à noite, às 22 horas e participe do Chat-Encontro, que vai discutir polêmicas e perspectivas da Blogosfera atual. Certo, estou sendo otimista. Talvez saia apenas um bate-papo desencontrado e nada de frutífero seja discutido, mas vamos arriscar. Até lá, aproveita e clica em Leia mais ali embaixo e veja as outras Fotos de Quinta da semana. Totalmente nonsense, como (quase) sempre.

Fogaréu em 4 tempos
Fogaréu em 4 tempos

Continue reading

A Voz da Blogosfera

    Amanhã, Quinta-feira à noite, a partir das 22 horas, este site receberá  uma proposta para este "novo" momento da Blogsfera: estaremos lançando A Voz da Blogosfera, um bate-papo ora descontraído, ora sério acerca de assuntos palpitantes da Blogosfera brasileira.

    Por exemplo: o que você acha dessa história de Blogueiras posando nuas na PlayboyMonetizar ou não monetizar o blog,  a polêmica do Estadão contra os Blogs , a ida do Interney para o portal Ig e outros assuntos do momento? Estes e outros assuntos poderão ser discutidos por quem faz a Blogosfera hoje, no Brasil.

    Realmente não sei ainda a capacidade do meu servidor para o chat, não sei quantas pessoas simultâneas ele agüenta. De todo modo, não espero que A Voz da Blogosfera conte, já de início com muitos blogueiros discutindo ao mesmo tempo. Sem dúvida, quanto mais qualificados nossos participantes, mais relevante a discussão e as conclusões que poderemos tomar em conjunto.

    Para os mais medrosos, aproveito para informar que as visitas poderão ser anônimas e que o número do IP não será registrado. Isso continuará assim até que algum bagunceiro-mor resolver esculhambar a festa. Vamos dar uma chance à humanidade, pois…

    Então tá combinado: Quinta-feira, dia 27/09/2007, às 22 horas o primeiro chat-encontro A Voz da Blogosfera aqui no site. É só clicar ali em cima, em Join chat

    Venha participar. Meninos trazem as bebidas e meninas os salgadinhos. Até lá.