Não acredite em tudo o que você pensa: Os 6 erros básicos que fazemos ao pensar

O texto abaixo foi copiado graciosamente do perfil do Orkut de um amigo, que por sua vez bebeu do livro "Não acredite em tudo o que você pensa: Os 6 erros básicos que fazemos ao pensar”, de Thomas E. Kida e, como gostei muito, decidi compartilhar com os amigos e leitores do Escrever Por Escrever.

Erro 1: Nós preferimos histórias a estatísticas.

Mesmo uma má história é preferida em relação a uma boa estatística, isso não é de espantar. Somos animais sociais, assim qualquer coisa que pareça nos conectar uns aos outros terá maior impacto do que números frios, impessoais. Isso nos leva a tomar decisões baseadas em uma única história, que pode não ser representativa de tendências predominantes e ao mesmo tempo ignorando as estatísticas que nos informam sobre aquelas tendências.

Erro 2: Nós buscamos confirmar e não questionar nossas idéias.

Todos querem estar certos, ninguém quer estar errado. Essa pode ser a razão principal por trás do fato de que quando as pessoas olham diante de si uma evidência neutra, eles quase invariavelmente focam naquilo que parece confirmar o que já acreditavam e ao mesmo tempo ignoram o que pode ir contra suas crenças.

Erro 3: Raramente levamos em consideração o papel do acaso e da coincidência na formação de eventos.

É possível que uma pessoa selecionada ao acaso não tenha a menor idéia como as improbabilidades, o acaso e a aleatoriedade afetam suas vidas. As pessoas pensam que eventos improváveis são bem prováveis enquanto os prováveis são improváveis. Por exemplo; as pessoas se esquecem quão grande são os números à sua volta- um evento com uma probabilidade de 1:milhão de ocorrer ocorrerá se houver 1 milhão de tentativas. Em uma cidade como Nova Iorque p.ex. isso significa que vários eventos desse tipo podem ocorrer todo dia.

Erro 4: Nós, de vez em quando, percebemos erroneamente o mundo à nossa volta.

Simplesmente não percebemos coisas acontecendo à nossa volta com a precisão que achamos ou que gostaríamos de ter. Vemos coisas que na verdade não estão lá e falhamos em ver coisas que estão. E até pior, nosso nível de confiança naquilo que percebemos não é uma indicação válida de quão certos possamos estar.

Erro 5: Tendemos a simplificar demais nossas idéias.

A realidade é muito mais complicada do que pensamos. Na verdade, é mais complicada do que nossa capacidade de nos relacionarmos com ela – toda análise que fazemos sobre o que ocorre à nossa volta deve eliminar uma série de fatores. Se não simplificamos, não chegamos a lugar nenhum em nossas análises; infelizmente, com freqüência simplificamos demais e assim deixamos de considerar coisas que deveriam ser levadas em conta.

Erro 6: Nossa memória é com freqüência imprecisa.

Para ser justo, isso não é um erro porque não podemos fazer nada pelo fato de nossa memória não ser confiável. O verdadeiro erro esta em não atentar para isso, não compreender os caminhos que levam nossa memória a se enganar, e assim falhar em fazer o que pudermos para compensar esse fato.

E ao final, o Cássio complementa:

“Novamente, como Kida (autor do livro) observa esses não são os únicos erros que as pessoas cometem; mas se vc se habituar a levar em consideração e evitar esses erros, você estará à frente da maioria e terá mais sucesso do que tinha antes. Entretanto, você não pode focar apenas esses erros. Em vez disso vc deve ter em mente que o objetivo é tornar-se mais cético e crítico em sua modo de pensar e dessa forma distinguir com mais consistência as coisas mais prováveis de serem verdadeiras em relação àquelas que simplesmente não merecem gastarmos nosso tempo."

Só tenho a dizer: bem posto, amigo! Continue reading

31/10/2008 – O que me espera no fim-de-semana

Hoje trabalho só pela manhã. À tarde, vou pegar informações sobre agricultura orgânica na EPAGRI. À noite, jantar com meu amorzinho e com os amigos Thaiara e Luciano (saudades!). Como a Carol vai para Agudo no findi, vai ser um fim-de-semana com muita leitura, algumas experiências gastronômicas caseiras e brincadeiras com os bichinhos. Ah, é claro: não vai faltar muito trabalho arrumando os sites e migrando novos blogueiros para o OPS!
Continue reading

Sabedoria – Antônio Sequeira

“A ação é o reflexo do seu pensamento e a reação é a resposta do seu subconsciente. Quando há sabedoria na sua forma de responder, você se torna um benfeitor para todos. Não faça isso só para os amigos, mas faça-o de uma forma ilimitada, falando com todos com a mesma delicadeza. Assim, seus sentimentos serão naturalmente elevados. Para que essa mudança aconteça tem que haver uma relação equilibrada entre a mente (pensamentos), o intelecto (razão) e o subconsciente (registros).”

Antônio Sequeira

Continue reading

Suspensão temporária da comercialização do Acomplia – Rimonabanto

A partir de ontem, 28 de outubro de 2008, a Sanofi-Aventis, responsável pela comercialização do medicamento Acomplia (Rimonabanto) decidiu por retirar do mercado a medicação, interrompendo também o Programa Supera, que trazia vantagens a quem comprava a medicação original na farmácia.

Segundo o comunicado que recebi hoje da Sanofi-Aventis, a decisão de retirar a medicação de circulação se deveu à percepção, em estudos científicos recentes, de que os sintomas adversos de depressão, ansiedade, distúrbios do sono e agressividade ocorreram em freqüência bem maior do que nos primeiros estudos.

De acordo com o Comitê de Produtos Medicinais para Uso Humano (CHMP) da Agência Européia de Medicamentos (EMEA), as evidências iniciais de que o Acomplia poderia levar à depressão com ideação suicida ou mesmo tentativa de suicídio parecem mais fortes agora, sendo então recomendada a suspensão temporária da prescrição e uso da medicação até que novas evidências possam atestar a segurança do uso do mesmo ou então enterrar definitivamente esta medicação.

É uma pena que uma medicação tão interessante do ponto de vista metabólico precise ser retirada do mercado. Entretanto, é necessário respeitar esta quarentena (quer seja ela temporária ou definitiva) em função dos severos potenciais riscos do tratamento.

Se você for paciente em uso de Acomplia, pode ainda tirar suas dúvidas no Serviço de Atendimento ao Consumidor da Sanofi-Aventis, pelo 0800-7034114.

Continue reading

Papoula

Zeitgeist Addendum, Projeto Vênus, Anomia e Utopia: Uma Crítica e um Caminho

Na primeira parte de Zeitgeist, o filme-documentário mostra em suas três partes como foi criado o mito do cristianismo, como o 11 de setembro pode ter sido um “trabalho interno” e como grupos que detém o poder econômico e político agem de forma oculta levando à criação do terror como forma de coesão e controle social.

Nesta segunda parte, chamada Addendum, o documentarista Peter Joseph trata de demonstrar como o sistema financeiro foi magistralmente arquitetado para manter o poder (e o dinheiro) nas mãos das mesmas pessoas de sempre, e que o atual sistema fracionário produz um “dinheiro de fumaça”, que na verdade não existe e, em situações como as que vivemos no momento (Crise Econômica Mundial de 2008) não há como fazê-lo aparecer, levando à quebra geral de instituições financeiras e bolsas de valores.

“Ninguém é mais irreversivelmente escravizado do que aqueles que falsamente acreditam ser livres.” Johan Wolfgang von Goethe

“Existem duas formas de conquistar e escravizar uma nação. Uma é pela espada. A outra pela dívida.” John Adams

O mundo globalizado é caracterizado por uma Corporatocracia, governado de fato por instituições como:

– Banco Mundial

– CIA

– FMI

– JP Morgan Chase

– Reserva Federal dos EUA

– OMC

– Exxon

– Halliburton

PapoulaEm 2007, os EUA destinaram 161,8 bilhões de dólares para a "Guerra contra o terrorismo", que matou uma média de 68 pessoas por ano (dados de 2004), enquanto destinou 2,9 bilhões à prevenção de doença arterial coronariana, causadora de 450 mil mortes por ano.

Os verdadeiros terroristas não gritam Allah Akhbar (ou algo semelhante, por favor me corrijam) antes de cometerem um crime, mas usam ternos de 5 mil dólares e trabalham nas posições mais altas das instituições financeiras e governamentais.

Por cerca de 1980, o Afeganistão produzia 0% da produção mundial de heroína. Em 1986, após o apoio americano contra a Rússia, passou a produzir 40%. Em 1999, este número subiu para 80%. Em 2000, o Taliban subiu ao poder e destruiu quase todos os campos de papoulas, reduzindo a produção de mais de 3000 toneladas para cerca de 185 toneladas, uma redução de 94%. Logo após, os Estados Unidos invadiram o Afeganistão. Hoje a produção de ópio no Afeganistão controlado pelos Estados Unidos provê mais de 90% da heroína mundial, quebrando recordes quase todos os anos.

“Ganância e Competição não são resultado de um temperamento humano imutável. Ganância e medo de escassez estão de fato sendo criadas e amplificadas. A conseqüência direta é que precisamos lutar uns com os outros para sobreviver.” Bernard Lietater, fundador do Sistema Monetário da União Européia

“Nós podemos ou ter democracia neste país ou então grandes quantias concentradas nas mãos de poucos, mas não podemos ter ambos.” Louis Brandnis, Juiz da Suprema Corte

“Meu país é o mundo, e minha religião é fazer o bem.” Thomas Paine.

A única forma de acabar com o sistema corrupto que existe é parar de suportá-lo, enquanto denunciamos suas mazelas.

Um sistema baseado em competição paralisa qualquer possibilidade de um sistema global integrado e sustentável.

Temos que alterar nosso comportamento para forçar as estruturas dominantes a ouvirem o clamor popular. A única forma a fazer isso é parar de colaborar. O sistema deve falhar. As pessoas precisam parar de confiar nos governantes.

Algumas propostas, já sendo postas em prática por indivíduos, organizações não-governamentais e grupos libertários e anarquistas pelo mundo inteiro:

1. Boicote às grandes instituições bancárias

2. Boicote às grandes redes de televisão e comunicação, que passam informações filtradas para manter o status quo – favoreça sites e redes de informação independente.

3. Não permita que sua família ou alguém entre no exército

4. Pare de suportar as empresas de energia, use carros e casas sustentáveis

5. Rejeite o sistema político, transpassando-o com medidas que não exijam o estado

6. Criar massa crítica

Declarar todos os bens nacionais em todos os países como herança natural de todos os homens (Lembrei-me de Proudhon em seu “A Propriedade é um Roubo”)

“A verdadeira revolução é a revolução da consciência, e só pode ser feita por cada um de nós. Precisamos aprender a combater o ruído materialista divisionário que temos sido levados a acreditar que é a verdade.

Não podemos conseguir uma radical transformação da consciência, não aceitar as coisas como são, mas ir até elas, investigá-las, dar nosso coração, nossa mente.

Mas isso depende só de nós mesmos, pois não existe pupilo, líder, mestre ou guru. Você mesmo é o mestre, o pupilo, o líder, o guru. Você é tudo. Entender é transformar o que é.” Krishnamurti

Os trechos acima, pontuados por um ou outro comentário meu são a parte positiva deste Zeitgeist Addendum. Entretanto, saí algo decepcionado com o filme por dois motivos básicos:

O primeiro, banal, diz respeito a uma grande propaganda (merchandising) de uma empresa de telecomunicações ao final do filme, no trecho em que as pessoas “alienadas” parecem subitamente “despertar” e começam a tomar consciência do mundo que vivem e para onde estão sendo levados. A exposição da logomarca da empresa foi totalmente desnecessária e poderia facilmente ter sido evitada. Na verdade, ela foi exibida por tempo suficiente para deixar claro que não está ali casualmente.

O segundo, e do meu ponto de vista, não muito bem explicado aspecto do filme diz respeito à propaganda de um grupo chamado The Venus Project, um postulado “novo sistema social” sugerido por Jacque Fresco. Jacque Fresco faz várias aparições neste segundo filme, bem como sua associada Rosane Meadows. O estranho (muito estranho) disso tudo é que, na página do The Venus Project, encontramos o seguinte texto:

“O Projeto Vênus é um catalizador de idéias educacional que opera em um Centro de Pesquisa em uma área de 25 acres localizada em Venus, na Flórida.”

Projeto Vênus

Até aí tudo bem. A página de Objetivos e Propostas explica de forma inicial como chegar gradativamente às mudanças almejadas. Só o que não entendi foi o seguinte: se o Centro de Pesquisas é o núcleo onde tudo é planejado e acontece, porque o mesmo está sendo posto à venda por 550 mil dólares?

O curioso é que o que está sendo posto à venda são os mesmos prédios em que Jacque Fresco e Rosane Meadows aparecem no filme Zeitgeist, o que criou, pelo menos em mim, um significativo mal-estar. Ficou algo assim, digamos, não muito bem explicado…

É claro que não estou dizendo simplesmente que se fez dois filmes para vender um pedaço de terra com alguns contrutos por 550 mil doletas, mas eu gostaria de entender melhor esta conexão entre o Zeitgeist Movement e o próprio Projeto Vênus. Um comentário não datado deixado por Peter Joseph (o diretor de Zeitgeist) na página do filme que mostra a trajetória e as idéias de Jacque Fresco – Future by Design – me deixa ainda mais confuso, já que Zeitgeist é de 2007 e fico pensando há quanto tempo atrás Peter teve contato com as idéias de Fresco…

Ou seja, o próprio apanhador de fios soltos deixou alguns fios soltos para que possamos puxar e desfazer a teia que se buscava criar…

Bem, mesmo com estas interrogações todas na cabeça, com meio mundo gritando que tudo não passa de mais uma Teoria da Conspiração, ainda consigo perceber boas mensagens em ambos filmes. Mensagens que buscam, antes de mais nada, promover o DESPERTAR do ser humano. Almejam fazer que saiamos desta apatia, desta verdadeira ANOMIA e partamos em busca de uma Revolição, uma mudança social gradativa que reflita a liberdade individual de cada um na construção dos conceitos de cidadania e responsabilidade social.

Baseado nesta crença – e agora deixe-me fazer o meu “comercial” – que estou desenvolvendo juntamente com algumas das mais brilhantes mentes altruístas que nosso planeta mantém vivos hoje em dia a Coolméia, um grande portal colaborativo “do bem”, uma verdadeira cooperativa de idéias altruístas em que, além da apresentação de ações que já estão dando certo pelo mundo, estaremos criando, através de um sistema parecido com uma wiki, um espaço para o debate e produção contínua de idéias, projetos e ações que possam beneficiar o máximo número de pessoas da forma mais intensa possível, sem esquecer a sustentabilidade destas ações e sem, necessariamente depender de qualquer vínculo com o sistema monetário ou com entidades governamentais.

Estamos aí para mostrar que a Utopia só é fantasiosa, fantástica e imaginária para aqueles que cessaram de caminhar.

Assista Zeitgeist Addendum na íntegra em português abaixo:

 

(certifique-se de que leu o significado dos conceitos de ANOMIA e REVOLIÇÃO, nos links fornecidos acima)

Continue reading

A Crise Econômica Mundial de 2008 – Proposta de Luiz Carlos Freitas

Recebi hoje uma carta do amigo Luiz Carlos Freitas, de Porto Alegre, explicitando toda sua preocupação com a crise econômica mundial e as terríveis conseqüências que, segundo ele e alguns analistas econômicos, se avizinha. Recomendo aos leitores do Escrever Por Escrever a digestão atenta do texto abaixo e, aos mais opinativos, cedo o espaço nos comentários para receber seu olhar crítico e suas impressões. Ao final, o Luis deixa seu telefone de contato para quem prefira argüir diretamente com ele.

 
"Rafael
Obrigado pela atenção.
Tenho um assunto de elevada importância que gostaria de ter a opinião do amigo e toda a comunidade sua rede de influência.
O país e o mundo todo está passando por uma terrível crise financeira e de credibilidade financeira. A continuar tal situação teremos uma catastrofe econômica com reflexos no elevado desemprego de trabalhadores e na falência do sistema produtivo mundial. A continuar a atual situação, isto vai acontecer dentro de mais alguns meses. As determinações governamentais de salvar o sistema financeiro, incorporando-os aos seus ativos não proporcionou a credibilidade dos investidores a tal ponto de inverter a realidade. Acredito que as decisões de Governos no mundo todo não estão proporcionando instrumentos de inversão ao abismo econômico mundial.
Nesta crise só tem um benefíciário. São os especuladores financeiros. Estes estão olhando a crise sem perder patrimônio, sem reflexos nas suas "guaicas". A volta a uma normalidade só poderá ocorrer se estes tiverem que arcar com o ônus de uma reviravolta. Para tanto, os Governos e Bancos Centrais dos Páises deveriam determinar a devolução de parte dos investidores dos respectivos ganhos da especulação á partir de determinado momento.
Uma medida que nos parece eficaz e certamente a população mundial receberia com muita satisfação era fazer com que os bancos a nível mundial, extornassem todos os ganhos (parte do lucro nas operações) recebidos em Bolsa de Valores e de Mercadorias, á partir de 1º de julho de 2007.
Todos esses recursos iriam para um fundo e seriam para compensar os prejúizos que outros investidores tiveram desta data citada para cá, em seus resgates. Os Governos dos países que tomarem tal determinação permitiriam que os especuladores possam compensar o Imposto de Renda pago sobre os ganhos dos referidos investimentos.
Ambas as medidas, não teriam maiores dificuldades de realização pelos Governos, e proporcionariam uma nova onde de credibilidade ao Sistema Financeiro.
Uma outra medida para salvaguardar o futuro do sistema é limitar os ganhos especulativos a um determinado patamar, exemplo 20 % a.a., de modo a fazer com que, quem quiser ganhos superiores façam seus investimentos no sistema produtivo, gerando riquezas e empregos.
Se você entende que estas são ótimas alternativas, procura circular a proposta e informar quem tem poder de decisão no país e no exterior. Certamente o Presidente Lula e o Meireles no BACEN poderiam ser informados da idéia e quem sabe serem os protagonistas de uma ação de inversão da realidade e do retorno a credibilidade financeira no país e no mundo, evitando a evasão de recursos públicos para apagar o incendio.

Luiz C. Freitas – CPF 0008478860.00 – 51 – 99791122"

Para entender mais a atual crise econômica mundial, leia também os seguintes artigos:

* Zeitgeist – O espírito do tempo

* Um Mundo sem Dinheiro é Possível

* Decrescimento Sustentável – Uma nova forma de pensar e evoluir

* 7 Propostas para um Brasil Melhor

* O Voto Contínuo – Ação Popular, Democracia e Mudança

Continue reading

Cães

Os cães mais amados desse mundo

Cães
Registro fotográfico de alguns dias atrás, quando a Bhali estava de "abajur" para evitar que retirasse os pontos da cirurgia que fez. Amados e queridos. Ao fundo, a Carol observando a brincadeira dos dois.

Continue reading

Antena

Antena: O Que, Como, Quando, Onde e Porquê

AntenaFato: estou sempre inventando coisas. A cada dia, uma nova mania. Violão, guitarra, contrabaixo e teclado (não podia ser um só?), fotografia, cinema, filosofia, ciências sociais, literatura, gastronomia, a onipresente medicina e mais recentemente o empreendedorismo cultural e social.

Aqui no site, também gosto de inventar. Tenho vários projetos "hibernantes" como o Clube de Leituras, o ArqueoBlog e tantos outros. No meios destas "efervescências", surge mais uma Coluna sem periodicidade dentro do site. resolvi chamá-la de Antena: O Que, Como, Quando, Onde e Porquê.

Nesta "coluna" pretendo comentar fatos da atualidade partindo sempre do meu ponto de vista pessoal, sem almejar a verdade absoluta, esta divindade inalcançável que somente os tolos, os gênios ou os iluminados (quem sabe) podem vir a conhecer. Humildemente, penso que, se estudar um pouquinho mais devo chegar ao nível dos tolos em duas ou três décadas, aí ninguém me segura…

Sendo o que tínhamos para anunciar, subscrevemos.

Continue reading

sonífero

O Seqüestro de Eloá e as opções que não foram aventadas

Já se falou demais no caso, a polícia novamente tentou fazer o que achava melhor e mais uma vez o resultado não foi o esperado (tampouco esta será a última ação fracassada de nossas forças de supressão (opressão?) à violência. Uma pergunta, entretanto, ecoou em uma singela reunião de quatro médicos e uma psicóloga na noite de domingo:

Não poderia a polícia ter enviado, após três dias de negociação, um alimento repleto de calmante ou sonífero, bem como uma dose "derruba-elefante" na água ou na bebida enviada ao trio?

soníferoTalvez nos primeiros dias, o seqüestrador podia estar atento ao alimento e deveria pedir para as meninas comerem e beberem primeiro. Depois de três dias comendo prendendo as menininhas e dormindo muito pouco ou quase nada o raciocínio do canalha provavelmente já não mantinha qualquer capacidade de esquivar-se de medidas um pouco mais inteligentes do que as usuais.

Mas talvez estejamos falando uma grande besteira, e alguém mais entendido no assunto poderá vir aqui e me criticar. Gostaria de ouvir.

Ao menos, a família de Eloá demonstrou, apesar do sofrimento extremo, uma fantástica capacidade de solidariedade e hoje o coraçào da menina já bate no corpo de outra moça, uma senhora paraense que há 18 meses esperava um transplante. O pulmão também já ventila em uma jovem de 18 anos com fibrose cística, bem como o pâncreas, os rins e as córneas. Que o coração de Eloá siga batendo por muitos e muitos anos ainda, para que esta história não seja esquecida tão cedo.