Monthly Archives: setembro 2017

Sararah
Set 08

O que é que eu estou fazendo no Sararah?

By rafaelreinehr | Cibercultura

Poder passar uma mensagem de forma anônima a uma pessoa pode servir para o bem ou para o mal. A ferramenta não consegue filtrar o tipo de mensagem que receberemos, se serão elogios, críticas construtivas ou agressão e bullying.

Então abrir a possibilidade de alguém se comunicar contigo via uma ferramenta como o Sararah (Conheça o meu em https://rafaelreinehr.sarahah.com/) necessita que você:

    1. Saiba qual seu objetivo com a abertura deste canal de comunicação
    2. Esteja pronto para as idiossincrasias e o inesperado

No meu caso, a ferramenta tem sido extremamente útil pois pessoas que gostariam de me dizer coisas e não sabem como, tem utilizado a mesma para fazê-lo, veja só:

“Rafael, vc é um profissional excelente! O que eu gostaria de te dizer é que vc não precisa ficar provando isso o tempo todo na mídia. Isso é chato… Preserve mais a sua vida… É muita exposição! Isso é desnecessário e está tornando o profissional excelente em fútil, sensacionalista…. CHATO!”

O grande problema do Sararah é que você não consegue responder a quem deixou a mensagem, mesmo de forma anônima. Nada garante que a pessoa que deixou o comentário vá encontrar uma eventual resposta nas mídias sociais. Muitas vezes, ela tem uma impressão errônea ou apenas incompleta do “quadro todo”, como no caso acima, e acaba fazendo um julgamento precipitado.

Para meu amigo ou amiga acima (considero um bom amigo(a), já que está genuinamente preocupado(a) comigo, com seu conselho, gostaria de poder dizer duas coisas:

  1. Muito obrigado pela sua percepção e carinho ao me alertar sobre “ficar todo tempo na mídia”. Imagino que sua timeline esteja sendo inundada por conteúdo meu! Se puderes, coloque um “Ver menos” ou “Deixar de seguir” se eu o(a) estiver incomodando!
  2. Obrigado pelo “profissional excelente!”, e agora vem uma explicação! Não preciso provar nada a ninguém além de a mim mesmo. Minha trajetória, meu percurso de vida e o cuidado com que faço meus atendimentos falam por si. O que estou fazendo – aparecendo online, publicando conteúdo, compartilhando coisas pitorescas da minha vida trazem consigo dois objetivos:
    – Alcançar um maior número de pessoas para levar adiante um projeto muito maior, que está apenas no nascedouro, que é o de ampliar a saúde, o bem-estar, a qualidade de vida e a felicidade das pessoas em todo mundo, sem limites de nacionalidade, cor, raça ou credo. É um trabalho de formiguinha que está apenas começando, e estou reunindo recursos para que este sonho se torne real
    – Poder registrar, em alguma mídia digital, um pouco do dia-a-dia, e compartilhar com as pessoas queridas – quando for algo apenas cândido ou pitoresco, e com o maior número de pessoas quando for algo inspirador, construtivo ou que some à construção de um mundo mais justo, sustentável, equânime, solidário e compassivo.

A exposição mencionada acima pela pessoa que teceu sua bela e construtiva crítica não tem nada a ver com buscar visibilidade para minha ocupação profissional – que é ser médico endocrinologista. Concordo com ela que, muitas vezes, dependendo da leitura que algumas pessoas fazem, isso pode até atrapalhar.

Mas minha essência é muito mais do que Rafael Reinehr – Médico Endocrinologista. Quem me conhece de verdade sabe disso. Sou o cara que após a faculdade de Medicina fui cursar Filosofia e Ciências Sociais, que toca guitarra, lê pra caramba, escreve livros, gravou curtas e média-metragens, tira fotografias, organiza saraus literários, fundou portais de internet sobre literatura, cultura, filosofia e sociedade, fundou uma incubadora de ideias e soluções altruístas… Não tem como, nobre amigo ou amiga, esconder este lado. Isso seria sufocar a minha essência, deixar de ser quem eu sou para agradar algumas pessoas e “conseguir mais clientes”. Isso não faz parte do meu jogo, da minha vida.

Sempre tive, desde bem cedo, duas características: a de ser megalomaníaco – sonhar muuuuuuito grande e também a de ter uma necessidade muito grande de me expressar. E isso faz parte de quem sou. E aceito isso com todos os ônus e bônus que vem junto com esta escolha.

E você, quer me dizer alguma coisa de forma anônima? Elogio, crítica, comentário? Vai lá enquanto ainda está no ar: https://rafaelreinehr.sarahah.com/

Nota de Segurança: existem algumas evidências de que o Sararah “rouba” os dados de seus contatos (e-mail e telefone) no Facebook. Então, não crie uma conta se você não quiser ter o risco de ter seus contatos expostos. Sö fiquei sabendo disso depois de criar a conta. Entretanto, para deixar uma mensagem é seguro pois você não precisa incluir nenhum dado seu.