Fofão da Augusta, Ricardo Corrêa da Silva, Chico Felitti e o Jornalismo ainda vive

By rafaelreinehr | And Now, For Something Completely Different...

nov 07

Ontem li um texto que me fez ler em uma talagada só, uma das mais belas reportagens investigativas que já tive acesso. Conheça a história do Fofão da Augusta.

A incrível e humana história de Ricardo.

A partir de um personagem com o qual não tinha a mínima intimidade ou interesse, acabei mergulhando em um mundo no qual salões de beleza, crises familiares, desejo exacerbado pelo aprimoramento estético, esquizofrenia, moradores de rua e a noção pungente de humanidade se fizeram presentes em cada nova linha.

Um texto escrito por Chico Felitti, um cara sobre o qual não encontro muitas infos em seu próprio face, e cujo blog está abandonado desde 2012, mas que tem participado sistematicamente como colaborador da Piauí e que mantem uma coluna/blog sui generis na Folha de São Paulo, chamada Digo Sim. Por lá, diz assim: “Blog conta a trajetória de casais que decidiram subir ao altar, em formato de crônica, e traz notícias sobre o mercado matrimonial. É produzido pelo repórter Chico Felitti, que é solteiro.

O texto ao qual me refiro tem o seguinte título e chamada, na Buzzfeed:

“Fofão da Augusta? Quem me chama assim não me conhece”

O repórter Chico Felitti mergulhou por quatro meses no universo trágico e violento do morador de rua que São Paulo inteira conhece — mas que ninguém sabe quem é.

Se você ainda dá bola pra sua vida – ou mesmo que você não dê mais – faça um favor para si mesmo, clica no link a seguir e entenda você mesmo porque estou fazendo esta chamativa chamada para esta reportagem.

Clica aqui: Ricardo Corrêa da Silva na Buzzfeed, por Chico Felitti