Posts Patrocinados e Imparcialidade: Possibilidade ou Ilusão

By Rafael Reinehr | Nossa Opinião

Nov 11
Nossa Opinião

Nossa Opinião     Imagine um programa de televisão que apresenta os últimos lançamentos da indústria automobilística nacional e internacional.Imagine que este programa possui um apresentador que, além do salário da emissora para o qual trabalha, recebe também uma comissão da montadora do novo carro que está sendo lançado para divulgar seu produto com destaque em seu programa. Imagine uma reportagem feita por este apresentador acerca do novo carro da montadora em questão, após um test-drive cuidadoso do veículo.
    Qual é a maior probabilidade, das alternativas abaixo:

1. O apresentador irá ser completamente imparcial e irá, além dos pontos positivos, enumerar e ressaltar TODOS os aspectos negativos do carro testado

2. O apresentador irá enaltecer fortemente os pontos positivos do veículo e tratará de apresentar um ou outro ponto negativo, mas de forma com que estes não pareçam ser tão negativos

3. O apresentador, no caso de ser um carro muito ruim, deixará isso claro para os telespectadores, mesmo desagradando o cliente que está patrocinando aquela seção de seu programa.

    Tais situações configuram o que podemos chamar de "conflito de interesses", já que o interesse primário (informar adequadamente ao telespectador acerca do real desempenho do automóvel) é influenciado por um interesse secundário ( o ganho financeiro advindo do patrocínio da montadora do veículo).

    Como resolver este dilema ético? Existe forma de testar a idoneidade e a fibra de um articulista, de um resenhista, de um crítico? É possível que um leitor, ouvinte ou espectador consiga indefectivelmente confiar no argumento apresentado por um interlocutor que esteja padecendo de conflito de interesses? (leia mais…)

Nossa Opinião    Imagine um programa de televisão que apresenta os últimos lançamentos da indústria automobilística nacional e internacional.Imagine que este programa possui um apresentador que, além do salário da emissora para o qual trabalha, recebe também uma comissão da montadora do novo carro que está sendo lançado para divulgar seu produto com destaque em seu programa. Imagine uma reportagem feita por este apresentador acerca do novo carro da montadora em questão, após um test-drive cuidadoso do veículo.
    Qual é a maior probabilidade, das alternativas abaixo:

1. O apresentador irá ser completamente imparcial e irá, além dos pontos positivos, enumerar e ressaltar TODOS os aspectos negativos do carro testado

2. O apresentador irá enaltecer fortemente os pontos positivos do veículo e tratará de apresentar um ou outro ponto negativo, mas de forma com que estes não pareçam ser tão negativos

3. O apresentador, no caso de ser um carro muito ruim, deixará isso claro para os telespectadores, mesmo desagradando o cliente que está patrocinando aquela seção de seu programa.

    Tais situações configuram o que podemos chamar de "conflito de interesses", já que o interesse primário (informar adequadamente ao telespectador acerca do real desempenho do automóvel) é influenciado por um interesse secundário ( o ganho financeiro advindo do patrocínio da montadora do veículo).

    Como resolver este dilema ético? Existe forma de testar a idoneidade e a fibra de um articulista, de um resenhista, de um crítico? É possível que um leitor, ouvinte ou espectador consiga indefectivelmente confiar no argumento apresentado por um interlocutor que esteja padecendo de conflito de interesses?

    Ouve-se muito falar acerca da moral individual, no sentido de que "posso afirmar a você e a qualquer um que, de forma alguma venderia minha honestidade a uma empresa em troca de uma opinião patrocinada; se forem me pagar, pagarão pela minha opinião sincera".

    Este mesmo discurso retumba no grupo do Nossa Opinião. Muitas vozes se levantam para defender que a imparcialidade deve estar acima de tudo. Questiono qual é o preço desta imparcialidade? Existe um limiar? Seremos todos incorrompíveis?

    Não pretendo responder aqui estas interrogações que deixo, porque posso respondê-las somente por mim. Quero sim, é deixar espaço para discussão e debate. Quero ouvir a opinião de quem tem algo a dizer sobre o assunto.

    Agora é sua vez: posts patrocinados podem ser imparciais ou isto é somente uma ilusão?

banner do Medictando - O Bem-estar ao seu alcance

Banner da Zen Nature produtos orgânicos, sustentáveis e oriundos do comércio justo

(2) comments

Add Your Reply