Bem-estar


Na próxima Terça-feira, dia 05/05 às 21:05, e Quinta-feira, dia 07/05 às 21:05 faremos duas lives com convidados especialíssimos, amigos de coração e com um saber imenso.

Nesta série de 2 Lives falaremos sobre nossos 4 Domínios Interiores que precisam ser cultivados para uma vida plena, harmônica e feliz: Mindset, Heartset, Healthset e Soulset.

Na primeira live, a psicóloga Anelise Rolim @aneliseschmidtrolim, a psicanalista Lane Lucena @psi.lanelucena e o médico psiquiatra Eduardo Sabbi @eduardosabbi se reúnem comigo e falaremos sobre nosso Estado Mental e Intelectual e sobre nosso Estado Emocional. Como mente, cérebro, racionalidade e emoções regulam, mediam e determinam nosso bem-estar e nossa qualidade de vida.

Na segunda live, a nutricionista Antoniela Vieira @nutriantonielavieira, o médico endocrinologista Daniel Daltoé @daniel_daltoe, as professoras de Yoga Sarah Spengler @sarah_atman e Kushalinii (Carol Suptitz) @carolinasuptitz_kushalinii e a psicóloga e astróloga Iara maria Vieira @iarammv se reúnem comigo e falaremos sobre nosso Estado de Saúde e Aptidão Física e sobre nosso Estado Espiritual e Transcendental.

A Live será no Youtube e, para saber o endereço e ativar o Lembrete para ser avisado, basta clicar nos Links a seguir:

Live Mindset e Heartset: Cuidando da Sua Mente e do Seu Coração: https://www.youtube.com/watch?v=G3ql7Z9Fsi4

Live Healthset e Soulset: Vamos Turbinar sua Saúde, Aptidão Física e Espiritualidade: https://www.youtube.com/watch?v=sA9ESfU2Pg0

Saiba mais sobre meus convidados, abaixo:

Mindset e Heartset:

Anelise Schmidt Rolim: Psicóloga (ULBRA), Especialista em Atendimento Clínico de Casais e Família (UFRGS); Hasya Yoga (CGB); Hipnose Clínica (Benomy Silberfarb); EMDR – Eye Movement Desensitization and Reprocessing (EMDR Iberoamérica Brasil); BSP – (Brainspotting Internacional); AIM – Abordagem Integrada da Mente (Curadamente); Terapeuta Tântrica (Paula Fernanda Andreaza) e Profissional da Super Saúde (Pro Ser Saúde)

Lane Lucena: Psicanalista Clínica, pós-graduada em comportamento organizacional e gestão de pessoas, especializações em psicopedagogia clínica e psicologia e saúde mental. Pesquisadora dos benefícios da escrita expressiva.

Eduardo Sabbi: Médico Psiquiatra, Pós graduado em Hotelaria Hospitalar, Mestre em Ciências da Saúde pela UFCSPA, Professor Coordenador da Disciplina de Psiquiatria Geriátrica do Centro de Estudos José de Barros Falcão e do Centro de Estudos José de Barros Falcão, Diretor-proprietário da Vitalis Morada Sênior, Presidente da ABRAz Regional RS.

Healthset e Soulset:

Antoniela Vieira: Nutricionista, especializada em Nutrição Clínica, formação em Mindfulness Funcional, praticante de Mindful Eating, estudante em neurociência do comportamento alimentar.

Daniel Daltoé: Médico endocrinologista,Titulo de Especialista pela SBEM, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Membro Ativo da Endocrino Society – USA, Presidente da Regional Médica de Criciúma (2017-2020), Médico Endocrinologista do Hospital São João Batista – Criciúma/SC, Professor do Curso de Medicina da UNESC/Criciúma/SC

Iara Maria Vieira: Psicóloga e astróloga. Formada em Filosofia 72, Psicologia 79 e Pós Educação Física – Yoga 2000. Iniciou trabalhos como psicanalista, até 86, quando deu início a aprofundamentos de Astrologia que estudava desde a adolescência. Retomou 1988 como Astroterapeuta, onde atua até hoje, interpretando os mapas astrais à luz da sua formação, em São Paulo.

Kushalinii (Carolina Suptitz): Eterna otimista e apaixonada pelo ser humano, encontrei no Yoga e no Autoconhecimento as explicações e ferramentas que orientam o meu agir rumo ao despertar de consciência.

Sarah Spengler: Praticante de yoga e autoconhecimento desde 1982. Professora de yoga e orientadora espiritual desde 2000. Coordenadora e facilitadora do Atman Centro de Yoga.

Seu Anfitrião:

Rafael Reinehr: Um polímata autodidata eclético, médico endocrinologista zen nas horas vagas. Formado pela UFRGS (1999), especialista em Medicina Interna e Endocrinologia e Metabologia. Instrutor de Mindfulness (MBSR/MBCT Univ. Massachusetts) e Mindfulness para Crianças (Centro Brasileiro de Mindfulness). Terapeuta Ayurveda em formação, professor de yoga Integrativa em formação. Pós-graduando em Psicologia Positiva, Ciência do Bem-estar e Autorraealização. Pesquisador e Autor em Ciência da Felicidade, além de outros livros. Criador do Simplicíssimo, O Pensador Selvagem, Coolmeia Ideias em Cooperação, Medictando e do Cada Vez Melhor, Comunidade De Aprendizagem Online em Autoconhecimento, Crescimento Pessoal e Transcendência.

Nos vemos lá!
Até breve! Namaskar!

Read More

Vídeo Novo no Canal! Nesse vídeo, faço uma introdução à Comunidade do Cada Vez Melhor, que inicia no próximo dia 07 de Maio de 2020!

Se você é alguém que está sempre em busca de se tornar alguém melhor e inspirar as pessoas ao seu redor, assista! Essa pode ser a sua tribo e o seu espaço seguro de desenvolvimento humano e aprendizagem continuada.

*Assista o vídeo abaixo e veja com um pouco mais de detalhe como irá funcionar e o que vamos ter na Comunidade de Aprendizagem Online do Cada Vez Melhor.

Read More

Vídeo de Apresentação do Canal: https://www.youtube.com/watch?v=OTPhv…

Hoje vamos falar um pouquinho de Mindfulness. Vou te ensinar a técnica de meditação mais simples que você já viu! E funciona mesmo que você tenha ansiedade, esteja sempre correndo ou com a cabeça cheeeeia de pensamentos! Duvida? Então pratica e depois me conta!

Assine ao Canal e Ative o Sininho aqui: https://www.youtube.com/c/cadavezmelhor

Não Perca Nada: https://lista.reinehr.org/cadavezmelhor (Meu Boletim Informativo)

Read More

Começou! Finalmente estou no You Tube!

Nesse primeiro episódio do Cada Vez Melhor, falo um pouco sobre a minha história e o que motivou o surgimento do canal, bem como trago um breve panorama do que você pode esperar deste espaço no Youtube. Te faço um convite para mergulhar comigo nessa jornada de autoconhecimento, aprendizagem continuada e compartilhamento de vivências e experiências em direção à melhor versão de nós mesmos.

Assine ao Canal e Ative o Sininho aqui: https://www.youtube.com/c/cadavezmelhor

Read More

Um artigo de Meghan Holohan, publicado na Today em dezembro de 2019 nos traz uma curiosa “novidade” que chega, sem nenhuma surpresa, do Vale do Silício. 

Enquanto ainda discutimos por aqui a eficiência, os riscos e benefícios do jejum intermitente, um tipo diferente de jejum é tendência por lá: o “Jejum de Dopamina”. 

Seguidores dessa nova proposta acreditam que, ao se privar de qualquer coisa que os estimule – equipamentos eletrônicos, filmes, televisão, luz, sexo ou mesmo outras pessoas – eles podem manipular seus níveis de dopamina no corpo e “reiniciar” seus cérebros.

A princípio, pode parecer uma boa ideia: sensibilizar o efeito da dopamina, conhecido como um dos “hormônios da felicidade”, apenas por desconectar-se de equipamentos eletrônicos e se afastar, temporariamente, de atividades prazeirosas.

Para “jejuar”, os seguidores dizem que eles evitam coisas que eles gostam, que podem incluir aparelhos eletrônicos, sexo, mídias sociais, divertimento, compras, apostas, exercícios, comida e bebidas por um período determinado de tempo. Alguns mais radicais podem até evitar contato visual ou conversas durante este tempo.

O objetivo – evitar o estímulo no presente, seria tornar-se mais feliz depois. Por exemplo: ama fazer compras online? Durante o jejum, você deve evitar fazê-lo. De uma certa forma, é como a meditação na qual as pessoas permanecem algum tempo sem excitações externas. Mas esse tipo de jejum é adaptado às coisas que especificamente causam picos de dopamina em cada pessoa, quer seja vinho tinto, Instagram ou filmes Noir.

Para neurocientistas como Madelyn Fernstrom, “Nosso cérebro está sempre trabalhando. Nossos transmissores, como a dopamina, estão sempre trabalhando.”. Em suma, o que se espera em teoria pode não estar acontecendo na prática.

O que é a dopamina?

A dopamina exerce no nosso corpo uma série de funções. No cérebro, ela é responsável por ajudar a controlar nosso humor, para nos trazer aquela sensação de satisfação e recompensa.

As pessoas geralmente a conhecem como o “hormônio da excitação e da busca da novidade”, conta o Dr. Amit Sood, diretor da Resilient Option.

Isso significa que as pessoas experimentam um pico quando tentam algo novo ou antecipam algo. 

“Um monte das mídias sociais é movido por dopamina”, diz ele. 

Mas o papel da dopamina é muito mais complexo. Ela também ajuda o cérebro a controlar os movimentos e existe em outras partes do corpo, regulando a insulina, ajudando na digestão, gerenciando a função hepática e mantendo a pressão arterial.

“Ela é como um coordenador de tráfego aéreo. Controla e coordena as funções de um monte de diferentes órgãos, um monte de partes diferentes do corpo, para garantir que elas trabalham de forma harmoniosa.” – explica Zack Freyberg, professor assistente de psiquiatria e biologia celular da Universidade de Pittsburgh. Não ter dopamina suficiente causa problemas reais. A doença de Parkinson é um exemplo. O corpo absolutamente necessita fazer dopamina porque precisa dela para controlar os sistemas de suporte à vida.

De certa forma, comer e exercitar-se pode influenciar na produção de dopamina, mas não da forma que os fãs do jejum de dopamina pensam. 

Quando você come, a quantidade de dopamina no seu corpo temporariamente aumenta, pois ela ajuda a regular os níveis de insulina. E existem cada vez mais evidências de que os exercícios pode ajudar os pacientes de Parkinson a preservarem a quantidade de dopamina que possuem no cérebro.

Nome errado, ideia correta

Apesar de que o nome seja uma simplificação exagerada de como a química cerebral funciona, o conceito por trás do jejum de dopamina é positivo. O que os “jejuadores” estão verdadeiramente propondo é uma pausa do estímulo e se tornarem plenamente conscientes – ambas práticas saudáveis.

“Não existe nenhum lado negativo na prática, a não ser que você acredite que esteja tendo algum impacto imediato na sua química cerebral”, diz Fernstrom. “É um engano acreditar que um comportamento de curto prazo de qualquer tipo irá ter um impacto duradouro em seu cérebro”.

Além disso, desconectar-se e passar mais tempo sem estímulos pode ter um efeito oposto do que antecipado pelos jejuares.

“A meditação tem demonstrado aumentar a dopamina nos centros de recompensa do cérebro”, disse Sood.

Enquanto meditar e evitar aparelhos eletrônicos é benéfico, Sood encoraja as pessoas a pensar em adicionar algo à vida ao invés de subtrair. 

“É muito difícil esvaziar sua vida de algo”, diz ele. “Eu tentei esvaziar minha mente e não funciona. Não é sobre esvaziá-la. É sobre preenchê-la com as coisas certas.”

É justamente or isso que ele sugere que as pessoas pensem em algo positivo enquanto se afastam dos aparelhos e do excesso de atividades.

“Se você meditar sobre gratidão, compaixão ou bondade será muito mais efetivo”, diz Sood.

Artigo adaptado de https://www.today.com/health/what-dopamine-fasting-how-some-are-trying-change-their-brains-t168580

Read More
%d blogueiros gostam disto: