O Fim da Busca

Ah, que bom estar de volta…

Estou retomando meu querido blog, que já existe desde 14 de dezembro de 2003, mas que nos últimos anos acabou perdendo um pouquinho de atenção em detrimento do tempo dispensado à vida offline e a outras mídias sociais.

Fato é que está na hora de retomar o prumo, priorizar o que deve ser priorizado (vita brevis, carpe diem!) e deixar a procrastinação pros baianos (que me perdoem a brincadeira!)

Provavelmente não terei o mesmo ímpeto de outros tempos, quando conseguia realizar postagens diárias e, até, pasmem, três postagens originais no mesmo dia! Ah, antanho, outrora, então, naqueles tempos… Juventude (quase) inconsequente!

O fato é que agora o chamado é outro, mas meu blog querido vai fazer parte novamente deste chamado.

Em primeiro lugar, criei um subdomínio muito especial e singular para um projeto pessoal que vai me levar a conhecer pessoas e lugares incríveis, tenho por certo: chamei-o de “O fim da busca“, nome de meu último livro e também desse projeto que culminará na publicação de mais dois volumes desta inédita pesquisa sobre A Ciência da Felicidade.

O-fim-da-busca-400-e1415107689607

Explico com mais detalhes como se dará esta jornada lá no blog do projeto. Visite O Fim da Busca e não deixe de acompanhar, sugerir, compartilhar e também, porque não, afagar meu ego ser gentil, já que gentileza gera gentileza (e felicidade!).

Para marcar esta nova fase de vida, este momento de irrupção de projetos potentes e significantes na minha existência, chegou a hora também de criar uma página pessoal no facebook, que irá complementar meu perfil pessoal por lá. Neste ano estarei chegando ao limite possível de amigos no face e, além disso, irei dividir aquilo que curto e compartilho de outras fontes em meu perfil, como sempre venho fazendo, e aquilo que eu mesmo produzo, crio, coordeno, agito e toco pra frente, na minha página. Também é mais fácil impulsionar publicações e chegar nas pessoas com a página, quando necessário.

Dito isso, não deixe de me visitar e curtir por lá, em Rafael Reinehr no Facebook. Espero poder produzir algo inspirador e bom naquele espaço.

Bem, já são  3:40 e é hora de aproveitar a chuvinha que cai lá fora não só para escrever mas também para ter uma boa noite de sono.

Fique bem. Te espero sempre por aqui!

Namastê.

 

rede

Blogs, Redes Sociais e para onde vai o rio?

Ontem estive navegando por um blog que gosto muito e, depois de ler todos os artigos que estavam na página principal do blogueiro (que também é doutor e professor de Astronomia) percebi que, de fato, existem blogs que vieram para ficar, independente desta onda de “meiomarasmo” que anda rondando a Blogosfera.

redeOs blogs que menos estão sofrendo com a “crise” são justamente aqueles que sempre estiveram fora do mainstream do Blogverso, aqueles que blogavam menos para o leitor, para um pretenso público, e mais por razões pessoais, íntimas.

Quando a visibilidade ou o gás fornecido pela Bolívia pelos leitores começou a rarear, alguns blogueiros tradicionais, seguindo o discurso que vem de fora passaram a perceber o blog como uma ferramenta obsoleta, ou que possivelmente estivesse sendo gradualmente substituída pelas redes sociais.

Um amigo meu já disse, taxativamente, no Twitter: “Gosto de blogar, mas cansa. Mas twittar tem sido anos-luz mais gratificante. Por que será?!”

É inegável que algumas redes sociais, principalmente algumas nas quais geramos comunidades ou grupos dos quais somos protagonistas, nos trazem benefícios facilmente mesuráveis. As pessoas que por lá estão parecem mais focadas em um dado assunto ou tema, como em um Clube de Leituras, onde o assunto são livros ou, ainda mais especificamente, um livro em especial. As discussões podem ser mais apaixonadas e trazer uma gratificação maior para quem participa.

Não sou um bom crítico deste boom das redes sociais, mas sou um bom observador e leio com frequência o que alguns analistas dizem sobre o fenômeno. Minha humilde conclusão me leva a crer que os próximos anos revelarão uma intensificação ainda maior de redes em que o conteúdo seja feito de muitos para muitos (em detrimento dos blogs, em que o conteúdo é feito de um (ou de poucos) para muitos. Os blogs não vão, de jeito nenhum, acabar. Como minha amiga Elenara, que usa o “blog como 1 meio de guardar coisas que acha interessantes”, muitas pessoas encontrarão utilidade para este espaço em que a expressão da liberdade encontra sua vez.

PS: enquanto blogueiros como o Francis estiverem postando imagens como essa, é bom nem pensar em desaparecimento da Blogosfera!

Leticia Wierzchowski e o processo contra Milton Ribeiro:ou a batalha entre o alazão negro e o alazão

Em função de uma viagem, não consegui me posicionar anteriormente em relação ao processo judicial iniciado por Leticia Wiezchowski, autora, entre outros, do livro A Casa das Sete Mulheres, e o blogueiro Milton Ribeiro. Entretanto, preciso somar minha voz a de tantos outros que o fizeram.

Não tenho nenhum tipo de relacionamento com Leticia Wierzchowski e, por outro lado, considero-me amigo de Milton Ribeiro, o que poderia interferir em meu julgamento. Entretanto, as considerações a seguir serão tecidas da forma mais isenta possível levando em conta meu contato com os envolvidos. Para ilustrar melhor o que penso, vou contar uma historinha, com dois personagens chamados Miltona e Leticio (sem acento).

Miltona é uma escritora gaúcha de razoável sucesso regional que teve uma de suas obras escolhidas por uma rede de televisão para ser vertida em uma minissérie transmitida nacionalmente. A minissérie obteve boa visibilidade e aumentou temporariamente o número de pessoas cientes da existência da escritora, que vendeu milhares de seu livro na ocasião.

Miltona, entretanto, não conseguiu manter sua sorte seu desempenho nas obras a seguir e, depois de tentar sua sorte no mundo da arquitetura, da moda e da construção civil, resolveu dedicar-se ao direito, quando decidiu processar um de seus leitores, Leticio Ribeirinho.

Leticio Ribeirinho, um sofrido leitor da obra de Miltona, havia escrito uma resenha tentando abrandar uma critica severa que sua autora preferida havia recebido alguns anos antes por um renomado ensaísta, crítico e escritor gaúcho. Entretanto, ao tentar abrandar a crítica à sua amada escritora, o tiro acabou saindo pela culatra pois, ao imaginar que Leticio estava lhe insultando, a atrapalhada* Miltona decidiu que estava na hora de conseguir uma graninha enquanto não arranjasse uma nova ocupação, talvez como atendente no Wally-Smart.**

Mas agora, por gentileza, deixem-me concluir abruptamente este texto por dois motivos: meus pés estão ficando gelados e estão cortando seringueiras centenárias na beira do rio porque “estão impondo risco ao moradores vizinhos”. Isso parece uma inversão da lógica: primeiro eu me mudo para o lado do depósito de lixo e depois peço à prefeitura para que mude o lixão de lugar… É como escrever um livro cheio de erros e esperar que não se façam críticas a ele. É dormir com a amante na própria cama com a esposa preparando o jantar na cozinha e depois reclamar se for pego no flagra.

E não deixem de ler todos os links indicados acima e abaixo. Esta é uma história que merece ser apreendida e acompanhada. 

 

* Alguns estudos sugerem que o analfabetismo funcional no Brasil chegue a níveis superiores a 70% da população.

** A descrição da referida profissão não tem nenhum caráter desmeritório > este disclaimer está sendo publicado a partir da observação de que algumas pessoas com visão enviesada podem crer que algumas profissões possuem importância inerente maior do que outras

*** Não deixe de olhar a página da Leticia Wierzchowski na Wikipedia.

 

Para entender o post acima, leia os seguintes links:

Leticia Wierzchowski processa este blog (I)

Leticia Wierzchowski processa este blog (II) – O conteúdo da inicial escrita pelo advogado de Roberto Carlos e da RBS

Leticia Wierzchowski processa este blog (III) – Algumas opiniões equilibradas

 

Continue reading

Blogar é preciso

Blogar é preciso

Blogar é preciso

    Opa, felicidade de blogueiro (também) é conexão de banda larga (larga mesmo)! Hoje estou inaugurando no meu consultório em Araranguá uma conexão de 2 Mbps, acoplada a uma distribuição wireless do sinal. Secretária e consultório interligados, sem fio, uma maravilha.

    Sei que isso não é nenhuma novidade, já existe desde o tempo do Ari Clava, mas para mim é uma felicidade. Apesar de dispor de wireless em casa há cerca de 4 anos, por motivo de economia (ou bobice) não havia ainda isntalado no consultório. É um conforto. Coisa boa.

    A outra boa notícia é que poderei ocupar meus instantes livres navegando por aí. As noites têm sido muito curtas e não tenho dado conta de visitar mais ninguém. Dedicação total ao OPS! e ao Simplicíssimo.

    Como diria o Rei Roberto,  "daqui pra frente, tudo vai ser diferente….". Este site passará novamente a ter atualização diária! Ô beleza! Haja assunto! (assunto não falta, vos garanto!)

    É isso, vamos trabalhar! 

    Blogar é preciso! Viver não é. 

Nasceu o Nossa Via

    Está no ar desde hoje o Nossa Via , com a idéia de juntar vários blogueiros em um só site , formando um grupo que opinasse regularmente sobre os assuntos mais diversos do nosso dia-a-dia: política, finanças, tecnologia, religião, comportamento, esporte, entretenimento…

    Este que vos fala está lá , opinando e cantando sobre Saúde e Bem-Estar e outras cositas mais. Uma passada por lá é obrigatória, agora mesmo! Confira e participe.

Mulhé Raspirina

Aspirina dá dor de cabeça

 

Mulhé Raspirina

   O ácido acetil salicílico, produzido pela Bayer desde 1899 e utilizado como analgésico, antiinflamatório e antiplaquetário, levou mais de 100 anos para mostrar seu principal efeito: causar dor de cabeça. E das grandes.

    Há dois dias, a blogueira Estela Rodrigues recebeu um e-mail da mega indústria produtora de agrotóxicos (e que, como outras empresas do ramo utiliza parte dos seus lucros oriundos da devastação da natureza em propagandas de "Responsabilidade Social"  e "Proteção Ambiental" em favor próprio) Bayer, com o seguinte teor:

    "Na qualidade de advogada da Bayer S/A, vimos notificá-la de que tomamos conhecimento da utilização da marca ASPIRINA em site/blog na internet sem autorização da empresa.
Note que ASPIRINA é marca registrada da Bayer no Brasil desde 1942, conforme registro nº. 003010716, concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI e em pleno vigor. Este registro garante à Bayer o direito de usar a marca ASPIRINA com exclusividade em todo o território nacional,
bem como de zelar pela sua integridade material e reputação, conforme artigos 129 e 130, inciso III, da Lei 9.279/96.
Não obstante, verificamos no site mulheraspirina.com o uso da marca ASPIRINA, em conjunto com a expressão "Não mata mas alivia" e associada a diversos temas, inclusive pornográficos, os quais não condizem com a imagem e reputação do produto ASPIRINA, construídas pela Bayer através de décadas de trabalho e investimentos.
Ressalte-se que a marca ASPIRINA é uma das marcas mais importantes da Bayer e ela não medirá esforços na defesa de sua integridade."

(conteúdo parcial) 

    Ou seja, aparentemente, a gigante devastadora está preocupada com a "imagem" de sua marca de analgésico e, por isso, está causando uma bruta dor de cabeça na Estela. (siga lendo)

Continue reading

A Voz da Blogosfera, agora no MSN

    Enquete encerrada e, com 66,7% dos votos, a partir da próxima semana A Voz da Blogosfera acontecerá pelo MSN, também de forma experimental. Quem quiser participar do debae acerca de direitos autorais e plágio na internet, deverá adicionar o endereço de MSN avozdablogosfera@hotmail.com e ficar conectado, a partir das 21:30 do próximo dia 16/10/2007 para uma discussão acerca deste assunto palpitante.

    Estamos verificando a possibilidade de, na ocasião, contar com um advogado especializado no assunto para debater conosco e tirar algums dúvidas que possamos ter acerca do uso inapropriado de textos, fotos e outras mídias em nossos sites e blogs.

    Adicione então: avozdablogosfera@hotmail.com. Encontro marcado para terça-feira, 21:30, dia 16/10/2007. 

Blogurinhas

    E se alguém inventasse de criar um álbum de figurinhas da Blogosfera? Bem, esse alguém seria o Sampson Moreira e o nome deese álbum seria Blogurinhas. Por um provável erro de impressão, o blog desta figura que vos fala está lá, figurinha 172. Imagino o trabalho que o Sampson deve ter tido para criar todas essas blogurinhas! Ô inferno!  Canso só de imaginar.

    Valeu pela lembrança, digníssimo Sampson!