Category Archives for "Cibercultura"

Sararah
Set 08

O que é que eu estou fazendo no Sararah?

By rafaelreinehr | Cibercultura

Poder passar uma mensagem de forma anônima a uma pessoa pode servir para o bem ou para o mal. A ferramenta não consegue filtrar o tipo de mensagem que receberemos, se serão elogios, críticas construtivas ou agressão e bullying.

Então abrir a possibilidade de alguém se comunicar contigo via uma ferramenta como o Sararah (Conheça o meu em https://rafaelreinehr.sarahah.com/) necessita que você:

    1. Saiba qual seu objetivo com a abertura deste canal de comunicação
    2. Esteja pronto para as idiossincrasias e o inesperado

No meu caso, a ferramenta tem sido extremamente útil pois pessoas que gostariam de me dizer coisas e não sabem como, tem utilizado a mesma para fazê-lo, veja só:

“Rafael, vc é um profissional excelente! O que eu gostaria de te dizer é que vc não precisa ficar provando isso o tempo todo na mídia. Isso é chato… Preserve mais a sua vida… É muita exposição! Isso é desnecessário e está tornando o profissional excelente em fútil, sensacionalista…. CHATO!”

O grande problema do Sararah é que você não consegue responder a quem deixou a mensagem, mesmo de forma anônima. Nada garante que a pessoa que deixou o comentário vá encontrar uma eventual resposta nas mídias sociais. Muitas vezes, ela tem uma impressão errônea ou apenas incompleta do “quadro todo”, como no caso acima, e acaba fazendo um julgamento precipitado.

Para meu amigo ou amiga acima (considero um bom amigo(a), já que está genuinamente preocupado(a) comigo, com seu conselho, gostaria de poder dizer duas coisas:

  1. Muito obrigado pela sua percepção e carinho ao me alertar sobre “ficar todo tempo na mídia”. Imagino que sua timeline esteja sendo inundada por conteúdo meu! Se puderes, coloque um “Ver menos” ou “Deixar de seguir” se eu o(a) estiver incomodando!
  2. Obrigado pelo “profissional excelente!”, e agora vem uma explicação! Não preciso provar nada a ninguém além de a mim mesmo. Minha trajetória, meu percurso de vida e o cuidado com que faço meus atendimentos falam por si. O que estou fazendo – aparecendo online, publicando conteúdo, compartilhando coisas pitorescas da minha vida trazem consigo dois objetivos:
    – Alcançar um maior número de pessoas para levar adiante um projeto muito maior, que está apenas no nascedouro, que é o de ampliar a saúde, o bem-estar, a qualidade de vida e a felicidade das pessoas em todo mundo, sem limites de nacionalidade, cor, raça ou credo. É um trabalho de formiguinha que está apenas começando, e estou reunindo recursos para que este sonho se torne real
    – Poder registrar, em alguma mídia digital, um pouco do dia-a-dia, e compartilhar com as pessoas queridas – quando for algo apenas cândido ou pitoresco, e com o maior número de pessoas quando for algo inspirador, construtivo ou que some à construção de um mundo mais justo, sustentável, equânime, solidário e compassivo.

A exposição mencionada acima pela pessoa que teceu sua bela e construtiva crítica não tem nada a ver com buscar visibilidade para minha ocupação profissional – que é ser médico endocrinologista. Concordo com ela que, muitas vezes, dependendo da leitura que algumas pessoas fazem, isso pode até atrapalhar.

Mas minha essência é muito mais do que Rafael Reinehr – Médico Endocrinologista. Quem me conhece de verdade sabe disso. Sou o cara que após a faculdade de Medicina fui cursar Filosofia e Ciências Sociais, que toca guitarra, lê pra caramba, escreve livros, gravou curtas e média-metragens, tira fotografias, organiza saraus literários, fundou portais de internet sobre literatura, cultura, filosofia e sociedade, fundou uma incubadora de ideias e soluções altruístas… Não tem como, nobre amigo ou amiga, esconder este lado. Isso seria sufocar a minha essência, deixar de ser quem eu sou para agradar algumas pessoas e “conseguir mais clientes”. Isso não faz parte do meu jogo, da minha vida.

Sempre tive, desde bem cedo, duas características: a de ser megalomaníaco – sonhar muuuuuuito grande e também a de ter uma necessidade muito grande de me expressar. E isso faz parte de quem sou. E aceito isso com todos os ônus e bônus que vem junto com esta escolha.

E você, quer me dizer alguma coisa de forma anônima? Elogio, crítica, comentário? Vai lá enquanto ainda está no ar: https://rafaelreinehr.sarahah.com/

Nota de Segurança: existem algumas evidências de que o Sararah “rouba” os dados de seus contatos (e-mail e telefone) no Facebook. Então, não crie uma conta se você não quiser ter o risco de ter seus contatos expostos. Sö fiquei sabendo disso depois de criar a conta. Entretanto, para deixar uma mensagem é seguro pois você não precisa incluir nenhum dado seu.

12 minutos - ler um microbook por dia
Jul 07

12 Minutos e a Revolução da Leitura Online

By rafaelreinehr | Cibercultura

Salve salve! Hoje o tema é Internet, Leitura, Desenvolvimento Pessoal e Tecnologia para uma vida melhor!

 

Você que me acompanha no Medictando, no meu bloginstagram e lives do Face já deve saber que meu tempo é contadinho e superconcorrido, né? E também sabe que eu amo ler, tanto no formato digital quanto no velho e bom formato tijolo, livro impresso mesmo.
 
Em função das minhas viagens, comecei a utilizar ferramentas que me permitem escutar os livros que gostaria de ler. Geralmente, um audiolivro tem duração de 6 a 36 horas de narração. Um livro de 6 horas escuto em 2 viagens, por exemplo, entre Santa Maria e Araranguá, trajeto que faço todas as semanas.
 
Entretanto, sou um cara afeito à produtividade, e não gosto de “desperdiçar” tempo. Tempo é nossa maior riqueza: uma vez que se esvai, não volta mais. Como uma das minhas maiores paixões em toda vida é aprender, e saber, sobre tudo que é possível, preciso compartilhar com você um achado fantástico das últimas semanas: o 12 minutos.
 
12 minutos é uma comunidade que faz um resumo espetacular de livros e os apresenta em um formato de leitura ou audição que varia entre 10 a 15 minutos. O que estou achando mais espetacular é poder escutar todos os dias, durante o banho, o essencial de um novo livro.
 
Isso me ajuda a escolher aqueles livros aos quais quero dar mais atenção mas, ao mesmo tempo, já gera uma série de insights e percepções que eu provavelmente levaria anos para acumular.
 
Lá no 12 (apelido carinhoso!) você encontra livros sobre Produtividade, Motivação e Inspiração, Psicologia, Saúde e Bem-estar, Empreendedorismo, Gestão e Liderança, Marketing e Vendas, Dinheiro e Investimentos, Comunicação e Networking e muito, muito mais!
 
Não deixe de fazer o acesso gratuito de 3 dias. A ferramenta é espetacular e sou muito grato aos criadores. Depois você terá a chance de continuar assinando por um valor menor que o preço de um livro por mês, tento acesso a todo acervo, que cresce todas as semanas.
 
Ah! E tem mais: é uma iniciativa brasileira, então vale muito a pena apoiar! Em outra postagem falo do Audible e do Ubook, ferramentas nas quais você pode escutar livros inteiros e que servem para você escutar na íntegra os livros que você escutou no 12 minutos e mais te chamaram atenção.
 
Vai lá, se cadastra, experimenta e depois me conta o que achou, aqui embaixo nos comentários! Me diga se não foi uma sacada fantástica!

 

PS: Hoje pela manhã, escutei Sprint – Como Resolver Grandes Problemas e Testar Novas Ideias em Apenas Cinco Dias, de Jake Knapp & John Zeratsky & Braden Kowits durante o banho e A Startup Enxuta, de Eric Reies durante o café da manhã, aproveitando que meus pequenos ainda estavam dormindo e eu estava sozinho na cozinha.

 

PS2: Não fique viciado na ferramenta e ocupe todo o tempo que você deve dedicar à família e aos amigos buscando hiperprodutividade. Tempo na Natureza e em convívio com pessoas é fundamental. Escrevo aqui pois, com alguma frequência, preciso me lembrar para seguir a vida com autonomia, excelência e propósito, sem comprometer os laços humanos a serem desenvolvidos concomitantemente.
Mar 19

Aaaaarg.fail, Sci-hub, LibGen, TAL, LBRY e outros repositórios livres para artigos científicos, livros e mídias variadas

By rafaelreinehr | Blogs e Internet , Cibercultura

Somos contemporâneos de uma época de Transição. Mais uma delas, por sinal. Vislumbramos o surgimento da Internet com toda sua potência e possibilidades, a liberação de criações antes  privadas, tornadas acessíveis a todos com acesso à WWW (Napster, Audiogalaxy, Torrents). Aaron Swartz morreu defendendo o conhecimento livre, aos 26 anos.

Esta postagem não tem o intuito de recuperar toda a história das lutas pelo OKN (Open Knowledge, ou Conhecimento Livre), mas traz algumas das ferramentas atuais que podem ser utilizadas por quem deseja se aperfeiçoar a partir do conhecimento acessível e compartilhado na web.

Vamos a elas:

Aaaaarg.org –  http://aaaaarg.fail: Originalmente conhecida como aaarg.org, um acrônimo para Artists, Architects, and Activists Reading Group, foi criada por Sean Dockray e após vários processos, precisou mudar de domínio mais uma vez, hoje sendo hospedada em http://aaaaarg.fail. Trata-se de um grande repositório de livros de ciências humanas, arte contemporânea, teoria crítica, artigos científicos, teses, anotações e trabalhos que dificilmente são encontrados em qualquer outro lugar. Para não perder contato, se eles precisarem mudar de endereço mais uma vez, siga-os no twitter em https://twitter.com/aaaarg

Sci-Hubhttp://sci-hub.cc: Criado pela neurocientista russa Alexandra Elbakyan, o Sci-hub é, na verdade, um script que “desbloqueia” e libera o acesso a milhões de artigos científicos de várias revistas e editoras espalhadas pelo mundo. Seu objetivo é “remover todas as barreiras no caminho da ciência”.

Library Genesishttp://libgen.io: Um gigantesco repositorio de livros, revistas, quadrinhos, pinturas e artigos científicos. Diversão garantida por dias e dias e dias e dias…

LBRY – https://lbry.io: Criada por Jeremy Kaufman, pretende ser o futuro do compartilhamento digital. Uma biblioteca digital descentralizada onde cada um é dono do seu próprio conteúdo e pode distribui-lo gratuitamente ou de forma paga, sem publicidade ou custos de intermediação. Inicia em ABRIL DE 2017. Quer ser um dos primeiros a conhecer? Acessa por aqui: https://lbry.io/get?r=B6IVb

TAL – The Anarchist Libraryhttp://teias.org/tal: A Biblioteca Anarquista é o maior repositório de textos anarquistas e libertários da atualidade, em várias línguas. A versão brasileira ainda está em construção. Se você deseja contribuir com ela, deixe um comentário!

Se você quer saber um pouco mais sobre o conceito de RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS (REA em português e OER (Open Educational Resources) em inglês), leia meu capítulo sobre o assunto no livro Recursos Educacionais Abertos – Práticas Colaborativas e Políticas Públicas. O capítulo chama-se Recursos Educacionais Abertos na Aprendizagem Informal e no Auto-didatismo e pode ser lido AQUI.

Se você conhece outras plataformas que espalham o conhecimento livre, compartilhe nos comentários! Elas serão adicionadas ao texto do artigo.

Gostou deste artigo? COLABORE para que possamos fazer mais: http://reinehr.org/viva-o-mecenato/

Referências: 

  1. https://www.memoryoftheworld.org/blog/2014/10/28/aaaaarg-org/
  2. https://monoskop.org/Aaaaarg
  3. https://monoskop.org/The_Public_School
  4. https://pt.wikipedia.org/wiki/Aaron_Swartz
  5. https://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandra_Elbakyan
  6. https://twitter.com/LBRYio
  7. https://lbry.io/news/20000-illegal-college-lectures-rescued
  8. https://www.youtube.com/watch?v=DjouYBEkQPY
  9. Recursos educacionais abertos na aprendizagem informal e no autodidatismo
  10. http://www.livrorea.net.br/livro/home.html
Captura_de_Tela_2012-02-12_as_15.16.18
Fev 12

Sobre o Dia do Basta e outras movimentações em marcha…

By Rafael Reinehr | Cibercultura

Conversa hoje mais cedo, com uma pessoa (cuja identidade resguardo):

Pessoa
  • oi, é voce que esta junto na coordenação com o werther ?

     

    Eu

    olá Xxxx, a princípio sim – ajudamos a facilitar algumas iniciativas, mas estás falando exatamente de qual? (são muitas)

     

    Pessoa

    protesto dia do basta
    olá, sou da coordenação naciona

     

    Eu

    ah, ok – não, somente o Werther – não vou conseguir me envolver na organização da atividade local diretamente – mas vou dar suporte

     

    Pessoa

    ha, ok

    entao voce é só membro normal…

    dando supote é isso…
    Eu

não sou membro de nada

 

nem apóio incondicionalmente a marcha
na verdade, acho que marchas são apenas eventos com poder muito gfraco de mudança

e Não a minha estratégia de luta

 

Pessoa
ha ta

 

 

Eu

meu caminho é outro mais duradouro

conectando redes
mas apóio, por caminharem huma direção “boa” estes movimentos
só os considero ingênuos e pouco efetivos

 

Pessoa
obrigado pelo feedback

Captura_de_Tela_2012-02-12_as_15.16.18

Agora vos pergunto: será que fui grosso? Indelicado? Agressivo? Me faltou tato? Ou falar a verdade nem sempre é o melhor caminho? Ou querer dialogar e entender mais profundamente as coisas é um problema? Ou eu não estou entendendo patavinas?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mapa mental da Cybercultura
Set 26

Mapa mental de Cibercultura e Web Trendmap 2007

By Rafael Reinehr | Cibercultura

    Duas iniciativas superbacanas estão pululando na Internet, uma brazuca e a outra gringa. Por aqui, Alex Primo, professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da UFRGS produziu o Mapa mental da Cibercultura, que agora está sendo aperfeiçoado em uma wiki.

Mapa mental da Cybercultura

    Como falei ao amigo Yuri Almeida , o mapa do professor Alex abriu-me as "portas da percepção" da Internet. É um belo resumo histórico e nos dá uma perspectiva mais ampla, situando a Blogosfera como uma parte de um Universo muito maior. Uma bela lição de humildade.

    Lá fora, surgiu o Web Trendmap, um verdadeiro mapa em formato "linhas do metrô" da Internet atual. Quem é significante, está lá. Claro que, na visão dos gringos, algumas grandes iniciativas daqui ficam de fora, como o Interney Blogs, por exemplo. Falam do Terra, mas não vi por lá o UOL nem a Globo ou o Ig, por exemplo. Ao mesmo tempo, blogs individuais de língua inglesa aparecem por lá… De qualquer forma, vale a visita. 

Web Trendmap