Erradicar a pobreza: maneiras simples para começar

Este é um post referente ao BlogActionDay 2008.

A pobreza é, sem sombra de dúvida, a conseqüência de nossas escolhas de estilo de vida capitalista-consumista-individualista e também a causa de muito sofrimento e violência.

Abaixo, vou listar algumas coisas que cada um pode fazer hoje e sempre para ajudar a erradicar a pobreza no mundo. São coisas simples que não necessitam nenhum grande esforço ou desprendimento.

1. Dar votos a artigos que falem sobre pobreza em Redes Sociais
2. Dar 1 (ou 2) reais para um empreendedor que busca eliminar a pobreza para cada nova pessoa que assinar seu blog em um determinado período de tempo. Você pode ajustar esta quantia para mais ou menos, dependendo de suas condições financeiras e de acordo com o número de assinantes que já tem.
3. Dar 10 reais para cada pessoa que linkar seu blog em um determinado período.
4. Se o seu blog for monetizado, doar o seu rendimento de um dia específico (15 de outubro?) para um empreendimento para a erradicação da pobreza ou…
5. Doe 2 (ou 5, ou 10) reais para cada 1000 pageviews na sua página em um período de um mês
6. Doe algum tipo de tecnologia que você tem de sobra ou não utiliza para uma família em estado de pobreza.
7. Junte-se ou crie um grupo no Facebook ou no Orkut dedicado a reduzir a pobreza
8. Conheça e participe da Coolméia, uma Cooperativa de Idéias Altruístas que chegou para mudar o mundo para melhor
9. Utilize o Twitter e outras ferramentas de microblogging para compartlhar um bom artigo sobre a pobreza, bem como para compartilhar algum fato ou dado relevante sobre a mesma
10. Ajude os sites que ajudam a erradicar a pobreza lincando-os em seu website utilizando boas palavras-chaves (para os entendidos em SEO)
11. Crie e divulgue um papel de parede para lembrar as pessoas acerca da luta para eliminar a pobreza
12. Doe suas habilidades (por exemplo, habilidades de webdesign) para uma entidade de combate à pobreza
13. Crie uma série de fotos no Flickr ou em seu site contando uma história sobre a pobreza
14. Venda coisas das quais não mais necessita e doe o resultado para pessoas ou entidades que combatem a pobreza (ou doe o produto do qual não mais precisa em si)
15. Crie um vídeo para aumentar a percepção das pessoas acerca da pobreza e compartilhe-o no You Tube
16. Doe espaço não utilizado no seu servidor para um empreendimento que combata a pobreza
17. Mande e-mails para seus representantes políticos locais com suas idéias para combater a pobreza
18. Use seu blog ou site para contar a história de alguém que superou a pobreza, relatando os passos pelos quais esta pessoa passou (e salve a aliteração!)
19. Encorage os leitores de seu blog a doarem ou se envolverem com o combate da pobreza
20. Doe 1 ou 2 reais por cada comentário no seu próximo post, deixando claro para o leitor os motivos pelos quais estará fazendo esta doação
21. Dê publicidade grátis em seu blog ou site para sites que defendam a erradicação da pobreza
22. Mande um fantástico artigo sobre como erradicar a pobreza para seus amigos do Stumbleupon
23. Participe do Blog Action Day. Ainda é 15 de outubro, ainda dá tempo!

(A quase totalidade das dicas foram sugadas do site Skelliewag)

Que seria você se fosse?

E agora, não lembro onde encontrei esse meme, mas aqui está, para quem quiser dar seguimento:

Se eu fosse uma música, eu seria… Czardas, na versão de Os Incríveis

Se eu fosse um mês, eu seria… setembro? abril?

Se eu fosse um dia da semana, eu seria… Domingo.

Se eu fosse uma hora do dia, eu seria… 21 horas

Se eu fosse um planeta, eu seria… a Terra.

Se eu fosse uma direção, eu seria… sul.

Se eu fosse um móvel, eu seria… uma poltrona gostosa e aconchegante.

Se eu fosse um esporte, eu seria… pingue-pongue.

Se eu fosse um divertimento, eu seria… uma boa conversa entre amigos, com boa comida e bebida, num lugar bacana.

Continue reading

Respondendo aos memes literários

    Toda vez que recebo um meme, fico devidamente honrado: significa que fui lembrado por alguém, o que sempre me envaidece. Ao mesmo tempo, fico envergonhado em selecionar pessoas para dar seguimento a ele pois penso que posso estar incomodando alguém. Por minha vez, não me sinto incomodado, como já disse, fico envaidecido por ter sido incluído. Se você não se importar com a demora na resposta, pode me incluir tranqüilamente. Cedo ou tarde, acabo respondendo.

    Hoje, então, vou concentrar as respostas dos últimos memes literários nos quais fui incluído. Vamos por partes, como diria jack.

 

    Começo atendendo ao pedido do amigo Marcus , que quer saber quais são os 5 livros que mudaram a minha vida e os 5 que não mudaram.  Começo por dizer que, realmente, alguns livros mudaram minha vida. Desde jovem, algumas leituras me incentivaram a seguir mais e mais pelo caminho do conhecimento, enveredando por sendas e mares dos quais nunca mais consegui me livrar. Sou grato desde as primeiras revistas em quadrinhos, passando pela Série Vaga-Lume e pela série Para Gostar de Ler e até os romances policiais de Agatha Christie, que fizeram parte da minha adolescência. Um dos livros que mais me impressionaram quando estava na sexta série, e já o li mais de 4 vezes, foi O Homem que Calculava, de Malba Tahan. As peripécias do beduíno matemático me fascinam até hoje. Ainda na adolescência, um livro que li aos 14 ou 15 anos foi O Mundo de Sofia, de Jostein Gaarder. Li em 5 horas e, perplexo frente a um mundo novo que me foi desvelado, começou meu interesse pelas ciências humanas, pela filosofia, pela antropologia, pela sociologia e até pela política. Depois dessa época, deixei de ler romances e passei a ler mais livros sobre Ciências Sociais e Humanas, ou do tipo O Tao da Física e O Ponto de Mutação, de Fritjof Capra. O primeiro li em 1999, enquanto era estudante de último ano de Medicina e estava fazendo um estágio na Inglaterra. Novamente, um choque de percepções, mais uma mudança na vida. Novamente, reafirmado meu idealismo, ao mesmo tempo em que era afirmada minha pequenez frente ao Universo e me passada uma tranqüilidade espiritual frente à morte e a noção de que todos somos parte de um Uno indivisível. Nem sei de quantos livros já falei, mas preciso citar pelo menos mais três, dois deles que me iniciaram nos estudos do socialismo libertário que foram A Utopia, de Tomas Morus e A Desobediência Civil, de Henry David Thoreau e, algum tempo depois, Deus e o Estado, de Mikhail Bakunin. Todos eles eu considero leituras obrigatórias e fazem de mim quem sou hoje. Saindo um pouco da literatura "maciça", queria agradecer também, recentemente (nos últimos 4 a 5 anos) à revista Vida Simples, que conheci lá no comecinho e me ajudou (está ajudando) a ser uma pessoa melhor. Quanto aos livros que nào mudaram, prefiro não citar, primeiro porque teria que citar vários e fazer algum esforço para lembrar deles, Prefiro deixar passar.

    Em seguida, vou responder ao meme que me foi indicado pelo João Barreto e, antes dele, pelo Antônio , que trazem de volta um meme que já circulava pela internet pelo menos desde 2002-03. Não lembro se era a mesma página ou linha, mas funciona assim: "pegue o livro que estiver mais próximo de você, abra na página 161 e transcreva no seu blog a quinta linha completa. No meu caso, o livro que anda perto de mim por estes dias é Urgência das Ruas – Black Block, Reclaim the Streets e os Dias de Açào Global, organizado por Ned Ludd, da Coleção Baderna da Conrad Livros. Eis a frase:

     "Durante a repressão de uma "Reclaim the Streets" um policial atira covardemente em um jovem de 19 anos, Hannes Westberg, que ficou em estado grave e teve um rim e seu baço retirados."

    O terceiro meme literário foi me indicado pela queridíssima Tânia Carvalho, que conheço há pouco mas tem já um ótimo blog. A Tânia quer saber como eu escrevo. Vou responder da mesma forma que o fiz em entrevista recente que dei para o Simplicíssimo : " Produzo de formas diversas: escrevo direto no computador. Escrevo no meu receituário, em verso de papéis de rascunho, guardanapos, papel de pão, cadernos e faço apontamentos em livros. Escrevo já pronto. Textos inteiros. Contos, crônicas, minicontos, poesias. Escrevo somente idéias, para depois desenvolver. Gravo idéias em um gravador digital. Redijo ensaios. Faço posts. Pego idéias enquanto dirijo, sentado na privada, durante o banho, em shows musicais, enquanto leio livros de outros autores, quando tenho tempo livre, quando estou descansado, quando estou cansado."

    Resumindo, era o que tinha para dizer.