Category Archives for "Cinema"

Sicko
jul 25

Sicko – Michael Moore

By Rafael Reinehr | Ando Vendo

SickoAcho que a democracia é a coisa mais revolucionária do mundo, mais revolucionária do que idéias socialistas ou de qualquer outra pessoa. Se tiver poder, ele é usado para prover as suas necessidades e as da sua comunidade. E esta idéia de escolha, de que o capital fala constantemente, “tem que ter uma escolha”, a escolha depende da liberdade de escolher.

 

Eu acredito que se as pessoas pobres votassem em pessoas que representassem os seus interesses, seria uma verdadeira revolução democrática. E não querem que isso aconteça, por isso mantém as pessoas oprimidas e pessimistas. Penso que há duas formas nas quais as pessoas são controladas: em primeiro lugar, assustar as pessoas e em segundo, desmoralizá-las. Em uma nação educada, saudável e confiante é mais difícil governar. Acho que há um elemento no pensamento de certas pessoas: não queremos que as pessoas sejam educadas, saudáveis e confiantes porque ficariam fora de controle.

 

1% da população mundial detém 80% da riqueza, é incrível que as pessoas tolerem isso, mas elas são pobres, estão desmoralizadas e estão assustadas, então pensam que o mais seguro é seguir ordens e esperar o melhor.”

 

Para entender essa mensagem libertária cunhada por Tony Benn, ex-integrante do parlamento inglês, é preciso assistir com atenção ao novo documentário de Michael Moore. Ainda sem previsão de lançamento no Brasil, o filme já pode ser baixado via torrent em vários distribuidores pela Internet.

         Michael Moore é daqueles que é idolatrado ou amado, poucas pessoas depois de o conhecerem e a suas idéias conseguem ficar indiferentes a ele. No Brasil, várias pessoas já demonstraram sua aversão a sua forma de produzir documentários, taxando-o de manipulador ou ficcionista.

Continue lendo

Zodíaco
jul 20

Zodíaco – Zodiac

By Rafael Reinehr | Ando Vendo

Zodíaco     Zodíaco é mais um dos filmes que tratam da história real do assassino em série que apavorou San Francisco a partir de 1969. Auto-denominado Zodíaco, o serial killer mandava enigmas para que a policia, os jornalistas e a população tentassem desvendar sua identidade. A investigação policial e de um cartunista do San Francisco Chronicles avança, mas Zodíaco parece estar sempre um passo a frente.

    Um filme longo, que alguns podem considerar maçante – pois não possui grande dose de ação – mas é, em verdade, um suspense muito bem amarrado, daqueles que nos leva a decidir por um assassino, voltar atrás e retomar uma ou outra hipótese, até que – bem próximo ao final, a verdade seja revelada. 

    Uma pedida ótima para os fãs do suspense policial, para um fim-de-semana (como todos) em que não existe nada para ver na TV e quando a chuva é tão forte que não dá pra sair de casa nem ir visitar ou receber visita dos amigos.

    Os astros do filme são Jake Gyllenhaal – o cartunista sabichão, Mark Ruffalo, o investigador esforçado mas que não consegue nada e Robert Downey Jr. no papel do jornalista Paul Avery, ameaçado em público pelo Zodíaco.

Continue lendo

numero23.jpg
jul 15

Número 23 – The Number 23

By Rafael Reinehr | Ando Vendo

   numero23.jpg

    Walter Sparrow é um apanhador de cachorros que tem sua vida tranqüila radicalmente mudada ao entrar em contato com um livro chamado "Número 23", em que os acontecimentos parecem refletir aqueles acontecidos em sua vida. Além disso, o livro narra a vida de um personagem que obsessivamente é perseguido pelo número 23, em vários fatos e acontecimentos da sua vida.

    Com Jim Carey no papel de Walter Sparrow e Virginia Madsen como sua esposa Agatha, o suspense dirigido por Joel Schumacher (de O Fantasma da Ópera), Número 23 lembra o filme Janela Secreta, com Johnny Depp, mas isso não estraga a trama.

    Se não podemos esperar um final surpreendente como é de se esperar nos ótimos suspenses, ao menos ele não desagrada. Boa diversão para uma tarde de sábado. (assistido em 14/07/2007)

    

Sicko - Michael Moore
maio 22

Sicko – Michael Moore (pré-lançamento)

By Rafael Reinehr | Vem por aí

 

Sicko - Michael Moore

 

    O mais novo petardo bem-humorado  com pH próximo de ZERO de Michael Moore está chegando. Com lançamento mundial previsto para 29 de junho, o filme, guardado a sete chaves foi mostrado pela primeira vez ao público que esteve presente no Grand Theatre Lumière no Festival de Cannes no último sábado, dia 19.

    O novo documentário do polêmico cineasta norte-americano foi ovacionado por mais de 2000 pessoas. Não se sabe se a mesma reação pode ser esperada na sua apresentação nos Estados Unidos. No filme, Michael Moore ataca o sistema de saúde norte-americano, posicionando-se claramente ao lado dos segurados e frontalmente contra o governo e as seguradoras de saúde. Como existe o risco do filme ser censurado dentro dos Estados Unidos, os advogados de Michael Moore sugeriram que o mesmo enviasse uma cópia master do filme para fora do país, para garantir a sua divulgação e estréia mundial.

    Tentei no dia de ontem conseguir uma cópia via torrents ou canais do IRC, mas este filme parece estar sendo realmente muito bem guardado. Nenhuma câmera o capturou em Cannes. Provavelmente teremos que esperar até a estréia para assistirmos. Para quem quer saber mais sobre o filme, visite minha fonte

maio 07

Peaceful Warrior – Poder Além da Vida

By Rafael Reinehr | Ando Vendo

    O fim-de-semana foi cinematográfico. Não, não realizamos nenhuma grande aventura. Apenas vimos filmes. Nos rendemos à Róliú.

    Na quinta assistimos O Sacrifício , com Nicolas Cage, na sexta foi a vez de Coisas Belas e Sujas , com a Audrey Tautou, no sábado O Diabo Veste Prada com Meryl Streep e no domingo assistimos Poder Além da Vida , com Nick Nolte.

    O Sacrifício (apesar das críticas ruins por aí) foi um bom entretenimento, assim como O Diabo Veste Prada, que conseguiu me arrancar algumas gargalhadas. Coisas Belas e Sujas é chocante. Nada que não se tivesse visto antes no cinema, mas mesmo assim, cenas de estupro são sempre chocantes.

    Poder Além da Vida me foi indicado pelo amigo Pedro Volkmann, que sabia de antemão que eu gostaria do filme. Ele realmente acertou. São pequenos drops budistas para melhor perceber o mundo. Vale pra qualquer pessoas, independente da crença. É um caminho de auto-aprendizado, sem deixar de ser também um ótimo drama.