Coolmeia


Abaixo compartilho com você alguns dos textos fundadores e embasadores da Coolmeia, Ideias em Cooperação, uma Incubadora de Ideias e Soluções Altruístas Voltada ao Bem Comum.

São 334 páginas para sua diversão e inspiração. Textos sobre cooperativismo, apoio mútuo, por uma sociedade e economia mais justas, sobre equanimidade, sustentabilidade, convivialidade, educação, justiça social… Entre eles você encontra os primeiros textos do que vieram a se constituir no Manifesto, na Carta de Princípios e nas Bases do Diálogo da Coolmeia bem como alguns artigos meus que escrevi aqui no blog e em outras paragens ao longo dos últimos 20 anos.

Respire fundo, sente-se confortavelmente, aproxime-se de um café ou um chá quentinho (ou gelado!) e mergulhe! Prepare seu espírito para uma jornada deliciosamente inspiradora, com ideias que fazem minha própria essência vibrar animadamente a cada momento no qual imagino este mundo sendo coletivamente criado.

Se te inspirar e te mover, entre em contato. Em breve a Coolmeia estará de volta, e você pode fazer parte desse Movimento, dessa Comunidade!

Faça o Download clicando no link a seguir: Coolmeia: No Que Acreditamos e o que Queremos

Read More

“Fazer o mundo funcionar para 100% da humanidade no menor tempo possível através da cooperação espontânea sem ofensa ecológica ou desvantagens para qualquer um”. – R. Buckminster Fuller

Esse era o sonho e o desafio do visionário, designer, arquiteto, inventor e escritor estadunidense Richard Buckminster Fuller. Para além de uma visão de um mundo aprimorado pelo design inteligente, Bucky, como era chamado, deixou um instituto que, há 10 anos desafia todos os cidadãos do mundo a criarem uma abordagem sistêmica para entender e intervir nas complexas e inter-relacionadas crises de larga escala que tem impacto social e ambiental.

Vencer o Fuller Challenge requer qualidades raras e muita obstinação

Os vencedores são aqueles capazes de apresentar uma rara combinação de pensamento pragmático, visionário, abrangente e antecipatório, e abordam questões tão amplas quanto mobilidade urbana, recuperação de costas e inovação em embalagens biodegradáveis.

Neste ano, o projeto da Tudoteca – que idealizei em 2007-2008 no lumiar do surgimento da Coolmeia – foi inscrita e está concorrendo!

Se você deseja saber mais sobre a Tudoteca, existem dois caminhos:

  1. Leia o artigo que escrevi sobre ela aqui: http://reinehr.org/uncategorized/tudoteca-um-espaco-de-convivencia-compartilhamento-e-cooperacao/
  2. Entre em contato pelo formulário abaixo, solicitando maiores informações ou, então, expressando seu desejo em colaborar com o projeto. Toda ajuda é bem-vinda!

PS: Se não te importas em ler em inglês, fique à vontade para conhecer um pouco mais sobre a Tudoteca:

  1. Tudoteca – A space of conviviality, sharing and cooperation

  2. Tudoteca:  Seven Reasons Why

Read More

 

Estaremos contratando tradutores para os projetos da The Brains Cooperation, dentre eles o Medictando e a Coolmeia. Alguns precisaremos de disponibilidade em tempo integral e outros para trabalhos eventuais, mas com alguma regularidade.

tradutores

Se você tiver disponibilidade de tempo e capacidade de tradução irrepreensível na língua ou línguas que dominas, entre em contato pelo formulário abaixo:

Read More

 
Estaremos contratando tradutores para os projetos da The Brains Cooperation, dentre eles o Medictando e a Coolmeia. Alguns precisaremos de disponibilidade em tempo integral e outros para trabalhos eventuais, mas com alguma regularidade.
tradutores
Se você tiver disponibilidade de tempo e capacidade de tradução irrepreensível na língua ou línguas que dominas, entre em contato pelo formulário abaixo:

Read More

No dia 23 de janeiro, fiz uma postagem no facebook conclamando amigos e conhecidos a compartilharem comigo algumas dicas de higiene pessoal feitas em casa e naturais.

A mensagem foi a que segue:

Amigos – Estou na busca de mudar todos meus produtos de higiene para produtos feitos em casa ou tão naturais quanto possível.
Posso contar com vossa ajuda para indicar sites, receitas, lojas em todo Brasil que vendam substratos para quem quer fazer em casa e também já prontos?
Falo de pasta de dentes, sabonetes, desodorantes, perfumes, etc. Shampoo já não uso mais, uso o Sempu
Além disso, vou registrar estes pontos de distribuição e algumas receitas e fazer um pequeno guia em .pdf e depois distribuir por aqui e em outras mídias. Vambora?

sabonetes2

Foto de Sachi – https://supasoap.wordpress.com/ – (CC BY-NC-SA 2.5 BR)

A resposta que obtive foi supimpa! Em poucos dias pipocaram várias referências, que cito abaixo, somadas às que eu já havia compilado em 2013 para o grupo Higiene > DIY Faça Você Mesmo > Aprendizagem da Coolmeia. Enquanto isso, ganho tempo para criar o “pequeno guia em .pdf”, com receitas e referências, ao qual me comprometi.

Sabonetes:

Xampus:

Pasta de dentes:

Desodorantes:

Óleo hidratante pós-banho:

Cuidados de higiene em geral:

Produtos naturais em geral:

cosmeticos-naturais

Rica participação da Giselle Zambiazzi, que compartilhou uma série de receitas bem práticas, simples e eficientes. Vejam o que ela disse:

“Em dezembro fiz um minicurso num encontro de permacultura que ensinou várias receititas rápidas para fazer tudo em casa. Bem, ensinamento número 1: bicarbonato de sódio é o segredo pra tudo. Ele serve pra quase tudo o que a gente precisa. Só precisa saber dosar pra equilibrar com as necessidades do seu corpo, teu PH, tua oleosidade, etc. e isso se descobre ao longo do uso e da experimentação. Vou escrever ali embaixo as receitas-base e o resto pode ir adaptando.

Xampu: Água, bicarbonato de sódio numa proporção a 10%. Aham… é só isso. Aí (ideia minha) dá pra acrescentar coisas como um chá que tenha a ver com a necessidade do seu cabelo seja pra dar cheirinho ou pra equilibrar. Lembrando que a dosagem do bicarbonato será aumentada ou diminuída conforme seu corpo responder. Uso: passe a solução no seu cabelo e deixe agir enquanto lava as outras partes do seu corpo. Pode acrescentar pó de juá pra fazer espuma, se quiser.

Condicionador: 90ml de vinagre de maçã e 10ml de azeite de oliva. É legal acondicionar num vidro escuro pra não reagir com a luz, se for possível. E também é bom fazer pouco de cada vez pra não estragar.

Desodorante: 100ml de óleo de coco, 1 colher de chá de bicarbonato de sódio, cravo “a gosto”

Pó dental: 2 colheres de argila branca, uma colher de canela e uma colher de bicarbonado de sódio. Não molhe a escova. Encosta até ficar um tantinho grudadinho e esfrega, esfrega, esfrega. Não precisa enxaguar se não quiser. Cuidado com a reação que algumas pessoas acabam tendo o esmalte prejudicado. É preciso ir equilibrando as dosagens, não esfregar com força, usar escova macia. Dá pra acrescentar hortelã na mistura. Essa dica é minha: óleo de girassol é um potentíssimo antisséptico bucal. Faz um bochecho diário de 10 a 15 minutos e cospe na privada porque ele sai contaminado. Eu já usei e mais do que recomendo. Chá de arruda (bochecho) é poderoso também pra limpar a boca e combater mau hálito.

Esfoliante facial e corporal: pó de café. Aquele que você usou para fazer seu cafezinho matinal, sabe? Então… pega ele e mistura com mel. Mistura uma proporção que fique uma bolinha, uma massinha, Pronto. É só passar, deixar agir um pouco e lavar.

Enxaguante bucal: vinagre de maçã, cravo e canela. Pode ser usado depois da escovação com a argila branca.”

E olha a dica da Danusia Peterle:

“Desodorante utilizo “leite de magnésia”, super fácil colocar na embalagem roll-on de qualquer outro desodorante (higienizando bem esses frascos)”

A Luciane Martins Monteiro compartilhou essa receita de Sabonete caseiro de alecrim:

INGREDIENTES

300 mL de azeite de oliva
175 mL de óleo de coco
120 mL de água
60 g de soda cáustica 99%
1 colher (sopa) de argila verde
Meia colher (sopa) de espirulina
1 colher (sopa) de farelo de aveia
30 gotas de óleo essencial de alecrim

MODO DE PREPARO

1. Em uma panela, misture o azeite de oliva e o óleo de coco, em fogo baixo.
Despeje os 120 mL de água de em uma tigela de vidro e coloque dentro da pia.
Vá acrescentando aos poucos os cristais de soda cáustica, até que se dissolvam.
Ao manejar a soda cáustica, use luvas, máscara e avental.
Deixe esfriar.
2. Com cuidado e devagar, despeje a mistura de soda cáustica e água na panela com o azeite e o óleo de coco.
Mexa bem.
Depois, bata com um fouet (batedor de arame/ batedor de clara em neve) por 20 segundos.
A consistência deve ser similar à de uma calda.
Junte a argila verde, a espirulina, o farelo de aveia e o óleo essencial de alecrim.
3. Coloque a mistura em um fôrma no formato de tabuleiro (23 cm) untada com azeite.
Cubra com azeite e deixe descansar por 24 horas.
Quando ainda estiver um pouco mole, corte em retângulos.
Mas não toque nos sabonetes! Faça isso com luvas!
Deixe secar e endurecer por completo.
O tempo para que isso ocorra deve ficar em torno de quatro semanas.
Esta receita rende uns 16 sabonetes.

Gandha Ocque, do Pura Chuva, complementa com uma informação importante:
“…mexer com hidróxido de sódio (soda) requer muito cuidado e responsabilidade, hoje existem cursos de saboaria natural que ensinam como fazer todo o procedimento em detalhes, indico o site do akira para a pessoa conhecer bem o que significa isso, porque poucos conhecem a saboaria natural, a maioria apenas conhece os sabonetes artesanais feitos de bases prontas.. por exemplo, fazer sabão de óleo usado é muito perigoso, cada óleo tem seu índice de saponificação,não pode usar óleo de fritura de carnes, é química pura e requer bastante pesquisa.
Ah e não precisa aquecer os óleos na panela, se a receita estiver certa, vai dar certo fazendo tudo à temperatura ambiente. Imagina se a pessoa aquece demais esses óleos e resolve colocar o mixer em toda essa mistura super quente?”
  • IMPORTANTE: Antes de testar esta e outras receitas aqui apresentadas, informe-se sobre boas práticas de produção de sabonetes naturais e demais produtos de higiene. Existem vários cursos de tempos em tempos, certamente algum em uma cidade ou bairro próximos a você.

Ficam também as dicas de algumas marcas de produtos orgânicos, veganos e/ou biodinâmicos a se buscar e avaliar o custo-benefício:

Ainda, para complementar, a dica do Vinicius Braz Rocha:

“Entre tantos links & receitas de como desprogramar, se desintoxicar da gigantesca variedade de poluentes & poluidores produtos industriais de consumo, vale conferir o canal “zero waste home” da Bea Johnson: https://www.youtube.com/user/ZeroWasteHome

a-granel

E não deixe de passar pelo blog da Cristal, o Um Ano Sem Lixo, para uma inspiração profunda. Esse assunto, o do consumo responsável e da produção mínima de resíduos, vai virar uma postagem em breve.

Se você tiver alguma receita caseira, alguma marca, produto ou loja para recomendar e gostaria de ver adicionada à próxima versão do Guia de Receitas Caseiras e Produtos de Higiene Naturais, envie as Sugestões ou Receitas pelo formulário um pouco mais abaixo.

Todo o trabalho de criação do Guia será voluntário, mas contribuições de toda sorte são bem-vindas! Se você for produtor ou distribuidor de produtos de higiene natural e quiser enviar alguma de suas criações ou produtos que comercializa como cortesia, nós certamente usaremos e ficaremos muito gratos!

Se, por outro lado, o guia que está sendo criado lhe ajudar a encontrar aquilo que busca, em breve poderás retribuir através de um sistema de micromecenato que estou bolando para ajudar este que vos fala a criar pequenas (f)(in)utilidades para seu dia-a-dia. Espero poder contar com você!

Formulário de Contato para o “Guia Definitivo das Receitas Caseiras e Produtos de Higiene Naturais

Read More

ccccEstando com frequência em Santa Maria, descobri ao falar com o Eduardo Luft que por aqui estão começando o processo de criação de uma Cooperativa de Compras Coletivas, mais ou menos nos mesmos moldes que iríamos desenvolver no Favo Araranguá da Coolmeia.

Ainda não participei de nenhuma reunião presencial com o grupo que está organizando a Associação por aqui, mas resolvi resgatar, lá da Rede Social Cooperativa da Coolmeia o documento que registra alguns apontamentos da CCCC – Cooperativa de Compras Coletivas da Coolmeia.

Como iria funcionar:

O foco inicial da Cooperativa é a compra de produtos alimentícios em formato “a granel” com 3 objetivos principais:

1. Ecológico/Ambiental: para reduzir a utilização excessiva de embalagens plásticas e de todos os tipos que recebemos quando compramos os produtos nos supermercados

2. Econômico: para se beneficiar da economia individual e familiar quando se compra produtos em grandes quantidades, direto dos distribuidores. A estimativa de redução de preço é de 30-40%.

3. Educativo/Pedagógico: a experiência de fazer parte de uma cooperativa e decidir coletivamente sobre como esta deve funcionar acende a noção de co-responsabilidade que todos devemos ter para com os recursos existentes, quer sejam eles domésticos, locais ou globais. No processo, questiona-se o próprio consumo e questões como valor-de-uso X valor-de-mercado.

Etapas necessárias:

1. Definição das pessoas interessadas

2. Busca e seleção da Cesta de Produtos iniciais

3. Busca e seleção de fornecedores, seguindo os critérios:

– produtos orgânicos/de agricultura familiar

– produtos produzidos à menor distância possível da cidade-sede da Associação

– produtos de qualidade

– produtos baratos

(podemos criar um índice para selecionar os produtos que nos satisfaçam, que satisfaçam a todos)

4. Definir um local de entrega dos produtos, que será o ponto de encontro para dividi-los nas porções individuais

– Em uma fase inicial, pode ser a casa de alguém, e um dia da semana escolhido para a partilha (já que nessa fase tudo será voluntário)

– Em um segundo momento (ou desde o princí­pio) pode-se adicionar um pequeno valor percentual adicional sobre a compra para poder alugar um espaço físico e/ou contratar uma pessoa para ficar neste local em certos dias da semana para partilhar os produtos. Ou idealmente, podemos alugar/escolher um local e fazer uma escala entre os próprios cooperados para cuidar do local, mantendo um livro de controle de estoque detalhado, onde se anota que produto foi para quem, de acordo com critérios pré-estabelecidos

5. Formalização da Cooperativa

6. Criação de algo como o “Supermercado do Povo” -(http://www.thepeoplessupermarket.org/) – em que as pessoas fazem parte do supermercado, podendo trabalhar em troca de alimentos

Este é apenas um esboço inicial de um modelo que pode ser experimentado localmente e replicado em outras comunidades, caso seja bem sucedido.

Da mesma forma, a Cooperativa de Compras Coletivas pode, a partir de certo ponto:

1. Estabelecer uma demanda fixa de certos produtos e estimular produtores locais a produzirem estes alimentos, evitando que os mesmos percorram longas distâncias para chegar até aqui (Agricultura Suportada pela Comunidade)

2. Passar a realizar compras coletivas de bens duráveis, que sejam interessantes para a comunidade ou para os indivíduos componentes da Cooperativa

3. Criar um Fundo de Suporte Alimentar, com um valor percentual das compras coletivas, visando beneficiar pessoas em risco da comunidade, como crianças, idosos, moradores de rua e outras pessoas necessitadas.

Quem quiser se juntar ao processo de co-criação da Cooperativa de Compras Coletivas (ou nome a ser definido) em Santa Maria (tanto como produtor ou como consumidor, preencha os dados abaixo e entraremos em contato para informar das próximas reuniões).

Se você deseja criar uma Cooperativa de Compras Coletivas em sua localidade, mas não sabe por onde começar, entre em contato também! Vamos trocar figurinhas e ajudá-lo a revisar o passo-a-passo necessário para criar tua Cooperativa e gerar acesso a alimentos saudáveis e orgânicos em tua comunidade.

’]

Read More
%d blogueiros gostam disto: