t25

Mais uma chance para o automóvel movido a fósseis?

Fiquei sabendo que em 2010 será lançado um carrinho menor ainda que o Smart Fortwo, que promete reduzir ainda mais o consumo de combustível e emissão de poluentes. Chamado provisoriamente de T25 e criado pelo criador da McLaren F1, Gordon Murray, e deverá custar cerca de 7 mil euros (algo em torno de R$18.000,00 em valores de hoje).

Pessoalmente, acho válidas medidas que contrabalancem o desejo crescente por parte de população de carros maiores e mais bebedores como as SUV’s, mania americana que já chegou ao Brasil. O centro das grandes e médias cidades também agradece, se levarmos em conta a possibilidade de estacionamento do pequeno automóvel:

Continue reading

Bicicleta

22 de setembro: Dia Mundial Sem Carro

    Eu estou nessa: hoje vou ao supermercado a pé, à padaria a pé, caminhar pela vizinhança para umas fotos logicamente a pé e, só não faço parte deste trajeto de bicicleta porque não tenho mais. Logo, logo resolvo este pequeno empecilho.

    Hoje é o Dia Mundial Sem Carro. Se puder ficar sem utilizá-lo, faça. Esforce-se para reduzir sua emissão de poluentes. Use o transporte coletivo, se possível. Guidom em punho, pedale. E aproveite o sábado!

 

Bicicleta

(R)evolução energética

O Greenpeace e a Comissão Européia de Energia Renovável (EREC) liberaram recentemente um relatório encomendado ao Centro Aeroespacial da Alemanha (DLR), um dos mais conceituados institutos de pesquisa na área de cenários energéticos. Neste relatório e em sua versão brasileira – feita pelo GEPEA (Grupo de Engenharia de Energia e Automação de Elétricas da Escola Politécnica da USP) – apresentam-se alternativas globais para a troca do atual sistema gerador de CO2 baseado na exploração da energia fóssil (carvão, petróleo) e na energia nuclear em um sistema de criação de energia sustentável não poluente baseado na utilização da energia hidrelétrica, eólica, solar térmica, oceânica e de biomassa, por exemplo.

 

Para não ficar apenas no discurso, durante o lançamento do relatório [r]evolução energética, inauguram-se 40 painéis solares fotovoltaicos na sede da organização do Greenpeace em São Paulo que captam a luz do sol e geram 2.800 watts. O sistema foi conectado à rede pública de energia e a ela repassará o excedente de energia gerado – o que não é permitido por lei. Fizeram um ‘gato’ ao contrário: em vez de roubar energia do sistema público de energia, passaram a devolver energia à rede.

Continue reading