Category Archives for "Efervescências"

Dez 31

O ano da empatia

By Rafael Reinehr | Quase Filosofia

Está no ar um grande sensação de que tem algo sobrando e, ao mesmo tempo, tem algo faltando. A cada dia, mais e mais pessoas estão deixando de morder o anzol da máquina publicitária, que vende como ideal uma vida repleta de posses, pautada por um consumo infinito que, ao mesmo tempo, consome todo o nosso dia. Exemplos advindos dos quatro cantos do mundo mostram como é possível construir uma vida mais significativa, baseada em laços de solidariedade, apoio mútuo, confiança, empatia e gratidão.

Estamos progressivamente mais antenados com as vantagens mas também com as limitações que uma vida altamente tecnológica nos impõe. Ao mesmo tempo, temos nossas distâncias encurtadas, toda comunicação acontece de forma extremamente rápida. O mundo em uma casca de noz. Ao mesmo tempo, a hiperinformação nos deixa mais confusos e estabanados do que nunca. Não sabemos como processar tantos dados e estímulos. Estamos sofrendo de fadiga de escolha. Todas as escolhas que aqueles que dizem nos governar tem sistematicamente feito, não tem ajudado a reduzir a injustiça, a violência, a opressão e a desigualdade e, em alguns casos, tem feito aumentar. A percepção deste "abandono" por parte das instituições oficiais, que estão mais preocupadas em se autogovernar e se autossustentar do que prover as necessidades – mesmo as básicas – à população que outrora nelas confiava, tem gerado uma "corrida às montanhas", uma busca de alternativas por parte de um grupo de pessoas que não irá esperar o barco afundar para depois telefonar de seu micoPhone encomendando um par de salva-vidas furado da China.

Estas pessoas estão se organizando em coletivos, movimentos, redes e grupos de afinidades através das planícies, colinas e urbes. Estão decididamente criando novas-velhas formas de se relacionar, baseadas em uma série de princípios libertários, que negam a opressão, a dominação e a hierarquia para fundar uma nova base, horizontal, colaborativa, empática e entremeada pela confiança mútua, há muito perdida na sociedade contemporânea. Este retorno a práticas ancestrais precisa ser celebrado.

Junte-se a nós no Solar das Lagartixas para um jantar e potluck comunal. No dia 22 de janeiro iremos cozinhar um jantar vegano simples, mas encorajamos outros a trazerem coisas para comer: frutas, vegetais para cozinhar ou comer crus, pães e queijos, vinhos e sucos, sobremesas ou o que desejar.

— Será um momento para compartilhar alguns momentos juntos, fora dos espaços nos quais nos encontramos sempre instrumentalizando, profissionalizando e racionalizando nosso tempo, relações, decisões e vidas.

— Um tempo para comer, falar, encontrar uma o outro, para diretamente se contrapor à fragmentação social, individualismo e solidão que vemos em qualquer lugar para o qual olhamos.

— Para nos mover em direção a nos sustentarmos coletivamente fora das nossas relações individuais com o mercado e o estado; para conquistar uma maior autonomia material coletivamente Isso significa iniciar e prosseguir com uma série de práticas e relações; ser consistente e confiável; estabelecer uma fundação forte para uma nova forma de vida. Isso é parte de uma estratégia para resistir ao que nossas vidas se tornarão se não nos organizarmos.

Nós queremos uma política que leve a sério nossa prória realidade como base para a auto-organização. Uma política que reconheça que se organizar coletivamente ao redor das nossas necessidades com amigos, camaradas, amantes, vizinhos, colegas de trabalho e membros da família se tornará a base para as nossas comunas. Nossa habilidade de sobrepujar a degradação trazida pela atual crise social, política, econômica e ambiental se dá na medida da nossa capacidade para sermos solidários e do nosso desejo em estarmos auto-organizados.

Em 2014, mostraremos que nossa capacidade de comunicação e articulação está mais vicejante do que nunca. E é só o começo.

22 de janeiro de 2014, 20 horas 
Solar das Lagartixas
Rua Sergipe, 339
Jardim das Avenidas
Araranguá – SC
(Sacola mágica estará recebendo contribuições espontâneas para a Coolmeia)

Ou em qualquer local e horário perto de você. Inspire-se: conspire!
 

Referências:

 Referências:  1. Inspiração para convite: jantar de solstício do The Base, NY - dezembro de 2013 2. BAUWENS, M. - Reestruturando a economia com a empatia em seu centro  - bclog.p2pfoundation.net/restructuring-the-economy-with-empathy-as-its-center/2013/12/29 3. Center for Building a Culture of Empathy - http://cultureofempathy.com/
Set 08

Fazendo iogurte caseiro em casa

By Rafael Reinehr | Cotidianices

Ontem/hoje fiz meu primeiro iogurte caseiro com sucesso!

Flavorizei com leite de côco e côco ralado, e ficou muito bom!

A receita? Não tem nenhum mistério: 1 litro de leite esquentado por 2 minutos mo microondas. A este leite, misturar um pote de iogurte natural cremoso em temperatura ambiente. Colocar em um pote vedado e, no meu caso, coloquei dentro de um isopor. A Sung, uma amiga, falou que alternativamente dá pra enrolar em uma toalha de mesa, que dá o mesmo efeito.

Depois de 10 horas, ainda não tinha ficado com a consistência de iogurte. O que fiz foi aquecer por mais um minuto e meio e voltei a colocar no isopor. Hoje pela manhã estava pronto.

PS: lembre-se de guardar um pouco do iogurte que você fez para "ativar" o próximo litro de leite!

Set 02

Samsara

By Rafael Reinehr | Quase Filosofia

Samsara (sânscrito-devanagari: संसार: , perambulação) pode ser descrito como o fluxo incessante de renascimentos através dos mundos.

Na maioria das tradições filosóficas da Índia, incluindo o Hinduísmo, o Budismo e o Jainismo, o ciclo de morte e renascimento é encarado como um fato natural. Esses sistemas diferem, entretanto, na terminologia com que descrevem o processo e na forma como o interpretam. A maioria das tradições observa o Samsara de forma negativa, uma condição a ser superada. Por exemplo, na escola Advaita de Vedanta hindu, o Samsara é visto como a ignorância do verdadeiro eu, Brahman, e sua alma é levada a crer na realidade do mundo temporal e fenomenal. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Samsara)

Este clip é um vídeo de 6 minutos de um filme de 100 minutos, filmado em 25 países e que explora muitos outros aspectos da experiência humana. Filmado em 70mm (!!!), é um dos poucos do gênero no mundo.

Jul 19

Coerência

By Rafael Reinehr | Quase-Idéias

'Certa vez alguém disse a Walt Whitman: "Whitman, você insiste em se contradizer; num dia você diz uma coisa, em outro dia você diz justamente o oposto.." Walt Whitman riu e disse: "Sou imenso, tenho em mim todas as contradições." Apenas mentes pequenas são coerentes e, quanto mais estreita for a mente, mais coerente ela é… Quando a mente é vasta, tudo está presente." Tao, Osho a partir de Chuang Tzu

(daqui: https://cirandas.net/fernandanagem/diario-sobre-o-mundo…./coerencia)

Pessoalmente, sou alguém muito incoerente, mas que se esforça para diminuir este "grau de incoerência". Cheguei até, no ano passado, a conceitualizar um "Mapa Coerencial", no qual poderíamos apontar e acompanhar nossas incoerências e tratar de dirimi-las, quando possível – ou aprender a lidar com elas, quando não for possível eliminá-las…

Essa reflexão, a partir de Whitman e Osho, pode quebrar algumas nozes…

circulo-de-trialogos-27
Fev 18

Círculo de Triálogos

By Rafael Reinehr | Quase-Idéias

Um triálogo é uma conversa a três. Um “diálogo a três” = triálogo.
 
Um Círculo de Triálogos é uma metologia de conversação informal para acelerar o processo para facilitar a apreciação democrática de opiniões e a tomada de decisão em coletivos, em encontros com várias pessoas e também uma maneira de aproximar membros de um grupo ou comunidade. É uma adaptação livre do método de Conversação Informal chamado World Café.
 
Apreciação democrática: em Assembléias tradicionais, geralmente apenas poucas pessoas tomam a palavra e monopolizam o tempo e o espectro de conversação. Em Círculos de Triálogos (que podem ser presenciais ou online (através do Ágora.CC, Skype, Hangouts ou outras ferramentas de conversação online), como são limitadas a três pessoas, todos tem chance de se expressarem e terem suas opiniões apreciadas.
 
O Círculo de Triálogos: 
 
Etapa 1 – Explica-se o funcionamento do Círculo de Triálogos
 
Etapa 2 – Os presentes dividem-se em grupos de três para conversarem sobre um problema ou uma questão em particular.  Pode-se determinar um tempo para esta etapa. Apenas em caso de sobrar 1 ou 2 membros, estes reunem-se em grupos de 4 ou então observam e circulam em vários grupos, se assim desejarem.
 
circulo-de-trialogos-27
 
Etapa 3 – Cada grupo elege um delegado que irá apresentar as conclusões do grupo em um “concílio” novamente com 3 membros, para nova rodada de deliberações. Todos os membros do grupo (os 9) poderão participar e se expressar, mas é desejável que um delegado fique no “vértice” do triângulo como responsável pela comunicação, a partir dos apontamentos e deliberações daquele grupo. Após um determinado tempo, este concílio chega a suas conclusões, registra-as em texto, imagens, áudio ou vídeo, escolhe um novo delegado (entre os 3 ou entre os 9) para uma próxima rodada.
 
Etapa 4 – Nova rodada de debate, incluindo o “segundo nível de delegados”, buscando sempre aperfeiçoar as conclusões, incluindo as ideias de todos os níveis de deliberação. Esta etapa e posteriores similares só serão necessárias em grupos com mais de 26 participantes. Do contrário, se pode realizar na rodada anterior, um ciclo inicial de triálogos e uma rodada de tetrálogo ou pentálogo para a deliberação final.
 
Observações importantes: é recomendável registrar, apontar, rabiscar as ideias no momento em que surgirem, para gerar um recordatório do Círculo de Triálogos. Estes apontamentos de todos os membros podem, depois, ser compartilhados em alguma ferramenta online para arquivamento e pesquisa posterior. Nem sempre haverá tempo para descrever com detalhes e granularidade todas as ideias que surgirem, então estes serão importantes para buscar, oportunamente, algum conteúdo que valha ser retomado em outros encontros.
 
Dica: também pode-se usar os Triálogos Livres como formas de ignição de ideias, para brainstorm livres em espaços e comunidades abertas à livre cooperação e co-criação. Membros  destes coletivos podem ser estimulados a espontaneamente organizarem Triálogos Livres durante a semana para, em momentos de encontros maiores, já terem algum embasamento melhor sobre uma determinada questão, e assim ajudarem no bom andamento da rede ou coletivo em questão. Isso pressupõe a presença de uma característica humana sem sempre muito abundante: a pró-atividade!

Jan 29

História do CarnavalSofia

By Rafael Reinehr | Eventos Culturais

A ideia do CarnavalSofia surgiu na manhã de 20 de fevereiro de 2009, mas o primeiro evento só foi se realizar um ano depois, no Carnaval de 2010. Na ocasião, fiz uma ligeira postagem de blog apenas para registrar a ideia.

Em 2010, efetivamente, tivemos o primeiro CarnavalSofia. Foi bem mais simples do que o planejado mas rendeu ótimos momentos de reflexão, diálogo e também companhias agradáveis, inclusive do amigo Pedro Volkmann, que se deslocou de Porto Alegre para debater sobre o TAZ – Zona Autônoma Temporária, do Hakim Bey.

O segundo CarnavalSofia, em 2011, me pegou em Florianópolis, e acabou acontecendo no apartamento da Viviane Amaral, juntamente com a Márcia Brincas e a Gisela Franco. O papo rolou solto e foi um dia muito agradável, totalmente informal e celebrativo.

Já no terceiro CarnavalSofia, em 2012, as atividades e a presença de público começaram a se tornar “sérias”: dois dias de evento, 21 e 22 de fevereiro, acontecendo no Solar das Lagartixas, com presença de pessoas de Porto Alegre, Criciúma, Araranguá, Arroio do Silva e até do Ceará. A programação se tornou mais ampla e eclética e a interação entre as pessoas mais gostosa e divertida.

Finalmente, chegamos em 2013 e ao IV CarnavalSofia. Neste ano, 5 dias de folia, reflexão e ação e uma programação de arrasar quarteirão, cheia de atividades culturais, contraculturais, de integração e celebração da vida humana.

O que o próximo ano nos espera, só o tempo dirá!

851x315-revisado
Jan 29

IV CarnavalSofia – 08 a 12 de fevereiro de 2013 – Uma folia para pensar e agir

By Rafael Reinehr | Eventos Culturais

Está chegando o CarnavalSofia 2013! Neste ano, serão 5 dias de folia e a pegada será, ao invés de libertina, libertária!

No seu quarto ano, o CarnavalSofia tem a honra de receber pessoas de Florianópolis, Criciúma, Porto Alegre e da vizinhas cidades da AMESC e AMREC. Neste ano, contaremos com a presença especial de vertov, do Centro de Inovação Social de Floripa, que será nosso oficineiro oficial e estará ministrando oficinas de rádio livre e debatendo os filmes antiautoritários conosco, no CineAvenida.

Todos os eventos são gratuitos e livres para qualquer pessoa. Basta chegar, não precisa se anunciar! Sinta-se livre (mas não constrangido) a trazer algo para beber ou comer. Sempre haverá algo para beliscar e bebericar, entretanto.

851x315-revisado

Acompanhe abaixo a programação dos 5 dias de evento e veja, ao final, o endereço dos locais do evento:

08/FEVEREIRO

19h – 21h30′ – CineAvenida: Impasse – As manifestações contra o aumento da tarifa e o debate sobre o transporte coletivo em Florianópolis – no Galpão Cultural

Após cineclube: Instalação e configuração da rádio livre, que irá funcionar durante o CarnavalSofia (e além)

09/FEVEREIRO

7h30′- 10h30′ – Mutirão Especial de Carnaval da Horta Coletvia – no Solar das Lagartixas, entrada pela Rua Maranhão, pelo portão prateado em frente à casa de número 267 – traga sua enxada ou sua boa vontade!

14h – Bate-papo sobre rádio e mídia independente – no Solar das Lagartixas

15h – Oficina de rádio livre: como ocupar este espaço – no Solar das Lagartixas

19h – 22h – CineAvenida: No olho do furacão – no Galpão Cultural

23h – Festa da Integração – comes, bebes, devires e sentires, no Solar das Lagartixas – traga sua bebida ou então cerveja na hora baratinho

10/FEVEREIRO

13h30′ – Programa Contrabando especial em rede com o rizoma de rádios livres + bate papo especial sobre o Dia da Internet Segura – transmitindo do Solar das Lagartixas

15h – FotoClube Araranguá – Saída Fotográfica + Passeio e Piquenique na Fazenda Bom Encontro, no Pontão, em Araranguá

20h – CineAvenida – La Revolucion Penguin – no Galpão Cultural

11/FEVEREIRO

10hRecital no Cemitério: música, poesia e lágrimas para saudar nossas memórias – no Cemitério Municipal

14h – Programa de Rádio CarnavalSofia Especial – com relatos do evento – transmitindo do Solar das Lagartixas

19h – 22h – CineAvenida – O Panelaço – no Galpão Cultural

12/FEVEREIRO

10h – Encerramento da Programação OU Lançamento da Rádio Livre – transmitindo do Solar das Lagartixas

14h – Summercamp da Coolmeia + Reativação do Favo Araranguá + Socialismo Libertário & Utópico 101, no Solar das Lagartixas

19h – CineAvenida: O que fazer em caso de incêndio, no Galpão Cultural

 

ENDEREÇOS IMPORTANTES:

Solar das Lagartixas: Rua Sergipe 339, Jardim das Avenidas

Galpão Cultural: Rua Turvo nº 315, Urussanguinha

Horta Coletiva: Rua Maranhão, entrada pelo portão prateado em frente à casa de nro. 267 – Jardim das Avenidas (na rua dos fundos do Solar das Lagartixas)

Cemitério Municipal, próximo ao Angeloni

 

Saiba mais sobre a história do Carnavalsofia aqui: história do carnavalsofia

Dez 13

Saude – Parte II (de VIII)

By Rafael Reinehr | Quase Filosofia

No mês passado, vimos como o termo Saúde é muito mais amplo do que um mero estado de equilíbrio emocional e físico, e uma série de “palavras” e de “estados” de vivência podem ser correlacionados a pessoas mais ou menos saudáveis. Preguiça, frugalidade, simplicidade voluntária são algumas dessas “palavras” ou escolhas que podemos fazer cotidianamente.

Hoje vamos abordar outros aspectos que, invariavelmente, estão ligados à nossa percepção de saúde. O primeiro deles são nossas relações no e com o trabalho. Faz parte do cultivo de uma situação de vida saudável a escolha de uma ocupação que realmente nos satisfaça. Confúcio dizia: “Teu único trabalho é encontrar um trabalho que realmente goste. A partir daí, não trabalharás mais nenhum dia em tua vida”.

A experiência também nos mostra que atitudes aparentemente simples de entender (mas nem sempre simples de praticar) como manter bom relacionamento com os colegas de trabalho, possuir transparência nas relações no trabalho e buscar espaços de produção criativa, de valorização do trabalho (ao invés de ater-se somente a trabalhos burocráticos ou repetitivos) estão diretamente associados a uma sensação de bem-estar e consequentemente correspondem a aumento nos níveis de qualidade de vida.

Um outro fator relevante é a nossa relação com o tempo. O que é saúde senão se ter tempo e disposição para fazer aquilo que se gosta? Um dia escrevi: “A riqueza de um ser humano é medida à justa equivalência do tempo no qual se está fazendo exatamente aquilo que se quer fazer”. Se julgarmos correta essa asserção, ela demonstra o quão é importante o nosso zelo em relação ao bom uso do tempo (finito) que temos disponível a cada dia, semana, mês, ano, vida… Tempo, mais ainda do que dinheiro, é Saúde…

Nossa Espiritualidade está também diretamente associada a como nos sentimos em relação a nós mesmos, aos outros e à Natureza. Saber lidar com a intuição, perceber o sofrimento, o medo e a angústia e o desconhecido como partes inerentes à nossa humanidade e aprender a lidar com isso, a partir do autoconhecimento e da nossa ligação com algo maior do que nós – que pode ser chamado de Deus, divindade, Natureza ou como quer que o chamemos – pode se transformar em algo acolhedor e reconfortante, nos trazendo, assim, saúde.

Uma palavra que dificilmente se vê associada ao conceito de Saúde é “consenso”. Entretanto, quando não há consenso, é difícil haver saúde. Quando não há consenso, há um lado vencedor e um lado vencido, há sofrimento, portanto dor, logo, ausência de saúde. Mesmo o lado vencedor permanece com a consciência de que existiu um perdedor, o que gera angústia, mesmo que inconsciente.

No próximo mês desvendaremos como palavras e expressões como Sustentabilidade, Resiliência, Felicidade, Parar de Buscar, Impermanência e Viver o Presente podem significar, para muitos, ser saudável.

Até lá.

 

Outros artigos da série “Saúde”: