Category Archives for "Quase-Idéias"

vazio
jul 06

Patologias do Vazio

By Rafael Reinehr | Quase-Idéias

vazioOntem fomos, Carol e eu assistir à um colóquio na sala 160 do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, acerca das patologias do vazio, enfermidades que só agora os psicanalistas estão começando a se instrumentalizar para tratar, já que, por muito tempo, seus portadores eram considerados casos difíceis ou resistentes.

Um exemplo de uma estas “patologias” diz respeito ao ideal narcisita que transfere, na atual sociedade da performance, do estresse e do consumo, para os objetos (bens materiais) a sua identificação, buscando assim isolar a solidão/frustração advinda da relação com o Outro. Para o narcisista, é infinitamente melhor se relacionar com o objeto do que com o Outro, já que este último nunca se pode controlar totalmente.

Essa percepção vai muito mais além do fato de “ir às compras” quando estamos ansiosos. Significa uma estrutura básica de alguns indivíduos e cada vez mais presente não só na sociedade mas também nos consultórios psiquiátricos e psicológicos já que, ao tentar estabelecer com o Outro a relação que se estabelece com a “coisa”, com o “objeto”, uma relação de poder e de querer exigir sempre a perfeição (como fazemos com um produto que adquirimos e, imaginamos, temos o direito de tê-lo funcionando “conforme a garantia”), acabamos por gerar frustração em nós mesmos e no Outro. O sofrimento advindo deste “mau encontro” é um prato cheio para os psicanalistas, temos que convir.

# # #

O colóquio, apesar de não focar diretamente neste assunto, me fez dar um estalo: preciso “voltar às metáforas”. A criação artística e literária que sempre caracterizou minha essência estão deixadas severamente de lado pelos compromissos assumidos atualmente, e isso não é bom. De volta às metáforas, então.

jan 03

Entrevistas

By Rafael Reinehr | Quase-Idéias

    Dois mil e oito vai trazer uma série de Entrevistas para esta casa. Ainda não sei quem vou entrevistar, mas a forma de fazê-lo, já sei: uma série de dez "perguntas" com 3 itens cada. Veja abaixo (ATENÇÃO: ISTO NÃO É UM MEME!)

 

 

3 perguntas para as quais você não tem resposta

3 livros que você leu e recomenda

3 músicas que fazem a trilha sonora da sua vida

3 filmes para serem vistos e revistos

3 lugares inesquecíveis que visitou

3 pratos de dar água na boca

3 pessoas que ajudaram a fazer você quem você é

3 metas para os próximos anos

3 arrependimentos que você tentaria não repetir

3 pontinhos para você falar o que quiser

 

    Começo….   ….assim que me organizar. Alguma sugestão para o primeiro entrevistado?

 

Aparador
out 04

Campanha "Ponha Um Livro no Seu Consultório"

By Rafael Reinehr | Quase-Idéias

    Toda vez que vamos a algum consultório médico, psicológico, dentário, fisioterapêutico, etc, além do cafezinho e da água temos a nosso dispor um punhado de revistas, geralmente de mês passado (senão mas velhas) para que passemos o tempo enquanto esperamos nossa vez.

    Lá no meu consultório é diferente: nada de revistas! Tudo que você encontra são livros e panfletos informativos acerca das enfermidades da minha área de especialização e de minha esposa (Endocrinologia e Psicologia, respectivamente).

    É claro que ninguém pensaria em colocar O Nome da Rosa, do Umberto Eco, à disposição para leitura, mas livros de contos, narrativas curtas ou poesias sempre são bem-vindos. Além de estimular a leitura por parte de nossos amados pacientes, acabamos por incrementar o mercado editorial brasileiro, pois a cada 3 ou 4 meses podemos estar substituindo os livros oferecidos.

    Vejam a foto do nosso aparador com os livros que estamos disponibilizando atualmente:

Aparador

 

O Homem que Calculava, Malba Tahan

Histórias Fantásticas, Adolfo Bioy Casares

Café dos Confrades – Crônicas, Vários Autores

O Maquinista Daltônico – Crônicas e Poesias, Vários Autores

Do Bestial ao Genial – Frases da Política, Paulo e André Buschbaum 

Livros

Aparador
out 04

Campanha “Ponha Um Livro no Seu Consultório”

By Rafael Reinehr | Quase-Idéias

    Toda vez que vamos a algum consultório médico, psicológico, dentário, fisioterapêutico, etc, além do cafezinho e da água temos a nosso dispor um punhado de revistas, geralmente de mês passado (senão mas velhas) para que passemos o tempo enquanto esperamos nossa vez.

    Lá no meu consultório é diferente: nada de revistas! Tudo que você encontra são livros e panfletos informativos acerca das enfermidades da minha área de especialização e de minha esposa (Endocrinologia e Psicologia, respectivamente).

    É claro que ninguém pensaria em colocar O Nome da Rosa, do Umberto Eco, à disposição para leitura, mas livros de contos, narrativas curtas ou poesias sempre são bem-vindos. Além de estimular a leitura por parte de nossos amados pacientes, acabamos por incrementar o mercado editorial brasileiro, pois a cada 3 ou 4 meses podemos estar substituindo os livros oferecidos.

    Vejam a foto do nosso aparador com os livros que estamos disponibilizando atualmente:

Aparador

 

O Homem que Calculava, Malba Tahan

Histórias Fantásticas, Adolfo Bioy Casares

Café dos Confrades – Crônicas, Vários Autores

O Maquinista Daltônico – Crônicas e Poesias, Vários Autores

Do Bestial ao Genial – Frases da Política, Paulo e André Buschbaum 

Livros