Hagar

Múltiplas funções

HagarRagah está sentado em um bar, com a cabeça baixa e as mãos na testa, lamuriando para seu amigo:

– Estou com um problemão em casa.

– Já pensou em procurar um conselheiro sentimental?

– Um conselheiro sentimental conserta telhados?

(Esta falácia lógica, em que o amigo supõe incorretamente a partir dos dados que se apresentam, que Ragah está com problemas matrimoniais, mas na verdade só precisa consertar o telhado quebrado, foi-me lembrada hoje pelo nobre colega Carlos, cardiologista em Sombrio-SC. Segundo ele, é uma tirinha de Hagar, o Horrível, de Dick Browne, daí o nome do personagem da historieta acima).

Pilhas de Livros

Troca de livros

Pilhas de Livros– Amélia, li esses dias um livro maravilhoso. Você tem que ler!

– É mesmo? Sobre o que trata?

– É um livro com dicas fantásticas para melhorar a memorização. Assim que eu lembrar onde está, eu te empresto!

– Ai, obrigada Marta! Também tenho um livro para lhe emprestar!

– É mesmo? Sobre o que fala?

– É um livro suuuuuperprático, útil e impressionantemente eficaz sobre organização do espaço de trabalho… Deixa só eu achar ele aqui na mesa…

– Hummm…

– Deixa ver aqui na gaveta…

-Hummmmmm…

– Acho que está ali atrás daquela pilha de papéis…

-Hummmmmmmmmm…

Ricardio, o cardiologista

Ricardio tinha um sonho: cuidar do coração da população. Estudou, cresceu, passou na faculdade de Medicina. Fez residência, se especializou, se tornou cardiologista. No dia da inauguração do seu consultório, morreu de enfisema. 

   
   

Perseguição (um miniconto psicodélico)

Um caça seguia outro entre desfiladeiros cada vez mais estreitos. A largura entre os rochedos ia diminuindo à medida em que a perseguição continuava. Largura de uma porta, de uma almofada, de um pequeno livro, de uma caixa de fósforos, de um fino esparadrapo, de um alfinete até que, de súbito, o combustível do segundo caça acabou.

Filme queimado

Precisava revelar logo aquelas fotos para entregar ao marido traído. Ia me render uma boa bufunfa. Finalmente, a aposentadoria. Só não podia ter esquecido o gás aceso na cozinha enquanto fui tomar banho.