Category Archives for "Andropausa e DAEM"

on-off
Jul 23

Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM) e Disfunção Erétil (Impotência)

By Rafael Reinehr | Andropausa e DAEM

Entre o dia 28 e 31 de julho, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Santa Catarina estará promovendo a Campanha de Esclarecimento sobre Doenças da Andrologia, através da Semana da Saúde Masculina.

O objetivo da Campanha é orientar a parcela mais descuidada da população brasileira – os homens – acerca de enfermidades endocrinológicas que podem ser melhor cuidadas se diagnosticadas precocemente, como a DAEM e a Disfunção erétil.

DAEM é o nome atual para Andropausa, termos este cada vez mais em desuso, e significa Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino, e decorre da deficiência de testosterona na corrente sangüínea.

A testosterona é o mais importante dos hormônios sexuais do homem, também conhecido como andrógeno ou androgênio. É produzida principalmente pelos testículos e tem funções importantíssimas no corpo do homem tais quais:
 

  • Na sexualidade e na reprodução: estimula a libido (desejo sexual) e a qualidade e a freqüência dos orgasmos, além de ser fundamental para que haja uma ereção sustentada.

  • Na musculatura: auxilia na síntese de proteínas e aumenta a massa muscular

  • Na produção de sangue: estimula a medula óssea, aumentando o número de glóbulos vermelhos e a concentração de hemoglobina, partícula que carrega o oxigênio

  • No cérebro: tem efeitos benéficos sobre o desempenho mental, sensação de bem-estar geral e bom humor.

on-offGeralmente a testosterona começa a diminuir no corpo do homem a partir da quarta década de vida, estimando-se uma queda de 1% ao ano. Quedas mais acentuadas podem levar ao DAEM, cujos principais sinais e sintomas seguem:

Ossos: perda de densidade óssea, levando à possível osteoporose, dor nas articulações e fraturas

Cognitivos: desânimo, menor agilidade mental, diminuição da atenção, alterações do estado de ânimo e humor

Função sexual: diminuição da libido e disfunção erétil (impotência)

Composição e força muscular: diminuição da massa muscular e aumento da gordura corporal (especialmente no abdômen) e diminuição da força

Pele: ressecamento

Anemia: levando a cansaço crônico e prejuízo da atividade física e intelectual

Um dos sintomas que efetivamente mais trazem os homens aos consultórios dos urologistas e endocrinologistas é a disfunção erétil. Por disfunção erétil entende-se a dificuldade em obter e manter uma ereção suficiente para a realização satisfatória do ato sexual. Sempre precisamos lembrar que falhas eventuais podem acontecer por cansaço, preocupação ou falta de atração sexual, não configurando-se em doença. Entretanto, se estas falhas forem regulares e repetidas, devem ser avaliadas e provavelmente necessitarão de tratamento.

Para verificar se você tem Disfunção Erétil, uma maneira prática é responder o questionário “Sexual Health Inventory for Men – SHIM”( Índice Internacional de Função Erétil – versão reduzida). Um resultado inferior a 21 já pode significar uma leve disfunção erétil. Clique aqui para fazer o teste e saber como anda sua função erétil.

Para saber mais sobre a Campanha, acesse a página da SBEM-SC.

Jul 23

Como saber se tenho Disfunção Erétil? Índice Internacional de Função Erétil – versão reduzida

By Rafael Reinehr | Andropausa e DAEM

O questionário a seguir serve para avaliar sua saúde sexual e determinar se você possui dificuldade de ereção. Cada pergunta tem 5 ou 6 respostas, escolha aquela que melhor descreve a situação em que você se encontra. Depois, some os pontos relativos ao número de cada questão. Ao final, verifique se você têm disfunção erétil e qual é o grau.

Escolha somente uma resposta para cada uma das perguntas abaixo. Durante os últimos 6 meses:

 

  1. Como você classifica sua confiança em manter uma ereção?

1. Muito baixa

2. Baixa

3. Moderada

4. Alta

5. Muito alta

  1. Quando você tem ereções com estímulo sexual, com que freqüência suas ereções atingem a rigidez para penetração (penetrar sua parceira)?

0. Sem atividade sexual nos últimos 6 meses

1. Quase nunca ou nunca

2. Poucas vezes (muito menos que a metade das vezes)

3. Algumas vezes (cerca de metade das vezes)

4. A maioria das vezes (muito mais que a metade)

5. Quase sempre ou sempre

  1. Durante a relação sexual, com que freqüência você conseguiu manter sua ereção após ter penetrado sua parceira?

0. Sem atividade sexual nos últimos 6 meses

1. Quase nunca ou nunca

2. Poucas vezes (muito menos que a metade das vezes)

3. Algumas vezes (cerca de metade das vezes)

4. A maioria das vezes (muito mais que a metade)

5. Quase sempre ou sempre

  1. Durante a relação sexual, qual o nível de dificuldade para manter sua ereção até o final da relação sexual?

0. Sem atividade sexual nos últimos 6 meses

1. Extremamente difícil

2. Muito difícil

3. Difícil

4. Pouco difícil

5. Nada difícil

  1. Quando você teve a relação sexual, com que freqüência ela foi satisfatória para você?

0. Sem atividade sexual nos últimos 6 meses

1. Quase nunca ou nunca

2. Poucas vezes (muito menos que a metade das vezes)

3. Algumas vezes (cerca de metade das vezes)

4. A maioria das vezes (muito mais que a metade)

5. Quase sempre ou sempre


22 a 25 pontos – Ausência de disfunção erétil

17 a 21 pontos – Disfunção erétil leve

12 a 16 pontos – Dinfunção erétil de leve a moderada

8 a 11 pontos – Disfunção erétil moderada

1 a 7 pontos – Disfunção erétil severa

 

Fonte: Rosen RC, Cappelleri JC, Smith MD, Lipsky J, Pena BM. Development and evaluation of an abridged, 5-item version of the International Index of Erectile Function (IIEF-5) as a diagnostic tool for erectile dysfunction. Int J Impot Res 1999; 11:319-26