Category Archives for "Nutrição"

Sushi e comida japonesa
Jul 26

Calorias da Comida Japonesa: Quantas Calorias tem um Sushi e um Sashimi?

By rafaelreinehr | Medicina e Saúde , Nutrição

Hoje comecei a preparar uma Tabela de Calorias específica da Comida Japonesa. Muitos pacientes me perguntam se podem comer sushi e sashimi e mesmo assim seguir com sua dieta e emagrecer. A resposta não é simples. Depende.

A Culinária Japonesa e suas delícias

A culinária japonesa é repleta de alimentos pouco calóricos e saudáveis, mas também contém algumas armadilhas importantes escondidas nas friturinhas e nas massas como no guioza, no tempurá, nos hot rolls, alguns temakis, no tepan, no saquê e inclusive no shoyu!

Em função disso, e a pedido de uma paciente, comecei a pesquisar em várias fontes sobre as kcal contidas nesta culinária.

Como escrevi para meus pacientes do 7P – Programa de Emagrecimento Sustentável em 7 Passos, no nosso Grupo PMZ do Face (PMZ é o equivalente a VIP, e quer dizer Pessoas Muito Zen – ou a caminho, assim espero!):

“A internet é, ao mesmo tempo, uma dádiva e uma maldição. Se não tivermos um olhar crítico sobre as informações que absorvermos e não buscarmos fontes confiáveis para nos iluminar, acabamos aceitando e até reproduzindo informações inverídicas que podem fazer mal a nós mesmos, a pessoas queridas e mesmo a desconhecido.”

Então, assim que a Tabela estiver pronta, com informações comprovadas em fontes confiáveis, estarei postando-a por aqui, exatamente neste post.

A tabela de calorias da Unicamp

Neste ínterim, aproveitem para apreciar a TACO – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, criada pela UNICAMP.

Humano ou Capitalista
Set 24

Pro-Ana e Pro-Mia – o paradigma da Anorexia e da Bulimia

By Rafael Reinehr | Nutrição

Humano ou CapitalistaBelo ou Bizarro Com alguma freqüência, vejo no Blogverso alguns blogueiros realizando críticas a meninas e mulheres anoréxicas. Uso aqui a distinção de gênero no feminino devido à esmagadora maioria de mulheres apresentando anorexia nervosa. A crítica em geral se dá monótonamente: "Como podem ser tão burras? Não enxergam que estão se matando? Que estupidez o que fazem…"

Como médico endocrinologista, preciso fazer um alerta: muitas vezes reações de desprezo ou indignação traduzem uma coisa só: incompreensão. Não quero dizer com isso que não compartilho com o sentimento de estupefactação frente à anorexia e à bulimia, que até hoje desafiam a Medicina, que não consegue tratar adequadamente todos os casos. Quero dizer apenas que tanto uma quanto outra devem ser melhor vistas como ENFERMIDADES e a pessoa afetada como ENFERMA, ou seja, alguém que precisa ser cuidado, não criticado.

A crítica é tão somente um tapa no vazio. Precisamos encontrar formas de reduzir a incidência destas enfermidades. O primeiro passo é valorizar menos a noção estética (e efêmera) de beleza que hoje é a tônica na televisão, na escola, nos relacionamentos. Somente aí poderemos começar a pensar em mudar o atual paradigma das MIAs e ANAs do mundo.

Fica a pergunta: Belo ou Bizarro? Humano ou Capitalista?

Anuncie