Category Archives for "Medicina e Saúde"

jun 01

Tópicos variados em Diabetes

By Rafael Reinehr | Diabetes

    O que é o pré-diabetes?

    O pré-diabetes ocorre quando os níveis de glicose em jejum encontram-se entre 100 e 125mg/dl no sangue ou entre 140 e 199mg/dl após um teste de tolerância oral à glicose com 75g de dextrose. É um estado intermediário entre o metabolismo normal e o diabetes, em que o corpo já apresenta sinais de insuficiência relativa da função do pâncreas, que não consegue produzir a quantidade suficiente de insulina exigida pelo corpo, quer seja por causa da obesidade, sedentarismo, alimentação incorreta, envelhecimento ou fatores genéticos. Se não tratado com dieta e exercícios físicos, evolui para o diabetes. Se tratado adequadamente, com dieta específica e pelo menos 150 minutos de exercícios semanais, tem uma redução de 58% na chance de vir a ser diabético. Para saber se temos pré-diabetes, um simples exame de sangue já nos informa isso. Entretanto, alguns fatores de risco já nos alertam sobre a possibilidade de presença do mesmo: estar muito acima do peso, não fazer exercícios físicos, ter mais de 45 anos, colesterol alto, hipertensão, ovários policísticos ou ter tido diabetes gestacional. Alerta: de 10 a 25% dos adultos têm pré-diabetes!

    Chá de insulina faz bem para o diabetes?

    O chá de insulina, assim como tantos outros chás milagrosos que andam por aí que prometem a cura do diabete não apresentam, ainda, fundamentação científica e, muitas vezes, podem até fazer mal. O que ajuda a reduzir o açúcar no sangue de um diabético é o líquido que ele ingere. Uma boa hidratação é capaz de diluir a glicose e levar à eliminação da mesma através dos rins, já que a glicose vai embora pela urina levando junto a água. Acontece que, em nenhum momento somente o chá ou a hidratação são capazes de trazer um bom controle do diabetes, que necessita sempre de uma dieta adequada, realização de exercícios físicos e, no caso de falta comprovada de insulina ou resistência a esta, uso de medicações ou até insulina injetável ou inalada. Sempre é bom lembrar que os chás, como qualquer fitoterápico assim como qualquer medicação têm uma dose máxima permitida, e o seu uso em excesso pode levar a sérios efeitos adversos e até a risco de morte. 

    Salacia oblonga e diabetes 

    A Salacia oblonga é uma erva usada na Medicina tradicional da Índia que reduz os níveis de glicose e insulina no sangue; estudos preliminares mostram que a substância da erva se liga a enzimas intestinais responsáveis por transformar carboidrato em glicose, não permitindo, portanto, o aumento dos níveis de açúcar no sangue e, de lambuja, os níveis de insulina no sangue também caem, favorecendo, em teoria, a perda de peso. Na dose de 1000mg de um extrato da erva, houve uma queda de 23% nas taxas de glicose e de 29% nas de insulina. Entretanto, recomenda-se aguardar estudos posteriores para confirmar sua eficácia e verificar seus possíveis efeitos adversos. 

 

Anuncie
maio 25

Rimonabant: pílula definitiva para emagrecer?

By Rafael Reinehr | Novo Medicamento

O Rimonabant (Acomplia) é uma droga anorexígena anti-obesidade. É um antagonista do receptor do canabinóide CB1. Sua forma principal de ação é a redução no apetite. Rimonabant é o primeiro bloquador seletivo do receptor CB1 a ser aprovado em qualquer lugar para o uso no mundo. Na Europa, indica-se para o uso conjuntamente com a dieta e o exercício para pacientes com um índice da massa corporal (IMC) maior que 30 kg/m², ou em pacientes um IMC maior que 27 kg/m² com fatores de risco associados, tais como diabetes tipo 2 ou dislipidemia. No Reino Unido, está disponível desde o fim de julho 2006. No Brasil, está previsto seu lançamento para o final de julho de 2007. (…)

Além dos efeitos benéficos na redução de peso (em artigo publicado na revista científica The Lancet mostra que as pessoas que ingeriram o remédio perderam em média 8,6 quilos em um ano. A substância consegue impedir a compulsão por comida e por conseqüência, reduzir o peso e as doenças cardíacas.

O estudo foi feito com 1.507 pessoas obesas ou acima do peso na Europa e nos Estados Unidos, sendo que 920 pessoas concluíram o tratamento em um ano e reduziram em média 8,5 cm da cintura. Todos os participantes tiveram que cortar 600 calorias de sua dieta diária. (…)

 

Continue lendo

maio 18

Obesidade: a Epidemia dos Tempos Modernos

By Rafael Reinehr | Obesidade

A Obesidade, até há bem pouco tempo, passava despercebida entre a vasta gama de enfermidades que assolam o ser humano. Isso porque, até muito recentemente, era encarada como sinal de personalidade fraca, combinação de glutonice e maus cuidados com o próprio corpo. A relutância da própria Medicina em encarar a Obesidade como doença levou a uma demora na identificação de métodos eficazes para o seu controle. Tanto demorou que hoje vivemos uma epidemia, na qual cerca de 40% da população adulta brasileira apresenta sobrepeso e um terço (33%) é obesa. Nos Estados Unidos a situação é ainda pior: lá, 65% dos adultos são obesos ou têm sobrepeso e 18% têm obesidade mórbida.

Mas se consideramos a Obesidade uma doença, por que isso ocorre? Basicamente porque a presença de obesidade está associada ao surgimento em maior freqüência de uma série de enfermidades, como a hipertensão, o diabete melito, infarto do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais (derrames), gota, câncer de útero, osteoartrose de quadril, joelhos e tornozelos, cálculos na vesícula, varizes, cálculos renais, câncer de mama, irregularidades menstruais, excesso de pêlos e também infertilidade e morte prematura.

O que mudou nos últimos anos? Passou-se de uma visão permissiva para uma mais intromissiva no que tange a Obesidade. Sabe-se que praticamente a totalidade dos pacientes obesos apresentam algum transtorno do humor, quer seja o humor deprimido levando ao sedentarismo e a pouca busca por atividade física saudável e necessária, ou a ansiedade, associada a hábitos alimentares compulsivos e outros comportamentos auto-destrutivos. 

Continue lendo

maio 15

Os Médicos chegaram ao fundo do poço sem fundo

By Rafael Reinehr | Acordando com a Adrenal

Transcrevo a seguir um e-mail que recebi através da lista de discussão da minha turma da faculdade de Medicina. Publico porque me identifiquei deveras com seu conteúdo. Críticas vazias serão desconsideradas. Pontos de vista alternativos serão aceitos, mas de preferência por parte de quem conhece a realidade médica no país hoje.

 

" O "Diário de Natal" publicou uma carta patética sobre o aviltamento da

profissão médica, caracterizado pela desvalorização do "Coeficiente de

Honorários" em 308% nos últimos nove anos, o que representa um decréscimo no

valor recebido pelos profissionais, se calculado em dólar, em 351%.

O documento, mais que uma reclamação, uma seríssima denúncia do ponto a que

chegaram os médicos, grande parte dos quais à beira da insolvência

financeira, leva assinatura do Dr. Paulo Ezequiel, funcionário das

Secretaria de Saúde Municipal e Estadual, no Rio Grande do Norte, e que

recebeu a imediata solidariedade de outros nove médicos da rede Estadual,

que também é a carta aberta.

A repercussão foi tão grande, que por conta própria médicos do Brasil

inteiro passaram a retransmitir a carta para colegas e amigos, via e-mail.

É a seguinte a íntegra do documento:"

Continue lendo

Anuncie
maio 11

Disfunções da Tireóide: o Hipertireoidismo

By Rafael Reinehr | Tireóide

O hipertireoidismo ocorre quando a glândula tireóide, localizada na região anterior do pescoço, produz em quantidades excessivas os hormônios T3 ou T4.
Em sua forma suave ou inicial, o hipertireoidismo pode não causar sintomas ou apenas causar sintomas não específicos, como sensação de desconforto, fraqueza e cansaço. Entretanto, na sua forma grave, se não tratada, pode levar inclusive à morte da pessoa.
Geralmente, há aumento no tamanho da tireóide ou surgimento de um ou mais nódulos, e os sintomas apresentados são:
– aceleração dos batimentos cardíacos, mais de 100 por minuto (chamada taquicardia);
– irregularidade no ritmo cardíaco, principalmente em pacientes com mais de 60 anos;
– nervosismo, ansiedade e irritação;
– mãos trêmulas e com muito suor;
– perda de apetite;
– intolerância a temperaturas quentes e probabilidade de aumento da sudorese;
– queda de cabelo e/ou fraqueza do couro cabeludo;
– rápido crescimento das unhas, com tendência à descamação das mesmas;
– fraqueza nos músculos, especialmente nos braços e coxas;
– intestino solto;
– perda de peso importante;
– alterações no período menstrual;
– aumento da probabilidade de aborto;
– olhar fixo;
– protusão dos olhos, com ou sem visão dupla (em pacientes com a Doença de Graves);
– acelerada perda de cálcio dos ossos, com aumento do risco de osteoporose e fraturas.

Continue lendo

maio 04

Crescer bem para virar gente grande

By Rafael Reinehr | Crescimento

    Crescer é uma característica básica da vida. Enquanto algumas crianças crescem normalmente, outras apresentam dificuldades que devem ser investigadas e tratadas. O crescimento humano pode ser dividido em 6 fases:

Fetal – os 9 meses dentro do útero materno
Lactante – do nascimento ao primeiro ano
Primeira Infância – de 1 a 3 anos
Segunda Infância – de 3 a 10 anos
Puberdade – de 10 a 14 anos (dependendo do sexo da criança)
Adolescência – por volta dos 14 aos 18 anos
    Em cada fase, existe uma diferente velocidade de crescimento, que pode estar adequada, exagerada ou lentificada. Em alguns casos, o crescimento acelerado ou muito lento pode ser passageiro e normal. Já em outros, reflete algum tipo de doença que deve ser diagnosticada precocemente para garantir um tratamento eficaz e sem complicações para a criança.
    Mas o que nos faz crescer? Essa resposta não é simples, já que uma série de fatores influenciam no nosso crescimento. São eles os fatores hormonais, nutricionais, a atividade física, o sono e, é claro, nossa herança genética.
    A má nutrição, assim como uso de drogas como fumo e álcool (por vezes difíceis de detectar em jovens), o estresse crônico derivado de maus tratos emocionais e físicos por parte de pais ou cuidadores e a falta de exercício físico ou um sono inadequado são todos fatores que apresentam um impacto severo no crescimento, na saúde e no bem-estar de um jovem ou criança…

 

Continue lendo

jul 10

I Endo Sul – Gramado 2006

By Rafael Reinehr | Acordando com a Adrenal

    De 6 a 9 de julho de 2006 aconteceu em Gramado-RS o I Endo Sul – Congresso de Endocrinologia da Região Sul, juntamente com o XII Encontro Gaúcho de Diabetes e o IV Simpósio de Obesidade do Mercosul. Foram quatro dias com uma programação repleta de temas relevantes à endocrinologia clínica e, nos dias em que haviam palestras em horários coincidentes foi difícil decidir qual delas assistir.

    Além do aspecto científico do meeting, sempre é bom rever amigos, colegas e professores que a vida leva para longe e que novamente traz para perto nestas ocasiões.

    Novas medicações, abordagens alternativas para velhas patologias, novas formas de encarar determinadas enfermidades e uma excelente revisão daquilo que não podemos nunca esquecer se quisermos cuidar bem dos nossos pacientes.

    Em breve estarei começando, aqui no reinehr.org, a criar subseções onde tratarei, de forma acessível ao público leigo mas de forma adequadamente científica, temas significativos da Endocrinologia. Tão cedo seja possível realizar uma seleção dos temas e uma revisão dos assuntos a serem abordados, publicarei os artigos aqui, na Seção Medicina.

 

Continue lendo

1 4 5 6