Category Archives for "Tireóide"

Propiltiouracil
jul 02

Onde comprar Propiltiouracil? – Propiltiouracila em falta no mercado

By Rafael Reinehr | Tireóide

Doutor, não estou encontrando Propiltiouracil, o que faço?

PropiltiouracilEsta pergunta tem sido freqüente em meu consultório nas últimas semanas. Esta medicação, muito utilizada no tratamento do hipertireoidismo, é a droga de escolha no tratamento da doença em gestantes, já que a passagem do fármaco pela placenta pode ser considerada desprezível, ou seja, praticamente zero.

A única outra medicação disponível no mercado para o tratamento do hipertireoidismo, o metimazol, deve ser evitada pois uma pequena quantidade efetivamente passa a barreira placentária, podendo provocar hipotireoidismo no bebê. Como médico endocrinologista, é claro que saberei levar esta situação de forma controlada, mas não sem que antes a situação tenha gerado grande dúvida e estresse para a mãe e a família.

Fico abismado quando, em pleno ano de 2008, coisas como essa acontecem. Não sei ainda o real motivo que fez faltar a medicação, e talvez não chegue nunca a saber a real causa desta falta mas o que sei é que a Pfizer, empresa atual responsável pela fabricação do produto poderia ter mais consideração com os endocrinologistas e, gigante que é, informar antecipadamente acerca da possibilidade de diminuição da oferta já que existe uma demanda constante pela medicação, utilizada por todas as gestantes com hipertireoidismo no Brasil.

Já é o segundo sumiço repentino de medicação que acontece nos últimos 8 meses, pois em novembro do ano passado a Pfizer retirou espontaneamente do mercado a insulina inalatória Exubera, de uma forma que também não foi devidamente esclarecida.

Tenho bom relacionamento com o laboratório farmacêutico, através da figura de seus representantes e gerentes mas confesso que, como médico, me sinto deixado ao léu quando coisas assim acontecem. Vamos aguardar os “próximos capítulos”. Quem sabe um esclarecimento justo venha a soprar a névoa que se assoma sobre a situação.

 

Anuncie

Tireóide
maio 20

Campanha de Esclarecimento Sobre Doenças de Tireóide

By Rafael Reinehr | Tireóide

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Regional de Santa Catarina promove durante o mês de maio, a Campanha de Esclarecimento sobre Doenças da Tireóide, através da Semana da Tireóide, de 19 a 25 de maio.

A Tireóide é uma glândula localizada no pescoço, que produz dois hormônios – T3 e T4 – de fundamental importância para o nosso organismo. Estes hormônios agem como combustíveis, interferindo no funcionamento adequado de órgãos importantes: cérebro, coração, rins, fígado, pele, além de estarem relacionados ao controle da temperatura, reprodução, padrão de sono e inclusive estado de humor.

Desta forma, doenças da tireóide, levando ao excesso ou falta de hormônios tireoideanos (Hipertireoidismo e Hipotireoidismo, respectivamente), bem como a presença de nódulos na glândula, têm repercussões importantes sobre o nosso organismo, necessitando de tratamento especializado.

O objetivo da campanha é informar sobre a importância da glândula tireóide em todas as fases da vida (da criança ao idoso, gestantes…), bem como alertar para os sintomas relacionados às doenças que ela pode apresentar, para diagnóstico e tratamento endocrinológico precoces.

CONHEÇA MAIS SOBRE A TIREÓIDE

Alguns sintomas do hipotireoidismo:

– Depressão

– Desaceleração dos batimentos cardíacos

– Intestino preso

– Menstruação irregular

– Diminuição da memória

– Cansaço excessivo

– Dores musculares

– Sonolência excessiva

– Pele seca

– Queda de cabelo

– Ganho de peso

– Aumento do colesterol no sangue

Alguns sintomas de hipertireoidismo:

– Dificuldade de dormir

– Aceleração dos batimentos cardíacos

– Intestino solto

– Agitação

– Muita energia, apesar de muito cansaço

– Queda de cabelos

– Calor e suor exagerado.

– Menstruação irregular

A causa mais comum do Hipotireoidismo é uma doença auto-imune (em que o próprio corpo produz anticorpos que agridem a tireóide) desenvolvendo um quadro inflamatório conhecido como Tireoidite de Hashimoto; também pode acontecer por retirada cirúrgica da glândula ou tratamento com iodoradioativo. Algumas crianças nascem com hipotireoidismo porque não têm a tireóide ou porque a mesma não funciona bem. O popular teste do Pezinho faz o diagnóstico e a criança deve ser tratada o mais rápido possível. O tratamento é para a vida toda.

A causa mais comum do Hipertireoidismo também é uma doença auto-imune, chamada Doença de Graves, em que a tireóide é estimulada a produzir hormônio em excesso. Outra doença da tireóide chamada Bócio Multinodular Tóxico também pode levar a produção de excesso de hormônios.

Dados Estatísticos

Cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos e em torno de 20% das que têm acima de 60 anos manifestam algum problema na tireóide. Porém é importante estar atento, pois todas as pessoas, independente de sexo e idade, estão sujeitas a alterações desta glândula.

Algumas estatísticas demonstram que 1 em cada 5 mulheres que procuram seus ginecologistas para iniciar a terapia de reposição estrogênica na menopausa apresentam problemas tireoidianos.

Tireóide: auto-exame

Os sintomas descritos anteriormente podem ser acompanhados ou não de alterações na forma da tireóide, como aumento de volume ou a presença de nódulos. Estes achados podem ser pesquisados em um auto-exame. Veja como fazê-lo:

O material necessário: Copo com água e um espelho (se possível, de cabo).

1. Segure o espelho e procure no seu pescoço a região logo abaixo do Pomo de Adão (popularmente conhecido como gogó). Sua tireóide está localizada aí.

2. Estenda a cabeça para trás para que esta região fique mais exposta. Focalize-a pelo espelho.

3. Beba um gole de água e engula.

4. Com o ato de engolir, a tiróide sobe e desce. Observe se há alguma protrusão ou nódulos na sua tiróide. Atenção: Não confunda a tireóide com seu Pomo de Adão. Repita este teste várias vezes até ter certeza.

5. Ao notar protrusões, procure seu Endocrinologista.

Fonte: Assessoria de Imprensa SBEM-SC

Anuncie

Anuncie
maio 11

Disfunções da Tireóide: o Hipertireoidismo

By Rafael Reinehr | Tireóide

O hipertireoidismo ocorre quando a glândula tireóide, localizada na região anterior do pescoço, produz em quantidades excessivas os hormônios T3 ou T4.
Em sua forma suave ou inicial, o hipertireoidismo pode não causar sintomas ou apenas causar sintomas não específicos, como sensação de desconforto, fraqueza e cansaço. Entretanto, na sua forma grave, se não tratada, pode levar inclusive à morte da pessoa.
Geralmente, há aumento no tamanho da tireóide ou surgimento de um ou mais nódulos, e os sintomas apresentados são:
– aceleração dos batimentos cardíacos, mais de 100 por minuto (chamada taquicardia);
– irregularidade no ritmo cardíaco, principalmente em pacientes com mais de 60 anos;
– nervosismo, ansiedade e irritação;
– mãos trêmulas e com muito suor;
– perda de apetite;
– intolerância a temperaturas quentes e probabilidade de aumento da sudorese;
– queda de cabelo e/ou fraqueza do couro cabeludo;
– rápido crescimento das unhas, com tendência à descamação das mesmas;
– fraqueza nos músculos, especialmente nos braços e coxas;
– intestino solto;
– perda de peso importante;
– alterações no período menstrual;
– aumento da probabilidade de aborto;
– olhar fixo;
– protusão dos olhos, com ou sem visão dupla (em pacientes com a Doença de Graves);
– acelerada perda de cálcio dos ossos, com aumento do risco de osteoporose e fraturas.

Continue lendo