sonífero

O Seqüestro de Eloá e as opções que não foram aventadas

Já se falou demais no caso, a polícia novamente tentou fazer o que achava melhor e mais uma vez o resultado não foi o esperado (tampouco esta será a última ação fracassada de nossas forças de supressão (opressão?) à violência. Uma pergunta, entretanto, ecoou em uma singela reunião de quatro médicos e uma psicóloga na noite de domingo:

Não poderia a polícia ter enviado, após três dias de negociação, um alimento repleto de calmante ou sonífero, bem como uma dose "derruba-elefante" na água ou na bebida enviada ao trio?

soníferoTalvez nos primeiros dias, o seqüestrador podia estar atento ao alimento e deveria pedir para as meninas comerem e beberem primeiro. Depois de três dias comendo prendendo as menininhas e dormindo muito pouco ou quase nada o raciocínio do canalha provavelmente já não mantinha qualquer capacidade de esquivar-se de medidas um pouco mais inteligentes do que as usuais.

Mas talvez estejamos falando uma grande besteira, e alguém mais entendido no assunto poderá vir aqui e me criticar. Gostaria de ouvir.

Ao menos, a família de Eloá demonstrou, apesar do sofrimento extremo, uma fantástica capacidade de solidariedade e hoje o coraçào da menina já bate no corpo de outra moça, uma senhora paraense que há 18 meses esperava um transplante. O pulmão também já ventila em uma jovem de 18 anos com fibrose cística, bem como o pâncreas, os rins e as córneas. Que o coração de Eloá siga batendo por muitos e muitos anos ainda, para que esta história não seja esquecida tão cedo.

Falcatrua no BBB8?

    Quem assistiu com atenção a prova do líder nesta sexta-feira dia 22 pode observar um momento que põe em dúvida a plena idoneidade da referida prova.

    Enquanto vários participantes que não realizavam movimentos significativos provocavam o acendimento da lâmpada que os eliminava, o participante Rafinha que desistiu da prova realizou, antes do acendimento da lâmpada uma série de movimentos e inclusive pegou na maçaneta da porta até que houvesse o acendimento da referida lâmpada, fazendo o observador atento supor que,NO CASO DELE, o sensor automático estivesse desligado e tenha sido acionado manualmente quando percebida e inevitabilidade da desistência.

    A suspeita está levantada. O que pode ter acontecido? Falha mecânica? Direcionamento de preferências por um "script prévio"? Agora, você decide. Se houve falha mecânica, ligue 0800…