Category Archives for "Uncategorized"

maio 25

Tenho que escrever:

By rafaelreinehr | Uncategorized

– acerca da recente enxurrada de linques automáticos ou sei lá como poderia chamar, oriundos de copy and paste de códigos de alguns blogs em blogs portugueses;

– a resposta ao questionário-corrente literária que prometi ao Milton

– slow food

– a matemática da desigualdade

– cinema/video: Equilibrium, Amarelo Manga, A Cozinha do Inferno

– sobre a falta de tempo, esta novidade no mundo hodierno

maio 23

Adeus Coca-Cola…

By rafaelreinehr | Uncategorized

Não tendo nada mais importante que fazer, resolvi tomar uma “resolução de ano-novo no meio do ano”: chega de Coca-Cola.

Antes que digam que me afiliei ao partido do Bové (aquele que invadiu uma loja do Mc Donald´s), não tem nada a ver com sentimento anti-americano e o escambau.

Não, não, também sei que meus ossos não vão ficar fracos tomando Coca-Cola (eu sei, sim, eu fiz a experiência com os ossos de galinha no copo de Coca-Cola!).

Tampouco estou sendo pago pela Pepsi ou por outra gigante dos refrigerantes.

Antes que me perguntem o que me levou a fazer isso, respondo:

Há tempos estou tentando entrar em um caminho de melhor alimentação, aumento de atividade física e deixando mais tempo para atividades de lazer e contemplação. Acontece que a ganância faz com que queiramos smepre mais. Mais trabalho para ter mais dinheiro. Sinceramente, e quem me conhece talvez possa opinar, não sou uma pessoa centrada no dinheiro. Quero, sim, em algum momento no futuro ter algo que posso chamar de estabilidade ou segurança financeira, algo como poder trabalhar se quiser e com o que quiser. Atualmente, estou longe disso. Muito longe.

Sempre achava que deveria chegar logo a este momentum de equilíbrio, mas me dei conta que esse momento poderá nunca chegar. Então, vou me equilibrando pra lá e pra cá, trabalhando ainda bastante em relação ao meu objetivo futuro mas não tanto que não me permita o tempo necessário para aproveitar aqui e agora as outras coisas que gosto de fazer (namorar, ler, escrever, fotografar, escutar e tocar música, criar e imaginar).

E a Coca-Cola, inde entra no meio de tudo isso?

Bem, ao mesmo tempo em que a Coca-Cola não é o vilão que muitos apregoam, ela é, sim, um líquido extremamente calórico e desprovido de quaisquer tipo de nutrientes úteis ao bom funcionameno do corpo humano. Ela é água com açúcar, por assim dizer. Engorda mas não alimenta (exceto com energia).

No meu caso, em que o sobrepeso está presente, a retirada deste líquido altamente viciante ajudará muitíssimo na redução destes quilos a mais que teimam em se acumular nos locais mais indesejados.

Não existem várias pessoas tentando parar de fumar? Não poderia eu tentar parar de ingerir Coca-Cola? E isso vale para a Coca normal e para a light (que detesto).

Estarei colocando um “Coquímetro” ali na direita, que indicará os dias sem Coca-Cola deste intrépido aventureiro. Obviamente, não esperem que atualize diariamente o Coquímetro. Ele será atualizado na mesma freqüência aperiódica errática com que este ser atualiza o blógue.

Mais errática ainda em função da construção do Novo Escrever Por Escrever, em menos de 2 meses. As obras estão em andamento, e a casa ficará supimpa. Verdes céus e folhas azuis a quem viver para ver.

Para terminar psicodelicamente, olhem isto.

maio 19

João Ubaldo nas Amarelas

By rafaelreinehr | Uncategorized

Entrevista nas Amarelas de Veja nesta semana, João Ubaldo Ribeiro.

Perguntado acerca do sistema de cotas nas universidades, largou a seguinte afirmação:

“- Essa idéia de cotas embute, no fundo, uma visão equivocada: aquela que enxerga a questão da escravidão como um problema de origem racial.”

Ué? E não é, pensei comigo. Mas foi por pouco tempo. O jornalista então pergunta:

VejaE não é?

UbaldoNão existe nada mais falso do que isso. Ao longo da história, os escravos sempre foram os vencidos, e não necessariamente os negros. Na maior parte das civilizações, os escravos eram brancos. Os hebreus foram escravos dos egípcios, por exemplo. Não foram os portugueses que escravizaram os africanos. Eles trouxeram nos navios negreiros pessoas que já haviam sido escravizadas em sua nação de origem. Eram negros escravizando negros. As nações da África do início do ciclo das grandes navegações nunca tinham ouvido falar na existência dos brancos. Acreditavam que a humanidade era negra. Achavam-se, assim, tão diferentes dos vizinhos que falavam outra língua, cultuavam outros deuses e comiam outra comida quanto um inglês se acha diferente de um francês, de um alemão ou de um napolitano. A suposta irmandade entre negros passou a existir quando eles foram unificados na categoria de escravos.

Faz pensar.

maio 16

A Casa das Mil Portas

By rafaelreinehr | Uncategorized

Ausência é o que não falta.

O vazio que preenche espaços.

Estou em falta com >Milton Ribeiro. Saiba que arrazoarei razões. Tarda mas não falha.

Com grata surpresa fiquei sabendo hoje que estou na Casa das Mil Portas, projeto instigante de >Nemo Nox, onde escritores ou falsários como eu publicam seus microcontos. Vale lembrar que os microcontos da >Casa das Mil Portas resumem-se a não mais do que 50 letras.

Belo exercício. Você já tentou? Arrisque-se e depois submeta seu microconto à Casa.

Desculpem a parca atualização. Estou envolvido de corpo e alma na formatação do novo >Simplicíssimo. Se tudo der certo, nesta quarta-feira teremos a inauguração da nova casa.

maio 09

Rapidez no gatilho

By rafaelreinehr | Uncategorized

Esse cara daqui e este outro foram mais rápidos.

Queria comentar a visita que fiz à casa do segundo neste sábado nublado em Porto Alegre, mas o efeito do vinho passou antes neles.

Os dois são os idealizadores do Verbeat.org e recentemente lançaram no virtual space um Manifesto Pela Liberdade e Democratização da Comunicação que qualquer blogólatra ou ser humano interessado em mundo virtual e comunicação deveria obrigatoriamente ler.

Nos vemos em outros bailes, digníssimos amigos.

Até lá, agradeço pelo vinho e pelas palavras e idéias trocadas.

maio 03

Tenho milhões de coisas a fazer

By rafaelreinehr | Uncategorized

Tenho que editar o Simplicíssimo. Preparar um banner da minha clínica para uma feira agropecuária. Preparar zilhões de cardápios.
Fazer meu credenciamento no IPE (será que faço?). Lincar um montão de gente boa que descobri nos últimos dias (agradeço de antemão aqueles que me lincaram; gentileza gera gentileza). Trabalhar no Mambo para o novo Simplicíssimo e o novo Escrever Por Escrever. Fotografar. Compor. Escrever. Dormir.

Hummm… Milton, atendo tua intimação ainda esta semana.