Como fazer churrasco I – Introdução e História

Posted By Rafael Reinehr on jul 14, 2008 | 7 comments


Para recomeçar esta série do Caldeirão de Sabores, nada melhor do que falar de um assunto que é sucesso por onde quer que se vá, de Norte a Sul do país: o Churrasco.

A série de artigos a seguir tratarão de aspectos históricos e gastronômicos não somente do churrasco em si mas de todos os aspectos que o envolvem, desde o sal, os temperos, os cortes, componentes nutricionais, o material indispensável, o fogo, técnicas e conselhos úteis e tudo o que é necessário para se tornar um churrasqueiro ou churrasqueira de mão cheia.

ChurrascoDe origem gaúcha, região que compreende o Rio Grande do Sul, a Argentina, o Uruguai e o Paraguai, o Churrasco não é somente um alimento feito à base de carne assada, mas é também uma forma de lazer, de receber amigos e, porque não, um componente interessante dentro de uma alimentação saudável e equilibrada.

Do ponto de vista nutricional o churrasco é um componente importante de um prato equilibrado, já que fornece ótima quantidade de proteínas e sais minerais necessários ao bom funcionamento do organismo e, se harmonizado com a quantidade de fibras e carboidratos dos alimentos que o acompanham, como verduras, saladas, arroz, massa ou outro amido complexo, produz uma refeição perfeitamente saudável. Lembramos ainda que a proteína da carne vermelha, por conter triptofano, aumenta os níveis de serotonina, podendo contribuir para aumentar a sensação de contentamento, bem-estar, saciedade e alegria de quem o consome.

História

O churrasco surgiu na região dos Pampas Gaúchos, onde o transporte do gado de um local para outro se fazia necessário para a manutenção da engorda dos animais. Com a destruição dos Sete Povos da Missões, em 1768, grande quantidade do gado foi abandonado, o que acabou por criar um grande rebanho de gado selvagem espalhado pelos pampas. Posteriormente, os tropeiros em busca do ouro, com a grande oferta de carne que existia à sua frente, faziam paradas e nestas, passaram a assar a carne no fogo que também lhes aquecia durante a noite.

Depois, os invernadores continuaram a tradição que havia se iniciado. No transporte das reses, algumas eram assadas durante a viagem e como a carne era carregada no lombo dos cavalos, o suor destes acabava por salgar a carne que seria utilizada à noite. Com o passar do tempo surgiram as grandes fazendas, onde os peões que trasnportavam o gado reforçavam cada vez mais a tradição, fazendo o churrasco no fogo de chão, com valetas profundas para espantar o vento e em espetos de madeira que seguravam a carne sobre as brasas, utilizando-se já o sal grosso que era dado para a complementação alimentar do gado.

No início do século XX, a chegada dos imigrantes italianos introduziram no churrasco a carne de porco, frango e peixe, além de desenvolverem o famoso tempero vinha d’alho (Errata: o tempero vinha d’alho é, na verdade, de origem portuguesa. Obrigado a Dorean Paxorales pela correção). A partir daí, tudo é contemporaneidade, e veremos com mais detalhes a partir do próximo artigo como preparar um churrasco tão bom que deixará seus convivas com água na boca e gostinho de “quero mais”.

Como Fazer Churrasco - Tudo que você precisa saber

 

Todos os artigos da série Como fazer churrasco:

Como fazer churrasco I – Introdução e História
Como fazer churrasco II – Material indispensável para um Bom Churrasco
Como fazer churrasco III – Conheça os Melhores Cortes de Carne
Como fazer Churrasco IV – Como temperar carne para churrasco
Como fazer churrasco V – Quanta carne comprar para um churrasco?
Como fazer churrasco VI – Quanto tempo demora para a carne ficar pronta?
Como fazer churrasco VII – A churrasqueira
Como fazer churrasco VIII – Dicas e Conselhos Úteis (I de II)
Como fazer churrasco IX – Dicas e Conselhos Úteis (II de II)
Como fazer churrasco X – Links úteis para o bom churrasqueiro


(Parte do conteúdo desta série foi adaptada do livro Bíblia do Churrasco – O Verdadeiro Manual do Churrasqueiro)

Compre-me um caféCompre-me um café
Gostou deste post? Se ele lhe ajudou, que tal doar 1 real para que continuemos produzindo conteúdo assim?
Doação Única de Qualquer Valor via PagSeguro: https://pag.ae/blhvRmR
Regras para comentários: Tudo OK criticar, mas se você trolar, seu conteúdo será deletado. Divirta-se e obrigado por somar à conversação.

7 Comments

  1. Prezado amigo, sou um pequeno comerciante começando com churasco, comprei uma churrasqueira a gás com espetos giratórios. Gostaria de saber se existe algum jeito de aproximar o cheiro da carne nesta churrsqueira, com a carne assada numa churrsqueira de carvão, ou se tenho que me conformar com esta grande diferença.
    Atenciosamente
    Guglielmo ietto

    Post a Reply
  2. Assada, cozida, defumada
    Oi Marisa. Pedaços de carne muito grossos podem ser envolvidos por papel alumínio inicialmente, para que cozinhem sem ressecar e, só ao final, tirar o papel para dourar. No caso de pedaços mais finos isso não é necesário.

    Bom lembrar que quanto mais tempo deixar a carne exposta diretamente ao bafo, mais gostinho de defumado você terá. Podes assar frango, peixe, linguiças, queijos… o que desejar…

    Post a Reply
  3. Ganhei uma churrasqueira a bafo…aquela esmaltada e sem espetos.
    Eu não sei como usar…só posso assar peças de carnes?…e tenho que enrolar em papel filme?
    Vi um anuncio da churrasqueira com varios tipos de carnes dentro…é certo?

    Post a Reply
  4. queria saber como fazer para temperar
    30pedaços de costela
    20pedaços de frandinha
    4 cupim
    tudo uma só vez para vender no final de semana

    Post a Reply
    • Corrigido
      Obrigado pela correção. A origem correta já foi adicionada ao texto e lhe dado o devido crédito. Colaborações assim são gratificantes e enriquecedoras. Não canso de agradecer. Seja sempre bem-vindo, Dorean.

      Post a Reply

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: