Lenha na fogueira

Posted By Rafael Reinehr on ago 22, 2007 | 4 comments


Alfredo Carvalho Pinheiro Nogueira Oliveira Laranjeira Pereira era um cara de pau. Tinha voz de taquara rachada. No futebol, uma nulidade: um verdadeiro perna-de-pau. Quando lhe perguntavam quando ia casar com Florisbela, batia três vezes na madeira. Trabalhava numa madeireira durante o dia e fazia bicos de carpinteiro depois do trabalho e nos fins-de-semana. Seu prato preferido era filé. Ao molho madeira. Feito em panela de barro. Mexido com colher de pau. Seu perfume era aquele famoso, com odor amadeirado. Quando morreu, não pode usar paletó de madeira: morreu queimado num incêndio na floresta.

Compre-me um caféCompre-me um café
Gostou deste post? Se ele lhe ajudou, que tal doar 1 real para que continuemos produzindo conteúdo assim?
Doação Única de Qualquer Valor via PagSeguro: https://pag.ae/blhvRmR
Regras para comentários: Tudo OK criticar, mas se você trolar, seu conteúdo será deletado. Divirta-se e obrigado por somar à conversação.

4 Comments

  1. Gostei
    Esse foi o primeiro miniconto que li e achei ótimo!
    😀

    Vou tentar escrever um também para ver se me identifico com esse estilo de texto.

    Post a Reply
  2. Era um pau pra toda obra. Quando fazia barba caia serragem, usava uma plaina.

    Post a Reply
  3. Cupinzeiro…
    Poderia ter sido pior: imagine-o morrer devorado por cupins…

    Post a Reply
  4. Rafael, seria ele um “cara de pau” e sua loção preferida, óleo de peroba?
    Gostei do sujeito. Pena que morre no final.
    Abraço forte

    Post a Reply

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: