Hermeto Pascoal – Montreux Jazz (ao vivo)

Posted By Rafael Reinehr on jul 28, 2007 | 11 comments


Hermeto Pascoal     Hermeto Pascoal pode ser considerado um dos maiores expoentes brasileiros no Jazz internacional. Multiinstrumentista genial, que faz até porco soar como instrumento musical, Hermeto é compositor do inaudito, do incrível, do surpreendente, do cativante.

Em julho de 1979, Hermeto e seu grupo foram ovacionados de pé no tradicional Festival de Jazz de Montreux, talvez o mais importante do mundo. Em 2001, a Warner resolveu digitalizar e remasterizar o disco a partir das fitas originais de 1979 e, para meus humildes ouvidos, fizeram um bom trabalho. Na conversão digital, não se perdeu muito do “humor” setentista dos rolos magnéticos originais.

Manejando o sax soprano, a clavieta, flauta, sax tenor, o piano,  cantando e improvisando palavras, Hermeto não deixa pedra sobre pedra no Ginásio lotado. Quando pede silêncio para tocar Montreux, música escrita no hotel para homenagear a cidade e o festival, seus súditos obedecem prontamente.

Hermeto Pascoal    Hermeto Pascoal pode ser considerado um dos maiores expoentes brasileiros no Jazz internacional. Multiinstrumentista genial, que faz até porco soar como instrumento musical, Hermeto é compositor do inaudito, do incrível, do surpreendente, do cativante.

Em julho de 1979, Hermeto e seu grupo foram ovacionados de pé no tradicional Festival de Jazz de Montreux, talvez o mais importante do mundo. Em 2001, a Warner resolveu digitalizar e remasterizar o disco a partir das fitas originais de 1979 e, para meus humildes ouvidos, fizeram um bom trabalho. Na conversão digital, não se perdeu muito do “humor” setentista dos rolos magnéticos originais.

Manejando o sax soprano, a clavieta, flauta, sax tenor, o piano,  cantando e improvisando palavras, Hermeto não deixa pedra sobre pedra no Ginásio lotado. Quando pede silêncio para tocar Montreux, música escrita no hotel para homenagear a cidade e o festival, seus súditos obedecem prontamente.

Além de um registro histórico indispensável, é uma aula de Jazz para quem, em 1979, tinha apenas 3 anos de idade recém completos.

As músicas que fazem parte do disco, na ordem em que são tocadas são:

1. Pintando O Sete (4:27)
2. Forró Em Santo André (7:31)
3. Remelexo (3:51)
4. Bem Vinda (1:45)
5. Sax E Aplausos (17:02)
6. Lagoa Da Canoa (1:23)
7. Fátima (4:28)
8. Terra Verde (1:22)
9. Maturi (4:48)
10. Quebrando Tudo (5:55)
11. Nilza (3:19)
12. Forró Brasil (3:16)
13. Montreux (4:28)
14. Voltando Ao Palco (5:30)
15. E Adeus (1:01)

 

Para fazer o download do disco, clique abaixo:

Disco  1

Disco 2 + capas

Músicas 13, 14 e 15

 

Compre-me um caféCompre-me um café
Gostou deste post? Se ele lhe ajudou, que tal doar 1 real para que continuemos produzindo conteúdo assim?
Doação Única de Qualquer Valor via PagSeguro: https://pag.ae/blhvRmR
Regras para comentários: Tudo OK criticar, mas se você trolar, seu conteúdo será deletado. Divirta-se e obrigado por somar à conversação.

11 Comments

  1. Hermeto é espetacular!
    Ouvi este disco do Hermeto, completo, em uma viagem de avião BH-São Paulo. Fiquei de boca aberta. É um disco fantástico. E o Hermeto é um gênio. Sou fã incondicional.

    Post a Reply
    • Ouvidos abertos
      Feche a boca, para não entrar moscas, mas mantenha os ouvidos bem abertos, hehehe.

      Um abraço Gere, e obrigado pelo comentário.

      Post a Reply
  2. O nosso Hermeto brasileiro
    Primeiramente lhe saúdo com comprimentos gaudérios de gaúcho de Palmeira das Missões RS e lhe desejo um bom ano festivo e musical.

    Post a Reply
    • Um ótimo e festivo ano musical para todos
      Obrigado Riverton pelo comentário!

      Post a Reply
  3. Uma absurdidade!
    Hermeto é realmente um absurdo! É uma grande potência elevada a si mesma dentro do corpo e sensibilidade de um só homem. É meu ídolo também, amiga Lucia.

    Post a Reply
  4. Hermeto Pascoal é meu ídolo máximo de todos os tempos. Os sons que ele tira, a filosofia democrática com que encara a música… ele não tem explicação. Precisa sentir.

    Post a Reply
  5. 1976!
    76 foi o ano em que nasci! Quanta história pra contar, hein Valter? Temos que marcar um encontro real um dia desses para bater um papo! Vou sentar e ouvir!

    Post a Reply
  6. Rafa,
    conhecí Hermeto ao vivo e em cores, o cabelão já era grandão assim, quando trabalhei na Gravadora Continental,1976. Em 1979, já garimpava o som dele. Tocava um menino com ele, que depois foi pro Quinteto Violado, que não lembro o nome, feríssima. E o Hermeto num show no Teatro Municipal de São Paulo, usou bacia d’água, chaleira, tampa de panela e até uma galinha no palco. Uma profusão de sons inimaginável. Há muito não ouço nada dele. Outro da mesma época foi Sivuca. Faziam shows alucinantes.
    Bom recordar.
    Grande abraço

    Post a Reply
  7. Po cara, eu vi ali que não podemos fazer ataques pessoais nem propaganda dos nossos sites, então perde toda a utilidade o comment! 😀 😀 8)
    Hauahuauhhuauha!
    Brincadeira, claro.
    Tá, vc venceu, me humilhou, pisou na minha pobre cabeça.
    Concordo que 320 tem uma qualidade fantástica mesmo, e no caso de jazz e música clássica isso se torna ainda mais importante para nao perdemos nenhum detalhe e nuance da composição.
    Só dá desânimo de baixar as vezes, hehe.

    E nao sabia que o registro é tão bom assim, se for desse jeito, vale mesmo a pena!
    :zzz

    Post a Reply
  8. 320kbps na veia!
    Maurício, obrigado pelo comentário! Já é tradicional entre os ouvintes de música clássica, MPB e Jazz riparem as músicas em 320kbps para garantir o máximo de qualidade possível parar escutar as musiquetas em seus aparelhos de som com a menor perda possível de qualidade.

    Com certeza o tamanho dos arquivos seria reduzido e facilitaria o download, mas a idéia é de manter a qualidade antes da comodidade. Quem garimpa sebos atrás de LPs nào está buscando conforto e sim exclusividade, raridade. Busca, em suma emoção, mesmo que isso tenha um custo não usual.

    A “iPodização” cultural que vemos sofrendo faz com que desvalorizemos a unidade, a singularidade em detrimento da quantidade. Quanto mais músicas couberem melhor. Escutamos toneladas de coisas mas não escutamos (ou não sentimos nada). A música apenas entra por um ouvido e nos toca de forma superficial.

    É por isso que justifico o tamanho de 320kbps.

    Acabei de registrar (hoje) uma conta paga no Rapidshare. Estou baixando, nesse momento, 10 discos simultanemente em uma velocidade assombrosa, superior inclusive à contratada com meu provedor! Não sei como, mas isso está acontecendo! Afirmo que, se durante os 6 meses que comprei por 29,99 euros isso continuar a acontecer, não cancelo nunca mais minha assinatura!

    Post a Reply
  9. Kbps
    Cara, está ripado em 320 kbps?
    Não sei se foi só com esse ou se será sempre assim, mas acho que no máximo 192 está de bom tamanho. Facilita para todos baixarem!
    Além do rapidshare ser muito chato com quem não é registrado, rs!
    Valeu pela iniciativa!

    Post a Reply

Deixe uma resposta para Lucia Malla Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: