Quarta-feira, 9 de fevereiro de 2005 – Mistério da propaganda?!?!?!

Não recomendado para pessoas que sofrem do coração

Essa era para ser a propaganda do Passat, mas nem chegou a ser passada no ar, por que misteriosamente, quando o carro vai entrar na terceira, curva, se você chegar bem perto da tela vai ver que aparece um vulto rapidamente na frente do carro, como se estivesse sendo atropelado e um gemido bem baixinho é ouvido e nem com a edição foi possível tirar o gemido, portanto, preste atenção. É impressionante!

Esse vídeo foi gentilmente "afanado" do

Só Vídeos

do Marcos Túlio.

Se você não gostou do vídeo acima, então nem tente descobrir as diferenças nas fotos abaixo: (clique para ampliar)

Quarta-feira, 26 de janeiro de 2005 – Almôndegas Alemãs

A Cozinha Maravilhosa do Mestle Kuh-Kah! – Almôndegas Alemãs

Hoje começa uma série de receitas especialmente preparadas pelo renomado

Chef de Cozinha Internacional Mestle Kuh-Kah

! (assim mesmo, com ponto de exclamação).

Ele irá nos brindar ocasionalmente com suas receitas que viajam o mundo e geram prazeres indescritíveis naqueles que comem seus pratos.

É um prazer poder contar com a participação de tão importante figura do cenário gastronômico mundial. Preparem em suas casas e se deliciem com as famosas

Almôndegas Alemãs do Mestle Kuh-Kah

!.

Ingredientes:

400g de carne de gado moída 200g de lombo de porco moído 50g de bacon picado 1 cebola picada 1 dente de alho picado 1 ovo 3 colheres de sopa de salsinha 2 colheres de sopa de cebolinha 4 fatias de pão de centeio 1 xícara de água 1 colher de sopa de vinagre sal e pimenta do reino óleo para fritura

Modo de preparo:

Coloque o bacon em uma frigideira e leve ao fogo baixo até o bacon estar crocante. Acrescente a cebola e o alho bem picados e refogue até a cebola estar macia. Retire do fogo, escorra o excesso de gordura e deixe esfriar. Coloque em uma tigela o vinagre e a água, acrescentando as fatias de pão. Em uma tigela, misture os dois tipos de carne, a cebola e o bacon refogados, a salsinha, o ovo levemente batido e misture bem, acrescentando sal e pimenta do reino. Escorra as fatias de pão e esprema bem, misturando à massa de carne e amasse até obter uma mistura bem homogênea. Faça bolinhas do tamanho de ping pong e frite em óleo quente abundante. Escorra em papel absorvente e sirva com salada de batatas e mostarda ou com arroz branco.

(publicado originalmente na edição #23 do Simplicíssimo)

Quarta-feira, 5 de janeiro de 2005 – Calendário 2005 do Grêmio

(recebi por e-mail)

Temporada gremista para 2005.
Dá uma olhadinha no REGULAMENTO.

CHAVE 1
1 Gremio
2 Ji-Paraná
3 Íbis
4 Mamoré (MG)
5 Mixto (MT)
6 Ríver (PI)
7 Linhares (ES)
8 São Raimundo (AM)
9 Itabaiana (SE)
10 Tiradentes (DF)

CHAVE 2
1 Caiçara (PI)
2 Ubiratan (MS)
3 CSA (AL)
4 Amapá (AP)
5 União Bandeirante (PR)
6 Kaburé (TO)
7 Operário (MS)
8 Rio Negro (AM)
9 Tuna Luso (PA)
10 Moto Clube

REGULAMENTO

As equipes que não possuírem refletores em seus estádios deverão ter seus jogos realizados à tarde.
Os estádios com capacidade inferior a 1000 lugares deverão iniciar a venda dos ingressos 1 hora antes do início das partidas.

Cada equipe deverá apresentar os jogadorespelo menos com a camiseta da mesma cor, caso contrário o time da casa deverá tirar a camisa para
não confundir o juiz.
Se um jogador for expulso, ele tem que esperar 15min ou até a outra equipe fizer um gol para entrar em campo.

Quando forem expulsos mais que 2 jogadores de cada time, o campo tem que ser reduzido, fazendo a nova demarcação das goleirinhas com chinelo.

Se um time começa a ser pressionado e equipe adversária chutar muito forte, seu goleiro pode botar havaianas nas mãos para não doer.

Se mais da metade do time estiver de pés descalços, os outros jogadores têm que tirar a chuteira. Ou o time pode pedir tempo para ir no
Supermercado comprar KICHUTE pros jogadores descalços.

Caso um time estiver jogand o muito mal, um atleta da outra equipe poderá trocar de time para emparelhar a partida.

OBS.: A equipe "Grêmio" possui refletores em seu estádio, mas em falta de energia usarão lanternas.

Os preços dos ingressos já estão estipulados:

Sentado – R$ 1,00
Sentado no Chão – R$ 0,50
Em pé escorado – R$ 0,25
Em pé sem escora – R$ 0,10
Agachado – R$ 0,05

Quarta-feira, 12 de janeiro de 2005 – Trufas a o molho de mel

(publicado originalmente no Simplicíssimo)

Estava eu em um elevador (fato nada singular em uma cidade repleta de prédios com mais de 3 andares) quando, não mais que num repente, presenciei um fato curioso que me acendeu um clique. Deixe-me contar a história:

Entrei no elevador que estava no térreo e apertei o oitavo andar, acendendo a respectiva luzinha no botão referente ao oitavo andar. Em suguida, entrou uma senhora que apertou o botão referente ao sexto andar e a luzinha respectiva também acendeu. Seguindo-se à senhora, entrou um cavalheiro que parou em frente à caixa de comando e também apertou o botão do oitavo andar.

O elevador começou a subir. parou no terceiro andar, onde mais uma senhora entrou e, pedindo licença ao senhor, apertou o botão (que já estava com a luzinha acesa) do oitavo andar.

Então, surgiu a inquietante pergunta:

O que todos vão fazer no oitavo andar? Nãããããããão!!!

Por que afinal de contas, mesmo percebendo que o botão já havia sido apertado e, como resultado dobotão apertado a luzinha correspondente havia se acendido, as pessoas seguiram apertando o botão assim mesmo?

Alguém sabe me dizer?

Citação:

"Platão comparava a vida a um jogo de dados, no qual devêssemos fazer um lance vantajoso e, depois, bom uso dos pontos obtidos, quaisquer que fossem. O primeiro item, o lance vantajoso, não depende do nosso arbítrio; mas receber de maneira apropriada o que a sorte nos conceder, assinalando a cada coisa um lugar tal que o que mais apreciamos nos cause o maior bem e o que mais aborrecemos o menor mal – isso nos incumbe, se formos sensatos. Os homens que defrontam a vida sem habilidade ou inteligência são como enfermos que não podem tolerar nem o calor nem o frio; a prosperidade exalta-os e a adversidade desalenta-os. São perturbados por uma e por outra, ou melhor, por si próprios, numa ou noutra, não menos na prosperidade que na adversidade.

Teodoro, chamado o Ateu, costumava dizer que oferecia os seus discursos com a mão direita, mas os seus ouvintes recebiam-nos com a esquerda; os ignaros frequentemente dão mostras da sua inépcia oferecendo à Fortuna uma recepção canhestra quando ela se apresenta de modo destro. Mas as pessoas sensatas agem como as abelhas, que extraem mel do tomilho, planta muito seca e azeda; similarmente, as pessoas sensatas muitas vezes obtêm para si algo de útil e aprazível das mais adversas situações."

Plutarco, em "Do Contentamento"

Quinta-feira, 13 de janeiro de 2005 – Videologs e brincadeiras criativas

Só um toque: para aqueles que não podem perder o novo do novo do novo na Internet e ainda não conhecem os Videologs ou Videoblogs, estão,como eu, atrasados.

Fiquei sabendo da "novidade" através de Info, da Editora Abril. Como não sei onde está a revista e a bagunça e a preguiça me impedem de procurar aqui em casa e no Google, não vou indicar linques, mas deve ser fácil de se achar.

Agora, em vez de fotos, as figuras colocam pequenos videos caseiros para apreciação na web. Nem preciso dizer o que se pode esperar, não é mesmo?

Se quiserem um linque, dou um bem bacana de uma brincadeira chamada Imagination Cubed. Para quem gosta de fazer arte.

Quarta-feira, 19 de janeiro de 2005 – Nogueiras fazem bem à saúde

(publicado originalmente na Revista Literária Simplicíssimo)

Estupefacto.

Mortalmente impressionado.

Loucamente decepcionado.

Profundamente deprimido.

Cadavericamente mortificado.

Subitamente confuso.

Fantasticamente assustado.

De queixo caído.

É como me senti ao ficar sabendo do absurdo que aconteceu com os dois irmãos de Alvorada, cidade que faz parte da região metropolitana de Porto Alegre.

William e Cristian Silveira buscavam uma vaga em Engenharia Mecânica na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, universidade mais concorrida do estado por sua gratuidade e qualidade.

Atrasados para a realização da prova, resolveram correr para chegar a tempo, antes de fecharem os portões.

Entretanto, no meio do caminho, forma abordados por policiais militares como suspeitos de atividade criminosa.

Alegação da polícia: "Antes de um fato acontecer a gente tem de intervir".

Me questiono: que fato "estaria por acontecer"? Um roubo a banco? Um seqüestro relâmpago? A tomada de Constantinopla?

Será que o fato de os jovens possuirem a pele um pouco mais escura interferiu com a conduta dos policiais militares?

Quem fará recuperar o ano de vida destes dois jovens de Alvorada que nada mais queriam a não ser preparar seu futuro para construir igualmente um futuro melhor para nosso país?

Estamos a poucos dias de um evento chamado Fórum Social Mundial, onde questões de desilgualdade social, econômica e de raça são postas em xeque. Momento oportuno para parar e pensar realmente se somos humanos ou o quê. Às vezes, em situações como a descrita acima, acho que somos "o quê"…

Àqueles que nunca participaram do Fórum Social Mundial, fica o convite:

de 26 a 30 de janeiro de 2005, em Porto Alegre – RS – Brasil , um encontro mundial de cabeças pensantes acerca do ser humano e de seu bem-estar enquanto sociedade nesta Nau Planetária. Chance imperdível de sentir-se integrado aos semelhantes e àqueles com idéias que realmente valem a pena serem ouvidas e debatidas.

O Simplicíssimo estará lá, representado pela figura deste editor que trará as novidades na edição imediatamente seguinte ao Fórum para aqueles que porventura não puderem participar de corpo presente.

Para mostrar que, REALMENTE, Um Outro Mundo é Possível, façamos a nossa parte.

"O espectáculo (da sociedade de consumo) que é a extinção dos limites do eu e do mundo pelo esmagamento do eu que a presença-ausência do mundo assedia, é igualmente a supressão dos limites do verdadeiro e do falso pelo recalcamento de toda a verdade vivida sob a presença real da falsidade que a organização da aparência assegura. Aquele que sofre passivamente a sua sorte quotidianamente estranha é, pois, levado a uma loucura que reage ilusoriamente a essa sorte, ao recorrer a técnicas mágicas. O reconhecimento e o consumo das mercadorias estão no centro desta pseudo-resposta a uma comunicação sem resposta. A necessidade de imitação que o consumidor sente é precisamente uma necessidade infantil, condicionada por todos os aspectos da sua despossessão fundamental."

Guy Debord, em "A Sociedade do Espetáculo"

Terça-feira, 30 de novembro de 2004 – Loucas Horas!

Ando a mil…

Esse vai ser um pôust pessoal. Já aviso para que os sedentos por cultura parem por aqui ou pulem direto para o final.

Nos últimos dias, numerosas, velozes, intrigantes e interessantes COISAS tem acontecido em minha vida.

Por exemplo:

– Meu curso de extensão em Cinema está chegando ao final e, de 9 a 12 de dezembro estaremos em Silveira Martins, cidade de colonização italiana do interior do Rio Grande do Sul rodando um curta-metragem chamado "O Envelope Azul", roteiro e direção de Lunara Dias, no qual estou fazendo a Direção ed Produção, e farei também a Assistência de Fotografia e a Fotografia Still. Correrias espetaculares para tudo estar pronto a tempo…

– Entrei em uma empresa de Marketing de Rede (eis o porque da pergunta pôusts abaixo) e estou extremamente empolgado com as possibilidades de Tempo que virei a ganhar no futuro, assim como com a minha performance até agora. Sucesso!

– Batalhando pra caramba na organização de uma Clínica Médica que pretendo instalar na cidade de Agudo, com 13 especialidades. Trabalho na reforma, compra de equipamentos para todos os médicos, design, publicidade, contratos e outras questões jurídicas e legais.

– Virei médico de piscina… O exército está agora nos obrigando a realizar exame médico no Círculo Militar, fora do Hospital onde fui designado. Palhaçada. Sem mais o que dizer…

– Participei da Fundação do Foto Clube de Santa Maria, na última quinta-feira. Seré uma ótima oportunidade para
aprimorar meus conhecimentos com pessoas que já perambulam pelo meio por muito mais tempo que este neófito no mundo da fotografia.

– Ando lendo muuuuuuuito! Muito mesmo! Pelo menos 1 livro por semana. Não tenho tempo nem para atualizar o EPE justamente pois estou lendo e lendo e lendo demais. Faz parte da preparação para alguns projetos que lhes apresentarei no futuro.

E, como não poderia deixar de ser, aproveito o espaço para fazer uma propaganda do Submarino, que anda imperdível! De hoje até o dia 2 de dezembro, milhares de LIVROS com frete grátis e preços espetaculares. Só indo conferir! Clica no botão aí embaixo e deixe 8% de comissão para este seu amigo poder, quem sabe, comprar mais um livro para devorar depois que sair desta tormenta que é o Exército Brasileiro. Mais de 70.000 livros com até 70% de desconto… Estou vendo que o Papai Noel vai ter o que carregar neste saco neste Natal!

Quinta-feira, 16 de dezembro de 2004 – Sociedade da Terra Redonda e What the bleep do we know?

Dia de citar cousas encontradas (nem tanto) por acaso na Internete.

Recomendação vai para uma visitinha no site da Sociedade da Terra Redonda.

Para encontrar pérolas como "A Igreja diz que a Terra é achatada, mas sei que ela é redonda, porque vi a sombra na Lua, e tenho mais fé numa sombra do que na igreja." (Fernão de Magalhães), este é o lugar certo!

Como atestam logo na página inicial, a Sociedade da Terra Redonda é uma organização não-governamental brasileira fundada em 04 de Maio de 1999, que conta com três objetivos básicos:

* Defender os direitos dos Ateus na sociedade
* Advogar pela total e completa separação entre religião e governo
* Divulgar e promover o método científico e o pensamento crítico, as realizações e os avanços da ciência.

Impagável e imperdível!

A outra recomendação é uma visita breve ao site do filme "What The Bleep Do We Know". Em primeiro lugar, assistam aos trailers, que já trarão uma luz sobre o que o filme trata. Em resumo, tem a proposta de ser um "novo tipo de filme". Na sinopse, afirmam que é um filme parte documentário, parte história, parte um conjunto de elaboradas e inspiradoras animações e efeitos visuais. A protagonista Amanda encontra a si mesma em uma experiência a la Alice no País das Maravilhas em que sua vida aparentemente pouco interessante se tranforma, revelando um mundo incerto escondido atrás do que nós consideramos nossa realidade normal.

O filme conta com entrevistas com físicos, biologistas moleculares, médicos e místicos entremeados com a narração da trama de Amanda.

Dizem que esse filme, já premiado em uma série de festivais alternativos seria o pioneiro de uma tendência a conquistar lugar no cinema, de filmes feitos para pensar, aqueles em que o marketing do filme é o próprio questionamento que faz você indicar o filme apra um amigo para depois poder discutir com ele os significados do filme.

Bem, resta a curiosidade para saber quando "What The Bleep Do We Know" chegará às telonas brasileiras. Alguma aposta?

Um recado mais: caso alguém tenha me lincado nas últimas semanas (meses?) e eu não tenha retribuído a gentileza, por favor me avise que tratarei de corrigir esta lastimável falha (enquanto não estabeleço critérios específicos de lincagem, além dos blógues que gosto de visitar, linco também todos que me lincam).