Tag Archives for " caminho "

Jan 26

No Caminho da Sustentabilidade e da Resiliência

By Rafael Reinehr | Sustentabilidade e Resiliência

Nas próximas semanas devo começar uma narrativa acerca de uma jornada que, espiritualmente, começou já há alguns anos e que, finalmente, deve se corporificar: estou falando da tarefa de tornar-me, juntamente com minha família e comunidade, mais resiliente. A resiliência é uma das principais características da sustentabilidade.

Estarei demonstrando como, de forma prática, abordar cotidianamente atitudes e práticas para tornar nossa vida mais sustentável na sociedade moderna.

Muito mais do que ideias, vou mostrar exemplos de como isso pode funcionar. Espero que acompanhem esta jornada, que certamente será repleta de percalços e, com eles, aprendizados. Desejem-me luz no caminho.

A escolha
Abr 22

Um pequeno passo para o homem, um gigantesco salto para a humanidade

By Rafael Reinehr | Boas Novas

Esta significativa e memorável frase dita por Neil Armstrong após deixar o módulo lunar Apolo 11 ao pisar pela primeira vez na Lua, em 20 de julho de 1969, poderia ser repetida diariamente por cada um de nós.

Naquela época excitante, em que escritores de ficção científica animavam adolescentes e adultos com seus exercícios futuristas e, de fato, as previsões do começo do século começavam a tornar-se realidade, tudo era belo, esplendoroso e um futuro mágico se descortinava.

No final da década de 60, eram pouquíssimas as vozes que alertavam sobre o uso desenfreado dos bens naturais, a possibilidade de extinção da raça humana, mudanças climáticas e whatsoever.

Hoje em dia este panorama mudou. Enchentes nos noticiários viraram assustadora regra, degelo nos polos, na Patagônia, Groenlândia e nas áreas de gelo perene das altas montanhas. Apesar do forte lobby financeiro, político e – veja só – até científico que visa minimizar o problema, o fato é que estamos caminhando rapidamente para um caminho sem volta.

Quando falo em caminho sem volta, não me refiro ao planeta. Este irá se adaptar mais uma vez, como tem feito há bilhões de anos. O que talvez não consigamos mais fazer é salvar nossa própria espécie. Irei falar sobre este assunto com mais detalhe no futuro, citando alguns estudos e previsões científicas que andei verificando.

Hoje, entretando, quero congraçar-me com o lançamento da Coolmeia – Ideias em Cooperação, esta incubadora de ideias e ações altruístas, preocupadas com mudanças humanas, sociais e ambientais efetivas. Como dito em sua Carta de Princípios, a Coolmeia não busca ser a detentora de todas as respostas, mas busca isso sim, encontrar respostas que sejam satisfatórias ao nosso equilíbrio e harmonia com outros seres vivos (humanos e não-humanos) em nosso ambiente comum.

E cada um pode fazer a sua parte. E pode fazer todos os dias, ou pelo menos todas as semanas. Se 1% de nós brasileiros (um milhão e oitocentas mil pessoas), utilizarmos pelo menos 1% do nosso tempo (15 minutos por dia) para pensar em soluções ou aplicar as que já se encontram por aí, estaremos dando uma guinada significativa em direção às mudanças que necessitaremos para enfrentar as consequências do que temos plantado nos últimos 2 séculos.

Hoje acordei uma hora mais cedo para cumprir com o que me programei: plantar uma árvore e vir de bicicleta para o consultório. Sobre a bicicleta, não é um fato ocasional, tenho vindo com alguma frequência, mas neste dia não poderia deixar de vir. Mesmo com a chuva que veio e sem encontrar minha mochila e ter que deixar alguns pertences importantes em casa.

Sobre a árvore, aí embaixo estão as fotos. Plantei duas sementes de Pinus koraiensis, um tipo de pinheiro cujos frutos são os pinoles, pequenos pinhões extremamente deliciosos que podem acompanhar vários pratos.
 

A escolha
A escolha do lugar
As sementes
As sementes de Pinus koraiensis
O plantio
O plantio
O aconchego
O aconchego da semente, em uma nutritiva terra preta

Como diz um ditado chinês: ”É com um passo que se começa uma jornada de 100 quilômetros”. Vamos fazer nossa parte, cada qual com o tanto que conseguir a cada dado momento da vida.

 

Legumes
Fev 12

Ovolactovegetarianos: os primeiros 30 dias

By Rafael Reinehr | Veganos & Vegetarianos

Hoje estamos completando, Carol e eu, 31 dias sem colocar qualquer tipo de carne na boca. Primeiras impressões:

Legumes1. Sente-se mais disposto

2. A atividade física parece render mais

3. O cérebro funciona melhor e mais rápido (apesar de uma ou outra onda de desânimo – talvez característica da adaptação)

4. Emagrece-se (há um mês pesava 95kg, hoje estou com 90,3kg) – foram 4,7kg em 31 dias

5. Há dificuldades na adaptação social. Os amigos de sempre ou ficam surpresos ou confusos. Os novos encaram com um pouco mais de naturalidade, mas ainda assim com indisfarçável surpresa.

6. Volta e meia surgem ímpetos em direção à carne. Imagens mentais de um passado recente voltam à tona.

7. Usa-se construções mentais positivas para afastar a vontade quando ela vem, e logo conseguimos afastá-la. É o que chamam por aí de "poder da mente"

8. Somente uma escolha racional poderá tirar-nos do caminho, e essa diz respeito a uma análise antropológica da situação. Análise essa que não desejo fazer, pois quero continuar com a experiência por mais tempo.

9. Come-se muito bem sendo vegetariano. Você não perde por experimentar.

10. Há que se resistir a comentários muito delongados sobre a decisão de tornar-se vegetariano, do contrário pode parecer a alguns que se está fazendo propaganda do estilo de vida.

Continue lendo

Nov 16

Angústia existencial

By Rafael Reinehr | Quase-Idéias

Enquanto algumas pessoas se aposentam e ficam algustiadas por não saber o que fazer com o tempo livre, outras, mesmo que tivessem 3 vidas inteiras, não conseguiriam dar vazão e trazer à prática a quantidade de idéias e desejos que lhes irrompe no peito.

A solução? Viver como se a vida não tivesse fim, fazendo, de cada dia após o outro um novo desafio, um novo horizonte sempre passível de ser alcançado. Viver como se a vida não tivesse fim mas, ao mesmo tempo, ciente da impermanência de todas as coisas. Eis um caminho.

Continue lendo

Doors Perceptions
Out 11

Música, espírito, estilo de vida e o dólar aumentando

By Rafael Reinehr | Novidades!

Dentre meus poucos (mas bons) leitores, aqueles mais atentos já devem ter percebido que na última semana não tenho mantido minha "programação normal" de publicação de textos (segundas gastronomia, terças cinema, quartas dicas de saúde e bem-estar). Isso não se deve ao fato de não ter filmes para comentar, não ter escutado música para criticar ou não ter uma receita nova para compartilhar. Isso está acontecendo tão somente pelo fato de que estou precisando me concentrar nos projetos sociais que estou desenvolvendo e estão em pleno andamento, como a Coolméia e o Voto Contínuo.

Hoje pela manhã me reuni aqui em casa com o vereador recém-eleito Chico, meu vizinho de bairro e apresentei a ele a proposta do Voto Contínuo e, ao final da conversa, ficamos acertados que o Chico fará parte do projeto-piloto que implantará o sistema aqui em Araranguá. À medida em que o mesmo for se desenrolando, colocarei os detalhes aqui.

A Coolméia está em fase final de construção, ficando quase pronta para ser lançada, mas como só uma "abelha-operária" não faz verão, precisarei encontrar outras abelhas-parceiras para que esta boa idéia não vire ostra infértil.

Como sempre acontece quando acabo por me concentrar muito no "mundo real", acabo por me distanciar dos amigos virtuais, mesmo sem desejar que isso aconteça. É líquido e certo que, durante algum tempo, deixarei de visitar meus estimados amigos mas também é certo que estarei prestigiando aqueles que por aqui passarem, quer seja respondendo os comentários que por aqui forem deixados, os e-mails que receberei e também através das outras ferramentas de comunicação que utilizamos como MSN, Skype, G-talk, sinais de fumaça e "transmimento de pensação".

Infelizmente não temos como trazer sempre conosco os amigos que mais prezamos para compartilhar o caminho que escolhemos trilhar. Entretanto, fica sempre naquela pontinha da lembrança a imagem do amigo e da amiga e o desejo de que, mesmo que não consigamos nos aproximar, que ele (ou ela) tomem a iniciativa para nos dar um alô. De todo modo, cada um dos amigos será notificado do andar da carruagem destes projetos tão importantes para mim, quer seja por e-mail ou pessoalmente.

Doors PerceptionsAntes de finalizar, queria indicar dois sites muito bons que conheci por estes dias. O primeiro chama-se Collectors Choice Music e trata-se de um belíssimo repositório de quase TODAS as gravações feitas nos Estados Unidos e na Europa (e algumas fora de lá também), incluindo bandas raras e raríssimas que só encontramos por lá. Se o dólar ainda estivesse em 1,65, esta caixa do The Doors com 6 CDs e 6 DVDs já estaria a caminho daqui a esta altura. A outra indicação da vez vai para um site que faz maravilhosas resenhas de todos lançamentos musicais tão logo sejam previstos ou aconteçam, o High Fidelity Review. No link aí atrás eles revisam detalhada e profundamente a caixa do Doors que citei anteriormente. Um primor, uma delícia.

Sinceramente não sei como consegui deixar de colocar uma música de fundo na minha vida nos últimos anos. Espero que isso não mais aconteça. Meu espírito agradece.

A Vida dos Outros
Jul 29

A Vida dos Outros – Das Leben Der Anderen (2006)

By Rafael Reinehr | Ando Vendo

A Vida dos OutrosVencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, A Vida dos Outros não possui um personagem principal do início ao fim do filme. Existem vários protagonistas que se intercalam em diferentes momentos do filme, fazendo com que a narrativa tenha sempre uma dramaticidade intensa já que todos os personagens são fortes e possuem, graças em parte ao roteiro e em parte graças à direção de Florian Henckel von Donnersmarck, histórias que marcam cada um individualmente como em um romance muito bem escrito.

Ora é o Ministro da Cultura, que na Alemanha Oriental de 1984 manda e desmanda, escolhendo ditatorialmente quem publicará, quem dirigirá, quem atuará as peças teatrais quem rouba a cena, com sua arrogância característica entremeada por sua fragilidade impotente em conhecer o verdadeiro amor de uma atriz que ele admira; noutras é a famigerada atriz, que precisa entregar-se sexualmente ao Ministro da Cultura para poder seguir atuando e tendo os holofotes voltados a si e, ao mesmo tempo em que faz isso escondida de seu verdadeiro amor, o dramaturgo Geord Dreyman, trai a percepção de que a arte já está consigo e não precisa prostituir-se para buscar a arte; ou então vemos as coisas do ponto de vista de Dreyman, que apesar de idealista acabou por acomodar-se às regras dos “vermelhos” e não luta contra as mazelas de sua sociedade; finalmente, temos o capitão Wiesler, espião do Serviço Secreto Alemão, incumbido de vigiar Dreyman a mando do Ministro – que deseja incriminar Dreyman para eliminar seu rival amoroso – acaba por se identificar com a vida do artista e reconhece nele o ideal de vida que queria para si.

Ao contrário de algumas críticas que li por aí, percebi, a partir do momento em que Wiesler se identifica com Dreyman, um crescendo contínuo do filme que, longe de ressaltar apenas personagens planos, traz a verdadeira humanidade às telas – aquela em que um embrulho no estômago nos faz perceber que estamos trilhando o caminho errado e precisamos, de uma forma ou de outra, reajustar o prumo e nos redimir da melhor forma possível.

As cenas seguintes a este insight de Wiesler são todas neste caminho, e abrem espaço para a reflexão em todos nós, acerca das escolhas que fizemos até agora e sobre as possibilidade de novas escolhas, de novos caminhos.

História das Coisas Consumo
Jul 27

The Story of Stuff – A História das Coisas

By Rafael Reinehr | Saúde da Sociedade

A História das Coisas (The Story of Stuff with Annie Leonard) é uma animação em flash que mostra, de maneira lúcida e inquestionável qual é a história natural das "coisas", desde sua Extração, passando pela Produção, Distribuição, Consumo e Disposição de Lixo.

No meio do caminho, Annie nos mostra que existem informações não reveladas no caminho linear que é ensinado nas escolas e faculdades. Ela mostra que em cada etapa, existe um mundo de falácias a serem desmascaradas e apresentadas àqueles que têm o que fazer para remediar o impacto ambiental da extração e produção desmesuradas: os consumidores. Ou seja: nós mesmos, cada um de nós.

História das Coisas Consumo
Consumo

Temos cada vez menos tempo para as coisas que nos deixam felizes: amigos, família, tempo de lazer, já que trabalhamos cada vez mais para consumir mais e mais.

A publicidade, deste ponto de vista,  só serve para uma coisa: para nos fazer infelizes mostrando o que não temos e "precisamos" ter – do ponto de vista de quem "desenhou" este mundo de obsolescência planejada.

Clique em A História das Coisas – The Story of Stuff para ver a animação (em inglês) ou em Um Outro Jeito (Another Way) (também em inglês) para ler 10 sugestões sobre como começar você mesmo a mudar a situação.

Se você, assim como eu, acha que é possível começar a agir localmente para mudar o panorama mundial, entre já em contato. Temos muitas idéias a trocar e muito a fazer. Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail. Não deixe o trabalho para seus filhos. A carga será muito mais pesada.

História das Coisas

Martins Livreiro
Jul 25

Feira do Caminho do Livro – Rua Riachuelo em Porto Alegre

By Rafael Reinehr | Alhures

Martins LivreiroDurante meus primeiros anos em Porto Alegre, de 1991 a 1993, morei no terceiro andar de um prédio no qual, no térreo, estabelecia-se a Livraria Martins Livreiro, que vendia livros novos e usados e era um dos meus locais preferidos de peregrinação atrás de usados.

Agora, fiquei sabendo através do boletim da Associação Gaúcha de Escritores (AGES) que a Prefeitura de Porto Alegre e a Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL) firmaram uma parceria para criar o Caminho do Livro, nome dado ao trecho da Rua Riachuelo ente a Avenida Borges de Medeiros e a Rua General Câmara, onde a partir de 9 de agosto ocorrerão as atividades da Feira do Caminho do Livro.

Todos os sábados, das 10 às 16h, ocorrerá no recuo das calçadas em frente às diversas livrarias que existem no trecho uma feira de livros e várias atividades de estímulo à leitura. Serão expostas caixas de saldos e alguns expositores inscritos instalarão seus postos de venda ao longo do caminho. Para complementar a Feira do Caminho do Livro, ocorrerão apresentações artísticas, contações de histórias, sessões de autógrafos e bate-papos com escritores. A belíssima iniciativa é aberta para livreiros, editores e distribuidores de livros da Região Metropolitana, bem como para escritores que queiram participar em algum momento da Feira em encontros, sessões de autógrafos, lançamentos ou através da contação de histórias.

Os autores que desejarem participar devem entrar em contato via e-mail com sonia@camaradolivro.com.br ou pelo telefone da CRL (51) 3225-5096. Os eventos ocorrerão sempre aos sábados, com interrupção 15 dias antes da Feira do Livro de Porto Alegre e reiniciarão 25 dias após.

Agradeço ao vice-presidente administrativo da AGES, Oscar Bessi Filho, pelas informações acima.