Leticia Wierzchowski e o processo contra Milton Ribeiro:ou a batalha entre o alazão negro e o alazão

Em função de uma viagem, não consegui me posicionar anteriormente em relação ao processo judicial iniciado por Leticia Wiezchowski, autora, entre outros, do livro A Casa das Sete Mulheres, e o blogueiro Milton Ribeiro. Entretanto, preciso somar minha voz a de tantos outros que o fizeram.

Não tenho nenhum tipo de relacionamento com Leticia Wierzchowski e, por outro lado, considero-me amigo de Milton Ribeiro, o que poderia interferir em meu julgamento. Entretanto, as considerações a seguir serão tecidas da forma mais isenta possível levando em conta meu contato com os envolvidos. Para ilustrar melhor o que penso, vou contar uma historinha, com dois personagens chamados Miltona e Leticio (sem acento).

Miltona é uma escritora gaúcha de razoável sucesso regional que teve uma de suas obras escolhidas por uma rede de televisão para ser vertida em uma minissérie transmitida nacionalmente. A minissérie obteve boa visibilidade e aumentou temporariamente o número de pessoas cientes da existência da escritora, que vendeu milhares de seu livro na ocasião.

Miltona, entretanto, não conseguiu manter sua sorte seu desempenho nas obras a seguir e, depois de tentar sua sorte no mundo da arquitetura, da moda e da construção civil, resolveu dedicar-se ao direito, quando decidiu processar um de seus leitores, Leticio Ribeirinho.

Leticio Ribeirinho, um sofrido leitor da obra de Miltona, havia escrito uma resenha tentando abrandar uma critica severa que sua autora preferida havia recebido alguns anos antes por um renomado ensaísta, crítico e escritor gaúcho. Entretanto, ao tentar abrandar a crítica à sua amada escritora, o tiro acabou saindo pela culatra pois, ao imaginar que Leticio estava lhe insultando, a atrapalhada* Miltona decidiu que estava na hora de conseguir uma graninha enquanto não arranjasse uma nova ocupação, talvez como atendente no Wally-Smart.**

Mas agora, por gentileza, deixem-me concluir abruptamente este texto por dois motivos: meus pés estão ficando gelados e estão cortando seringueiras centenárias na beira do rio porque “estão impondo risco ao moradores vizinhos”. Isso parece uma inversão da lógica: primeiro eu me mudo para o lado do depósito de lixo e depois peço à prefeitura para que mude o lixão de lugar… É como escrever um livro cheio de erros e esperar que não se façam críticas a ele. É dormir com a amante na própria cama com a esposa preparando o jantar na cozinha e depois reclamar se for pego no flagra.

E não deixem de ler todos os links indicados acima e abaixo. Esta é uma história que merece ser apreendida e acompanhada. 

 

* Alguns estudos sugerem que o analfabetismo funcional no Brasil chegue a níveis superiores a 70% da população.

** A descrição da referida profissão não tem nenhum caráter desmeritório > este disclaimer está sendo publicado a partir da observação de que algumas pessoas com visão enviesada podem crer que algumas profissões possuem importância inerente maior do que outras

*** Não deixe de olhar a página da Leticia Wierzchowski na Wikipedia.

 

Para entender o post acima, leia os seguintes links:

Leticia Wierzchowski processa este blog (I)

Leticia Wierzchowski processa este blog (II) – O conteúdo da inicial escrita pelo advogado de Roberto Carlos e da RBS

Leticia Wierzchowski processa este blog (III) – Algumas opiniões equilibradas

 

Continue reading

Ubuntu e o Software Livre

Há algum tempo, tive instalado em meu computador uma versão do Kurumin, se não me engano, uma das distribuições do Linux. Em função da necessidade de formatação – aqui em Araranguá as empresas para as quais levei o computador só sabem formatar a máquina – desculpe dizer, mas isso é uma piada, pois seria como eu dizer para uma mãe que eu preciso colocar o filho dela em coma induzido para tratar uma amigdalite – o Kurumin se foi e eu voltei ao Ruindows.

Hoje, uso Windows XP no desktop de casa e em um dos notebooks e o novo notebook que comprei veio com o Vista de fábrica, naquelas infernais (e ilegais) vendas casadas que existem por aí.

O Vista Home Premium, não preciso dizer, é uma verdadeira praga. Mesmo em um computador com 2Gb de RAM, ele torna o computador lento e trava com muita freqüência.

Como comprei um novo PC, desta vez um Intel QuadCore com 4 processadores de 2,83 MHz , com 4Gb de RAM com 12GB de cache L3 e FSB 1333 MHz dual-channel e 64-bits de arquitetura, creio que o bichinho agüente o Vista Ultimate. Entretanto, estou pronado – graças à sugestão do meu amigo Eduardo Sabbi, a utilizar a nova versão do Ubuntu.

O Edu me mostrou um vídeo que mostra as funcionalidades gráficas da versão 8.04 e me encaminhou para a página do Ubuntu na Web que acabou por me conquistar. Quando li os seguintes parágrafos, fiquei caidinho:

Ubuntu é uma antiga palavra africana que significa algo como "Humanidade para os outros" ou ainda "Sou o que sou pelo que nós somos". A distribuição Ubuntu trás o espírito desta palavra para o mundo do software livre.

"Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível aos outros, assegurada pelos outros, não sente intimidada que os outros sejam capazes e bons, para ele ou ela ter própria auto-confiança que vem do conhecimento que ele ou ela tem o seu próprio lugar no grande todo." — Arcebispo Desmond Tutu em Nenhum Futuro Sem Perdão (No Future Without Forgiveness).

Minha única ressalva ainda fica em relação à compatibilidade com alguns softwares que uso, como o Corel Draw e o Personal Med, por exemplo. Entretanto, quem me conhece sabe que dou uma boiada por um ideal, nem que isso complique minha vida. E as frases acima realmente me conquistaram.

E agora, o que faço? Me dêem uma quadra de dias para decidir…

Continue reading

Osteoporose

Vitaminas do Complexo B, Homocisteína e Osteoporose em Homens e Mulheres Idosos

Sabe-se que níveis elevados de homocisteína no sangue é um forte fator de risco para fraturas osteoporóticas em idosos e que os mesmos podem significar baixos níveis de vitaminas do Complexo B na circulação.

Um estudo publicado na edição de junho de 2008 do The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism mostrou que níveis de vitamina B6 e vitamina B12 estão inversamente correlacionados com a incidência de fraturas de quadril em idosos, entretanto a significância estatística deixa de existir quando se leva em conta parâmetros como o nível de vitamina D, de homocisteína e a densidade mineral óssea basal.

Já pacientes com níveis de homocisteína acima de 14mcmol/L têm uma incidência 70% maior de fraturas de quadril em relação aqueles com níveis normais, mesmo após correção pelos níveis de vitamina B6 e B9 (ácido fólico). Entretanto, também se verificou uma atenuação do efeito quando levado em conta o nível de vitamina B12.

Osteoporose

A conclusão do estudo é a de que níveis baixos de Vitaminas do Complexo B – e não somente de vitamina D – podem estar associados a uma menor saúde do osso, apesar de não explicarem totalmente a relação entre homocisteína e fratura de quadril.

Uma dieta plena de alimentos ricos em vitaminas do complexo B está indicada em todas as idades, sendo mais importante à medida em que envelhecemos.


Continue reading

Bem-vindo a O Pensador Selvagem!

    São tempos de Efervescências, mesmo… Está surgindo no horizonte um novo modo de perceber a internet e a blogosfera, algo que tem suas origens bem antes da web 1.0, utiliza conceitos da web 2.0 mas cujos limites vão além, tocando de forma intermitente o desconhecido. Este novo modo já tem nome: O Pensador Selvagem.

    Uma revista. Um site. Um portal. Um condomínio de blogs. Uma comunidade. Uma rede. Um painel. Um ponto de encontro, de convergência. Uma experiência de autogestão. Tudo isso ao mesmo tempo, constituindo um todo que é maior que a soma de suas partes, já que o todo comporta, além das partes, também as relações entre elas, em concordância com o que diz Edgar Morin

 

Objetivo: ser uma revista multicultural ampla, eclética, envolvendo desde a literatura passando pelas artes plásticas, cênicas, música, ecologia, gastronomia, política, economia, história, direito, filosofia, quadrinhos, cinema, antropologia, arquitetura, sociologia, sexologia, fotografia, religião, espiritualidade, comportamento, utilizando para sua apresentação e divulgação os meios virtuais escritos, mas também imagens, sons, vídeo e prota-organizando encontros virtuais e reais transdisciplinares entre seus colaboradores e visitantes.

O Nome: “O Pensador Selvagem” deriva da idéia de um indivíduo tentando escapar de sua animalidade, entretanto encerrado nesta e relacionando-se constantemente com os conflitos derivados desta relação. Percebe-se “O Pensador Selvagem” como indivíduo, mas também como “coisa”, como representação de um coletivo ou de um objeto mecânico ou quântico, físico e metafísico simultaneamente, que aceita dentro de si todos paradoxos, entre os quais o de pensar e ser selvagem ao mesmo tempo. Na essência, é impossível negar a animalidade que há em nós, ditos humanos. Alguns tentam esquecer, ludibriar o lado bicho, mas isto é uma ilusão.

A Motivação: existem hoje no Brasil numerosas “revistas virtuais culturais”, abarcando uma ou mais áreas desta rica cultura, recebendo textos originais de pensadores e praticantes autônomos das mais diversas áreas do conhecimento humano. Muitas delas, com excelente desempenho dentro do seu foco de atuação. Existe, entretanto, uma carência na busca de integrar estas diferentes áreas na criação de um conhecimento sintético e representativo destas áreas. Carecemos de uma “quebra das fronteiras” entre as disciplinas, que dialogam sim, entretanto não mais do que duas ou três ao mesmo tempo. Buscaremos transformar “O Pensador Selvagem” em um grande fórum onde criadores possam, de forma singular, interagir entre si, usando para seu benefício os estímulos recebidos e alimentando o grande coração d’O Pensador. Este, por sua vez, servirá de propulsor para novas mudanças que, em moto perpetuo alimentará a espiral do saber sensível gerando satisfação, bem-estar e novo conhecimento.

O Começo: a etapa inicial da concretização deste ambicioso projeto é agrupar um número significativo de pessoas ou coletivos qualitativamente relevantes dentro dos grupos culturais que representam e tornar estas pessoas ou coletivos responsáveis, dentro d’O Pensador e fora dele, pela criação e coleta-receptação dos produtos nas diferentes mídias e meios além da divulgação da idéia entre grupos semelhantes ou dessemelhantes. Cada grupo, que provisoriamente será chamado de Seção (até que nome melhor venha a ser utilizado), deverá concatenar esforços e se autogerir com o objetivo de, na freqüência que lhe for possível, trazer conhecimento e estímulo produzidos dentro do grupo ou fora dele para “O Pensador Selvagem”, tratando de gerenciar também a entrada de novos membros no grupo. Estes novos membros, automaticamente farão parte da comunidade maior, transdisciplinar. É importante manter a noção da troca de experiências entre os diferentes grupos como forma de ampliar os estímulos recebidos e assim aprimorar o senso de integração, fraternidade e multiplicação características de uma comunidade harmoniosa.

A Idéia: assim como Kafka, em suas cartas para Felice confessou-lhe que o lugar ideal para escrever seria a mais profunda galeria de uma caverna, apenas acompanhado de uma lamparina e o material necessário para a escrita, sendo que lhe levassem o alimento até a porta da caverna – e esse seria seu único passeio, buscar comida, para depois tornar a escrever – hoje padecemos da ultramultitude de informações que infestam todos nossos sentidos. Perdemos a noção do silêncio e da solidão, no sentido estrito do termo. Como criar, num mundo assim? Como pensar (n)um mundo assim?

Desafios: um dos objetivos mais ambiciosos de “O Pensador Selvagem” é integrar, em um só ambiente, o popular e o erudito, samba e orquestra, ou seja, o senso comum e o acadêmico. Colocar para conversar estas verdades por vezes tão distantes que até parecem de mundos diferentes. Ensinar, através do confrontamento dialético, uma a enxergar pelos olhos da outra. Praticar constantemente a alteridade. Aqui, o míope se torna hipermétrope para somente depois bem enxergar e vice-versa. Há que se exercitar a humildade, a paciência e a tolerância. Há que se despojar de preconceitos ou mesmo de conceitos bem fundamentados para conseguir dar um salto intelectual, um salto espiritual, um salto selvagem, super-humano.

 

   Nos próximos dias, mais novidades. Mas sem pressa, porque o bolo do forno da vovó é mais gostoso.

O que é pré-diabetes?

O pré-diabetes ocorre quando os níveis de glicose em jejum encontram-se entre 100 e 125mg/dl no sangue ou entre 140 e 199mg/dl após um teste de tolerância oral à glicose com 75g de dextrose. É um estado intermediário entre o metabolismo normal e o diabetes, em que o corpo já apresenta sinais de insuficiência relativa da função do pâncreas, que não consegue produzir a quantidade suficiente de insulina exigida pelo corpo, quer seja por causa da obesidade, sedentarismo, alimentação incorreta, envelhecimento ou fatores genéticos. Se não tratado com dieta e exercícios físicos, evolui para o diabetes. Se tratado adequadamente, com dieta específica e pelo menos 150 minutos de exercícios semanais, tem uma redução de 58% na chance de vir a ser diabético. Para saber se temos pré-diabetes, um simples exame de sangue já nos informa isso. Entretanto, alguns fatores de risco já nos alertam sobre a possibilidade de presença do mesmo: estar muito acima do peso, não fazer exercícios físicos, ter mais de 45 anos, colesterol alto, hipertensão, ovários policísticos ou ter tido diabetes gestacional. Alerta: de 10 a 25% dos adultos têm pré-diabetes!

Caldeirão de Sabores – o início

         Nesta nova fase de vida, inaugurada com a mudança para Araranguá, decidi que era hora de me dedicar mais a algumas coisas às quais amo fazer. Uma delas – e tenho certeza que compartilho desta paixão com muitas pessoas – é comer.

         Para comer bem, entretanto, há que se saber cozinhar bem (ou morar em uma cidade onde a gastronomia seja o ponto forte, o que não é o nosso caso). Minha esposa é craque em uma série de pratos, que me deixam com água na boca só de lembrar. Entretanto, nosso repertório é limitado, e eu gostaria muito de exercitar meu paladar com outras experiências culinárias.

         Desta forma, resolvi separar um dia da semana para cozinhar alguns pratos diferentes. Não necessariamente exóticos ou complicados, mas diferentes do feijão com arroz do dia-a-dia. Assim, como sou 87% adicto à blogagem, resolvi simultaneamente criar esta nova Seção do site voltada à apresentação de receitas e dicas culinárias.

Continue reading

Tópicos variados em Diabetes

    O que é o pré-diabetes?

    O pré-diabetes ocorre quando os níveis de glicose em jejum encontram-se entre 100 e 125mg/dl no sangue ou entre 140 e 199mg/dl após um teste de tolerância oral à glicose com 75g de dextrose. É um estado intermediário entre o metabolismo normal e o diabetes, em que o corpo já apresenta sinais de insuficiência relativa da função do pâncreas, que não consegue produzir a quantidade suficiente de insulina exigida pelo corpo, quer seja por causa da obesidade, sedentarismo, alimentação incorreta, envelhecimento ou fatores genéticos. Se não tratado com dieta e exercícios físicos, evolui para o diabetes. Se tratado adequadamente, com dieta específica e pelo menos 150 minutos de exercícios semanais, tem uma redução de 58% na chance de vir a ser diabético. Para saber se temos pré-diabetes, um simples exame de sangue já nos informa isso. Entretanto, alguns fatores de risco já nos alertam sobre a possibilidade de presença do mesmo: estar muito acima do peso, não fazer exercícios físicos, ter mais de 45 anos, colesterol alto, hipertensão, ovários policísticos ou ter tido diabetes gestacional. Alerta: de 10 a 25% dos adultos têm pré-diabetes!

    Chá de insulina faz bem para o diabetes?

    O chá de insulina, assim como tantos outros chás milagrosos que andam por aí que prometem a cura do diabete não apresentam, ainda, fundamentação científica e, muitas vezes, podem até fazer mal. O que ajuda a reduzir o açúcar no sangue de um diabético é o líquido que ele ingere. Uma boa hidratação é capaz de diluir a glicose e levar à eliminação da mesma através dos rins, já que a glicose vai embora pela urina levando junto a água. Acontece que, em nenhum momento somente o chá ou a hidratação são capazes de trazer um bom controle do diabetes, que necessita sempre de uma dieta adequada, realização de exercícios físicos e, no caso de falta comprovada de insulina ou resistência a esta, uso de medicações ou até insulina injetável ou inalada. Sempre é bom lembrar que os chás, como qualquer fitoterápico assim como qualquer medicação têm uma dose máxima permitida, e o seu uso em excesso pode levar a sérios efeitos adversos e até a risco de morte. 

    Salacia oblonga e diabetes 

    A Salacia oblonga é uma erva usada na Medicina tradicional da Índia que reduz os níveis de glicose e insulina no sangue; estudos preliminares mostram que a substância da erva se liga a enzimas intestinais responsáveis por transformar carboidrato em glicose, não permitindo, portanto, o aumento dos níveis de açúcar no sangue e, de lambuja, os níveis de insulina no sangue também caem, favorecendo, em teoria, a perda de peso. Na dose de 1000mg de um extrato da erva, houve uma queda de 23% nas taxas de glicose e de 29% nas de insulina. Entretanto, recomenda-se aguardar estudos posteriores para confirmar sua eficácia e verificar seus possíveis efeitos adversos. 

 

Peixe e cólicas menstruais

O ômega-3, presente nos peixes e frutos do  mar é um interessante antiinflamatório, o que pode reduzir a ocorrência não só da cólica menstrual como também da mastalgia (dor nas mamas)  e até dor de cabeça associada à menstruação. Entretanto, não basta comer peixe somente quando vier a dor: é necessário ingeri-lo com freqüência, idealmente três vezes por semana.