Destaque gráfico para melhor leitura na Web

Neste fim de ano, espero poder dar ao menos uma contribuição original aos amigos leitores de textos na Web.

Meus leitores mais atentos perceberam que, desde o último artigo, formatei o texto dando destaque a certas palavras, utilizando o negrito, o sublinhado e aumentando o tamanho da fonte de algumas palavras ou expressões.

Estas palavras em destaque servem para realmente chamar a atenção do leitor sobre o que se quer dizer mas também funcionam como âncoras de leitura. Pontos de "descanso intenso", como podemos chamar.

Continue reading

Poeira Zine

poeira Zine – o melhor da música do melhor dos tempos

Ontem chegou as minhas mãos a coleção completa do poeira Zine, in my humble opinion o melhor zine/revista de música brazuca da atualidade, já na estrada há 5 anos.

Poeira ZineIdealizado, redigido, editado, diagramado, arte-finalizado, marketeado e distribuído majoritariamente por Bento Araújo, jornalista fanático por rock, o pZ como é chamado pelos íntimos surgiu em fevereiro de 2003, quando do lançamento de sua edição de número "zero", cobrindo entre outras matérias a vinda do Status Quo para o Brasil, uma belíssima revisão sobre as bandas de garagem dos anos sessenta e ainda um belo guia para quem deseja imergir na gigantesca discografia de Frank Zappa.

Não tem jeito não, a música sempre foi um importante motor para minha vida. Na fase atual da minha vida ando bastante distante do violão, da guitarra, do meu amplificador e pedaleira e das bandas e shows de rock que costumavam ser a tônica dos meus dias entre os quinze e os vinte e seis anos. O fato é que, ao entrar em contato com a pZ e a paixão que o Bento coloca na revista não há como não reanimar aquela chama que está tão fraca (mas nunca apagada!).

O primeiro passo será debulhar progressivamente todas as vinte edições do pZ mais sua edição especial e, à medida em que for lendo, selecionar alguma discografia para adquirir e resenhar. É claro que, no caminho, vou comentar por aqui um bocadinho da história da música tão fantasticamente compilada pelo Bento em seu fanzine.

And let there be rock!

Madagascar 2 – Escape 2 Africa

Está chegando, dia 11 de novembro próximo, a continuação da saga de Alex, Marty, Melman, Gloria, King Julien, Maurice, os pingüins e os chimpanzés que, perdidos na África tentam voltar à sua casa, o Zoológico de Nova Iorque. Depois de um reparo com "precisão militar" feito pelos pingüins em um velho avião acidentado, a patota tenta voltar ao seu lar, não sem antes cair nas vastas planícies da África e encontrar muito mais do que exemplares de sua própria espécie no meio daquela imensidão. Neste momento, a África parece parecer muito melhor do que sua casa no Central Park. Será?

Assista ao trailer clicando em Madagascar 2.

 

Pimenta vermelha

Molho de Pimentas Mãe da Flávia a la Rafael Reinehr

Dia desses fomos comer uma deliciosa feijoada com feijão branco, frango e lingüiça na casa da Flávia, nossa amiga dentista aqui em Araranguá. A feijoada estava supimpa, mas o que me chamou mesmo a atenção foi um molho de pimenta que foi trazido à mesa.

Como gosto de comidas temperadas (e viva a cozinha tailandesa!) fiquei impressionado com a picância e o sabor do molho de pimenta que a Flávia nos ofereceu. Depois de um furioso interrogatório, ficamos sabendo que a responsável pela criação daquele estupendo molho de pimenta era a mãe da Flávia! Como a Flavinha não tinha a receita, ficou de conseguir com a mãe dela.

Alguns dias depois, já impaciente e louco para repetir a receita em casa, indaguei a Flávia em um encontro casual que tivemos:

– E aí, desembucha: qual é a receita do tal molho de pimenta?
– Pois é… Sabe que falei com a mãe e ela faz meio de olho… Tudo o que sei é que vão dois frascos de pimenta malagueta vermelha e um de pimenta verde…
– Só isso?
– Hu-hum….

Bem, lá fui eu, um cadinho decepcionado para a cozinha tentar "experimentar" e ver se descobria a "fórmula" do maravilhoso molho que agora não era mais de uma só pimenta, então passou a ser um "molho de pimentas". E não é que com um pouco de intuição e alguma destreza cheguei lá? Ah, que perfeição! Agora tenho, para meu próprio consumo, o melhor molho de pimentas que jamais experimentei!

Nos últimos dias, ele tem sido utilizado em tudo: risotos, massas, pizzas… Sempre deixando aquele gostinho ardido e delicioso, além de ser aprovado até agora por 100% das visitas! Bom, sem mais delongas e como não sou de guardar segredos, aí vai a receita do já consagrado Molho de Pimentas Mãe da Flávia a la Rafael Reinehr:

Pimenta vermelha
2 frascos de 80g de pimenta malagueta vermelha

Pimenta verde
1 frasco de 80g de pimenta malagueta verde

Pimentões
3 dedos de 1 pimentão amarelo e de um pimentão verde

Pimentas e Pimentões
Um punhado de pimenta de bico
Sal a gosto
Pimenta do reino moída na hora a gosto
Bata tudo no liqüidificador e…

Voilá!
Molho de Pimentas Mãe da Flávia a la Rafael Reinehr
Está pronto o soberbo Molho de Pimentas Mãe da Flávia a la Rafael Reinehr

A aparência ao vivo é muito melhor do que a da foto acima! A cor é maravilhosa e a ardência já começa nos olhos se você tentar encarar esta bomba de frente por muito tempo. Replique a receita em casa e depois me diga se não é um dos melhores molhos de pimenta que você já experimentou.

Um abraço e bom proveito!

 

Como fazer churrasco IX – Dicas e Conselhos Úteis (II de II)

Seguindo as dicas da semana passada, a leva final de dicas e conselhos úteis para um maravilhoso churrasco:

Mantenha os espetos com inclinação para dentro da churrasqueira, fazendo com que a gordura caia direto no fogo, mantendo a brasa acesa e evitando engordurar o cabo do espeto.

Divida a carne em mais espetos, facilitando o manuseio da carne.

Evite o excesso de aperitivos e tira-gostos, que acabam por minar o apetite

Se lá pelas tantas o churrasco não ficou pronto e o fogo já está fraco, não jogue uma grande quantidade de carvão, mas sim vá colocando um por um grandes torrões de carvão, até repor o calor.

Deixe tudo preparado com antecedência mas, muito importante, só acenda o fogo quando os convidados chegarem.

As melhores carnes são compradas na véspera.

Nunca asse peixe e outras carnes no mesmo lugar ao mesmo tempo. Uma carne estragará a outra.

O que assa é o calor, nunca a chama. Nada como uma braseiro bem vermelho para assar. O braseiro bom é vermelho vivo, sem fumaça.

Há cortes de carne que decididamente não se prestam para o churrasco. Leia o capítulo …

Não se esqueça: crua ou assada, a carne é cortada no sentido transversal da fibra.

Cada carne tem seu ponto certo de servir. Aprenda através do tempo e da experiência e respeite.

Se alguém na mesa não pode comer sal, prepare um espeto separado com azeite e alho amassado.

Se um espeto ficou feio no aspecto, com sobras de carne, asse normalmente e não leve o espeto à mesa. Corte tudo em pequenos cubos e sirva como aperitivo.

Se por distração uma carne ficou torrada demais, não se preocupe, tire uma lasca fina e continue normalmente.

A função dos temperos é ressaltar o sabor da carne e não confundir, embaralhar ou abafar o sabor.

A carne deve ir para o espeto limpa de nervos e fibras, pronta para ser servida quando chegar a hora.

Coloque a carne perto do braseiro por uns 3 minutos de cada lado, assim vai formar uma película que vai reter o suco da carne, depois coloque na altura que quiser para finalizar o churrasco.

Durante o churrasco, coloque pequenos tocos de eucalipto verde no braseiro; a fumaça dará à carne um sabor especial.

Ao assar frango com pele, pincele algumas vezes uma mistura de mostarda e manteiga ou óleo; além da cor, o sabor fica excelente.

Para qualquer tipo de churrasco feito no bafo, o braseiro deve estar bem fraco e distante da carne; não tenha preguiça: churrasco no bafo deve ser feito bem lentamente, aproximadamente 8 horas.

Temperar a costela na salmoura (sal fino) não é a melhor idéia do mundo porque a água muda o pH da carne, deixando-a mais rígida. Mas, em último caso, siga esta dica para não errar no sal: encha um copo com a salmoura, coloque um ovo na temperatura ambiente dentro; se o ovo ficar submerso, está faltando sal; se passar da superfície da água, está muito salgado, coloque mais água. O ponto certo é quando a casca do ovo fica exatamente na superfície.

Para sentir o gosto real do peixe na brasa, não retire as escamas e nem tempere. Quando a carne estiver bem assada, a pele com as escamas se soltarão facilmente, então no prato individual, coloque sobre o peixe um vinagrete bem temperado.

Não fure a lingüiça antes de levar à churrasqueira, do contrário a mesma ficará por demais ressecada.

Não use sal grosso úmido. Isso faz com que a carne absorva muito mais o sal, comprometendo seu sabor. Para retirar a umidade do sal, basta aquecê-lo por alguns minutos até que fique seco.

A costelinha de porco fica excelente quanto é temperada com “Grill” cinco minutinhos antes de tirar da churrasqueira.

Os grandes pedaços de carne, ensinam os mestres, não merecem ser cortados até chegarem ao ponto. A fraldinha, por exemplo, pode ser levada ao fogo num espeto duplo, niquelado e cromado. Já outras partes do boi, sobretudo os pedaços menores, não devem ser espetadas, para nào haver desperdício do seu suco. O melhor é usar grelha dupla face, que envolve a carne e permite que ela seja grelhada dos dois lados igualmente

Não apenas de carne, fogo e sal se compõe um churrasco. Os equipamentos adequados são muito importantes para tornar o trabalho prático e eficaz. Recomenda-se o uso de garfo e faca apropriados. Para um melhor controle do fogo e das brasas, é oportuno contar com um pegador. Também um avental resistente, luvas de amianto, carvão, álcool, pratos e tábuas para fatiar a carne tornam a arte de preparar um churrasco uma eterna comemoração.

Todos artigos da série “Como Fazer Churrasco

Como fazer churrasco I – Introdução e História
Como fazer churrasco II – Material indispensável para um Bom Churrasco
Como fazer churrasco III – Conheça os Melhores Cortes de Carne
Como fazer Churrasco IV – Como temperar carne para churrasco
Como fazer churrasco V – Quanta carne comprar para um churrasco?
Como fazer churrasco VI – Quanto tempo demora para a carne ficar pronta?
Como fazer churrasco VII – A churrasqueira
Como fazer churrasco VIII – Dicas e Conselhos Úteis (I de II)
Como fazer churrasco IX – Dicas e Conselhos Úteis (II de II)
Como fazer churrasco X – Links úteis para o bom churrasqueiro

Parte do conteúdo desta série foi adaptada do livro Bíblia do Churrasco – O Verdadeiro Manual do Churrasqueiro

The BOBs

The BOBs 2008 – Está no ar o Prêmio do Deutsche Welle

The BOBsAnualmente, desde 2004, o periódico alemão Deutsche Welle escolhe o Melhor Weblog Geral e o Melhor Weblog em 11 diferentes línguas e, desde 2007, também o melhor Videolog e o melhor podcast.

Este ano, mais uma vez, este site está concorredo ao prêmio de Melhor Weblog em Língua Portuguesa e também ao prêmio de Melhor Weblog Geral.

Ganhar o prêmio de Melhor Weblog Geral é um sonho quase inatingível. Um pouco menos difícil, mas ainda assim um sonho, é ganhar o prêmio de Melhor Weblog em Língua Portuguesa. Este ano resolvi, desde cedo, fazer uma campanha e pedir aos meus 3 amigos que visitam este blog que visitem a Página do site Escrever Por Escrever no The BOBs e que cada um faça por mim duas coisas fantásticas:

1 – Redija um comentário sincero (seria sublime se fosse elogioso ou bem-humorado) sobre o reinehr.org e…

2 – Clique em Sugerir este blog para The BOBs 2008, nas opções Melhor Weblog e Melhor Weblog em Português

Estes comentários e estas indicações não contam como voto para que o Escrever Por Escrever fique entre os dez indicados pelo júri, mas pelo menos chama a atenção do júri para o site, aumentando um pouco as chances de indicação, imagino.

Seu voto vai me deixar muito feliz. Não tomará mais do que 1 minuto e prometo (cuidado! estamos em período eleitoral!) agradecer um por um cada comentário deixado lá na página do The BOBs. Para comentar e indicar o blog, basta clicar na imagem acima ou então ENTRAR POR AQUI.

Se puder ajudar a divulgar esta campanha em seu blog ou entre seus amigos por e-mail ou no Orkut, Facebook, Tweeter & afins, fico genuinamente grato e exultante. Será que vai dar praia?

Slow Food Caracol

5 Razões Poderosas Para Comer Mais Devagar

Um dos problemas de nossas vidas é que muitos de nós correm tanto durante o dia, sem tempo para nada… e quando temos tempo para comer algo, nós simplesmente jogamos a comida para dentro.

Isso leva a uma vida estressante, nada saudável.

Com o simples mas poderoso ato de comer mais devagar, podemos começar a reverter este estilo de vida imediatamente. Quão difícil é. Se você fizer mordidas menores, mastigar cada pedaço mais devagar e por mais tempo, você aproveitará sua refeição por mais tempo.

Continue reading

The Brains: A Melhor Banda de Todos os Tempos da Minha Vida

Já tive algumas "experiências" artísticas na música mas, sem dúvida nenhuma, a mais duradoura e de maior sucesso até agora foi a The Brains. Formada lá por 1999 – minha memória falha, pode até ter sido antes – era formada, em sua formação clássica, pelo guitarrista, baixista e vocalista Fabiano Carvalho, pelo baterista João Francisco e por mim, Rafael Reinehr, na guitarra e ganidos ocasionais.

Em 2001 gravamos um CD chamado também The Brains, no estúdio Brothers em Porto Alegre. Com míseros 150 reais contratamos 10 horas de estúdio e com uma mixagem e masterização relâmpago conseguimos até gravar algo que não tenho vergonha de mostrar aos amigos até hoje. É claro que com um pouco mais de esmero e com um engenheiro de som mais "profissa" teríamos conseguido um resultado melhor.

De todo modo, para quem gosta de recuperar a história de bandas obscuras do início do milênio, abaixo seguem os links em MP3 das 7 músicas do nosso primeiro CD, The Brains.

Over The Oceans And Far Away

She Wants To Be On My Side

Peter Pan

The Mutants

Searkoonsflay

Come On Come On

The Brains Theme vol.III

Toda crítica é bem-vinda. Se quiser um CD gravado com a capa original, entre em contato. Ainda tenho alguns exemplares.

Uma Aldeia Chamada Linguagem (e a seca da literatura)

Há algum tempo atrás, cerca de quatro ou cinco anos para ser menos impreciso, escrevi um "conto didático" chamado Uma Aldeia Chamada Linguagem. Desde aquela época, muitas pessoas reconheceram nele uma possível utilidade como material didático para o ensinamento das figuras de linguagem e estilística.

Hoje, vagueando pelos confins do meu cérebro, acabei por dar um canelaço na lembrança deste conto e resolvi, aproveitando a por vezes presente "aridez literária" que me consome, revisitar este conto que, se melhor trabalhado, poderia inclusive ser incluído em algum livro de gramática como "material explicativo" ou "exemplo" das referidas figuras de linguagem.

Seco, encaminho-vos à leitura do conto Uma Aldeia Chamada Linguagem. Sua crítica é sempre bem-vinda.