Tag Archives for " momento "

Abr 16

Coolmeia e o Dia 22 de Abril: Dia Mundial da Terra

By Rafael Reinehr | Boas Novas

Coolmeia - Ideias em CooperaçãoEstamos há apenas seis dias do lançamento oficial da Coolmeia e as coisas estão esquentando: a comunidade no Ning está ficando afinadinha – ainda sem atividades intensas em função dos preparos iniciais como a criação de Tutoriais para facilitar a vida de quem chega, bem como recomendações de boas práticas e convívio, para manter uma organização adequada.

Se em uma casa em que mora uma família que se conhece há anos já é fácil encontrar bagunça, imagine em uma em que novas pessoas chegam todos os dias?

Quem me acha perfeccionista, realmente não me conhece. Confesso que já fui, mas hoje apenas me preocupo em estabelecer um padrão mínimo de organização que possibilite uma comunicação adequada entre os membros e que também lhes permita encontrar as ferramentas que estarão em breve dispobíveis por lá, não somente nos próximos meses como daqui a anos a fio. Então, esta fase de preparação não é nada mais nada menos do que uma etapa necessária a ser cumprida. E já dura mais de 9 meses. E vai nascer! Dia 22 de abril está aí!

E o que estamos preparando para o dia 22 de Abril? Bem, não haverá festa, nem coquetel de lançamento, muito menos fogos de artifício. Será mais ao "nosso estilo", digamos assim. No próximo dia 22 de Abril, no mesmo dia em que a iniciativa Coolmeia – Ideias em Cooperação será lançada, comemora-se desde 1970 o Dia Mundial da Terra. É um momento de reflexão, uma oportunidade para olhar para o mundo ao nosso redor e repensar nossas escolhas e atitudes para com os outros e com nosso planeta.

Já defini duas atitudes simples a serem realizadas no dia 22: tratarei de ir de bicicleta ao trabalho e também plantarei uma ou duas árvores, com o compromisso de seguir cuidando delas depois. E você, o que poderá fazer neste Dia Mundial da Terra?

Sempre lembro, quando me vem à cabeça atitudes positivas, quer sejam elas simples ou mais dispendiosas, uma citação de B. K. Jagdish:

"Nossos pés deixam pegadas na areia do tempo. Se estivermos no caminho errado, muitos nos seguirão, desviando-se do que é correto. Quando pensamos que uma ação é só por aquele momento e esquecemos que ela deixa um rastro atrás de si, não estamos sendo responsáveis.
Todas as nossas ações afetam os seres humanos, dando-lhes alívio ou tristeza. Podemos fortalecê-los ou não. Podemos causar ferimentos ou curas. Podemos gerar conflitos ou resolvê-los. Podemos criar cataclismas ou algo nobre para a sociedade.
"

Espetacular, não? Em poucas linhas, resume todo um sentido que podemos dar para uma vida (ou para uma nova vida).

Hoje, agradecendo a dois gentis comentários que foram feitos à Coolmeia pela Rita Braune e pela Nelida Campela, escrevi em resposta sobre a Coolmeia e alguns de seus objetivos:

"…a Coolmeia em si vai tratar disso: mostrar para as pessoas que as amarras que elas imaginam que lhes prendem ao Estado, ao consumo, à rotina e ao conforto podem ser mais fracas do que pensam.

Podemos criar uma vida plena de significados, longe da anestesia das grandes ilusões modernas. Às vezes, precisamos de alguém que nos dê a mão, caminhe ao nosso lado ou mesmo, lá de longe, nos dê um "aceno libertário": um chamado, um exemplo, um ponto de partida ou uma luz que nos ajude a iniciar um novo caminho."

Quer me dar a mão?

Continue lendo

Jan 29

Interações sociais saudáveis

By Rafael Reinehr | Cotidianices

Estou cada vez mais decidido a reduzir meu trabalho como médico. A cada dia, encontro mais e mais sentido em uma vida mais simples e frugal.

Minha iniciação no vegetarianismo há pouco mais de duas semanas segue de vento em popa, e estou cada vez menos propenso ou pensando em produtos industrializados de cadáveres animais (o que alguns chamam de carne). Estou ansioso pela chegada deste sábado, pois pretendo comprar uma bicicleta. Nada de carro novo, mais confortável ou potente, mas uma belíssima e confortável magrela, pra me levar ao consultório, para circular pela vizinhança, meu bairro, cidade e para longas jornadas pelas cidades vizinhas e, quem sabe um dia, para visitar outros países e continentes.

Tenho conhecido pessoas com afinidade de pensamento com uma intensidade incrível, e eis minha única angústia do momento: não conseguir me comunicar adequadamente com todas elas para construir um "mundo melhor". Mas algo me diz que esta angústia tenderá a passar se, de fato, eu passar a trabalhar menos e me dedicar aos projetos sociais e à incubadora de idéias altruístas que está para ser lançada tão logo seja possível.

Já estou otimizando ao máximo que posso meu tempo, mas ainda não está sendo suficiente para fazer tudo o que quero na velocidade que preciso. Acho que vou trazer minha mãe para cá para me ajudar! E vamos que vamos!

 

Continue lendo

Nov 29

Dos Anúncios no Escrever Por Escrever

By Rafael Reinehr | Anuncie

Uma coisa que ainda não expliquei foi o porque dos anúncios do Google Adsense e algumas parcerias com Submarino e Livrarias que aparecem no site. Explico agora.

Há alguns meses, eu havia decidido não disponibilizar espaço para publicidade em meu weblog pessoal mas, a partir de julho, com o crescimento dos acessos neste site, no Simplicíssimo e, principalmente, n’O Pensador Selvagem, fui obrigado a mudar o hospedeiro dos sites de um servidor compartilhado para um servidor dedicado, elevando os custos de menos de 100 reais para R$500,00 ao mês. Esse aumento súbito de custos me fez decidir colocar alguns anúncios para poder custear os sites que edito ou gerencio.

Em nenhum momento o foco deste site, do Simplicíssimo ou do OPS! é, para mim, monetário. Vejo os mesmos como formas interessantes e eficazes para disseminar conhecimento e produzir inconsciente. E, sim, busco aumentar o público de cada um destes sites. E, sim, gostaria que 5 bilhões de pessoas tivessem a página deste ou dos outros sites como página inicial e que os lessem com freqüência. E, sim, me expressar é parte fundamental da minha vida, bem como debater e aperfeiçoar idéias e planejar modos de mudar o mundo para melhor. Fica o convite: vem comigo?

Continue lendo

Out 20

20 de outubro de 2008 – Dia cheio…

By Rafael Reinehr | Cotidianices

…sem muita chance de fuçar na Internet, tampouco de atualizar blogs e afins. Ainda me espera um editorial para o OPS! à noite e alguns trabalhos de edição de imagens também para o OPS!. Preciso achar tempo para começar logo a ajudar o Tarciano com o novo site da Prodapys.

Enquanto isso, 20 pessoas online neste momento aqui no site… Triste, mas verdade: a maior parte chega pelas ferramentas de busca, nos artigos de sempre. Não sou um blogueiro para "conversas instantâneas". Os comentários vêm em posts antigos, observe.

Set 23

Madagascar 2 – Escape 2 Africa

By Rafael Reinehr | Vem por aí

Está chegando, dia 11 de novembro próximo, a continuação da saga de Alex, Marty, Melman, Gloria, King Julien, Maurice, os pingüins e os chimpanzés que, perdidos na África tentam voltar à sua casa, o Zoológico de Nova Iorque. Depois de um reparo com "precisão militar" feito pelos pingüins em um velho avião acidentado, a patota tenta voltar ao seu lar, não sem antes cair nas vastas planícies da África e encontrar muito mais do que exemplares de sua própria espécie no meio daquela imensidão. Neste momento, a África parece parecer muito melhor do que sua casa no Central Park. Será?

Assista ao trailer clicando em Madagascar 2.

 

Lyrica
Jul 14

Pregabalina – Lyrica – A Fibromialgia agora tem remédio

By Rafael Reinehr | Novo Medicamento

LyricaA Fibromialgia, enfermidade que causa fadiga crônica, dores musculares difusas e rigidez, finalmente conta com um tratamento eficaz. A pregabalina, de nome comercial Lyrica, produzida pelo laboratório Pfizer, foi aprovada pelo Food and Drug Administrator nos Estados Unidos no meio de 2007 e trata-se da melhor opção existente na atualidade para o tratamento dos sintomas da Fibromialgia.

Sabidamente, a Fibromialgia é uma doença incapacitante que até o momento não possui cura ou tratamento definitivo. A pregabalina conseguiu demonstrar em um estudo (Pregabalin improves pain associated with fibromyalgia syndrome in a multicenter, randomized, placebo-controlled monotherapy trial. Crofford, L. et al. Arthritis and Rheumatism 2002, 46 (supplement 9) S613)a redução em mais de 50% da dor em 29% dos pacientes que a utilizaram em monoterapia (ou seja, sem uso concomitante de outras medicações), comparado a apenas 13% dos pacientes que utilizaram placebo.

Se olharmos o número absoluto (29%), podemos ver que somente um terço dos pacientes que tomaram a medicação tiveram benefícios, mas é importante salientar que o tratamento da Fibromialgia não é feito somente com uma medicação. É necessário que os pacientes mantenham-se em um programa de reabilitação física, com acompanhamento psicológico ou psiquiátrico além de outras medicações para a dor.

Além do tratamento da Fibromialgia, o Lyrica também pode ser utilizado para o tratamento de dor neuropática periférica, como aquela que acontece em diabéticos ou secundária ao herpes zoster e da dor neuropática central, como aquela sentida por pacientes com lesão da medula espinhal. Ainda é passível de ser utilizado em pessoas com crises convulsivas parciais como complemento ao tratamento anti-epilético já em uso, quando este não está sendo eficaz. Ainda, é útil nos casos de ansiedade generalizada, já que trata-se também de um bom estabilizador do humor.

É importante ressaltar que é uma medicação de uso controlado e só pode ser obtida após consulta e prescrição médica. Dúvidas sobre o tratamento, a dose atual para utilizar e outras dúvidas devem ser tiradas com o seu médico no momento da consulta.

A Morte é Azul
Jul 13

A Morte é Azul

By Rafael Reinehr | Nonsense

Hoje vi a morte de frente, e ela é azul.

Costuma-se dizer no ocidente que, ao morrer, visualiza-se um túnel de luz branca, muito branca, ao final do qual encontraremos as pessoas queridas que nos deixaram antes e que esta seria a “entrada do céu”.

Para aqueles que não se “comportaram direito”, um futuro menos brando parece ser a tônica. Conforme o filme “Ghost – Além da Vida”, a morte do malvado é cercada de trevas e espíritos maléficos que envolvem o corpo do dito cujo e o levam para as profundezas do inferno.

Tudo isso é baboseira. A Morte mesmo, a verdadeira, é azul.

Pela manhã, depois de esperar mais de uma hora em uma fila de automóveis na parte sul da BR-101, gerada por um acidente envolvendo dois caminhões e uma Besta, finalmente começamos a andar.

A Morte é AzulDepois de alguns quilômetros, o fluxo do meu lado da pista estava normal, nenhum carro à frente. Próximo a uma curva para a esquerda, uma seqüência de carros vinha na direção oposta. No momento em que começo a fazer a curva, lá estava ela: azul, grande, violenta, em alta velocidade, tentando ultrapassar a seqüência de carros, na forma de um caminhão. Sem acostamento no trecho em eterna reforma da BR-101, consegui, num infinitesimal instante de tempo que não consigo quantificar, desviar alguns centímetros para a direita no mesmo momento em que a Morte, não se sabe por quais desígnios, desviou para a esquerda, deixando de me encontrar por frações de espaço-tempo.

Tem coisas na vida que são incríveis, não é mesmo? Aberto, fechado. Em cima, embaixo. Dentro, fora. Vivo, morto. Em um momento, flutuamos de um estado para outro e isso é a rotina de todas as cousas. O que estava aberto pode ser fechado e depois aberto novamente. Entretanto, o que vive e morre não revive novamente. É inexorável, dizem.

Por destino, por contingência, por estar atento ao trânsito ou por outro motivo indizível ainda estou aqui. Não antes de saber como é ter o coração na boca, mas estou aqui. E a Morte, que é definitivamente Azul, pela pressa com que ia, aquele a quem ela procurava já deve ter encontrado seu algoz.

 

Abr 16

Domingo, 17 de outubro de 2004 – José Saramago, será um mago?

By Rafael Reinehr | Escrever Por Escrever (blog)

Fui introduzido de forma reativamente tardia à obra deste escritor português, vencedor do Prêmio Nobel de literatura de 1998.

Quando comecei minha empreitada, não foi por sua obra mais conhecida: O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991), mas sim por Ensaio Sobre a Cegueira (1995)e Ensaio Sobre a Lucidez (2004).

Nestes ótimos romances, que poderia eu classificar como realidade fantástica, temos passagens belíssimas salpicadas com reflexões, humor, arte e política. Veja dois exemplos abaixo:

Nascemos, e nesse momento é como se tivéssemos firmado um pacto para toda a vida; mas o dia pode chegar em que nos perguntemos: Quem assinou isto por mim?

…depois voltou à sala, onde a candeia estava, ia ser útil pela primeira vez desde que a fabricaram, ao princípio não parecia ser este o seu destino, mas nenhum de nós, candeias, cães ou humanos sabe, ao princípio, tudo para que tinha vindo ao mundo.

Recomendo.

PS: alguém que leu tem algo a comentar?