Tag Archives for " pessoas "

maio 24

Decifrando dores e desejos: Chegaram os novos livros de marketing digital

By rafaelreinehr | Bem-estar , Blogs e Internet , Dicas e Truques , Efervescências , Medicina e Saúde , Medictando , Novidades!

Recebi hoje da Amazon alguns livros sobre marketing digital, psicologia de consumidores, storytelling e assuntos afins.

Continua a jornada iniciada no verão/outono de 2015 e que está me levando a construir, junto com meu Time, uma das mais sensacionais, prazerosas e significativas empreitadas dos últimos tempos: o melhor e maior portal de Educação em Saúde, Bem viver, Qualidade de Vida e Felicidade do nosso planeta.

 

Vem comigo nessa jornada.

Assine o feed do blog e acompanhe o passo a passo da criação desse empreendimento coletivo.

image

dez 31

O ano da empatia

By Rafael Reinehr | Quase Filosofia

Está no ar um grande sensação de que tem algo sobrando e, ao mesmo tempo, tem algo faltando.

A cada dia, mais e mais pessoas estão deixando de morder o anzol da máquina publicitária, que vende como ideal uma vida repleta de posses, pautada por um consumo infinito que, ao mesmo tempo, consome todo o nosso dia. Exemplos advindos dos quatro cantos do mundo mostram como é possível construir uma vida mais significativa, baseada em laços de solidariedade, apoio mútuo, confiança, empatia e gratidão.

Estamos progressivamente mais antenados com as vantagens mas também com as limitações que uma vida altamente tecnológica nos impõe. Ao mesmo tempo, temos nossas distâncias encurtadas, toda comunicação acontece de forma extremamente rápida. O mundo em uma casca de noz. Ao mesmo tempo, a hiperinformação nos deixa mais confusos e estabanados do que nunca. Não sabemos como processar tantos dados e estímulos. Estamos sofrendo de fadiga de escolha. Todas as escolhas que aqueles que dizem nos governar tem sistematicamente feito, não tem ajudado a reduzir a injustiça, a violência, a opressão e a desigualdade e, em alguns casos, tem feito aumentar. A percepção deste “abandono” por parte das instituições oficiais, que estão mais preocupadas em se autogovernar e se autossustentar do que prover as necessidades – mesmo as básicas – à população que outrora nelas confiava, tem gerado uma “corrida às montanhas”, uma busca de alternativas por parte de um grupo de pessoas que não irá esperar o barco afundar para depois telefonar de seu micoPhone encomendando um par de salva-vidas furado da China.

Estas pessoas estão se organizando em coletivos, movimentos, redes e grupos de afinidades através das planícies, colinas e urbes. Estão decididamente criando novas-velhas formas de se relacionar, baseadas em uma série de princípios libertários, que negam a opressão, a dominação e a hierarquia para fundar uma nova base, horizontal, colaborativa, empática e entremeada pela confiança mútua, há muito perdida na sociedade contemporânea. Este retorno a práticas ancestrais precisa ser celebrado.

Junte-se a nós no Solar das Lagartixas para um jantar e potluck comunal. No dia 22 de janeiro iremos cozinhar um jantar vegano simples, mas encorajamos outros a trazerem coisas para comer: frutas, vegetais para cozinhar ou comer crus, pães e queijos, vinhos e sucos, sobremesas ou o que desejar.

— Será um momento para compartilhar alguns momentos juntos, fora dos espaços nos quais nos encontramos sempre instrumentalizando, profissionalizando e racionalizando nosso tempo, relações, decisões e vidas.

— Um tempo para comer, falar, encontrar uma o outro, para diretamente se contrapor à fragmentação social, individualismo e solidão que vemos em qualquer lugar para o qual olhamos.

— Para nos mover em direção a nos sustentarmos coletivamente fora das nossas relações individuais com o mercado e o estado; para conquistar uma maior autonomia material coletivamente Isso significa iniciar e prosseguir com uma série de práticas e relações; ser consistente e confiável; estabelecer uma fundação forte para uma nova forma de vida. Isso é parte de uma estratégia para resistir ao que nossas vidas se tornarão se não nos organizarmos.

Nós queremos uma política que leve a sério nossa prória realidade como base para a auto-organização. Uma política que reconheça que se organizar coletivamente ao redor das nossas necessidades com amigos, camaradas, amantes, vizinhos, colegas de trabalho e membros da família se tornará a base para as nossas comunas. Nossa habilidade de sobrepujar a degradação trazida pela atual crise social, política, econômica e ambiental se dá na medida da nossa capacidade para sermos solidários e do nosso desejo em estarmos auto-organizados.

Em 2014, mostraremos que nossa capacidade de comunicação e articulação está mais vicejante do que nunca. E é só o começo.

22 de janeiro de 2014, 20 horas
Solar das Lagartixas
Rua Sergipe, 339
Jardim das Avenidas
Araranguá – SC
(Sacola mágica estará recebendo contribuições espontâneas para a Coolmeia)

Ou em qualquer local e horário perto de você. Inspire-se: conspire!
Referências:

 Referências:  1. Inspiração para convite: jantar de solstício do The Base, NY - dezembro de 2013 2. BAUWENS, M. - Reestruturando a economia com a empatia em seu centro  - bclog.p2pfoundation.net/restructuring-the-economy-with-empathy-as-its-center/2013/12/29 3. Center for Building a Culture of Empathy - http://cultureofempathy.com/
circulo-de-trialogos-27
fev 18

Círculo de Triálogos

By Rafael Reinehr | Quase-Idéias

Um triálogo é uma conversa a três. Um “diálogo a três” = triálogo.

 
Um Círculo de Triálogos é uma metologia de conversação informal para acelerar o processo para facilitar a apreciação democrática de opiniões e a tomada de decisão em coletivos, em encontros com várias pessoas e também uma maneira de aproximar membros de um grupo ou comunidade. É uma adaptação livre do método de Conversação Informal chamado World Café.
 
Apreciação democrática: em Assembléias tradicionais, geralmente apenas poucas pessoas tomam a palavra e monopolizam o tempo e o espectro de conversação. Em Círculos de Triálogos (que podem ser presenciais ou online (através do Ágora.CC, Skype, Hangouts ou outras ferramentas de conversação online), como são limitadas a três pessoas, todos tem chance de se expressarem e terem suas opiniões apreciadas.
 

O Círculo de Triálogos: 

 
Etapa 1 – Explica-se o funcionamento do Círculo de Triálogos
 
Etapa 2 – Os presentes dividem-se em grupos de três para conversarem sobre um problema ou uma questão em particular.  Pode-se determinar um tempo para esta etapa. Apenas em caso de sobrar 1 ou 2 membros, estes reunem-se em grupos de 4 ou então observam e circulam em vários grupos, se assim desejarem.
 
circulo-de-trialogos-27
 
Etapa 3 – Cada grupo elege um delegado que irá apresentar as conclusões do grupo em um “concílio” novamente com 3 membros, para nova rodada de deliberações. Todos os membros do grupo (os 9) poderão participar e se expressar, mas é desejável que um delegado fique no “vértice” do triângulo como responsável pela comunicação, a partir dos apontamentos e deliberações daquele grupo. Após um determinado tempo, este concílio chega a suas conclusões, registra-as em texto, imagens, áudio ou vídeo, escolhe um novo delegado (entre os 3 ou entre os 9) para uma próxima rodada.
 
Etapa 4 – Nova rodada de debate, incluindo o “segundo nível de delegados”, buscando sempre aperfeiçoar as conclusões, incluindo as ideias de todos os níveis de deliberação. Esta etapa e posteriores similares só serão necessárias em grupos com mais de 26 participantes. Do contrário, se pode realizar na rodada anterior, um ciclo inicial de triálogos e uma rodada de tetrálogo ou pentálogo para a deliberação final.
 
Observações importantes: é recomendável registrar, apontar, rabiscar as ideias no momento em que surgirem, para gerar um recordatório do Círculo de Triálogos. Estes apontamentos de todos os membros podem, depois, ser compartilhados em alguma ferramenta online para arquivamento e pesquisa posterior. Nem sempre haverá tempo para descrever com detalhes e granularidade todas as ideias que surgirem, então estes serão importantes para buscar, oportunamente, algum conteúdo que valha ser retomado em outros encontros.
 
Dica: também pode-se usar os Triálogos Livres como formas de ignição de ideias, para brainstorm livres em espaços e comunidades abertas à livre cooperação e co-criação. Membros  destes coletivos podem ser estimulados a espontaneamente organizarem Triálogos Livres durante a semana para, em momentos de encontros maiores, já terem algum embasamento melhor sobre uma determinada questão, e assim ajudarem no bom andamento da rede ou coletivo em questão. Isso pressupõe a presença de uma característica humana sem sempre muito abundante: a pró-atividade!
CarnavalSofia
jan 29

História do CarnavalSofia

By Rafael Reinehr | Eventos Culturais

A ideia do CarnavalSofia surgiu

na manhã de 20 de fevereiro de 2009, mas o primeiro evento só foi se realizar um ano depois, no Carnaval de 2010. Na ocasião, fiz uma ligeira postagem de blog apenas para registrar a ideia.

Em 2010, efetivamente, tivemos o primeiro CarnavalSofia. Foi bem mais simples do que o planejado mas rendeu ótimos momentos de reflexão, diálogo e também companhias agradáveis, inclusive do amigo Pedro Volkmann, que se deslocou de Porto Alegre para debater sobre o TAZ – Zona Autônoma Temporária, do Hakim Bey.

O segundo CarnavalSofia, em 2011, me pegou em Florianópolis, e acabou acontecendo no apartamento da Viviane Amaral, juntamente com a Márcia Brincas e a Gisela Franco. O papo rolou solto e foi um dia muito agradável, totalmente informal e celebrativo.

Já no terceiro CarnavalSofia, em 2012, as atividades e a presença de público começaram a se tornar “sérias”: dois dias de evento, 21 e 22 de fevereiro, acontecendo no Solar das Lagartixas, com presença de pessoas de Porto Alegre, Criciúma, Araranguá, Arroio do Silva e até do Ceará. A programação se tornou mais ampla e eclética e a interação entre as pessoas mais gostosa e divertida.

Finalmente, chegamos em 2013 e ao IV CarnavalSofia. Neste ano, 5 dias de folia, reflexão e ação e uma programação de arrasar quarteirão, cheia de atividades culturais, contraculturais, de integração e celebração da vida humana.

O que o próximo ano nos espera, só o tempo dirá!

851x315-revisado
jan 29

IV CarnavalSofia – 08 a 12 de fevereiro de 2013 – Uma folia para pensar e agir

By Rafael Reinehr | Eventos Culturais

Está chegando o CarnavalSofia 2013! Neste ano, serão 5 dias de folia e a pegada será, ao invés de libertina, libertária!

No seu quarto ano, o CarnavalSofia tem a honra de receber pessoas de Florianópolis, Criciúma, Porto Alegre e da vizinhas cidades da AMESC e AMREC. Neste ano, contaremos com a presença especial de vertov, do Centro de Inovação Social de Floripa, que será nosso oficineiro oficial e estará ministrando oficinas de rádio livre e debatendo os filmes antiautoritários conosco, no CineAvenida.

Todos os eventos são gratuitos e livres para qualquer pessoa. Basta chegar, não precisa se anunciar! Sinta-se livre (mas não constrangido) a trazer algo para beber ou comer. Sempre haverá algo para beliscar e bebericar, entretanto.

851x315-revisado

Acompanhe abaixo a programação dos 5 dias de evento e veja, ao final, o endereço dos locais do evento:

08/FEVEREIRO

19h – 21h30′ – CineAvenida: Impasse – As manifestações contra o aumento da tarifa e o debate sobre o transporte coletivo em Florianópolis – no Galpão Cultural

Após cineclube: Instalação e configuração da rádio livre, que irá funcionar durante o CarnavalSofia (e além)

09/FEVEREIRO

7h30′- 10h30′ – Mutirão Especial de Carnaval da Horta Coletvia – no Solar das Lagartixas, entrada pela Rua Maranhão, pelo portão prateado em frente à casa de número 267 – traga sua enxada ou sua boa vontade!

14h – Bate-papo sobre rádio e mídia independente – no Solar das Lagartixas

15h – Oficina de rádio livre: como ocupar este espaço – no Solar das Lagartixas

19h – 22h – CineAvenida: No olho do furacão – no Galpão Cultural

23h – Festa da Integração – comes, bebes, devires e sentires, no Solar das Lagartixas – traga sua bebida ou então cerveja na hora baratinho

10/FEVEREIRO

13h30′ – Programa Contrabando especial em rede com o rizoma de rádios livres + bate papo especial sobre o Dia da Internet Segura – transmitindo do Solar das Lagartixas

15h – FotoClube Araranguá – Saída Fotográfica + Passeio e Piquenique na Fazenda Bom Encontro, no Pontão, em Araranguá

20h – CineAvenida – La Revolucion Penguin – no Galpão Cultural

11/FEVEREIRO

10hRecital no Cemitério: música, poesia e lágrimas para saudar nossas memórias – no Cemitério Municipal

14h – Programa de Rádio CarnavalSofia Especial – com relatos do evento – transmitindo do Solar das Lagartixas

19h – 22h – CineAvenida – O Panelaço – no Galpão Cultural

12/FEVEREIRO

10h – Encerramento da Programação OU Lançamento da Rádio Livre – transmitindo do Solar das Lagartixas

14h – Summercamp da Coolmeia + Reativação do Favo Araranguá + Socialismo Libertário & Utópico 101, no Solar das Lagartixas

19h – CineAvenida: O que fazer em caso de incêndio, no Galpão Cultural

 

ENDEREÇOS IMPORTANTES:

Solar das Lagartixas: Rua Sergipe 339, Jardim das Avenidas

Galpão Cultural: Rua Turvo nº 315, Urussanguinha

Horta Coletiva: Rua Maranhão, entrada pelo portão prateado em frente à casa de nro. 267 – Jardim das Avenidas (na rua dos fundos do Solar das Lagartixas)

Cemitério Municipal, próximo ao Angeloni

 

Saiba mais sobre a história do Carnavalsofia aqui: história do carnavalsofia

Armadilha de Lagostas Facebook
ago 28

Desfazendo a armadilha para lagostas, ou: enfrentando o Facebook e suas mazelas

By Rafael Reinehr | Redes Sociais

    Redes sociais como Orkut e Facebook servem para uma coisa: encontrar pessoas. Sinceramente, acredito que devam ser utilizadas somente para isso.
    Apesar de oferecerem uma série de ferramentas de produção de conteúdo, comunicação privada e muito mais, não devemos esquecer que eles não deixam de ser um CMS (Content Management System) proprietário, de direito privado. Ou seja: são propriedade de alguém, assim como todo conteúdo que por lá é publicado. Você leu os Termos de Uso?
    Este alerta deve ser feito porque é interessante notar que muitas pessoas estão jogando sua produção em espaços sobre os quais tem pouco ou nenhum controle. O Facebook, por exemplo, impossibilita toda tipo de exportação de dados para outro sistema manejado por você.

Armadilha de Lagostas Facebook

    Michael Gilbert, em artigo publicado no Nonprofit Online News, nos dá algumas dicas de como tirar o máximo do Facebook sem ser pego na armadilha para lagostas que são as redes sociais proprietárias:

  1. Nunca solicite a ninguém usar o Facebook para interagir com você de uma forma particular ou exclusiva. Por exemplo: sempre deixe o mesmo conteúdo disponível de uma forma aberta em outro local
  2. Nunca solicite a ninguém usar o Facebook para interagir com seus pares de um modo particular. Isso quer dizer: não faça do Facebook um clube exclusivo.
  3. Sempre procure por formas de tirar as pessoas da armadilha para lagostas e colocá-las em redes de conexão amplas e públicas. Use o Facebook como um ponto de entrada para uma outra mídia, mais amplamente conectável, nunca no outro sentido
  4. Nunca desenvolva conteúdo somente para o Facebook. Essa é o corolário número 1, mas necessita de ênfase
  5. Sempre trabalhe para tornar os mapas sociais de sua rede mais visíveis. Em outras palavras, uma das características mais fortes do Facebook é a capacidade de encontrar amigos de amigos. No caso de suas redes, não deixe o Facebook ser o único local em que elas acontecem
  6. Nunca confunda o Facebook com as redes sociais as quais ele alimenta. Por exemplo, não nomeie seus projetos de redes sociais vinculados ao Facebook ou a outras mídias. Nomeie-os de acordo com os grupos de stakeholders que você está tentando empoderar
  7. Sempre seja especialmente disciplinado em seu pensamento onde pressão sobre os pares está acontecendo. Tenha em mente como você está influenciando as pessoas em virtude das conexões que você está estimulando.

    Resumo da ópera: compartilhe, mas abra o olho. Veja se não está pondo seus ovos na cesta da raposa. No mais, relaxe e goze em gotinhas.
    A capacidade de espalhar socialmente nossas atitudes, ou “social lifestreaming” será a ação que finalmente mostrará aos indivíduos o poder do “opensource”, uma ação sobre a qual cada um terá controle, e cada terminal se tornará uma plataforma de publicação representativa de seu proprietário ou autor. Atitudes voltadas para esta direção estão aparecendo em vários pontos da web, e irei abordá-las em um novo artigo.

rede
ago 19

Blogs, Redes Sociais e para onde vai o rio?

By Rafael Reinehr | Blogosfera

Ontem estive navegando por um blog que gosto muito e, depois de ler todos os artigos que estavam na página principal do blogueiro (que também é doutor e professor de Astronomia) percebi que, de fato, existem blogs que vieram para ficar, independente desta onda de “meiomarasmo” que anda rondando a Blogosfera.

redeOs blogs que menos estão sofrendo com a “crise” são justamente aqueles que sempre estiveram fora do mainstream do Blogverso, aqueles que blogavam menos para o leitor, para um pretenso público, e mais por razões pessoais, íntimas.

Quando a visibilidade ou o gás fornecido pela Bolívia pelos leitores começou a rarear, alguns blogueiros tradicionais, seguindo o discurso que vem de fora passaram a perceber o blog como uma ferramenta obsoleta, ou que possivelmente estivesse sendo gradualmente substituída pelas redes sociais.

Um amigo meu já disse, taxativamente, no Twitter: “Gosto de blogar, mas cansa. Mas twittar tem sido anos-luz mais gratificante. Por que será?!”

É inegável que algumas redes sociais, principalmente algumas nas quais geramos comunidades ou grupos dos quais somos protagonistas, nos trazem benefícios facilmente mesuráveis. As pessoas que por lá estão parecem mais focadas em um dado assunto ou tema, como em um Clube de Leituras, onde o assunto são livros ou, ainda mais especificamente, um livro em especial. As discussões podem ser mais apaixonadas e trazer uma gratificação maior para quem participa.

Não sou um bom crítico deste boom das redes sociais, mas sou um bom observador e leio com frequência o que alguns analistas dizem sobre o fenômeno. Minha humilde conclusão me leva a crer que os próximos anos revelarão uma intensificação ainda maior de redes em que o conteúdo seja feito de muitos para muitos (em detrimento dos blogs, em que o conteúdo é feito de um (ou de poucos) para muitos. Os blogs não vão, de jeito nenhum, acabar. Como minha amiga Elenara, que usa o “blog como 1 meio de guardar coisas que acha interessantes”, muitas pessoas encontrarão utilidade para este espaço em que a expressão da liberdade encontra sua vez.

PS: enquanto blogueiros como o Francis estiverem postando imagens como essa, é bom nem pensar em desaparecimento da Blogosfera!

ago 16

Deixando de utilizar o e-mail (ou livrando-se das correntes, parte I)

By Rafael Reinehr | Novidades!

Comecei hoje um processo de redução gradual do uso do e-mail, que deverá culminar, em algumas semanas, com a cessação quase completa da utilização dessa ferramenta ora revolucionária e agora arcaica de comunicação entre indivíduos.

Em cada e-mail que hoje utilizo, uma auto-resposta irá instruir meu amigo, conhecido ou pessoa interessada em me alcançar como fazê-lo. Não terei mais preocupações com spams e outras questões relacionadas à rigidez desta ferramenta antiquada.

Como vou fazer isso? Basicamente criando uma rede que propicie um ambiente transparente em que eu possa me comunicar, de forma não hermética (como no e-mail) com as pessoas que me interessam e que se interessam pelo que tenho a dizer.

Enquanto organizo este sistema, vou publicando aqui o andamento deste projeto. Neste ínterim, veja o que Luiz Suarez, da IBM, nos ensina sobre viver sem e-mails em sua palestra “Thinking Outside the Inbox“, no vídeo abaixo.

jul 09

Desafio por um Mundo mais Verde e Solidário

By Rafael Reinehr | Ideias

A Coolmeia lançou hoje um desafio que gostaríamos muito que você, caro leitor, abraçasse.

ATENÇÃO: ESTA É UMA EXPERIÊNCIA DE INTEGRAÇÃO REAL, E NÃO VIRTUAL.

Boca a BocaA Coolmeia, Ideias em Cooperação é uma iniciativa de base social e ecológica que visa produzir o maior número de benefícios ao maior número de pessoas possível, sem esquecer a sustentabilidade. Como benefícios, entendemos saúde, acesso à água potável, moradia confortável, trabalho e remuneração dignas, consumo consciente de bens e serviços, uso de tecnologias verdes, inclusão social e digital, educação de qualidade, microcréditos, desenvolvimento local, enfim, condições que levem os indivíduos a uma vida plena em harmonia com o ambiente físico e social que os cerca.

Partindo deste pressuposto, precisamos comunicar nossas intenções e trazer para abraçar nossa causa – que certamente é a de muitos – o maior número de pessoas possível. Para tanto, escolhemos (nem tão arbitrariamente assim) o número de 180 mil pessoas como um número de pessoas suficientes para iniciar uma massa crítica, uma rede de indivíduos genuinamente preocupados em melhorar a vida do local onde moram, das condições de trabalho que exercem ou daqueles à sua volta e assim por diante.

O desafio é o seguinte: nas próximas 6 semanas, vamos trazer para a comunidade da Coolmeia 182 mil pessoas (cerca de 0,1% da população do Brasil), dentre nossos amigos, familiares, colegas de trabalho, de Igreja, da academia, de nossa vivência enfim. Um detalhe: NÃO VALE CONVIDAR PELA INTERNET! (com exceção deste texto de apresentação do Desafio)

Eis o Desafio:

Passo 1: Cada pessoa que aceitar o desafio se cadastra na Coolmeia (http://coolmeia.ning.com) e se compromete consigo mesmo a trazer para a Comunidade 3 pessoas do seu círculo de relacionamento. É interessante que esta pessoa seja alguém que já trabalhe com alguma causa social, ecológica ou de cidadania ou que, pelo menos, tenha interesse no assunto. Detalhe: você deve se comprometer a fazer isso em 1 semana a contar de quando você ler este texto.

Passo 2: Ao convidar esta pessoa, você também deve colher dela o compromisso de que ela deve trazer consigo mais 3 pessoas do círculo de relacionamento dela, com as mesmas características acima, ou seja, uma pessoa altruísta, com coração generoso e preocupada com a sociedade ou o ambiente. Detalhe: ela deve se comprometer a trazer 3 pessoas através de contatos reais (pessoas do trabalho, da escola, da Igreja, da Associação de Bairro, da ONG, da família) em uma semana, através de um convite AO VIVO, não por e-mail!

Desta forma, teremos a seguinte evolução (prevista) no número de membros:

Hoje: 250 (09/07/2009 – 13horas e 10minutos)
Fim da Semana 1: 750 (16/07/2009)
Fim da Semana 2: 2250 (23/07/2009)
Fim da Semana 3: 6750 (30/07/2009)
Fim da Semana 4: 20.250 (06/08/2009)
Fim da Semana 5: 60.750 (13/08/2009)
Fim da Semana 6: 182.250 (20/08/2009)

E então? Será que vamos atingir nossa meta em 6 semanas? Vamos testar nossa capacidade de fazer o bem com este desafio simples, o de convidar 3 pessoas a tomarem conhecimento e se cadastrarem na Coolmeia?

Ah! Não precisam ser só 3 pessoas não! Se você quiser convidar 4, 5 ou mais pessoas, fique à vontade! Sua ajuda será ainda maior! Então vamos lá. Vamos transformar 250 em 182.250 pessoas comprometidas até 20 de agosto de 2009 e mostrar que tem muita gente insatisfeita com a política de nosso país, com a exploração de trabalho infantil, com a má-qualidade da educação, da alimentação, com as relações de trabalho, com a desvalorização das minorias. As causas são muitas e estão espalhadas, “cada qual no seu quadrado”. Vamos começar a mudar isso neste círculo de amizade, aprendizado e integração que é a Coolmeia.

Depois de ter convidado e se certificado que pelo menos 3 pessoas convidadas por você aderiram à Coolmeia, aí sim você pode divulgar a rede em seu blog, comunidade do Orkut, lista de e-mails ou através da ferramenta de Convite do Ning . Antes, só no boca-a-boca.

Desafio lançado, agora é contigo! Mão na massa! Ou melhor, boca no ouvido do amigo!

1 2 3 7