O Seqüestro de Eloá e as opções que não foram aventadas

By Rafael Reinehr | Reality Shows

Out 21
sonífero

Já se falou demais no caso, a polícia novamente tentou fazer o que achava melhor e mais uma vez o resultado não foi o esperado (tampouco esta será a última ação fracassada de nossas forças de supressão (opressão?) à violência. Uma pergunta, entretanto, ecoou em uma singela reunião de quatro médicos e uma psicóloga na noite de domingo:

Não poderia a polícia ter enviado, após três dias de negociação, um alimento repleto de calmante ou sonífero, bem como uma dose "derruba-elefante" na água ou na bebida enviada ao trio?

soníferoTalvez nos primeiros dias, o seqüestrador podia estar atento ao alimento e deveria pedir para as meninas comerem e beberem primeiro. Depois de três dias comendo prendendo as menininhas e dormindo muito pouco ou quase nada o raciocínio do canalha provavelmente já não mantinha qualquer capacidade de esquivar-se de medidas um pouco mais inteligentes do que as usuais.

Mas talvez estejamos falando uma grande besteira, e alguém mais entendido no assunto poderá vir aqui e me criticar. Gostaria de ouvir.

Ao menos, a família de Eloá demonstrou, apesar do sofrimento extremo, uma fantástica capacidade de solidariedade e hoje o coraçào da menina já bate no corpo de outra moça, uma senhora paraense que há 18 meses esperava um transplante. O pulmão também já ventila em uma jovem de 18 anos com fibrose cística, bem como o pâncreas, os rins e as córneas. Que o coração de Eloá siga batendo por muitos e muitos anos ainda, para que esta história não seja esquecida tão cedo.

banner do Medictando - O Bem-estar ao seu alcance

Banner da Zen Nature produtos orgânicos, sustentáveis e oriundos do comércio justo

Gostou deste post? Se ele lhe ajudou, que tal doar 1 real para que continuemos produzindo conteúdo assim?
Doação Única de Qualquer Valor via PagSeguro: https://pag.ae/blhvRmR
Regras para comentários: Tudo OK criticar, mas se você trolar, seu conteúdo será deletado. Divirta-se e obrigado por somar à conversação.

(21) comments

Add Your Reply