Posts made in outubro, 2009


Essa é a primeira imagem do nosso brotinho.

Na verdade, a primeira tanto eu quanto a Carol tivemos em nossa imaginação, mas essa é a primeira imagem que a tecnologia atual permite compartilhar com os amigos.

O vídeo é um pouco pesado é pode demorar para carregar, mas já dá pra ver a cabecinha, o início dos membros, a coluna lombar e até o incipiente coração e o que virá a ser as carótidas.

Agora é caprichar na alimentação, não se estressar muito, ter boas noites de sono e o resto é com a Natureza.

http://www.youtube.com/v/1mvsn50eIWY&hl=pt-br&fs=1&

Read More

É justo fazer um animal sofrer?

É aceitável, moralmente aceitável que os humanos se utilizem dos animais da forma que fazem hoje, sem o devido respeito?

Darwin disse:

“Não há diferenças fundamentais entre o homem e os animais nas suas faculdades mentais (…) os animais, como os homens, demonstram sentir prazer, dor, felicidade e sofrimento.”

É possível utilizar os animais para nosso sustento sem ferir um direito fundamental que parece existir à vida de quem nos cerca? Refletindo sobre a questão…

Read More

Nossos pés deixam pegadas na areia do tempo. Se estivermos no caminho errado, muitos nos seguirão, desviando-se do que é correto. Quando pensamos que uma ação é só por aquele momento e esquecemos que ela deixa um rastro atrás de si, não estamos sendo responsáveis.
Todas as nossas ações afetam os seres humanos, dando-lhes alívio ou tristeza. Podemos fortalecê-los ou não. Podemos causar ferimentos ou curas. Podemos gerar conflitos ou resolvê-los. Podemos criar cataclismas ou algo nobre para a sociedade.
” B.K.Jagdish

Este fantástico pensamento, por mim retirado há mais de uma década do “Almanaque Gaúcho”, publicado em Zero Hora e que agora reside não só naquela folha amarelada que guardo comigo, conseguiu realizar uma mudança gigantesca na forma que percebo o mundo e as coisas ao meu redor.

Posso dizer que, na experiência da minha vida,

esse talvez tenha sido o chacoalhar que deu início ao meu processo de Despertar. Sempre que me referir a este termo, “Despertar“, me refiro não a um acordar biológico tão somente, e também não uso o termo como um fenômeno puramente místico mas, mais ainda, a um fenômeno que abraça em si as necessárias mudanças biológicas, espirituais e sociais necessárias a uma Reforma do Pensamento.

Esta Reforma do Pensamento, que começa com uma Reforma da Percepção e passa por uma Reforma do Julgamento, é o sentido último do meu esforço intelectual dos últimos 14 anos. Tenho forte convicção de que as mudanças que urgem passam por este processo que, em última instância, deverá modificar a forma com que percebemos, julgamos e pensamos.

Entretanto, e agora me dobro a evidências empíricas, nem sempre é através da palavra – como ocorreu comigo – que se consegue promover o “Despertar“. Muitas vezes, precisamos da prática, da ação, do exemplo como ferramenta para que a mudança ocorra.

Hoje, infelizmente, ainda precisamos ser violentados, maltratados, desrespeitados, perder o emprego, ter nossa honra machucada ou precisamos ser retirados de nossa “zona de conforto” para perceber que alguma coisa está muito errada no mundo aí fora. Os sinais da degeneração da qualidade de vida estão cada vez mais salientes e, apesar do crescimento do consumo de bens materiais, pouquíssimas vezes conseguimos escutar a palavra felicidade. E esta, por incrível que possa parecer a este ser humano individualista, capitalista e competidor que é a regra hoje em dia, é mais ouvida em ambientes onde a confraternização, a socialização e a cooperação estão presentes. Paradoxal? Nem tanto, quando lemos alguns estudos científicos a respeito.

Pois é deste fluxo que trataremos aqui:

o fluxo contínuo de linguagear, emocionar e conversar – para utilizar os neologismos criados por Humberto Maturana – em direção a um porvir mais voltado para o social do que para o individual, que tenda à cooperação entre as pessoas e o ambiente. Por incrível que pareça, você não precisará abrir mão de seu conforto para isso. Aprenderemos juntos como seguir este caminho. O primeiro passo está dado. Agora me dê sua mão e vamos caminhar juntos.

– Utopia […] ella está en el horizonte. Me acerco dos pasos, ella se aleja dos pasos. Camino diez pasos y el horizonte se corre diez pasos más allá. Por mucho que yo camine, nunca la alcanzaré. Para que sirve la utopia? Para eso sirve: para caminar.Eduardo Galeano

(publicado originalmente na Coolmeia, em 6 de abril de 2009)

Read More

A Ordem dos Advogados do Brasil lançou uma campanha cujo objetivo seria devolver às mãos do povo o poder sobre seus representantes e sobre as decisões que lhe interessam.

No site, informam:

“A Constituição, em seu art. 14, assegura ao povo brasileiro o poder soberano de tomar decisões diretamente, em plebiscitos e referendos, sem ser impedido pelos seus representantes no Congresso Nacional. Se você não quer abrir mão desse seu direito fundamental de cidadania, peça ao Senado Federal que vote o Projeto de Lei nº 001/2006.
Clique aqui e veja na íntegra.”

“Os que foram eleitos pelo povo para ocupar cargos públicos não devem permanecer nesses cargos, quando perdem a confiança do povo. Se você concorda em que seja introduzido em nossa Constituição o poder soberano do povo de destituir os ocupantes de cargos eletivos que perderam a confiança popular (recall), peça ao Senado Federal que vote a Proposta de Emenda Constitucional nº 073/2005.
Clique aqui e veja na íntegra.”

“A utilização por parlamentares, em proveito particular, de passagens aéreas pagas com recursos da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal constitui ato de improbidade administrativa. A recusa de publicação, no Senado Federal, de centenas de atos de nomeação para o exercício de cargos ou funções públicas constitui, da mesma forma, ato de improbidade administrativa. Se você concorda em que qualquer cidadão possa ter o direito de ajuizar uma ação de improbidade administrativa contra os responsáveis pela prática de tais atos, peça à Câmara dos Deputados que vote o Projeto de Lei nº 6.997/2006.
Clique aqui e veja na íntegra.”

de-olho-no-brasil

Apesar de, aparentemente, a iniciativa ser positiva, ultimamente ando desconfiado de atitudes tomadas por órgãos instituídos. Estou divulgando aqui na esperança de que leve a alguma mudança significativa, mas não sem dizer:

OAB, estamos de olho em você!

Read More

Pois finalmente o pessoal no Facebook atendeu ao pedido de milhares de usuários: lançou a versão Lite, sem todas aquelas parafernalhas que o fizeram ter tanto sucesso. O fato é que, para algumas pessoas, todos aqueles coraçõezinhos e fru-frus eram um empecilho para o bom uso da ferramenta. Você pode acessar a versão Lite indo em lite.facebook.com

facebook

Read More
%d blogueiros gostam disto: