Posts made in maio, 2015


Saúde para quem precisa

Saúde para quem precisa


Posted By on Maio 5, 2015

“Polícia para quem precisa
Polícia para quem precisa
de Polícia…”
Titãs

    Para começar, bom dia caro leitor.

Comunico que acabo de colocar fora o artigo que tinha escrito para esta edição, em função dos últimos acontecimentos nesta Terra brasilis.

    Enquanto escrevo estas linhas, os noticiários estão literalmente pegando fogo: jamais na história deste país, por tantos dias seguidos e em tantas cidades, ocorreram aglomerações de tantos cidadãos protestando por tantas causas justas e necessárias. Uma heterogeneidade de métodos, desde passeatas e protestos pacíficos até depredação de patrimônio público e privado, entretanto, tornam difícil uma análise fácil das mobilizações como um todo.

    Neste mesmo momento, uma série de decisões importantes relacionadas à saúde da Nação e da população são tomadas: desde a votação da PEC 37, que visa eliminar a capacidade do Ministério Público Federal de investigar crimes e lutar contra a impunidade em nosso país, passando pela aprovação na Comissão de Direitos Humanos da Câmara do que foi chamado de “Cura Gay”, ou seja, a possibilidade de psicólogos proporem tratamento para a homossexualidade, indo contra ao próprio Conselho Federal de Psicologia que proíbe que a homossexualidade seja vista como doença e, mais recentemente, a aprovação do Ato Médico no Senado, que reserva exclusivamente aos profissionais médicos a prerrogativa de diagnosticar, prescrever medicamentos, realizar cirurgias, internações e altas hospitalares.

    Um pouco antes, a notícia da vinda de médicos cubanos para responder à uma demanda de cidades isoladas do país, nas quais existe uma demanda significativa por profissionais médicos que não é atendida pelos médicos formados em nosso país, gerou polêmica e é criticada por uns e aplaudida por outros.

    Meditando sobre a complexidade inerente a cada situação, em seus múltiplos pontos de vista possíveis, observando beneficiados e prejudicados, lados fortes e fracos da equação, os interesses claros e obscuros por trás de cada medida, escolhi as posições que devo ocupar. Como ser político que sou, minha saúde e qualidade de vida – entendida pela imbricada teia de variáveis que constituem o que é ser saudável para bem além do corpo, incluindo as variáveis ambientais e sociais – dependem também das decisões que são tomadas em relação a quem vai monitorar a criminalidade organizada e a corrupção ativa em meu país, em perceber se os cidadãos com os quais convivo estão ficando mais ou menos tolerantes com a diversidade, em me dar conta de quais são, de fato, as pessoas que podem cuidar de minha saúde física e mental, bem como de meus amigos, familiares e pessoas que prezo e, também, em como está garantida, por lei, pelo mercado ou pela facilidade de acesso, o meu contato a profissionais qualificados para promover e restituir minha saúde.

    Para cada variável, podem existir prós e contras, mas nem sempre podemos ser duais.

Não podemos ao mesmo tempo permitir e não permitir algo. Temos que nos posicionar. Eu tomei minha posição. Você tomou a sua?

(publicado originalmente em 2013 na Revista DOC)

Read More

Não há, ó gente ó não, luar como esse do sertão…

Quando conseguimos parar nossas vidas, descer delas, dar uns passos e olhar para ela, ali, inerte, podemos aprender muito. Podemos aprender que velocidade em excesso não é bom. A pressa é realmente inimiga da perfeição.

Contemplação é necessária para que possamos perceber que fomos feitos também para gozar a vida, não somente construir futuros desenfreadamente sem usufruir. Volta e meia nos deparamos com problemas em nossa existência. Desde os mais simples: dívidas a pagar, prazos de entrega ou realização de compromissos, até mais importantes como casamento, aposentadoria, falecimento de entes próximos, etc. Nesses momentos, alguns de nós têm a percepção de que estão em um beco sem saída, encurralados, sem opções. Esse é um momento bom para parar tudo, dar uns passos atrás (ou ao lado) e observar nossas vidas.

Crises vitais e problemas são, na verdade, grandes aliados: são ferramentas que nos dão a oportunidade de recomeçar ou incrementar nossas atitudes positivas frente à vida. Momentos de amargura e sofrimento são inerentes à condição humana. Não podemos esquecer disso em nenhum momento. Recarregar as energias é a pedida!

Atravessar precipícios em pinguelas cambaleantes e mergulhar em águas gélidas faz parte do nosso caminho. Sabemos disso, entretanto queremos negar tal aspecto da existência. Contos de fadas são contos de fadas. Vidas reais são as nossas vidas. Objetivos existem e devem ser atingidos, principalmente quando norteados por princípios éticos e morais bem delimitados. Vamos dar o tempo que nossos atos precisam para colher os frutos.

Rafael Luiz Reinehrluar-do-sertao

A tristeza é só um esquecimento. Você esqueceu que foi criado pela luz e para a luz, Mas agora está no escuro, Que é só o meio do caminho” – Cleber Saffi – 29/04/03

 

Read More

 

Listando grandes temas para blogagem!

Como já fiz em outros tempos de blogagem, na qual conseguia postar até 3 postagens por dia (sem filhos, sem tantos compromissos assumidos), organizei uma série de “grandes temas” sobre os quais deverei escrever em meu weblog.

agenda-reinehr

Nem todos os dias conseguirei criar dois posts novos, alguns serão requentados de publicações minhas em outros portais, revistas ou sites, outros ainda são originais guardados nas gavetas e HDs por aí.

Pensei na seguinte distribuição de temas ao longo da semana:

Segundas:

* Literatura
* Sociedade

Terças

* Simplicíssimo
* Saúde e Bem-estar

Quartas

* Ecologia/Sustentabilidade
* Indicação de blog/site

Quintas

* Fotografia/Fotos de Quinta
* O Pensador Selvagem

Sextas

* Tecnologia
* Cinema

Sábados

* Comunidade
* Música

Domingos

* Faça você mesmo
* Gastronomia

Outras postagens variadas intercalam-se com estas, quando houver vontade, necessidade ou urgência nas ruas, corações e espíritos!

Read More

Esta receita de peixe ao molho tailandês picante aprendi com o amigo médico e chef de cozinha Vinicio Mucilo Neto. É um dos meus pratos preferidos até hoje. Simplesmente amo o sabor deste molho!
A receita abaixo serve 8 pessoas. Vamos lá!
pla-tom-yam
Ingredientes:
Peixe
2400g de peixe branco (linguado, congrio)
08 colheres de sopa de farinha de trigo misturada com 2 colheres de chá de sal e 2 colheres de pimenta do reino
16 colheres de sopa de óleo (qualquer tipo, menos de oliva)
2 talos de capim cidró cortado em rodelas finíssimas
2 colheres de sopa de gengibre picado e frito
2 colheres de sopa de folhas de limão tailandês (Kafir) cortada em tiras finas e frita
Molho
04 colheres de sopa de óleo (qualquer tipo, menos azeite de oliva)
02 talos de capim cidró cortado em rodelas finíssimas
02 colheres de sopa de gengibre cortado em tiras finas
04 folhas de limão tailandês (Kafir) picada fina
02 pimentas dedo de moça cortada em rodelas finas
02 colheres de sopa de molho de ostras
250 ml de creme de leite (nata)
250ml de caldo de frango natural
02 colheres de sopa de molho de peixe
02 colheres de sopa de açúcar de palmeira
03 colheres de suco de limão

Preparo:
Peixe:
Cobrir o filé de peixe com a mistura de farinha e fritar até dourar. Secar em papel toalha.
Coloque o peixe num prato e o cubra com capim cidró, gengibre e folhas de limão frito
Coloque o molho num canto do prato e sirva imediatamente
Servir com arroz tailandês
Molho:
Em fogo baixo frite o capim cidró, gengibre, folhas de limão tailandês e rodelas de pimenta até dourar e soltar aroma. Acrescente o molho de peixe, açúcar de palmeira, molho de ostras e nata e misture sem parar. Acrescente o suco de limão e, aos poucos, o caldo de frango até chegar numa consistência de molho normal.
Bom apetite!
Read More

Esta receita de peixe ao molho tailandês picante aprendi com o amigo médico e chef de cozinha Vinicio Mucilo Neto. É um dos meus pratos preferidos até hoje. Simplesmente amo o sabor deste molho!

A receita abaixo serve 8 pessoas. Vamos lá!

pla-tom-yam

Ingredientes:

Peixe
2400g de peixe branco (linguado, congrio)
08 colheres de sopa de farinha de trigo misturada com 2 colheres de chá de sal e 2 colheres de pimenta do reino
16 colheres de sopa de óleo (qualquer tipo, menos de oliva)
2 talos de capim cidró cortado em rodelas finíssimas
2 colheres de sopa de gengibre picado e frito
2 colheres de sopa de folhas de limão tailandês (Kafir) cortada em tiras finas e frita

Molho
04 colheres de sopa de óleo (qualquer tipo, menos azeite de oliva)
02 talos de capim cidró cortado em rodelas finíssimas
02 colheres de sopa de gengibre cortado em tiras finas
04 folhas de limão tailandês (Kafir) picada fina
02 pimentas dedo de moça cortada em rodelas finas
02 colheres de sopa de molho de ostras
250 ml de creme de leite (nata)
250ml de caldo de frango natural
02 colheres de sopa de molho de peixe
02 colheres de sopa de açúcar de palmeira
03 colheres de suco de limão

Preparo:

Peixe:
Cobrir o filé de peixe com a mistura de farinha e fritar até dourar. Secar em papel toalha.
Coloque o peixe num prato e o cubra com capim cidró, gengibre e folhas de limão frito
Coloque o molho num canto do prato e sirva imediatamente
Servir com arroz tailandês

Molho:
Em fogo baixo frite o capim cidró, gengibre, folhas de limão tailandês e rodelas de pimenta até dourar e soltar aroma. Acrescente o molho de peixe, açúcar de palmeira, molho de ostras e nata e misture sem parar. Acrescente o suco de limão e, aos poucos, o caldo de frango até chegar numa consistência de molho normal.

Bom apetite!

Read More
%d blogueiros gostam disto: