Monthly Archives: setembro 2019

Indicações de Livros sobre Como Escrever
set 23

Como Escrever Bem: 4 Dicas Fundamentais para Quem Quer Começar a Escrever ou Para Quem Quer Desenvolver Seu Próprio Estilo

By Rafael Reinehr | Literatura

Se você quiser aprender a Como Escrever Bem ou Como Desenvolver Seu Próprio Estilo, chegou ao lugar certo!

Então, hoje o papo por aqui é Escrita e Literatura. No outro dia, recebi da Natalí Rosa –  querida amiga psicóloga de quem tive a honra de participar de sua banca de TCC – o seguinte pedido:

Bom dia!
Rafael, como você fez o vídeo sobre as pessoas interagirem mais com seus conteúdos, resolvi pedir algo que há tempos eu gostaria de pedir…mas, como você é muito ocupado deixe de lado. rssss

Seguinte, os poucos textos seus que eu li, percebi que você escreve muito bem. Mas, não é só escrever bem, é uma maneira diferente, uma forma particular tua, acredito. O ponto é que gostei da maneira como você escreve e, eu gostaria de pedir uma sugestão ou sugestões para que eu posso aprimorar minha escrita.
Gosto de leituras, gosto de escrever também, mas não acho que fica bom e acabo apagando tudo. rsss
Bem, sei que aprendemos escrever escrevendo, mas você tem alguma outras dicas?
É isso!
Abraço!

Cá estou eu, para, de forma sintética, começar a resolver esta questão – cuja resposta é simples, porém não existe “almoço grátis” para ela, ou seja, é necessário algum esforço concentrado e prática para desenvolver seu estilo e escrita.

Basicamente eu poderia dar 4 dicas para qualquer pessoa que deseje aprimorar sua escrita:

  1. Leia muito. Sempre. O dia inteiro. Tanto quanto puder e seus olhos aguentarem. Eu leio – sem brincadeira – todos os dias da minha vida desde os 3 anos e meio, quando minha tia Solange me ensinou a ler. Na primeira infância eu lia tudo, desde placa de carros, lista telefônica, classificados de jornal, até coisas mais divertidas como revistas em quadrinho e até, um pouco mais tarde, revistas femininas como Nova e Cláudia (acreditem!). Na sexta série do ensino fundamental, reza a lenda que li 67 livros em um ano escolar, espontaneamente, sem estímulo familiar ou dos professores. Eu gosto de ler. Me deixa!
  2. Escreva muito. Sempre. O dia inteiro. Tanto quanto puder e seus dedos ou mãos aguentarem. Meu primeiro dinheiro que ganhei na vida foi como escritor, aos 8 anos de idade. Ganhei um Concurso Cultural do Banco do Brasil, e ganhei uma conta-poupança no valor de alguns mil cruzeiros (me lembro de algo em torno de 6 mil, mas minha memória pode estar falha depois de tanto tempo). Sempre escrevi muito. Era até prolixo. A professora pedia 25 linhas eu escrevia 50. Ela pedia 50 eu escrevia 120. A síntese, por muito tempo não foi minha melhor característica! Mas a mensagem aqui é: exercite o “músculo” da escrita. Nem que seja para refletir, criar, escrever e guardar na gaveta. O exercício rotineiro é realmente fundamental. Nem que seja um diário, no qual você escreva um ou dois parágrafos por dia. Mantive diários em vários períodos da vida, tanto na adolescência quanto na vida adulta. Eram espaços para reflexões, períodos de introspecção, análise societal, de comportamentos humanos, relatos de histórias e também de criação literária. Uma das minhas primeiras experiências na web foi o Escrever Por Escrever, que comecei em 14 de dezembro de 2003 e. Antes mesmo desse blog, eu criei em 03 de junho de 2000 um projeto com o mesmo nome (Escrever Por Escrever) cujo objetivo era escrever diariamente sobre qualquer assunto que me viesse à cabeça, de forma livre e descompromissada. Livre pensar, livre fluxo. Anotava o horário no qual começava a escrever e o horário em que terminava. Durou alguns anos, e foi um belíssimo exercício de escrita criativa, sem amarras técnicas ou estilísticas, e gerou impressionantes insights, aprendizados e experiências.
  3. Leia sobre Como Escrever. Não tenha medo de ter seu estilo pessoal tolhido. Aprenda com os mestres, para depois libertar-se deles. Defina um estilo que você quer aprender a dominar, a masterizar e busque 3 a 5 livros sobre este estilo (Conto, Crônica, Poesia, Crítica, Roteiro…) ou faça como eu: navegue por vários e crie sua própria “síntese”, sua “mistura fina” de conhecimento sobre a arte da escrita. Não posso recomendar o que não li, então deixo as seguintes obras para como referência:
    1. Aspectos do Romance, de E.M. Forster
    2. Uma poética de romance, de Autran Dourado
    3. Os segredos da ficção, de Raimundo Carrero
    4. Manual do Roteiro, de Syd Field
    5. Teoria e Prática do Roteiro, de David Howard e Edward Mabley
    6. A Angústia da Influência – Uma Teoria da Poesia, de Harold Bloom
    7. A poética do conto, de Charles Kiefer
    8. A arte de escrever, de Arthur Schopenhauer
  4. Faça algum Curso sobre Como Escrever. Quer seja Online ou Presencial, vale muito a pena investir e ouvir quem já trilhou esse caminho. As dicas de bons escritores são preciosíssimas, e podem te economizar muito muito tempo no teu próprio caminho. Pessoalmente, valorizo muito mentores, e invisto pesado (tanto quanto posso) em ouvir pessoas que trilharam antes de mim os caminhos que desejo seguir. Se tem como investir, não titubeie: invista e seja feliz!

Espero que as dicas acima possam ter jogado uma luz sobre um caminho a seguir para desenvolver sua própria verve, sua própria veia literária. Se você realmente for apaixonado(a) por ler e escrever, nada (além da procrastinação!) irá te impedir de se tornar um ótimo escritor. Só que, da forma que eu vejo as coisas, se você procrastinar para fazer algo que você “diz que” ama, na verdade você não ama tanto assim, pois não conseguimos ficar longe de algo que amamos.

É justamente por isso que Leio, Aprendo e Escrevo todos os dias da minha vida!

Natalí, muito obrigado pela sua pergunta. Aos demais leitores deste artigo, uma excelente jornada em sua caminhada como escritores. Se desejarem compartilhar um pouco da sua história, fiquem à vontade para utilizar a Caixa de Comentários abaixo!

Até mais ver! Namastê.

Coolmeia Textos Seminais
set 23

Coolmeia, Ideias em Cooperação: No Que Acreditamos E O Que Queremos – Um Manifesto

By Rafael Reinehr | Coolmeia

Abaixo compartilho com você alguns dos textos fundadores e embasadores da Coolmeia, Ideias em Cooperação, uma Incubadora de Ideias e Soluções Altruístas Voltada ao Bem Comum.

São 334 páginas para sua diversão e inspiração. Textos sobre cooperativismo, apoio mútuo, por uma sociedade e economia mais justas, sobre equanimidade, sustentabilidade, convivialidade, educação, justiça social… Entre eles você encontra os primeiros textos do que vieram a se constituir no Manifesto, na Carta de Princípios e nas Bases do Diálogo da Coolmeia bem como alguns artigos meus que escrevi aqui no blog e em outras paragens ao longo dos últimos 20 anos.

Respire fundo, sente-se confortavelmente, aproxime-se de um café ou um chá quentinho (ou gelado!) e mergulhe! Prepare seu espírito para uma jornada deliciosamente inspiradora, com ideias que fazem minha própria essência vibrar animadamente a cada momento no qual imagino este mundo sendo coletivamente criado.

Se te inspirar e te mover, entre em contato. Em breve a Coolmeia estará de volta, e você pode fazer parte desse Movimento, dessa Comunidade!

Faça o Download clicando no link a seguir: Coolmeia: No Que Acreditamos e o que Queremos

set 10

Daniel Matos, o Blogodependente

By Rafael Reinehr | Blogosfera , Blogs e Internet

Outro dia me lembrei de um vídeo engraçadíssimo que vi, há cerca de 12 anos atrás. Chama-se Daniel Matos, o Blogodependente.

Conta a história de um personagem português que não conseguia ficar minutos sem realizar uma postagem em seu blog.

A esquete foi criada pelo Filipe Homem Fonseca e pelo De Pina lá pelos idos de 2007 e, apesar do site original ter tirado ele do ar, consegui encontrá-lo, e resolvi compartilhá-lo abaixo. (Não repare a baixa qualidade do vídeo: foi a melhor que encontrei!)