Biblioteca Anarquista e Libertária
Apontamentos Anarquistas

Lista de Livros Anarquistas e Libertários

Segue uma lista dos livros acerca da Anarquia, Anarquismo, Socialismo Libertário e Socialismo Utópico que estão comigo. A lista a seguir está em constante mutação, sendo que novos exemplares podem ser adicionados a qualquer momento. Os links remetem a resumos ou apontamentos pessoais acerca dos mesmos.

Adelaide Gonçalves e Jorge E. Silva – A Bibliografia Libertária – O Anarquismo em Língua Portuguesa
Alberto Oliva – Anarquismo e Conhecimento
Alexandre Skirda et al – Os Anarquistas Julgam Marx
Alfredo Bonnano – Movimento fictício e movimento real
André Ryoki e Pablo Ortellado – Estamos Vencendo! Resistência Global
Antônio José Botelho – Apontamentos de Engenharia Econômica – um enfoque a partir do anarquismo no contexto do desenvolvimento sustentável
Armand et al – Marx, Stirner e o Anarquismo Individualista
Black Block et al – Urgência das Ruas – Black Block, Reclaim The Streets e os Dias de Ação Global
Caio Túlio Costa – O que é o Anarquismo
Carlos Augusto Addor – A Insurreição Anarquista no Rio de Janeiro
Carlos Diáz – Max Stirner, um Filosofia Radical do Eu
Cristina Rochette Lopreato – O Espírito da Revolta – A greve geral anarquista de 1917
Critical Art Enseble – Distúrbio Eletrônico
Diego Abad de Santillán – A Alforria Final – Os Objetivos da Revolução Social Libertária
Diego Abad de Santillán – Ricardo Flores Magón – O apóstolo da Revolução Mexicana
Edgar Rodrigues – Entre Ditaduras – 1948-1962
Edgar Rodrigues – O Anarquismo no Banco dos Réus (1969-1972)
Edgar Rodrigues et al. – Três Depoimentos Libertários
Edson Passetti – Ética dos Amigos
Eduardo Colombo – Análise do Estado – O Estado como paradigma de poder
Eduardo Colombo – Anarquismo, Obrigação Social e Dever de Obediência
Eduardo Colombo et al – História do Movimento Operário Revolucionário
Eduardo Galeano – Nós Dizemos Não
Élisée Reclus – A Evolução, a Revolução e o Ideal Anarquista
Emilio Gennari – Chiapas: as comunidades zapatistas reescrevem a história
Emma Goldman – Três Ensaios Sobre a Religião
Errico Malatesta – A Anarquia
Errico Malatesta – Anarquismo Libertário e Revisionismo Libertário
Errico Malatesta – Escritos Revolucionários
Errico Malatesta et al – Anarco Comunismo Italiano
Florentino de Carvalho – Pensamento Social de um Anarquista
Francisco Trindade – O Essencial Proudhon
Frank Mintz – O Anarquismo Social
Gaston Leval et al. – Autogestão e Anarquismo
George Orwell – 1984
George Woodcock – História das Idéias e Movimentos Anarquistas – Volume II – O Movimento
George Woodcock – Anarquismo
Gerorge Woodcock – História das Idéias e Movimentos Anarquistas – Volume I – As Idéias
Goya – Os desastres da guerra
Hakim Bey – TAZ – Zona Autônoma Temporária
Henry David Thoreau – A Desobediência Civil
Howard Zinn – Você não pode ser neutro num trem em movimento – Uma história pessoal dos nossos tempos
I.S. – Situacionista – Teoria e prática da revolução
Irecê Rego Beltrão – Corpos Dóceis, Mentes Vazias, Corações Frios
István Mészáros – A Necessidade do Controle Social
Ivan Illich – Sociedade Desescolarizada
Jaime Cubero – Anarco-sindicalismo no Brasil
J.M. Raynaud – Apelo à Unidade do Movimento Libertário
Jean-Christian Petitfils – Os Socialismos Utópicos
Jorge E. Silva – O Anarquismo Hoje – Uma reflexão sobre as alternativas libertárias
José Chrispianiano – A Guerrilha Surreal
Joyeux et al – Surrealismo e Anarquismo
Le Libertaire e Lê Monde Libertaire – Espanha Libertária – A Revolução Social Contra o Fascismo
Leo Vinicius – A Guerra da Tarifa
Luther Blissett – Guerrilha Psíquica
Magón – A Revolução Mexicana
Marc Pierrot – Do Individualismo
Mark Twain – Reflexões Sobre a Religião
Max Stirner – O Falso Princípio de Nossa Educação
Matteo Guarnaccia – Provos – Amsterdam e o nascimento da contracultura
Maurice Joyeux – Reflexões Sobre a Anarquia
Mikhail Bakunin – Deus e o Estado
Mikhail Bakunin – Escritos Contra Marx
Mikhail Bakunin – A Instrução Integral
Mikhail Bakunin – Textos Anarquistas
Murray Bookchin – Comunalismo: a dimensão democrática do anarquismo
Murray Bookchin – O Bairro, A Comuna, A Cidade… Espaços Libertários
Murray Bookchin – O Anarquismo Frente aos Novos Tempos
Murray Bookchin – Sociobiologia ou Ecologia Social
Ned Ludd – Apocalipse Motorizado – A tirania do automóvel em um planeta poluído
Nestor Makhno et al – E a Revolução Social na Ucrânia
Nicholas Walter – Do Anarquismo
Nildo Avelino – Anarquistas, Ética e Antologia de Existências
Noam Chomsky – Notas Sobre o Anarquismo
Paul Lafargue et al. – Abaixo ao Trabalho
Paul Singer – Uma utopia militante – Repensando o socialismo
Paulo Eduardo Arantes – Zero à Esquerda
Paulo Freire – Pedagogia do Oprimido
Peter Lamborn Wilson – Utopias Piratas – Mouros, Hereges e Renegados
Pierre-Joseph Proudhon – A Propriedade é um Roubo
Pierre-Joseph Proudhon – Do Princípio Federativo
Pierre-Joseph Proudhon – Sistema das Contradições Econômicas ou Filosofia da Miséria
Pietro Gori – A Anarquia Perante os Tribunais
Piotr Kropotkin – O Estado e seu Papel Histórico
Piotr Kropotkin – A Anarquia – Sua Filosofia e Seu Ideal
Piotr Kropotkin – Palavras de um Revoltado
Ragon et al – Arte e Anarquismo
Raoul Vaneigem – A arte de viver para as novas gerações
Ricardo Mella – Primeiro de Maio Dia de Luto e Luta – A Tragédia de Chicago
Ronald Creagh – O dia em que o mundo mudou – O terrorismo, a guerra e os interesses em jogo
Rudolf Rocker – A Ideologia do Anarquismo
Safón – O Racionalismo Combatente – Francisco Ferrer y Guardia
Sam Dolgoff – A Relevância do Anarquismo para a Sociedade Moderna
Sébastien Faure – Eleitor, Escuta! – A Podridão Elementar
Stewart Home – Manifestos Neoístas – A Greve da Arte
Thomas Morus – A Utopia
União Regional Rhône-Alpes da Federação Anarquista Francófona – O Anarquismo Hoje – Um Projeto para a Revolução Social

Que tal conteúdo assim no seu e-mail todos os Domingos? Todas as semanas, envio um boletim criado exclusivamente para Aprendizes de Alquimia, assim como você, com conteúdo exclusivo sobre Desenvolvimento Humano, Crescimento Pessoal, Saúde, Aptidão Física, Meditação, Ayurveda, Psicologia Positiva, Ciência da Felicidade e do Hábito ou algum assunto que eu esteja estudando e passe pelo meu radar.


Quintessencial

5 Comentários

  • Luiz Eduardo

    Uma Verdadeira Biblioteca
    com o tempo isso poderá virar um projeto social… que sabe algo a ser divulgado na coolmeia… estás pensando algo parecido? imagino que haja muitos interessados em tais leituras que não têm condições econômicas de adquirir os livros. parabéns pela divulgação!

    • Rafael Reinehr

      CELA
      Luiz, aassim que li meu primeiro livro “libertário”, que foi A Utopia, de Thomas Morus, comprei um outro exemplar e escrevi, na primeira página do mesmo, uma dedicatória, solicitando que o mesmo fosse lido e depois passado adiante. Fiz o mesmo com Deus e o Estado, de Mikhail Bakunin. Espero que estes livros estejam circulando, e não parados em uma estante qualquer.

      Livros são para serem lidos e, sim, há alguns anos idealizei o que chamo de CELA (Centro de Estudos Libertários e Anarquistas – nome paradoxal, não? A CELA que liberta…), mas ainda não consegui pô-la em prática.

      Bom saber que continuamos em sintonia. Obrigado pelo comentário.

  • Evandro Cesar

    livros…
    Engraçado que só quando vemos uma lista dessas é que percebemos que não lemos NADA AINDA :cheer:

    Desses só li Thoreau e A Utopia de Morus, mas faltou um livro do Tolstoi nessa lista, chama O Reino de Deus Está em Vós, em alguns lugares tem para vender embora erroneamente eles coloquem que é um livro psicografado, colocam Toltói (espírito), o coitado deve revirar na tumba :woohoo:

    Mas é um livro fantástico que moldou minha idéia sobre anarquia, mesmo que ele apele um pouco para um lado religioso da coisa eu leio sem considerar muito essa parte em termos religiosos e considero mais os aspectos filosóficos da coisa toda, vale a pena!

    • Rafael Reinehr

      Neste mundo de posses impossíveis…
      …Tolstói foi realmente um exemplo moderno de desapego. Aos 82 anos largar tudo o que tinha – inclusive a família que nunca lhe compreendeu – é uma atitude digna de nota.

      Hoje não consigo imaginar-me tomando atitude semelhante, entretanto vou praticando com mudanças mais sutis.

      Tolstói não aceitava ser taxado de anarquista, porque sua visão da anarquia era aquela moldada pela revolução francesa, de caos e desordem, ou seja, a que ainda persiste ao senso comum. Nada mais infiel à realidade.

      Um abraço fraterno, Evandro.

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ei, espere!

Antes de sair, considere assinar nosso boletim, e receber textos inspiradores todos os Domingos.

%d blogueiros gostam disto: