Zona do Crime
Ando Vendo

Zona do Crime – La Zona (2007)

Zona do CrimePrimeiro longa-metragem do diretor uruguaio Rodrigo Plá conta a história de Alejandro, um adolecente que vive em La Zona, um rico condomínio residencial fechado na Cidade do México, protegido por forte sistema de segurança privado e cercado de um bolsão de pobreza. Nas primeiras horas de seu aniversário, três garotos da favela vizinha invadem uma das casas do condomínio e, durante o assalto fracassado, a dona da casa, uma mulher idosa é assassinada. A empregada doméstica consegue escapar e avisa os seguranças. Os guardas de La Zona agem rapida e brutalmente, matando a tiros dois dos três rapazes. O terceiro, de nome Miguel escapa mas permanece preso dentro de La Zona.

 

Atenção: a partir desta parte serão apresentados vários spoilers. Se ainda não viu o filme e não quiser saber antecipadamente algumas informações importantes acerca do roteiro, não continue lendo.

 

Os moradores acabam por ficar em um dilema: se avisam a polícia do que aconteceu, perdem os privilégios concedidos ao condomínio, que funciona de forma semelhante a um “estado autônomo”. Acabam por fazer a escolha alternativa: a de procurarem por conta o jovem intruso e darem cabo dele.

Alejandro encontra Miguel escondido no porão de sua casa e, de seu relacionamento com o invasor surgem uma série de questionamentos em relação ao comportamento dos adultos e também ao fato dele permanecer sempre preso dentro de La Zona, de onde não sai nem para ir à Escola.

A crítica social é nítida no roteiro e na forma com que Rodrigo Plá dirige o filme, entretanto algumas conexões deixaram de ser bem amarradas no decorrer da narrativa cinematográfica. O menino Alejandro modifica sua percepção de mundo de forma súbita demais, concorrendo para uma percepção surreal da situação, contrastando com a evidente necessidade de realismo que todo resto da trajetória narrativa convoca. Uma hora é o filho riquinho e no instante seguinte é o maior defensor do bandido. Não se trata aqui de nenhuma Síndrome de Estocolmo, tendo em vista que o seqüestrado na verdade era o jovem Miguel, exilado de seu mundo severo mas não tão hostil quanto o que o espera fora do porão da casa de Alejandro.

A Sociedade de Controle está claramente apresentada. Câmeras de segurança vigiam os passos de todos – bandidos e mocinhos. A lei das selvas tem seu lugar na modernidade, e a lei de Talião não é respeitada: ela é amplificada: as duas mortes não pagaram a primeira; precisa-se de mais uma para vingar a morte da velha senhora.

A expectativa de que a situação apresentada possa se tornar cada vez mais comum não vive somente no mundo da ficção: violência e caos urbano são crescentes e a diferença entre quem possui mais e quem tem menos é cada vez maior. O estado de Mal Convulsivo está próximo.

 

Que tal conteúdo assim no seu e-mail todos os Domingos? Todas as semanas, envio um boletim criado exclusivamente para Aprendizes de Alquimia, assim como você, com conteúdo exclusivo sobre Desenvolvimento Humano, Crescimento Pessoal, Saúde, Aptidão Física, Meditação, Ayurveda, Psicologia Positiva, Ciência da Felicidade e do Hábito ou algum assunto que eu esteja estudando e passe pelo meu radar.


Quintessencial

2 Comentários

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ei, espere!

Antes de sair, considere assinar nosso boletim, e receber textos inspiradores todos os Domingos.

%d blogueiros gostam disto: