Araranguá, a Nova Atlântida?

Posted By Rafael Reinehr on jan 8, 2009 | 4 comments


Atlântida, o continente desaparecido embaixo d’água após um Dilúvio de gigantescas proporções estará para ser reprodzida em Araranguá, no Estado de Santa Catarina?

Araranguá a Nova Atlântida Araranguá debáixo da água

 

Hoje fui informado de que a chuva que deixou parte da cidade de Araranguá debaixo d’água nesta semana após chuva de 230mm na região deverá retornar a partir da próxima terça-feira, dia 13 de janeiro. Segundo previsões meteorológicas e pluviométricas, a expectativa é que, desta vez, a chuva ultrapasse a marca dos 400mm, podendo causar uma catástrofe sem precedentes na região, pior ainda que o ciclone Catarina, que devastou o sul catarinense em 2004.

Como a ciência meteorológica não é algo que possamos chamar de “exata”, nós aqui da região torcemos para que, mais uma vez, as previsões estejam incorretas e que o povo catarinense possa calmamente recolocar suas vidas em ordem.

Compre-me um caféCompre-me um café
Gostou deste post? Se ele lhe ajudou, que tal doar 1 real para que continuemos produzindo conteúdo assim?
Doação Única de Qualquer Valor via PagSeguro: https://pag.ae/blhvRmR
Regras para comentários: Tudo OK criticar, mas se você trolar, seu conteúdo será deletado. Divirta-se e obrigado por somar à conversação.

4 Comments

  1. Araranguá
    Olá Rafael
    Obrigado pela valiosa explicação.
    Tadeu Santos

    Post a Reply
  2. Olá Tadeu. O termo Ciclone foi usado em sua forma genérica, como utilizado neste artigo da USP: http://www.icess.ucsb.edu/gem/furacoes.htm

    Veja que até eles utilizam o nome Ciclone para o Catarina (http://www.icess.ucsb.edu/gem/ciclone_catarina.htm), mas dizem, finalmente, que ele chegou às características de um furacão classe 1-2.

    Disso depreendo que um furacão é um tipo de ciclone, e não errei quando me referi ao Catarina como sendo um ciclone, bem como alguém que o chama de furacão também não está incorreto.

    Outra definição que encontrei: “Ciclone é um fenômeno atmosférico em que os ventos giram em sentido circular, tendo no centro uma área de baixa pressão. No hemisfério sul, o vento gira em sentido horário e no norte, no sentido anti-horário.

    Os ventos de um ciclone podem chegar a 200 km/h e, geralmente, apresentam-se acompanhados de fortes chuvas (tempestades). Estas precipitações ocorrem, pois o ar quente se eleva, formando assim as nuvens.

    Os ciclones formam-se, geralmente, em regiões de clima tropical e equatorial, em áreas do oceano com águas quentes.

    Quando um ciclone nasce e se desenvolve no Oceano Atlântico ele é chamado de furacão. Quando o ciclone é formado sobre as águas do Oceano Pacífico, então é chamado de tufão.” (http://www.suapesquisa.com/o_que_e/ciclone.htm)

    Abraço fraterno e muito obrigado pelo comentário.

    Post a Reply
  3. ARARANGUÁ EPICENTRO DO FURACÃO CATARINA
    Prezado Rafael
    Não entendemos porque você faz um bom artigo e classifica o furacão Catarina de ciclone, se os ventos alcaçaram a velocidade de 180 km/h.
    Na segunda quinzena de setembro passado, Araranguá sofreu com três ecorrências climáticas assustadoras, iniciando com uma das maiores enchentes do rio Araranguá, uma violenta chuva de granizo com pedras de 5 a 7 cm de diâmetro e o inédito tornado que promoveu pânico e destruição na noite de 27 para 28. A região sul de SC já vive em estado de emergência climática!

    Post a Reply
  4. Cara, quando é que esse tormento vai acabar…
    Pensei que as coisas iam voltar para o lugar, mas parece que a chuva não vai dar trégua… Por aqui estamos vivendo uma situação de estiagem, com perda de lavouras e tal. Entretanto, algumas cidades gaúchas tiveram problemas com chuvas ontem.
    vou ficar torcendo tbém para essas previsões sobre araranguá não se confirmarem.

    Post a Reply

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: