João Ubaldo nas Amarelas

Posted By Rafael Reinehr on Maio 19, 2005 | 2 comments


Entrevista nas Amarelas de Veja nesta semana, João Ubaldo Ribeiro.

Perguntado acerca do sistema de cotas nas universidades, largou a seguinte afirmação:

“- Essa idéia de cotas embute, no fundo, uma visão equivocada: aquela que enxerga a questão da escravidão como um problema de origem racial.”

Ué? E não é, pensei comigo. Mas foi por pouco tempo. O jornalista então pergunta:

VejaE não é?

UbaldoNão existe nada mais falso do que isso. Ao longo da história, os escravos sempre foram os vencidos, e não necessariamente os negros. Na maior parte das civilizações, os escravos eram brancos. Os hebreus foram escravos dos egípcios, por exemplo. Não foram os portugueses que escravizaram os africanos. Eles trouxeram nos navios negreiros pessoas que já haviam sido escravizadas em sua nação de origem. Eram negros escravizando negros. As nações da África do início do ciclo das grandes navegações nunca tinham ouvido falar na existência dos brancos. Acreditavam que a humanidade era negra. Achavam-se, assim, tão diferentes dos vizinhos que falavam outra língua, cultuavam outros deuses e comiam outra comida quanto um inglês se acha diferente de um francês, de um alemão ou de um napolitano. A suposta irmandade entre negros passou a existir quando eles foram unificados na categoria de escravos.

Faz pensar.

Compre-me um caféCompre-me um café
Gostou deste post? Se ele lhe ajudou, que tal doar 1 real para que continuemos produzindo conteúdo assim?
Doação Única de Qualquer Valor via PagSeguro: https://pag.ae/blhvRmR
Regras para comentários: Tudo OK criticar, mas se você trolar, seu conteúdo será deletado. Divirta-se e obrigado por somar à conversação.

2 Comments

  1. Pois…

    Para mim que não sou favorável ao sistema de cotas, este argumento desbancou qualquer outro…

    Post a Reply
  2. Até o Ubaldo, meu Deus?

    Daqui a pouco, do jeito que as coisas vão, até eu vou mudar de idéia. 😉

    Post a Reply

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: