Posts Tagged "somente"


Hoje estamos completando, Carol e eu, 31 dias sem colocar qualquer tipo de carne na boca.

Primeiras impressões:

Legumes1. Sente-se mais disposto

2. A atividade física parece render mais

3. O cérebro funciona melhor e mais rápido (apesar de uma ou outra onda de desânimo – talvez característica da adaptação)

4. Emagrece-se (há um mês pesava 95kg, hoje estou com 90,3kg) – foram 4,7kg em 31 dias

5. Há dificuldades na adaptação social. Os amigos de sempre ou ficam surpresos ou confusos. Os novos encaram com um pouco mais de naturalidade, mas ainda assim com indisfarçável surpresa.

6. Volta e meia surgem ímpetos em direção à carne. Imagens mentais de um passado recente voltam à tona.

7. Usa-se construções mentais positivas para afastar a vontade quando ela vem, e logo conseguimos afastá-la. É o que chamam por aí de “poder da mente”

8. Somente uma escolha racional poderá tirar-nos do caminho, e essa diz respeito a uma análise antropológica da situação. Análise essa que não desejo fazer, pois quero continuar com a experiência por mais tempo.

9. Come-se muito bem sendo vegetariano. Você não perde por experimentar.

10. Há que se resistir a comentários muito delongados sobre a decisão de tornar-se vegetariano, do contrário pode parecer a alguns que se está fazendo propaganda do estilo de vida.

Read More

A AMCTV está disponibilizando na íntegra os 17 episódios da série de TV O Prisioneiro, criada por Patrick McGoohan e George Markstein, que trata de um ex-agente secreto britânico que é mantido cativo na “Vila”, por autoridades misteriosas que querem saber porque ele abandonou seu cargo.

A série foi exibida entre 1967 e 1968, inicialmente na BBC e depois no canal CTV do Canadá.

Infelizmente, para os brasileiros ainda não é desta vez que os episódios poderão ser acompanhados aqui do Brasil, já que o site apresenta um filtro que disponibiliza os episódios somente para computadores residentes nos Estados Unidos. Os mais entendidos podem manipular proxys e armar outros hacks e assistir daqui mesmo. Os bobões como eu terão que esperar, ou comprar a série, disponível na Amazon para venda.

The Prisoner

(via Neil Gaiman)

Read More

AntenaFato: estou sempre inventando coisas. A cada dia, uma nova mania. Violão, guitarra, contrabaixo e teclado (não podia ser um só?), fotografia, cinema, filosofia, ciências sociais, literatura, gastronomia, a onipresente medicina e mais recentemente o empreendedorismo cultural e social.

Aqui no site, também gosto de inventar. Tenho vários projetos “hibernantes” como o Clube de Leituras, o ArqueoBlog e tantos outros. No meios destas “efervescências”, surge mais uma Coluna sem periodicidade dentro do site. resolvi chamá-la de Antena: O Que, Como, Quando, Onde e Porquê.

Nesta “coluna” pretendo comentar fatos da atualidade partindo sempre do meu ponto de vista pessoal, sem almejar a verdade absoluta, esta divindade inalcançável que somente os tolos, os gênios ou os iluminados (quem sabe) podem vir a conhecer. Humildemente, penso que, se estudar um pouquinho mais devo chegar ao nível dos tolos em duas ou três décadas, aí ninguém me segura…

Sendo o que tínhamos para anunciar, subscrevemos.

Read More

Entre primeiro de setembro e primeiro de outubro de 2008, realizei uma pesquisa aqui no site para tentar entender o que as pessoas que aqui chegam sentem em relação ao trabalho, bem-estar e à remuneração que se vincula com este trabalho e este bem-estar.

O resultado foi o seguinte:

Pesquisa Remuneração

A conclusão a que cheguei analisando os dados acima foi que uma grande parte das pessoas prefere não “viver somente para o trabalho”, mesmo que isso represente um incremento substancial (100%) da renda. Chegando a um patamar que lhes dê conforto, segurança e estabilidade financeiras, os votantes na opção “12 mil reais” preferem utilizar seu tempo com lazer ou outras atividades que lhes preencham do que utilizar as demais horas trabalhando mais para alcançar uma maior renda.

Me surpreendi com o grande percentual (32,2%) de pessoas que ficariam satisfeitas com uma rende de 3 mil reais para fazer 100% do tempo somente aquilo do que gostam. É claro que esta pesquisa sofre um grande viés: não leva em conta a remuneração atual do indivíduo que está votando. Ou seja, para alguém que ganha 1000 reais por mês, passar a ganhar 3 mil e fazer somente o que lhe dá prazer parece uma proposta aprazível. Mas e para quem ganha 24 mil, será que conseguiria passar a receber 3 mil e ficar plenamente satisfeito?

Obrigado a todos que votaram. Me ajudaram a pensar mais sobre o assunto. Ainda preciso de tempo para decidir por que caminho seguir. Quando decidir, compartilho com vocês a decisão.

Read More
%d blogueiros gostam disto: