dez 10

Medicina e Mindfulness – Colaborações para uma vida plena

By Rafael Reinehr | Bem-estar , Meditação

Estamos cada vez mais e mais ocupados e distraídos.

A ciência nos mostra que nossa atenção não está focada no que queremos em cerca da metade do tempo de nossas vidas. De forma a promover as mudanças que queremos e realizar nossos objetivos e sonhos, precisamos definir uma intenção e ser capaz de prestar atenção a ela por um tempo consistente de forma a torná-la um hábito.

Mudanças como: comer de forma mais saudável; perder peso; melhorar o foco no trabalho; meditar; ser menos auto-crítico; não pegar seu telefone assim que você acorda. Nós começamos empolgados e com a melhor das intenções, mas inevitavelmente caímos nos velhos padrões que não nos servem mais.
A ciência é clara: o Mindfulness é a chave para resolver estes desafios diários e nos ajudar a conquistar uma mudança significativa.

Do ponto de vista médico e psicológico, o Mindfulness está ligado a: aumento da função imunológica; menores níveis de pressão arterial, menor frequência cardíaca; aumento da consciência; aumento da Atenção e do foco; maior capacidade cognitiva e funcionamento cerebral; aumento da clareza de pensamento e percepção; menores níveis de ansiedade; maiores níveis de calma e tranquilidade interna; experiência de sentir-se conectado.

Neste Curso, descobriremos quais os Efeitos da Meditação na Saúde Humana e aprenderemos algumas técnicas para melhorar nossa atenção, momento a momento, sem julgamento.

Palestrantes

Rafael Reinehr

Rafael Reinehr

Médico endocrinologista e instrutor de mindfulness, com uma curiosa abertura às possibilidades orientais e não industriais da Medicina. É fundador do portal Medictando.com, um espaço de educação em saúde, qualidade de vida, bem-estar e felicidade.
(Foto: Acervo Pessoal)

Bibliografia

The Relaxation Response – Herbert Benson
Beyond the Relaxation Response – Herbert Benson
A Revolução Mindfulness – Um guia para praticar a atenção plena e se libertar da ansiedade e do estresse – Sarah Silverton
Atenção Plena Mindfulness – O plano que libertou milhões de pessoas do stress e da ansiedade do dia a dia – Padraig O’Morain
Manual Prático de Mindfulness – Um programa de oito semanas para libertar você da depressão, da ansiedade e do estresse emocional – John Teasdale, Mark Williams e Zindel Segal
Atenção Plena Mindfulness – Como encontrar a paz em um muundo frenético – Mark Williams e Danny Penman
A arte de respirar – O segredo para viver com atenção plena – Danny Penman
Atenção Plena para Iniciantes – Jon Kabat-Zinn
Wherever You Go There You Are – Mindfulness Meditation in Everyday Life – Jon Kabat-Zinn
Viver a Catástrofe Total – Como utilizar a sabedoria do corpo e da mente para enfrentar o estresse, a dor e a doença – Jon Kabat-Zinn
A Ciência da Meditação – Como transformar o cérebro, a mente e o corpo – Daniel Goleman e Richard J. Davidson
Mindful Eating – A Guide to Rediscovering a Healthy and Joyful Relationship with Food – Jan Chozen Bays
Why Meditate – Working with thoughts and emotions – Matthieu Ricard
Atenção plena em poucas palavras – 10 minutos por dia para uma vida mais tranquila e menos estressante – Patrizia Collard
Caderno de Exercícios para ficar zen em um mundo agitado – Erik Pigani
Heal Thy Self – Lessons on Mindfulness in Medicine
Liberte-se – Evitando as armadilhas da procura da felicidade – Russ Harris
Mindfulness para Crianças – Estratégias de Terapia Cognitiva Baseada em Mindfulness – Vitor Friary
Growing Up Mindful – Essential Practices to Help Children, Teens and Families find Balance, Calm and Resilience – Christopher Willard
Brincando de Mindfulness – 50 Exercícios para Praticar a Atenção Plena com Crianças – Patricia Calazans

Data

12/12/2019 a 12/12/2019

Dias e Horários

Quinta, 14h às 18h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 28 de novembro, às 14h, no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar
Bela Vista – São Paulo.
Rafa e Sushi na Morada das Bromélias
nov 14

A Síndrome do Impostor e o Efeito Dunning-Kruger

By Rafael Reinehr | Buscando a si mesmo , Hábitos Zen

Hoje estamos descansando, Sushi, eu e mamãe @luanarosa.bio e aproveito a chuvinha gostosa e o canto dos pássaros para revisar alguns apontamentos dos estudos e formações que fiz nos últimos 3 anos.

Encontrei anotações que fiz sobre a Síndrome do Impostor, que acontece quando, à medida que você mais sabe sobre um assunto, mais você não se sente uma autoridade sobre ele; e o seu oposto, o Efeito Dunning-Kruger, no qual pessoas que não tem conhecimento sobre um assunto tendem a ter uma falsa confiança de que de fato sejam especialistas naquele assunto. Vira uma tendência de você achar que sabe todos os fatos que há para saber, que o que você sabe é tudo que há para saber.

Lembrei disso porque, hoje em dia, pelo menos na amostra (viciada) que perpassa minhas mídias sociais e círculo de conhecidos, vejo uma “onda crítica” em direção à figura do Coach.

Essa onda se baseia não somente em especulação, mas em fatos. Perfis aqui do Instagram como @dicas_anticoach e @coachdefracassos são, além de hilários, um maravilhoso repositório do que de pior o empreendimento humano pode proporcionar. Recomendo fortemente a visita para uma dose diária de inspiração (?) e boas gargalhadas.

Ao mesmo tempo, como médico endocrinologista, olho para o lado e vejo colegas de profissão criticando a profissão ou ocupação de coach de forma generalizada, como se não houvessem pessoas sérias, que realizaram estudos aprofundados em instituições igualmente sérias, que dedicam seu tempo ao aperfeiçoamento do tempo e bem-estar humano. Esses mesmos colegas que estão preocupados apenas com a regulação bioquímica de alguns parâmetros biológicos e que não conseguem ver o indivíduo que se lhes apresenta à frente como um ser humano integral.

Se estou cada vez mais distante da medicina industrial que é dominante em nosso país e no Ocidente, estou cada vez mais próximo da Medicina, aquela do radical “mederi” (o mesmo de Meditar), que significa “saber o melhor caminho” ou “tratar”. Curar não só com medicamentos, mas com o olhar, a atenção plena, com a boa energia e os bons desejos, com o apoio mútuo e a troca de saberes e sentires.

Isso não me afasta da Ciência, mas me aproxima mais do Humano.

Ciência e Humanidade sempre serão complementares. Alimentam-se um do outro, são interdependentes. Quando usamos a Ciência como ferramenta única, me parece que perdemos um pouco da sutileza, do toque e da brandura necessárias à transformação maia profunda do ser humano. Quando adicionamos pitadas generosas de olhar, ouvir e respeitar, conseguimos promover mudanças mais integrais. Intensas. Profundas. Duradouras.

E isso independe se estamos nos relacionando com um profissional com CRM, CRP, CRN, CRTH ou outro Conselho, ou profissionais não credenciados, desde que imbuídos no verdadeiro espírito de ajudar ao ser humano ao invés de utilizar conhecimento parcial e estratégias de ludibriá-lo para benefício próprio.

Como já dizia Hannalore Gerling-Dunsmore: “Se tivermos uma grande parcela da população que não tem pensamento crítico e não sabe avaliar suas fontes, serão fáceis de manipular“.

Então, o que posso pedir nesta manhã chuvosa é: fique atento, sinta, observe, colha dados de boas fontes, peça boas indicações de pessoas confiáveis, analise os resultados (não somente aqueles oferecidos por quem está vendendo algo, mas por fontes indepententes) e siga em frente com cautela. Existem muitos bons seres humanos por aí, mas muitos estão se perdendo no caminho. Cabe a você utilizar o Bom Discernimento para separá-los.

Vida longa e boa para você. Namastê. 🙏❤️👊

Indicações de Livros sobre Como Escrever
set 23

Como Escrever Bem: 4 Dicas Fundamentais para Quem Quer Começar a Escrever ou Para Quem Quer Desenvolver Seu Próprio Estilo

By Rafael Reinehr | Literatura

Se você quiser aprender a Como Escrever Bem ou Como Desenvolver Seu Próprio Estilo, chegou ao lugar certo!

Então, hoje o papo por aqui é Escrita e Literatura. No outro dia, recebi da Natalí Rosa –  querida amiga psicóloga de quem tive a honra de participar de sua banca de TCC – o seguinte pedido:

Bom dia!
Rafael, como você fez o vídeo sobre as pessoas interagirem mais com seus conteúdos, resolvi pedir algo que há tempos eu gostaria de pedir…mas, como você é muito ocupado deixe de lado. rssss

Seguinte, os poucos textos seus que eu li, percebi que você escreve muito bem. Mas, não é só escrever bem, é uma maneira diferente, uma forma particular tua, acredito. O ponto é que gostei da maneira como você escreve e, eu gostaria de pedir uma sugestão ou sugestões para que eu posso aprimorar minha escrita.
Gosto de leituras, gosto de escrever também, mas não acho que fica bom e acabo apagando tudo. rsss
Bem, sei que aprendemos escrever escrevendo, mas você tem alguma outras dicas?
É isso!
Abraço!

Cá estou eu, para, de forma sintética, começar a resolver esta questão – cuja resposta é simples, porém não existe “almoço grátis” para ela, ou seja, é necessário algum esforço concentrado e prática para desenvolver seu estilo e escrita.

Basicamente eu poderia dar 4 dicas para qualquer pessoa que deseje aprimorar sua escrita:

  1. Leia muito. Sempre. O dia inteiro. Tanto quanto puder e seus olhos aguentarem. Eu leio – sem brincadeira – todos os dias da minha vida desde os 3 anos e meio, quando minha tia Solange me ensinou a ler. Na primeira infância eu lia tudo, desde placa de carros, lista telefônica, classificados de jornal, até coisas mais divertidas como revistas em quadrinho e até, um pouco mais tarde, revistas femininas como Nova e Cláudia (acreditem!). Na sexta série do ensino fundamental, reza a lenda que li 67 livros em um ano escolar, espontaneamente, sem estímulo familiar ou dos professores. Eu gosto de ler. Me deixa!
  2. Escreva muito. Sempre. O dia inteiro. Tanto quanto puder e seus dedos ou mãos aguentarem. Meu primeiro dinheiro que ganhei na vida foi como escritor, aos 8 anos de idade. Ganhei um Concurso Cultural do Banco do Brasil, e ganhei uma conta-poupança no valor de alguns mil cruzeiros (me lembro de algo em torno de 6 mil, mas minha memória pode estar falha depois de tanto tempo). Sempre escrevi muito. Era até prolixo. A professora pedia 25 linhas eu escrevia 50. Ela pedia 50 eu escrevia 120. A síntese, por muito tempo não foi minha melhor característica! Mas a mensagem aqui é: exercite o “músculo” da escrita. Nem que seja para refletir, criar, escrever e guardar na gaveta. O exercício rotineiro é realmente fundamental. Nem que seja um diário, no qual você escreva um ou dois parágrafos por dia. Mantive diários em vários períodos da vida, tanto na adolescência quanto na vida adulta. Eram espaços para reflexões, períodos de introspecção, análise societal, de comportamentos humanos, relatos de histórias e também de criação literária. Uma das minhas primeiras experiências na web foi o Escrever Por Escrever, que comecei em 14 de dezembro de 2003 e. Antes mesmo desse blog, eu criei em 03 de junho de 2000 um projeto com o mesmo nome (Escrever Por Escrever) cujo objetivo era escrever diariamente sobre qualquer assunto que me viesse à cabeça, de forma livre e descompromissada. Livre pensar, livre fluxo. Anotava o horário no qual começava a escrever e o horário em que terminava. Durou alguns anos, e foi um belíssimo exercício de escrita criativa, sem amarras técnicas ou estilísticas, e gerou impressionantes insights, aprendizados e experiências.
  3. Leia sobre Como Escrever. Não tenha medo de ter seu estilo pessoal tolhido. Aprenda com os mestres, para depois libertar-se deles. Defina um estilo que você quer aprender a dominar, a masterizar e busque 3 a 5 livros sobre este estilo (Conto, Crônica, Poesia, Crítica, Roteiro…) ou faça como eu: navegue por vários e crie sua própria “síntese”, sua “mistura fina” de conhecimento sobre a arte da escrita. Não posso recomendar o que não li, então deixo as seguintes obras para como referência:
    1. Aspectos do Romance, de E.M. Forster
    2. Uma poética de romance, de Autran Dourado
    3. Os segredos da ficção, de Raimundo Carrero
    4. Manual do Roteiro, de Syd Field
    5. Teoria e Prática do Roteiro, de David Howard e Edward Mabley
    6. A Angústia da Influência – Uma Teoria da Poesia, de Harold Bloom
    7. A poética do conto, de Charles Kiefer
    8. A arte de escrever, de Arthur Schopenhauer
  4. Faça algum Curso sobre Como Escrever. Quer seja Online ou Presencial, vale muito a pena investir e ouvir quem já trilhou esse caminho. As dicas de bons escritores são preciosíssimas, e podem te economizar muito muito tempo no teu próprio caminho. Pessoalmente, valorizo muito mentores, e invisto pesado (tanto quanto posso) em ouvir pessoas que trilharam antes de mim os caminhos que desejo seguir. Se tem como investir, não titubeie: invista e seja feliz!

Espero que as dicas acima possam ter jogado uma luz sobre um caminho a seguir para desenvolver sua própria verve, sua própria veia literária. Se você realmente for apaixonado(a) por ler e escrever, nada (além da procrastinação!) irá te impedir de se tornar um ótimo escritor. Só que, da forma que eu vejo as coisas, se você procrastinar para fazer algo que você “diz que” ama, na verdade você não ama tanto assim, pois não conseguimos ficar longe de algo que amamos.

É justamente por isso que Leio, Aprendo e Escrevo todos os dias da minha vida!

Natalí, muito obrigado pela sua pergunta. Aos demais leitores deste artigo, uma excelente jornada em sua caminhada como escritores. Se desejarem compartilhar um pouco da sua história, fiquem à vontade para utilizar a Caixa de Comentários abaixo!

Até mais ver! Namastê.

Coolmeia Textos Seminais
set 23

Coolmeia, Ideias em Cooperação: No Que Acreditamos E O Que Queremos – Um Manifesto

By Rafael Reinehr | Coolmeia

Abaixo compartilho com você alguns dos textos fundadores e embasadores da Coolmeia, Ideias em Cooperação, uma Incubadora de Ideias e Soluções Altruístas Voltada ao Bem Comum.

São 334 páginas para sua diversão e inspiração. Textos sobre cooperativismo, apoio mútuo, por uma sociedade e economia mais justas, sobre equanimidade, sustentabilidade, convivialidade, educação, justiça social… Entre eles você encontra os primeiros textos do que vieram a se constituir no Manifesto, na Carta de Princípios e nas Bases do Diálogo da Coolmeia bem como alguns artigos meus que escrevi aqui no blog e em outras paragens ao longo dos últimos 20 anos.

Respire fundo, sente-se confortavelmente, aproxime-se de um café ou um chá quentinho (ou gelado!) e mergulhe! Prepare seu espírito para uma jornada deliciosamente inspiradora, com ideias que fazem minha própria essência vibrar animadamente a cada momento no qual imagino este mundo sendo coletivamente criado.

Se te inspirar e te mover, entre em contato. Em breve a Coolmeia estará de volta, e você pode fazer parte desse Movimento, dessa Comunidade!

Faça o Download clicando no link a seguir: Coolmeia: No Que Acreditamos e o que Queremos

set 10

Daniel Matos, o Blogodependente

By Rafael Reinehr | Blogosfera , Blogs e Internet

Outro dia me lembrei de um vídeo engraçadíssimo que vi, há cerca de 12 anos atrás. Chama-se Daniel Matos, o Blogodependente.

Conta a história de um personagem português que não conseguia ficar minutos sem realizar uma postagem em seu blog.

A esquete foi criada pelo Filipe Homem Fonseca e pelo De Pina lá pelos idos de 2007 e, apesar do site original ter tirado ele do ar, consegui encontrá-lo, e resolvi compartilhá-lo abaixo. (Não repare a baixa qualidade do vídeo: foi a melhor que encontrei!)

Maratona de Leitura de Santa Maria
ago 16

I Maratona de Leitura de Santa Maria – 24 horas de leituras ininterruptas

By Rafael Reinehr | Literatura

Acontece, entre às 9h do dia 16 de agosto e às 9h do dia 17 de agosto a Primeira Maratona de Leitura de Santa Maria.

O convite é que cada cidadão dedique ao longo destas 24 horas pelo menos 15 minutos para leitura, quer seja individual ou coletivamente, sozinho em sua casa ou em um local público, registrando isso na plataforma da Maratona e ajudando a criar um mundo com mais leitores.

Confira a Programação:

SEXTA-FEIRA

9h – abertura*

ABERTURA OFICIAL DA MARATONA, NO CORETO DA PRAÇA SALDANHA MARINHO – CENTRAL DA LEITURA

9h às 12h

AÇÕES DE LEITURA NAS ESCOLAS INSCRITAS 

10h

AÇÃO DA ESCOLA HYLDA VASCONCELLOS COM O ‘FUSCOTECA’: VISITA À COMUNIDADE DO CAMPESTRE DO MENINO DEUS COM UM FUSCA CHEIO DE LIVROS

13h às 17h

PIQUE-NIQUE LITERÁRIO NA EMEI BOCA DO MONTE E OUTRAS AÇÕES DE LEITURA DAS ESCOLAS INSCRITAS

14h às 18h30

CAFÉ COM LEITURA NO THEATRO TREZE DE MAIO

16h

LEITURA NA UNIDADE PEDIÁTRICA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE SANTA MARIA (HUSM)

18h às 21

‘TURMA DO CAFÉ’ – LEITURAS NO BAR DA CASA

SÁBADO

9h – encerramento

CAMINHADA LITERÁRIA COM O COLETIVO MEMÓRIA ATIVA. A caminhada fará uma homenagem aos escritores de Santa Maria. Durante o trajeto, os participantes lerão trechos das obras dos escritores 

Eu já estou Inscrito! E você, o que está esperando? Inscreva-se e Participe!

Madeira
ago 13

Uma História Sobre a Madeira da Suécia

By Rafael Reinehr | Saúde da Sociedade

O vídeo a seguir (em inglês), conta resumidamente a história de uma das mais bem-sucedidas indústrias madeireiras do mundo: o sistema de florestamento sueco.

Com manejos feitos entre 30 a 80 anos após o plantio, e cortes definitivos feitos entre 80 e 120 anos, tecnologias apropriadas aplicadas, manejo totalmente sustentável e uma extração inferior ao crescimento (e mesmo assim com aumento contínuo das exportações), a Suécia desenvolveu um modelo totalmente adaptado a um mundo “pós-petróleo” do qual nos aproximamos utilizando, curiosamente, o carbono.

Assista ao vídeo a seguir:

Familia Reinehr 2018
jul 01

43 anos: um olhar para o presente

By Rafael Reinehr | Efervescências , Quase Filosofia

“Um pouco de perturbação faz parte do processo de mudança. Quando realizamos que é o nosso estado de consciência que influencia a percepção do mundo exterior, um avanço notável acontece. Realidades externas são apenas um reflexo do estado da mente. São as nossas competências, especialidades e poderes latentes que nos tornam efetivos em um ambiente conturbado. Para ser efetivo é preciso ser poderoso. Ser poderoso é ter a habilidade para lidar com todas as situações e aplicar o poder correto na hora certa. Para gerir mudança não basta autoconhecimento, é preciso autorrealização.” – BK Usha

Se algo aconteceu nestes últimos anos em minha vida, foi a aceleração desta percepção: a de que a vida acontece Aqui e Agora. E que é preciso muito mais do que informação, conhecimento ou mesmo sabedoria: precisamos de leveza, de propósito e de felicidade.

Da alquimia destas forças, podemos imaginar o domínio quintessencial dos poderes da mudança, que invariavelmente se lança sobre nossas vidas sem qualquer dó nem piedade.

Este é o quinto texto no qual faço uma breve retrospectiva da vida e analiso, sinteticamente, meu momento presente. Os artigos anteriores podem ser lidos nos links a seguir:

Pela primeira vez, entretanto, sinto que não tenho o que falar. Mas não porque não tenha o que falar: pois tenho muito, e meu poder de síntese parece estar fraquejando… Assim, me perdoem se falhar pela falta de concisão.

São 23:48 do dia 30 de junho de 2019 e daqui a alguns minutos, entro no dia do meu aniversário – certamente antes de terminar de escrever estas linhas, estarei “aniversariando”. No quarto à minha frente, à esquerda, meus filhos Benjamin e Conrado, dormem. No quarto à minha frente, à direita, minha esposa Luana descansa. Na rua atrás de mim, passam carros (46.2dB) de tempo em tempo, pela rua molhada da chuva que caiu ao longo do dia. Perpassam pela janela o som (35.8dB) de uma casa noturna aqui do lado, que hoje toca pagode.

Mais cedo, estivemos em Agudo, visitando minha avó Helga e minha tia Solange e tio Alberto. Almoçamos com eles e passamos a tarde lá, com os meninos. Aproveitei o tempo frio e dei uma corridinha de 4km. Há cerca de 1 mês, estabeleci que quero correr os 4km da Avenida Concórdia até a ponte e voltar em menos de 20 minutos. Hoje foi em 23’47”. Chego lá!

Nos últimos quatro anos fiz muitas escolhas. Encontrei várias bifurcações. Nem sempre fiz as escolhas que levaram para os caminhos mais leves, fáceis ou satisfatórios. Mas não me arrependo delas. Consegui tirar uma boa dose de aprendizado de cada caminho tortuoso que se apresentou após minha escolha.

Muitas dessas escolhas me levaram para um caminho que privilegiava o desenvolvimento e aperfeiçoamento continuado, a partir da minha exposição a novos saberes, novas trilhas de conhecimento ao invés do foco na expansão do ambiente profissional, remunerado. Essas escolhas, que podem parecer um tanto quanto ousadas, se baseiam em uma aposta de longo prazo ao invés de recompensas imediatas, de curto prazo.

Sempre fui aquele rapaz capaz de tolerar o adiamento da celebração e das recompensas. É diferente quando temos que considerar as demandas de outras pessoas – filhos, esposa – na equação. Acabamos por criar um output “misto”, que não agrada completamente nem a quem amamos tampouco a nós mesmos.

Fiz uma aposta no Medictando – e continuo fazendo. Fiz uma aposta nas minhas nogueiras – e continuo fazendo. Fiz uma aposta na minha formação em Mindfulness para Adultos (MBSR/MBCT) e Crianças (MBCT-C)- e continuo fazendo. Na minha formação em Terapeuta Ayurveda – e continuo fazendo. Na minha pós-graduação em Psicologia Positiva, Ciência do Bem-estar e Autorrealização – e continuo fazendo. Nos meus estudos autodidatas em Aromatologia e Fitoterapia – e continuo fazendo. Nas minhas escolhas de hábitos saudáveis e nas melhorias da minha rotina, organização do tempo, formação de hábitos e produtividade – e continuo fazendo.

E, principalmente, na mudança da utilização do meu tempo, energia e recursos de acordo com minha hierarquia de valores, mais alinhada com meus propósitos de vida, o sentido que quero dar para ela, a mensagem que desejo passar e o legado que pretendo construir e deixar para o mundo.

Aos 43 anos, quero reafirmar o desejo de viver pelo menos 180 anos. Não tenho a mínima ideia de como poderei chegar a tanto, mas não estou sozinho. Dave Asprey pensa o mesmo e Pete Diamandis acredita que pode chegar aos 700 ou mesmo viver para sempre. Essa é uma longa história e um dia eu a conto melhor.

Mas antes de viver longe, pretendo viver bem. E viver bem e feliz significa fazer aquilo que vim aqui, para esta existência fazer. No momento, estou em um processo atencioso e cuidadoso de minimizar, mês após mês, aquilo que faço por “necessidade” ou “obrigação” (todos nós temos estas atividades) e maximizando, tanto quanto possível, meu tempo realizando atividades que me deixem plenamente alinhado com meus propósitos – aumentando consideravelmente meu tempo de flow e ainda mais meu estado de bem-estar.

Um dos meus maiores projetos do momento é ser capaz de integrar e ensinar todo conhecimento, experiências, aprendizados e percepções que obtive ao estudar assuntos tão diversos em uma iniciativa chamada Cada Vez Melhor | Harmonia & Bem Viver, empreendimento este que será ao mesmo tempo uma Comunidade de Aprendizagem Online Solidária, uma Mentoria em Desenvolvimento Humano e Crescimento Pessoal e uma Oficina Continuada de Criação Alquímica de Leveza, Sabedoria, Propósito e Felicidade.

Os primeiros esboços do Cada Vez Melhor já estão rabiscados e formatados em artigos e roteiros. Tão logo eu sinta que seja o momento, eles serão tornados públicos, e poderão ser experimentados por todo aquele que está aqui nesta existência para uma vida cheia de significado e felicidade.

Enquanto isso, os princípios da Coolmeia ainda encontram-se devidamente incrustados em mim. Seu Manifesto e sua Carta de Princípios continuam fazendo parte do que me move, enquanto ser coletivo. A Coolmeia segue em pousio, mas logo há de ser reativada.

Ainda, é tempo de espalhar a Meditação e o Mindfulness pelo Brasil e pelo mundo. Cada vez mais evidências científicas acerca dos benefícios do mindfulness surgem e é encantador e excitante fazer parte do grupo de pessoas que está levando esta mensagem para adiante.

Criamos o Impermanentes | Grupo de Meditação e Mindfulness – com encontros presenciais em Santa Maria – RS e Araranguá – SC, e grupos online para todo o Brasil, a preços acessíveis, para tornar possível que todos possam aprender, praticar e se beneficiar das práticas semanais que oferecemos.

Além disso, nunca estive tão presente nas mídias sociais com conteúdos gratuitos, artigos, imagens, reflexões, respostas de dúvidas acerca de Endocrinologia, Meditação, Crescimento Pessoal e Ciência da Felicidade.

Em breve, um Canal do YouTube chamado Cada Vez Melhor deverá ir ao ar, e boa parte do conteúdo que hoje é liberado de forma “solta” passará a ficar mais organizado, e fácil de assistir. Inscreva-se no canal, ative o sininho e seja avisado sempre que houver conteúdo novo.

OK. São 00:52 e está na hora de recolher-me. O sono é aspecto importante de uma saúde plena e de uma vida equilibrada. Lembre-se de dormir pelo menos 49 horas por semana!

E, como de costume, peço sempre em meu aniversário desde os 33 anos, como presente aos meus amigos e conhecidos:

– Pratique um ato de generosidade com alguém que não conhecem. Alguém fora do círculo de amigos, familiar ou profissional. Nos próximos dias, ou na primeira oportunidade que tiver, não perca a chance de ser generoso, da forma que melhor lhe aprouver e de forma que seja útil a quem se esteja sendo gentil.

– Se quiser me dar um presente no dia de hoje, faça isso: pratique, com desapego, sem interesse por receber nada em troca, um ato de generosidade com alguém que você não conhece. Se calhar, permaneça com o espírito aberto, para repetir esta proeza quando for possível. Se conseguir, estará me dando um presente mais valioso do que qualquer um que já ganhei.

Uma excelente semana, uma excelente vida!

Família Reinehr Itaimbé

Benjamin, Rafael, Conrado e Luana, no Parque Itaimbé – Santa Maria – RS, novembro de 2018

PS: Para quem ainda não cansou de ler:

Se você ainda agüenta mais uma recomendação de leitura, fica com o Eu tive um sonho, que escrevi em 01/01/2012. Vai que te inspira a sonhar junto comigo.

descanso
jun 18

Um toque para você que está hiperconectado

By Rafael Reinehr | Bem-estar , Cada Vez Melhor

Oi, tudo bem!

Se você chegou a esta página, foi porque eu ou alguma pessoa te encaminhou para cá, para te deixar uma mensagem:

Você está hiperconectado, e precisa reduzir seu ritmo, e ficar mais atento às necessidades de outras pessoas, não somente as suas.

Todos seres humanos tem necessidades básicas, e entre elas, o descanso é fundamental para que possamos recarregar nossas energias e voltarmos à carga com todo gás quando for a hora.

Em função da disseminação de ferramentas de mensagem instantânea como WhatsApp, Facebook Messenger e outros, as pessoas acreditam que podem enviar mensagens a qualquer hora, e que isso não incomoda o receptor da mensagem.

Digo a você: muitas vezes incomoda.

Tente reservar o envio de mensagens para pessoas que não são suas amigas próximas ou do seu círculo de relacionamentos íntimos em dias e horários adequados, geralmente dentro do horário que chamamos de “comercial” para sua região.

Isso vale principalmente se você está buscando entrar em contato com um profissional liberal, um pequeno empreendedor ou qualquer outro trabalhador que depende somente de si para comunicar-se com você. Compreende que estas pessoas tem família, horas de lazer, momentos de introspecção e descanso e que você não deveria ter a chance de interromper esta pausa reparadora?

Esta mensagem tem um intuito de esclarecimento sobre o meu “modus operandi”, sobre o jeito que eu funciono. Se você me contatar nos meus horários de descanso, à noite ou durante os finais de semana, provavelmente não irei lhe responder. Se você insistir, considerarei um desrespeito, a não ser que seja um caso de vida ou morte (literalmente!).

Assim, com toda cordialidade, peço que respeite minha autodeterminação e o meu direito de reservar um tempo para mim e para as atividades que considero aprazíveis nos momentos de descanso.

No seu próximo contato, pergunte em quais dias e horários estou disponível, e te responderei com todo carinho assim que possível.

Um abraço fraterno,

 

Em busca de sentido - Victor Frankl
maio 07

Em Busca de Sentido: Um psicólogo no campo de concentração – Viktor Frankl

By Rafael Reinehr | Psicologia Positiva

Há alguns anos atrás, escrevi em minha coluna Medic(t)ando, na Revista DOC, acerca do livro Em Busca De Sentido: Um psicólogo no campo de concentração, de Viktor Frankl.

Hoje, como estudante da Pós-graduação em Psicologia Positiva, Ciência do Bem-estar e Autorrealização da PUC RS, voltei a ter contato com este livro, que li quando tinha cerca de 23 ou 24 anos.

Se você tiver oportunidade de tê-lo em suas mãos e lê-lo, não a perca. Nele, Frankl nos discorre sobre o Sentido da Vida, e como é importante nutri-lo, cultivá-lo ou mesmo criá-lo, se ainda não encontramos um para nossa vida.

A partir de sua experiência nos campos de concentração na Alemanha nazista, ele nos mostra o que faz os seres humanos passarem por situações-limite como essas e ainda assim, seguirem firmes no seu propósito.

Diz ele:

A vida ativa não tem sentido somente dando a oportunidade de concretizar; não há sentido apenas no gozo da vida e nas experiências do belo, da arte ou da natureza.

Também há sentido naquela vida que dificilmente oferece uma chance de se realizar criativamente e em termos de valores de forma criativa, mas que se lhe reserva apenas uma possibilidade de configurar o sentido da existência, experiência que consiste precisamente na atitude com que a pessoa se coloca face à restrição forçada de fora do seu ser.

A rigor, nunca importa o que ainda temos a esperar da vida, mas sim exclusivamente o que a vida espera de nós.

Viver significa arcar com a responsabilidade de responder adequadamente às perguntas da vida, pelo cumprimento das tarefas colocadas por ela a cada indivíduo, pelo cumprimento da exigência do momento.” – Viktor Frankl

Para saber mais, leia meu artigo sobre o livro ou, se quiser mergulhar mais profundamente, compre-o na Amazon, clicando na imagem abaixo:

1 2 3 156