Posts made in outubro, 2004


A nogueira (Carya illinoensis) é a árvore responsável pela produção da noz. Pertence ao família Jungladaceae e gosta de climas temperados, puxando para o frio. Sua origem é o sul dos Estados Unidos. Foi introduzida no Brasil em 1910. A propagação da nogueira pecã pode ser realizada por enxertia de borbulhia, no verão, ou de garfagem, no inverno, sobre porta enxertos oriundos de sementes.

Quando apresentam mais de 20 anos de vida, geralmente chamam a atenção pelo tamanho de sua copa e pela altura que atingem, por vezes maior que 30 metros.

A madeira de seu tronco, apesar de habitualmente não utilizada para tais fins, é própria para construção de móveis nobres, tendo valor comercial superior ao do mogno e ligeiramente inferior ao do pau-brasil.

A Calábria é a região da Itália de onde se originou a linguiça calabresa.

Situada entre Potenza, Crotone e Catanzaro, a Calábria é habitada por um povo acostumado a festejos e confraternizações.

A característica alegre e expansiva do povo italiano é ainda mais acentuada na Calábria.

Em 1868 um monge calabrês chamado Joaquim de Fiori,místico, profeta e herege, elaborou uma doutrina da Terceira Idade do Espírito (Santo) que teve enorme influência sobre as ideologias modernas, de Hegel ao Marxismo, Nazismo e Terceiro-mundismo.

Nos dias de hoje, apesar de seu glamour ter sido tomado pr Milão e Nápoles, a Calábria ainda mantém um turismo forte, principalmente graças à sua cozinha e sua noite movimentada, repleta de disco bares, disco pubs e comédias teatrais.

Quanto à importância da nogueira para o ecossistema da Calábria, vou deixar a explicação para outra hora, em primeiro lugar porque nem sei se existem nogueiras por lá e em segundo lugar porque meus médicos já estão vindo com meus remedinhos…

OBS: se você conseguiu ler até aqui sem interromper a leitura, meus parabéns! És uma pessoa especial, assim como eu! Conseguir burlar o sistema de defesa aqui do manicômio para publicar um texto não é coisa para qualquer um…

Read More

Como meus 5 leitores já sabem, comecei há alguns dias a peregrinar através de minha lista de linques e estou aqui comentando e justificando um a um os blógues que ali aparecem.

O segundo blógue que tenho a honra de apresentar é o Simples Coisas da Vida, do meu amigo Cirilo. Nos conhecemos já há algum tempo e, se não me falha a memória, quem nos aproximou foram os flash-blógues, mania virtual relâmpago (em todos os sentidos!) que acontecia lá pelos idos de 2003. Inclusive, quando comecei o blógue do Escrever Por Escrever (que já existia na forma escrita e no Simplicíssimo) na versão blógue, já no segundo pôust há uma referência ao Simples Coisas da Vida.

O Simples Coisas é o Cirilo: simplicidade, paz de espírito, harmonia, vontade de fazer bem, felicidade em viver. Quem nunca passou por lá, já perdeu tempo, mas como ele mesmo diria, sempre há tempo para tudo, tratemos de recuperar agora mesmo.

O curioso é que, entre seus línques, encontram-se atualmente somente 4 pessoas, sendo 3 delas amigos reais do Cirilo e somente uma que permanece como um amigo virtual. Confesso que ainda não consegui entender quais razões para tal fato.

Quer rir? Refletir? Chorar? Ou quem sabe somente desanuviar? O Simples Coisas da Vida pode te trazer todas essas emoções e muito mais.

Será que estou parecendo muito bajulador? Quem sabe você confere e depois me conta se estou sendo exagerado ou fiel à realidade.

Read More

Martelando o Código DaVinci


Posted By on out 18, 2004

O título sugestivo aí de cima tem um motivo: quem ainda não comentou este livro aí levanta o dedo?

Isso só pode ter acontecido por dois motivos: ou você tava

meio sem grana e ainda não leu ou você, como algum

Mochileiro das Galáxias

anda perambulando por Vogon ou Betelgeuse em busca do seu amor perdido.

No segundo caso, está desculpado. No primeiro, também, mas agora já não tem mais desculpa! O Submarino está fazendo uma promoção incrível: o livro, que custa R$39,90 nas melhores livrarias, está sendo vendido por R$22,80 por tempo limitado!

E porque este livro é um “must read”? Porque seus direitos autorais foram comprados pela editora Sextante por cerca de 10.000 dólares e a mesma já faturou cerca de R$ 2.700.000,00? Porque está na moda? Porque é um livro que prende você de cabo a rabo, sendo impossível deixar de ler até que termine seu enredo “pegajoso”? Porque é uma aula de arte, história e religião? Porque faz uma crítica ferrenha da Igreja Católica? Porque se trata de uma obra de suspense de primeiríssima linha? Porque você está tendo a recomendação de um cara que não costuma ler best-sellers por

achá-los banais (em geral) e este cara está dando a mão à palmatória?

Os motivos são tantos que você pode escolher uns 3 ou 4 à sua preferência.

Existe explicação para o Código Da Vinci ser o fenômeno de vendas no Brasil e no mundo: a explicação está em suas páginas, cheias de uma trama inexplicavelmente bem armada, com mensagens subliminares apontando caminhos luminosos e becos-sem-saída.

A saga de Robert Langdon e Sophie Neveu entrou para trazer de volta os tempos áureos de Agatha Christie, entretanto com uma sagacidade e demonstração de argúcia a dar inveja ao

Inspetor Poirot

, além de trazer uma montranha russa de emoções, digna do mais agitado filme de ação hollywoodiano. Ei, espera aí?

Mas, não vai ter nenhuma crítica destrutiva ao livro? Não nenhuma… Se eu pudesse criticar alguma coisa seria o Submarino, que fez esta promoção e me deixou na mão, já que eu havia comprado o livro na época dos 39,90! Bem que podiam ter me avisado!

Ah! Se alguém comprar o livro através do Escrever Por Escrever, fico agradecido! É só clicar no banner quadrado aí do ladinho direito!(não posso nem dizer que não estou ganhando comissão pois estaria dizendo uma inverdade! De cada Código vendido através do Escrever Por Escrever, ganho R$1,82! Uma verdadeira fortuna!) Se alguém leu o livro e gostou (ou não), gostaria de ouvir suas verdades acerca da obra.

Fala aí, digníssimo ou digníssima Escreveleitor(a)!

Read More

Fui introduzido de forma reativamente tardia à obra deste escritor português, vencedor do Prêmio Nobel de literatura de 1998.

Quando comecei minha empreitada, não foi por sua obra mais conhecida: O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991), mas sim por Ensaio Sobre a Cegueira (1995)e Ensaio Sobre a Lucidez (2004).

Nestes ótimos romances, que poderia eu classificar como realidade fantástica, temos passagens belíssimas salpicadas com reflexões, humor, arte e política. Veja dois exemplos abaixo:

Nascemos, e nesse momento é como se tivéssemos firmado um pacto para toda a vida; mas o dia pode chegar em que nos perguntemos: Quem assinou isto por mim?

…depois voltou à sala, onde a candeia estava, ia ser útil pela primeira vez desde que a fabricaram, ao princípio não parecia ser este o seu destino, mas nenhum de nós, candeias, cães ou humanos sabe, ao princípio, tudo para que tinha vindo ao mundo.

Recomendo.

PS: alguém que leu tem algo a comentar?

Read More
%d blogueiros gostam disto: